O que significa colo do útero fechado ou aberto

O essencial sobre a vagina

O que significa colo do útero fechado ou aberto

Este artigo está disponível também em: English, español

*Tradução: Monique Oliveira

Coisas importantes a saber:

  • A vagina conecta a vulva ao colo do útero;
  • Em um estado não excitado, as paredes da vagina ficam juntas;
  • A vagina muda: durante o sexo, durante todo o ciclo menstrual, com a idade e de acordo com diferentes fases da vida;

O termo vagina muitas vezes é usado como referência para toda a região genital feminina entre as pernas – mas essa denominação é incorreta.

Comecemos corrigindo esta terminologia. As partes externas da genitália feminina são chamadas de vulva. Isso inclui o clitóris, os pequenos e grandes lábios, abertura da uretra e da vagina (o intróito vaginal) e todo o tecido ao redor dessas estruturas.

Já a vagina, é um canal, um túnel entre o útero e o mundo exterior (inclusive a vulva) que comunica o útero com o meio externo.

É pela vagina que o bebê sai durante o parto e também é por ela que o sangue menstrual escorre.

A vagina também é usada para inserção do pênis, dos dedos, de preservativos femininos, de brinquedos sexuais, de absorventes internos ou de coletores menstruais.

A vagina também pode atuar como um caminho para outras partes do corpo. Durante o sexo pênis-vagina, a ejaculação é depositada na vagina, permitindo que o esperma entre no útero através do colo do útero.

As paredes da vagina também podem ser usadas como uma via administrativa para medicamentos e contraceptivos, como os cremes hormonais intervaginais, o anel vaginal contraceptivo ou os outros medicamentos.

Anatomia da vagina

Pode parecer estranho que um órgão capaz de passar um bebê inteiro também consiga manter um pequeno absorvente interno no lugar por horas. Como esse absorvente fica lá? Se a vagina é um “túnel”, como ele não cai?

A vagina é mais que um canal. Quando está em um estado relaxado (não-excitado), suas paredes fecham, pressionadas por órgãos e tecidos ao redor. Durante esse estado, o lúmen vaginal (um tecido transversal dentro do canal vaginal) fica em formato de H ou W porque as paredes se achatam (2). É por isso que o absorvente interno permanece no lugar, sem cair (2, 3).

As paredes da vagina são revestidas por dobras (3). Essas dobras, juntamente com as paredes internas, funcionam ao mesmo tempo como uma barreira e uma rota de acesso entre o colo do útero e o mundo lá fora. Essas dobras permitem que a vagina tenha uma elasticidade e só se estique quando uma pressão é aplicada (por exemplo, quando a cabeça de um bebê está passando).

Diferentes camadas de tecido revestem as paredes da vagina. As camadas superficiais da parede vaginal são feitas de tecido semelhante ao que reveste sua boca, nariz e tubo digestivo, conhecido por mucosa. Por baixo da mucosa existem camadas de tecido muscular liso, colágeno e fibras de elastina, que dão à vagina a estrutura e capacidade de alongamento (4).

As paredes da vagina liberam líquidos para mantê-la úmida; e, durante períodos de maior excitação, aumentam a lubrificação. A vagina também é capaz de absorver algumas substâncias – como medicamentos, cremes hormonais ou contraceptivos (3).

Como a vagina muda com a idade?

A vagina pode mudar muito ao longo da vida (1,5). Uma vagina adulta comum é ligeiramente curva e pode ter entre 7 e 12 cm de comprimento (1, 3,4). Vale lembrar aqui que cada corpo é diferente: não existe uma vagina muito pequena ou muito grande.

Também a vagina é fortemente influenciada por alterações hormonais. Após a primeira menstruação e antes da menopausa, mais camadas de tecido surgem para alinhar a vagina. Isso ocorre por níveis mais elevados de estrogênio (3).

Hormônios durante a gravidez também influenciam a vagina. Há aumento de fluxo sanguíneo para a pelve – o que causa uma mudança profunda de cor na vulva e na vagina (5).

Durante toda a gravidez, o tecido das paredes vaginais relaxa progressivamente, preparando-se para o parto de um bebê (5).

Após o parto, a vagina e a abertura vaginal aumentam, mas de 6 a 12 semanas após o parto, a vagina retorna ao tamanho pregestacional (5).

Na medida em que as pessoas envelhecem, as paredes da vagina se tornam mais relaxadas e seu diâmetro mais amplo (1). Mas o tamanho vaginal não afeta a função sexual ou o prazer (6). A percepção do aperto vaginal durante o sexo está relacionada principalmente com os músculos do assoalho pélvico. Eles estão presentes ao redor da base da vagina e não na largura do canal vaginal.

Após a menopausa, quando o estrogênio é menor, as paredes da vagina se tornam mais finas e mais frágeis, o que pode causar a chamada secura vaginal (5). Isso pode resultar em desconforto durante o sexo e aumentar as chances de irritação ou infecção vaginal (5).

Como a vagina muda durante o ciclo menstrual?

A vagina também muda ao longo do mês em resposta às flutuações hormonais do ciclo menstrual. Lá pelo meio do ciclo, quando o estrogênio é mais alto, o tecido vaginal se torna mais espesso e mais cheio (5).

O colo do útero, no topo da vagina, também se move e muda a sua forma ao longo do ciclo.

Antes do período fértil, o colo do útero está baixo e pode ser sentido na vagina, com uma textura firme, e o orifício no centro do colo do útero fica fechado.

Durante o período fértil, o orifício do colo do útero se abre para facilitar a entrada do espermatozoide (7). O colo uterino também se eleva mais na vagina e é mais macio quando tocado (8).

Baixe o Clue e registre todo sobre sua vagina: sangramento, sexo, contracepção e corrimento.

4.8

mais de 2M+ avaliações

Como a vagina muda durante o sexo?

A atividade sexual também altera a vagina. Quando uma pessoa com uma vagina é sexualmente excitada, mais sangue é direcionado para os órgãos genitais, fazendo o tecido vaginal ser regado por sangue e com mais produção de lubrificação.

Durante a excitação, a vagina se expande alongando e alargando a forma – num fenômeno conhecido como balonismo.

Essa mudança de formato acontece porque o útero e o colo do útero são atraídos para dentro da pelve, o que cria mais espaço na vagina. Esse espaço é necessário para que o sêmen não vá direto para o útero.

Assim, há tempo para que o espermatozoide se misturar aos fluidos genitais femininos e se submeter às mudanças necessárias para fertilizar o óvulo (9).

A vagina é um órgão incrível que muda em resposta a hormônios, a fases da vida e a respostas físicas. Então sinta-se à vontade para mostrar todo seu amor à sua vagina, e sinta-se livre para dizer a todos o quão fantástica é a sua vagina.

Artigo originalmente publicado em 18 de abril de 2018.

Источник: https://helloclue.com/pt/artigos/ciclo-a-z/do-utero-para-o-mundo-o-essencial-sobre-a-vagina

Você conhece seu colo do útero?

O que significa colo do útero fechado ou aberto

O colo do útero, também conhecido como cérvix, é uma parte da anatomia feminina muitas vezes desconhecida – ou que, no mínimo, recebe menos atenção.

Nos meios de ginecologia autônoma e ginecologia natural, o colo do útero já é um ilustre conhecido, sendo bastante mencionado principalmente pelas suas mudanças ao longo do ciclo menstrual e pela possibilidade de perceber essas mudanças tocando no próprio colo e conhecendo sua textura e abertura.

Entenda as duas fases do ciclo menstrual

Ele também se torna pauta quando falamos do famoso exame papanicolau ou preventivo, importante para a prevenção do câncer de colo do útero – que também faz parte das campanhas do Outubro Rosa! Leia sobre exames de rotina neste texto.


Vamos conhecê-lo, afinal?

O nosso útero tem um formato parecido com uma pera (sim, a fruta mesmo!) invertida. O colo nada mais é do que a parte mais baixa e mais estreita do útero, onde se encontra a abertura desse órgão.

É por meio da abertura do colo que a menstruação sai do útero e chega até o canal vaginal, e é o colo do útero que dilata quando as gestantes estão em trabalho de parto. Sim, um pequeno orifício no qual sequer entra um dedo mindinho (mesmo na máxima abertura em situações ‘normais’), se dilata até cerca de 10 centímetros para permitir a passagem do bebê durante o parto! Incrível, né?

Como saber se seu fluxo é leve, moderado ou intenso

Dentro do colo do útero, ocorre a produção do muco cervical. Essa produção é intensa durante a janela fértil, justamente porque esse muco possibilita tanto a sobrevivência de possíveis espermatozoides quanto a chegada destes até o útero e tubas uterinas, onde pode ocorrer a fecundação.

Durante o período de infertilidade, outro tipo de muco é produzido no colo, formando um “tampão” nele para mantê-lo bem fechado e protegido, a fim de evitar que possíveis microorganismos não desejáveis possam chegar ao útero.

Como sentir o colo do útero

Sabia que podemos descobrir e tocar nosso próprio colo? Simmm!

Inserindo o dedo indicador na vagina, com as mãos e unhas bem limpas, podemos encontrar o colo. A textura das paredes vaginais são bem rugosas, e o colo de destaca por ser uma bolinha bem lisa, com um furo no meio – como se fosse uma rosquinha/um donut!

Em situações normais e sem lesões no colo do útero, não dói tocá-lo, embora algumas mulheres sintam “aflição” até em imaginar o toque no colo. Vai muito da relação de cada uma com o próprio corpo e os seus respectivos limites, já que cada organismo é único e isso deve ser respeitado.

Percebendo as mudanças: o que significa um colo aberto? Ou alto, baixo…

A posição do colo em relação ao canal vaginal, sua textura e sua abertura se modificam ao longo do ciclo menstrual espontâneo – ou seja, sem o uso de contraceptivos hormonais, embora essas mudanças também possam acontecer durante o uso destes, visto que o útero é um órgão “dinâmico”, ligeiramente móvel e sujeito às ações hormonais do nosso organismo.

Não existe um consenso nem um padrão de “comportamento” do colo durante o ciclo que se aplique a todas as pessoas que o possuem. Cada uma possui um padrão próprio, especialmente no que se refere à altura do colo em relação a entrada da vagina e sua textura.

Existe a tendência (óbvia) de ele estar mais aberto durante a menstruação e durante a janela fértil, para permitir a passagem do fluxo menstrual e do muco. Algumas pessoas percebem com bastante facilidade essa diferença na abertura ao longo do ciclo menstrual. Outras não sentem diferença significativa nesse aspecto.

Altura do colo

Quando falamos em altura do colo, estamos falando da posição dele em relação a entrada da vagina. Às vezes e para algumas pessoas, é possível sentir o colo do útero bem perto da entrada da vagina, logo que coloca o primeiro terço do dedo (a ponta). Quando isso acontece, dizemos que o colo é ou está baixo.

Em outras vezes e/ou para outras pessoas, é preciso colocar o dedo inteiro para alcançá-lo; neste caso, dizemos que ele está alto – podendo estar tão alto a ponto de nem ser possível alcançá-lo com o dedo!

Fonte: Vix

Maciez do colo

A maciez do colo também pode mudar: ele pode ficar bem molinho, com a textura parecida com a do lábio da boca, e mais durinho, parecido com a textura da ponta do nosso nariz.

Algumas pessoas percebem o colo mais macio e alto durante a janela fértil, outras o percebem mais baixo e duro durante esse período. Isso reforça que não existe um padrão que se aplique para todas, e sim um padrão único e individual que podemos traçar a partir da observação e do acompanhamento do nosso próprio colo.

Todas essas mudanças na altura, abertura e maciez podem ocorrer em questão de horas, então o mais indicado, caso você vá fazer a percepção diária do colo, é escolher um horário do dia e uma posição específica para isso. Em geral, de pé e levemente agachada, é mais fácil senti-lo.

Quem quer ver um colo do útero?

Pra quem se sentir confortável com a ideia, eu recomendo de olhos fechados (tsc) conhecer o The Beautiful Cervix Project.

O projeto busca a visibilidade e a exaltação dessa parte tão importante do sistema sexual feminino, estimulando o conhecimento do colo do útero e sua visualização, através do autoexame, como parte de um processo de autoconhecimento e autocuidado.

Assim, o site hospeda várias fotos de diferentes colos de útero em diferentes momentos do ciclo: com muco aparente, sem muco aparente, com sangue menstrual, com um fio de DIU (dispositivo intrauterino) pra fora…

MAS PERA! Autoexame?

Sim, é possível não só sentir o colo com o dedo, mas também visualizá-lo com o auxílio de um espelho e um espéculo.

O espéculo vaginal (também conhecido como bico de pato em alguns lugares) é um instrumento que permite afastar as paredes vaginais, que geralmente ficam encostadas, para visualizar o colo uterino. Quem já fez o papanicolau/preventivo geralmente conhece o espéculo. Ele pode ser de metal, esterelizável, ou de plástico, descartável.

Novamente: em situações esperadas, sem inflamações, machucados internos ou outras condições, utilizar o espéculo corretamente e com cuidado não causa dor.

Muitas pessoas se sentem confortáveis de ter seu próprio espéculo e visualizar seu próprio colo em casa, por n motivos – acompanhamento, curiosidade…

Aqui, deixo o link para um zine feminista que ensina a fazer o autoexame com espéculo em casa.

O espéculo de plástico é barato (cerca de um real), existe em três tamanhos (P, M e G) e pode ser encontrado em lojas de artigos médicos. Caso você consulte com uma ginecologista e ela utilize o espéculo descartável, você pode pedir para levar um pra casa. Foi assim que consegui o meu primeiro espéculo! =)

E você, já tocou o seu colo do útero? Ficou animada para tentar? Tem alguma experiência com o autoexame? Compartilha com a gente!

Источник: https://herself.com.br/blog/voce-conhece-seu-colo-do-utero/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: