Ouvido absoluto: o que é e como treinar

Ouvido absoluto e ouvido relativo: diferença entre cada um

Ouvido absoluto: o que é e como treinar

Ouvido absoluto e ouvido relativo nada mais são do que maneira de se identificar notas sons e intervalos musicais.

E para isso são utilizadas distintas técnicas a fim de desenvolver sua memória musical.

No artigo de hoje vamos abordar sobre a diferença entre eles e como fazer para desenvolvê-los.

Acesso total a Guitarpedia

Agora você pode acessar todos os cursos da Guitarpedia pagando apenas um único valor mensal: somente R$ 39,90 para acessar as mais 1.400 vídeo aulas, materiais de apoio, backing tracks, aulas ao vivo e muito mais. Mais de 3.000 alunos já estão aproveitando tudo isso.

Os cursos possuem uma didática incrível e são ministrados por professores que, além de tudo, são músicos talentosíssimos: guitarristas, violonistas, pianistas, etc.

Acesse aqui e conheça os cursos disponíveis na plataforma.

Ouvido absoluto e ouvido relativo

Falando numa linguagem bastante simples:

  • Ouvido absoluto é quando uma pessoa escuta qualquer nota e imediatamente a consegue identificar. Quem possui esse tipo de ouvido conseguir reproduzir qualquer nota em a ajuda de um instrumento musical;
  • Já o ouvido relativo trata-se de alguém que consegue identificar uma nota ao relacioná-la a outras notas. Ou seja, para que essa pessoa consiga identificar qual a nota em questão, ela precisa escutar as outras notas que estão junto dela.

Há aqui ainda uma questão: quem possui o ouvido absoluto consegue identificar as notas que estão sendo tocadas. Já quem possui o ouvido relativo consegue identificar intervalos e também a nota com base em outra nota dada.

Por exemplo: quando é tocado um acorde de Dó, a pessoa com ouvido absoluto consegue identificar qual é a nota. Já a pessoa com ouvido relativo conseguirá identificar apenas se for tocada outra nota e ela souber qual é essa nota. Em outras palavras, ela utilizada a análise dos intervalos para chegar a essa conclusão.

Outro exemplo seria se fosse tocada a nota D. Aqui a pessoa com o ouvido absoluto saberia qual a nota. Já a pessoa com ouvido relativo precisaria que fosse tocada uma ou mais notas juntas delas para saber o intervalo e, assim, descobrir a nota.

Ainda, a pessoa com ouvido absoluto conseguir tirar músicas de ouvido fazendo a cifragem sem precisar de um instrumento musical para comparar se estão certas ou não.

É por isso que para treinar o ouvido relativo é necessário muito treino escutando as notas e gravando em sua memória. Desse modo, quando for tocada alguma nota, o seu cérebro irá no “arquivo” e comparar a nota tocada com a que seu cérebro memorizou.

É possível desenvolver um ouvido absoluto?

Muitos dizem que as pessoas já nascem com o ouvido absoluto e, por isso, não é possível desenvolvê-lo.

Beethoven era um desses músicos que possuíam ouvido absoluto, conseguindo compor muitas peças apenas com o uso dele.

Mas é possível sim desenvolver um ouvido absoluto, agora o processo não é fácil, mas requer muito treino e dedicação.

Segundo a ciência, o ouvido absoluto é uma habilidade que pode ser conseguido com muito treino e quanto mais cedo ele é feito, então melhores resultados se tem.

Um dos exercícios que podem te ajudar a desenvolver um ouvido absoluto seria tocar cada nota de modo isolado, dando um espaço entre a execução de uma e outra. E cada vez que tocar uma nota você cantarola o seu nome ou mesmo coloca isso em sua cabeça, por exemplo:

  • Ao tocar a nota Dó você a chama de Dó;
  • Ao tocar a nota Ré você a chama de Ré.

Mas é importante que você faça esse exercício todos os dias para conseguir gravar o som das notas.

Como descobrir seu tipo de ouvido?

A primeira coisa para descobrir seu tipo de ouvido seria tocando uma nota e tentando identificá-la. Caso consiga identificar logo se cara, então, provavelmente, você tenha um ouvido absoluto.

Já se precisar de uma nota de referência, então seu ouvido é relativo.

Existem, inclusive, alguns programas que você pode utilizar para fazer essa identificação.

Um desses programas é o Pitch Test. Com ele você pode saber se tem um ouvido relativo ou absoluto.

Dica final

A melhor forma de tanto desenvolver ou ouvido absoluto quanto ouvido relativo é treinando todos os dias. Não há outro caminho.

Esteja sempre envolvido com a música diariamente e não somente quando lhe sobra tempo. Do contrário não chegará a lugar algum no que diz respeito ao desenvolvimento dessas habilidades musicais.

Источник: https://blog.guitarpedia.com.br/ouvido-absoluto-e-ouvido-relativo-diferenca-entre-cada-um/

Ouvido absoluto: será que você tem?

Ouvido absoluto: o que é e como treinar

Você provavelmente já ouviu falar sobre ouvidos absolutos. Muitos mitos circulam ao redor desse fenômeno raro que acontece em algumas pessoas, mas nem todos essas crenças são verdadeiras. Neste texto vamos explicar o que é o ouvido absoluto, como identificar se você tem ou não e também listar algumas personalidades famosas que possuem esse ouvido. Vamos lá! 

O que é o ouvido absoluto?

Explicando de uma forma simples, o ouvido absoluto é quando uma pessoa consegue identificar a altura de um som e consequentemente saber qual é a nota que está sendo tocada.

Existem diferentes níveis de ouvido absoluto. Alguns conseguem identificar apenas uma nota por vez, outros conseguem identificar todas as notas que são tocadas em um acorde.

Tem alguns que consegue apenas identificar a nota quando está sendo tocada e outros que conseguem identificar e reproduzi-las. 

O mais interessante é que os sons identificados pelos dotados de ouvido absoluto não precisam ser sons emitidos por instrumentos musicais. Sons da cidade, da natureza, barulhos de máquinas, os cantos dos pássaros, as buzinas de carros, os ruídos de portas, tudo pode ser representado por uma nota musical e é o que percebem as pessoas com ouvido absoluto. 

É preciso ter ouvido absoluto para ser um músico brilhante?

De jeito nenhum! Grandes nomes da música não nasceram com essa habilidade, porém desenvolveram um incrível ouvido relativo.

Ouvido relativo x ouvido absoluto

O ouvido absoluto é uma característica que nasce com a pessoa e não pode ser desenvolvida (pelo menos ao que se sabe). Já o ouvido relativo é algo que os músicos podem aprimorar a cada dia.

Quanto mais se toca, escuta música, estuda percepção musical e a teoria, mais o seu ouvido fica aguçado.
Por isso, não é preciso ter o ouvido para ser um bom músico. 

Apenas uma em cada 10 mil pessoas possui o ouvido absoluto, enquanto as outras 9.999 possuem o ouvido relativo.
Apesar do nome ser “ouvido absoluto”, este fenômeno não acontece na audição e sim na nossa mente, na cognição.

É uma maior capacidade de perceber os sons no lado esquerdo do cérebro, onde eles são processados. Os neurocientistas não sabem ao certo de onde vem essa habilidade.

Há quem acredite que é genético, outros que é desenvolvida ao longo da vida.

Como saber se tenho ouvido absoluto?

Para saber isso é muito simples, basta fazer alguns pequenos testes. Se você já conhece o nome das notas e seus sons, peça para algum amigo ou professor tocar uma nota em qualquer instrumento. Não olhe para quem está tocando.

Depois tente falar o nome da nota que foi tocada e cantá-la. Repita isso mais vezes. Se você acertou quase todas as notas, você provavelmente tem ouvido absoluto.

Caso você não saiba o nome das notas nem seus sons, fica um pouco mais complicado identificar se possui ou não essa habilidade. Uma ideia é pegar um instrumento musical e tentar instintivamente encontrar as notas que alguém esteja tocando.

Se você fizer isso com facilidade, invista no seu potencial musical. É capaz que você seja uma entre 10.000 pessoas.

Como treinar meu ouvido? 

Não tem segredo. Para ter um ouvido bom é necessário estudar muito a música. Tanto o seu instrumento, como a teoria musical e também escutar música de maneira ativa, ou seja, prestando atenção no que está ouvindo. Por isso conte sempre com a ajuda de um bom professor, que vai te guiar nesse processo de desenvolvimento musical. 

Personalidades com ouvido absoluto

Jimi Hendrix

Reza a lenda que Hendrix, quando começou a aprender guitarra, não tinha dinheiro para comprar um diapasão (espécie de afinador que te dá a nota Lá).

Sem conseguir comprar um, Jimi tocou as cordas de um violão na loja e ao voltar para casa afinou a sua guitarra perfeitamente, apenas com a memória dos sons das cordas do violão, que ouviu antes.

No começo da carreira, aprendia todo o repertório de uma banda nova ouvindo as músicas uma única vez. Isso que é gênio!

João Gilberto

Além da sua obra fora de série, João Gilberto também foi conhecido pelo seu mau humor característico. Uma parte disto vem do fato dele ter um ouvido absoluto super sensível. Barulhos da cidade, instrumentos desafinados, caixas de som desreguladas e até cochichos na platéia era o suficiente para irritar o cantor.

Hermeto Pascoal

Uma criança prodígio, o grande compositor brasileiro Hermeto Pascoal é capaz de transformar tudo em música. Um mergulho na lagoa, uma consulta no dentista, e até mastigar um chiclete, são sons que ele aproveita para criar música.

  Quando era criança, já transformava panelas, bacias com água e penicos em instrumentos afinadíssimos.

Confira aqui uma consulta sua no dentista em que ele transforma o som dos aparelhos dentários em música como “Trem das Onze”… Simplesmente surreal!

Wolfgang Amadeus Mozart

Quando o assunto é prodígio, não dá para não falar desse cara aqui. Wolfgang Amadeus Mozart já compunha suas primeiras músicas aos 5 anos de idade. Aos 7 já havia composto uma sinfonia e aos 12 uma ópera!!!  Ele tinha ouvido absoluto e reza a lenda que uma vez, ao passar perto de alguns porcos, Mozart conseguiu distinguir a nota dos grunhidos deles: “Sol sustenido!!”

Outros:

  • Miles Davis
  • Ray Charles
  • Nat King Cole
  • Ella Fitzgerald
  • Frank Sinatra
  • Frédéric Chopin 
  • Julie Andrews
  • Celine Dion
  • Michael Jackson
  • Ritchie Blackmore
  • Freddie Mercury
  • Oscar Peterson
  • Heitor Villa-Lobos

Leia mais sobre o assunto:https://super.abril.com.br/ciencia/um-dom-de-genio/

https://www.cifraclubnews.com.br/noticias/148013-como-saber-ouvido-absoluto-relativo.html

Источник: https://artlivre.com.br/blog-artlivre/ouvido-absoluto-sera-que-voce-tem/

Como saber se tenho “ouvido relativo” ou “ouvido absoluto”? | Blog do Cifra Club

Ouvido absoluto: o que é e como treinar

Ouvido absoluto e ouvido relativo são duas habilidades de igual importância (Foto/)

Você conhece ou já viu alguém que sabe identificar notas musicais com precisão fora do comum? É algo realmente impressionante, não é? Fique sabendo, então, que não é um fenômeno sobrenatural.

Trata-se de percepção auditiva, uma das habilidades fundamentais para o desenvolvimento de um músico. Com ela, nós conseguimos envolver a captação dos sons dentro de um contexto no discurso musical. Mas você sabia que existem dois tipos de capacidade de audição? Sim: estamos falando de ouvido absoluto e ouvido relativo. Ambos são importantes e jamais se anulam.

Neste texto, a conversa vai girar em torno desse tema tão debatido entre músicos dos mais variados níveis de aprendizado. Se você quer saber qual é o seu tipo de audição, continue com a gente.

Ouvido absoluto ou ouvido relativo, eis a questão!

Ouvido absoluto

O portador do ouvido absoluto tem a capacidade de reconhecer com extrema precisão a frequência de cada som, possibilitando-o nomear tons específicos, assim como entoá-los de maneira isolada, sem a necessidade de recorrer a quaisquer parâmetros. Em artigo publicado na revista acadêmica Nupeart, a professora Claudia Mara Damian explica que “o músico portador de tal habilidade pode ouvir detalhes e ater-se a cada som puro, bem como perceber formas e estruturas sonoras diversas”.

Se você ouve uma nota e faz identificação imediata, seu ouvido é absoluto (Foto/Pexels)

Imagine que sejam apresentadas as seguintes frequências: 392; 440; 392; 329,6; 392; 440; 392 e 329,6 Hz para vários indivíduos.

Um leigo diria que ouviu um conjunto de sons; para uma pessoa que ouve música informalmente, a sequência seria apontada como a melodia da canção Noite Feliz; já um estudante de música poderia citar a relação intervalar, ou seja, 2ª maior ascendente; 2ª maior descendente; 3ª menor desc.; 3ª menor asc.; 2ª maior asc.

; 2ª maior desc. e 3ª menor desc. No entanto, somente a pessoa com audição absoluta seria capaz de afirmar a sucessão de sons tocados foi: sol, lá, sol, mi, sol, lá, sol e mi.

Apesar de parecer infalível, o ouvido absoluto não é sinônimo de audição perfeita.

 Por ter uma memória sonora de frequências exatas e fixas, o indivíduo equipado com ouvido absoluto nem sempre consegue identificar uma sequência melódica se as frequências das notas forem alteradas.

Exemplo: se a afinação de um piano estiver fora do padrão (Lá 440), a habilidade auditiva pode resultar em falhas.

Origens do ouvido absoluto

Não há certeza incontestável sobre as origens do ouvido absoluto. Cientistas, psicólogos, educadores musicais e músicos defendem opiniões diferentes quanto a este assunto, por ser a habilidade em si difícil de ser avaliada pelos critérios comumente utilizados. No final das contas, duas teorias explicam a habilidade:

  • há quem diga que é um “dom inato”, ou seja, a natureza privilegiou alguns com tamanha dádiva;
  • há quem diga que é uma questão de habilidade adquirida através de treinamento sistemático.

Porém, um estudo recente abriu uma terceira via de pensamento. Cientistas da Universidade York, no Canadá, dividiram 61 voluntários em três grupos: o primeiro, formado por músicos com ouvido absoluto; o segundo, composto por músicos com habilidades similares; e o terceiro, agrupou pessoas sem qualquer tipo de treinamento musical.

Michael Jackson e Freddie Mercury tinham ouvido absoluto (Foto/Internet)

Os resultados indicaram que os músicos com capacidade de identificar notas musicais sem tons de referência foram identificados com um córtex auditivo significativamente maior, que aumenta ainda mais quando exposto a determinados sons, como os de baixa frequência.

Essa descoberta sugere que há uma explicação genética para o ouvido absolutoe vai na contramão da maioria dos estudos já publicados, que sugerem que o treinamento para o reconhecimento das notas durante a infância é essencial para que o fenômeno aconteça.

Ouvido relativo

Entende-se como ouvido relativo a capacidade de identificar uma nota ao relacioná-la às outras notas, ou seja, para que o portador dessa capacidade auditiva consiga identificar uma determinada nota em questão, ele precisa escutar as outras notas que estão junto dela. Quem possui esse tipo de audição consegue identificar intervalos e também a nota com base em outra nota dada.

Bem menos badalado do que o ouvido absoluto, o ouvido relativo também é uma habilidade fascinante.

Segundo a professora Claudia Mara Damian, “quaisquer padrões estruturais sonoros, independentemente dos níveis de complexidade, são discernidos através da audição relativa”.

 Por realizar uma audição mais abstrata, a audição relativa é capaz de perceber formas e estruturas musicais, como também fazer diversos tipos de relações.

Se você precisa ouvir notas relacionadoas para fazer a identificação, seu ouvido é relativo (Foto/Pexels)

Como necessita de referenciais, esse tipo de audição relativa consegue, a partir de uma elaboração intelectual, absorver o sentido total de uma peça musical.

Por sua vez, a “audição absoluta possui, biologicamente ou através do treinamento e aculturação, uma memória aural fixa, codificada e armazenada de forma que seu possuidor pode recuperar imediatamente a designação do som ouvido”, explica a professora.

Como descobrir meu tipo de ouvido?

Comece tocando uma nota e tentando identificá-la. Caso consiga fazer a identificação logo de cara, provavelmente você tem um ouvido absoluto. Se por um acaso você precisar de uma nota de referência, então seu ouvido é relativo.

Existem alguns programas que ajudam a fazer essa identificação. Um deles é  Pitch Test, que funciona online e é bastante intuitivo: com alguns cliques, você pode testar sua capacidade auditiva.

Importante: independente do resultado, ouvido absoluto e relativo são capacidades passíveis de treinamento e desenvolvimento, assim como não devem ser utilizadas isoladamente.

A aquisição de tais habilidades é uma necessidade real, principalmente por causa da diversidade de sons existentes ao nosso redor e da infinita variedade de estilos musicais tonais e atonais que fazem parte da nossa cultura.

A seguir, um vídeo sobre a relação entre habilidade auditiva e prática musical:

Источник: https://www.cifraclub.com.br/blog/como-saber-ouvido-absoluto-relativo/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: