Para que serve a Vitamina B5

benefícios incríveis para a saúde e beleza do corpo

Para que serve a Vitamina B5

Você já ouviu falar em ácido pantotênico? E se eu disser Vitamina B5? Talvez agora sim, certo? Na verdade, esses são dois nomes para a mesma substância.

O ácido pantotênico recebe o nome da raiz grega “pantos”, que significa em todos os lugares, porque está disponível em uma variedade muito grande de alimentos.

Como as outras vitaminas B, ela desempenha um papel importante no metabolismo energético, atuando como uma coenzima para reações químicas produtoras de energia. Além disso também atua na síntese de gordura, hormônios e neurotransmissores no cérebro.

Mas talvez um dos efeitos mais desejados do ácido pantotênico seja a melhora da saúde da pele e dos cabelos; ele pode deixar os fios mais firmes e a pele mais suave.

Conheça agora os principais benefícios da Vitamina B5, ou ácido pantotênico, como preferir.

1 – Melhora da saúde da pele e cabelos:

Entre os benefícios mais impressionantes do ácido pantotênico, está o de ajudar a manter a pele saudável, mais bonita e viçosa, retardando o envelhecimento precoce e o surgimento das rugas e manchas causadas pela idade.

A Vitamina B5 auxilia ainda o corpo a manter a pigmentação do cabelo, diminuindo o surgimento dos fios brancos.

Junto com todas as outras vitaminas do complexo B, a B5 ajuda a nutrir e dar energia para os folículos pilosos, sendo que sua falta pode causar diminuição e perda dos fios.

Quem já sofre com o problema de queda pode e deve fazer a suplementação de vitamina B5 e de outras vitaminas do complexo B para combater o problema. Neste caso, é importante que um médico ou nutricionista seja consultado para prescrever a dosagem correta da vitamina.

2 – Melhora da saúde cardiovascular

Pesquisas científicas mostraram que a pantetina, um derivado da vitamina B5, pode ajudar a reduzir o colesterol total, bem como diminuir o colesterol LDL (ruim).  Essa foi a conclusão de uma estudo da Universidade de Princeton (EUA) feito com pessoas que tinham risco baixo a moderado de desenvolver doenças cardíacas.

3 – Ajuda na cicatrização de feridas

Estudos da Universidade de Bonn, Alemanha, feitos em animais, mostraram que o ácido pantotênico pode ajudar na cicatrização de feridas, especialmente quando combinado com a vitamina C.

4 – Transforma alimentos em energia

Uma das funções mais básicas da vitamina B5 é ajudar o corpo humano a transformar o que come em combustível. Ela ajuda a converter carboidratos, gorduras e proteínas em energia para o corpo. Esta informação foi publicada em LiveScience.

5 – Ajuda no uso da Vitamina B2

A vitamina B5 ajuda o corpo a ser capaz de utilizar eficazmente a vitamina B2 ou riboflavina que favorece o metabolismo das gorduras, açúcares e proteínas e é importante para a saúde dos olhos, pele, boca e cabelos.

6 – Ajuda na digestão saudável

De acordo com estudos publicados em “Nutriton Reviews” quando se trata de manter um sistema digestivo funcionando adequadamente, a vitamina B5 é um dos nutrientes mais importantes desse processo.

E quais os sinais de deficiência de vitamina B5?

Fadiga, irritabilidade, depressão, insônia, dor de estômago, vômito, infecções respiratórias superiores, pés ardentes e fraqueza muscular.

Pessoas que correm maior risco de deficiência de vitamina B5 são as mulheres grávidas, mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais, fumantes, alcoólatras, pessoas sob altos níveis de estresse crônico, pessoas com desnutrição severa e aquelas com absorção deficiente de vitaminas e minerais devido a certos medicamentos ou distúrbios intestinais.

Deficiências graves de ácido pantotênico são extremamente raras e geralmente são vistas apenas em desnutrição severa, uma vez que estão disponíveis na maioria dos alimentos.

E quais os alimentos que contêm vitamina B5?

Os alimentos com vitamina B5 vêm de fontes vegetais e animais. Veja:

– Salmão selvagem: o salmão selvagem é uma das melhores proteínas animais que existem. É alto em B5 e muitos outros nutrientes como os ácidos graxos ômega 3, altamente anti-inflamatórios. Essas são as conclusões de estudos da Universidade de Maryland (EUA).

O consumo regular de alimentos anti-inflamatórios, como o salmão selvagem, pode melhorar a saúde, já que a inflamação é considerada a raiz da maioria das doenças.

– Sementes de girassol:  são um lanche tão fácil e saboroso que é rico em vitamina B5, bem como proteínas e vitamina E. Uma pesquisa de Departamento de Medicina de Chicago (EUA), relacionou a ingestão de alimentos ricos em vitamina com uma diminuição do risco de doença cardíaca coronária.

– Lentilhas: são ricas em vitaminas do complexo B, folato e manganês. Com 18 gramas de proteína por porção de xícara, as lentilhas são uma das principais fontes de proteína vegetal. Então, se você não come carne, as lentilhas são uma ótima opção para sua dieta.

– Ovos: são ricos em vitamina B5 e também são uma fonte muito acessível de proteína. Quando você opta por ovos caipiras, obtém ainda mais nutrientes essenciais, como betacaroteno e ômega 3, mas com menos colesterol.

– Couve-flor: é um tipo de vegetal crucífero e consumo desta classe de vegetais tem sido associada à prevenção do câncer. De acordo com estudos publicados em “Harvard Health Publishing”, como um vegetal crucífero, a couve-flor é útil para a digestão e desintoxicação por causa de seus glucosinolatos contendo enxofre, que suportam a absorção de nutrientes e a remoção de resíduos.

– Fígado de Galinha:  frango, pato e fígado de boi são verdadeiros superalimentos que contém vitaminas do complexo B.  O fígado de galinha é incrivelmente rico em vitamina B5 e B12 e é um excelente alimento para prevenir a anemia.

Se você gostou desse conteúdo, repasse-o para amigos e familiares, afinal compartilhar saúde e beleza é Vital!

Referências:
ncbi.nlm.nih.gov
livescience.com
academic.oup.com
umms.org
nutritiondata.self.com
health.harvard.edu
draxe.com

Источник: https://vitalatman.com.br/blog/vitamina-b5-beneficios-incriveis-para-saude-e-beleza-do-corpo/

Vitaminas: para cada deficiência, vários problemas | Alimente-se com Ciência

Para que serve a Vitamina B5
Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

As frutas são grandes fontes de várias vitaminas.

 Foto: Fabio Castelo/SAÚDE é Vital

Do recém-nascido ao idoso, há a necessidade de uma alimentação adequada, que forneça todos os nutrientes necessários.

E não podemos falar só de carboidratos, proteínas e lipídios, como também de outros componentes, incluindo-se aí as vitaminas.

Elas detêm funções importantíssimas na manutenção da saúde, prevenindo inúmeras doenças, regulando o funcionamento das células e por aí vai.Na verdade, cada vitamina tem seus benefícios e peculiaridades. Na contramão, o déficit delas traz as mais variadas repercussões para o corpo.

Então vamos abordar aqui algumas dessas substâncias:

Vitamina A

Presente principalmente no fígado, no leite e na gema do ovo, ela é essencial para o funcionamento do organismo. A vitamina A é, por exemplo, fundamental para a criação de células sanguíneas, especialmente os linfócitos (que fazem parte do nosso sistema de defesa). A ingestão deficiente dessa vitamina, portanto, pode influenciar na resposta imunológica do organismo.

Além disso, a sua carência compromete a integridade do revestimento do trato pulmonar, gastrointestinal e urinário, facilitando a ocorrência de infecções graves.

Vitamina D

Considerada um hormônio, seu fator precursor está presente no óleo de peixe e de fígado de bacalhau e na gema de ovo. Ele é convertido na forma ativa da vitamina D por meio da exposição à luz solar.

Pessoas com deficiência de vitamina D sofrem maior ocorrência de infecções respiratórias. Perceba que essas doenças surgem com maior frequência no inverno, quando estamos menos expostos à radiação solar.

Além disso, a vitamina D tem um papel importante na regulação do sistema imunológico.

Vitamina E

Presente em vários alimentos de origem vegetal, como nos óleos de soja e de milho, tomate e vegetais verde-escuros, esse nutriente tem importante papel antioxidante. A falta dele pode acarretar disfunções no sistema imunológico, além de doenças neuromusculares e retinopatia, um problema que compromete a visão.

Vitamina K

A vitamina K participa da regulação dos processos de coagulação sanguínea, ajudando a controlar sangramentos. Encontrada nas hortaliças verdes, também pode ser sintetizada pelo organismo.

Vitamina B1 (tiamina)

Também conhecida como tiamina, ela tem entre suas funções o metabolismo dos carboidratos, lipídios e proteínas. Mais do que isso, sua presença é fundamental para o sistema nervoso.

A vitamina B1 é encontrada em diversos alimentos de origem animal e vegetal. Carnes, vísceras (especialmente fígado e coração), gema de ovo e grãos integrais são algumas de suas principais fontes.

A deficiência dessa substância no organismo pode levar a uma doença chamada beribéri, que afeta os sistemas nervoso e cardiovascular.

Vitamina B2 (riboflavina)

Atua na formação das células vermelhas do sangue. Ela é especialmente importante durante a gravidez, a fase de lactação e nos anos de crescimento da criança.

A vitamina B2 pode ser encontrada em produtos derivados do leite, folhas verdes e vísceras.

Vitamina B3 (niacina)

Está aí uma vitamina que auxilia no aproveitamento adequado de carboidratos e proteínas, além de participar da síntese de gordura e do processo de respiração.

Sua deficiência pode acarretar anormalidades digestivas que levam à irritação e inflamação das mucosas da boca e do trato gastrointestinal. Como consequência, episódios de diarreia se tornam constantes.

A niacina está presente principalmente em carnes magras, aves, peixes, amendoins e leguminosas.

Vitamina B5 (ácido pantotênico)

Ela está relacionada com a síntese de colesterol, hormônios esteroides, neurotransmissores… Na indústria, é utilizada para a produção de dermocosméticos por sua capacidade de hidratar e reparar danos celulares.

Como é encontrada em diferentes tipos de alimentos (gema de ovo, leite, cereais, fígado de animais), são raros os casos de deficiência.

Continua após a publicidade

Em geral, o déficit de vitamina B5 ocorre em pessoas com problemas de absorção de nutrientes, em portadores de insuficiência renal que realizam diálise e em consumidores de grandes quantidades de bebida alcoólica.

Vitamina B6 (piridoxina)

Assim como a B2, ajuda a metabolizar proteínas, carboidratos e gorduras, ao mesmo tempo que faz o sistema nervoso central trabalhar direitinho. A vitamina B6 está presente em muitos alimentos, sendo suas principais fontes: aves, peixes, fígado, cereais e leguminosas.

Vitamina B7 (biotina)

Também chamada de vitamina H ou biotina, ela regula a expressão dos nossos genes. Ainda está envolvida em processos como manutenção dos níveis de glicose no sangue e na composição de cabelos e unhas.

Essa vitamina, assim como a maioria das que integram o complexo B, é amplamente distribuída nos alimentos, sendo fontes importantes o fígado, os cereais, os grãos e os vegetais.

A carência da vitamina B7 provoca principalmente queda de cabelo, conjuntivite, perda do controle muscular e dermatite esfoliativa na região dos olhos, nariz e boca. Além disso, abre as portas para problemas neurológicos e gastrointestinais.

Vitamina B9 (ácido fólico)

O ácido fólico é, na verdade, a forma sintética da vitamina, que se encontra em vísceras, feijões e vegetais de folhas escuras, bem como em diversos alimentos fortificados.

O principal papel do ácido fólico está no metabolismo de aminoácidos e na síntese de DNA, que é fundamental para o desenvolvimento embrionário. Estudos mostram que a suplementação com ácido fólico na gestação previne defeitos do feto.

Vitamina B12 (cobalamina)

A vitamina B12, ou cobalamina, é encontrada em alimentos de origem animal, como produtos lácteos, carnes, frutos do mar, peixes e ovos. É responsável por importantes funções no organismo, garantindo o metabolismo das células, especialmente as do trato gastrointestinal, da medula óssea e do tecido nervoso.

Baixos níveis da substância não raro acarretam manifestações graves, como a anemia megaloblástica e anemia perniciosa. Grupos específicos, a exemplo de vegetarianos e veganos e pessoas com mais de 50 anos, são os mais vulneráveis à deficiência de vitamina B12. A suplementação, sempre com recomendação do especialista, pode ser uma boa estratégia para esses casos.

Vitamina C (ácido ascórbico)

Essa é das mais conhecidas. E não à toa: a vitamina C desempenha funções antioxidantes, atua na manutenção das paredes dos vasos sanguíneos, na reparação dos tecidos e na absorção do ferro, além de fortalecer o sistema de defesa contra infecções.

Ela não é produzida pelo organismo, portanto deve ser ingerida diariamente na alimentação. Presente na maioria dos alimentos de origem vegetal, especialmente nas frutas cítricas, é bastante sensível às variações de luz e temperatura. Isso significa que processos como o cozimento ou um longo tempo de espera entre o preparo e o consumo das preparações reduzem sua disponibilidade.

Um recado final (e muito importante)

Para saber se você anda ingerindo boas doses das mais variadas vitaminas, lembre-se de consultar um nutricionista, que é capaz de recomendar uma dieta saudável e segura para você e sua família.

Os suplementos vitamínicos só devem ser recomendados por profissionais de saúde especializados.

*Marisa Lipi é nutricionista e 1ª tesoureira da SBAN

Fontes consultadas

Vitamin E

http://www.blog.saude.gov.br/n9xr6z

Vitamin B12 deficiency can be sneaky, harmful

MANELA-AZULAY, Mônica et al . Vitamina C. An. Bras. Dermatol.,  Rio de Janeiro ,  v. 78, n. 3, p. 265-272,  June 2003.

Continua após a publicidade

  • Complementos alimentares – vitaminas

Источник: https://saude.abril.com.br/blog/alimente-se-com-ciencia/vitaminas-para-cada-deficiencia-varios-problemas/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: