PARASITOSES (e exame parasitológico de fezes)

Exame Parasitológico de Fezes

PARASITOSES (e exame parasitológico de fezes)

A detecção e identificação dos parasitos intestinais estão em relação direta com a qualidade da amostra fecal coletada e entregue no laboratório. Assim, há necessidade de instruir o paciente, pois sem explicações pormenorizadas podem ocorrer erros na coleta, tais como a contaminação com urina, terra, água e quantidade inadequada de fezes.

As instruções sobre a coleta devem ser claras e também entregues por escrito. O paciente não deve utilizar medicamentos ou produtos químicos por um período de 7 a 10 dias antes da colheita das fezes.

As fezes devem ser colhidas em penico ou em um recipiente limpo e seco, ou em folha de papel limpo e transferidas para o frasco coletor limpo e seco, o qual deve ser de plástico, com boca larga e tampa de rosca.

Recolher cerca de 20 a 30g de fezes recentemente emitidas.

As amostras frescas são preferíveis para o exame e identificação de trofozoítos e de larvas de S. stercoralis.

Não sendo possível observar esta orientação, as fezes devem ser preservadas em formalina a 5% ou 10%, ou em acetato de sódio-ácido acético-formaldeído (SAF).

O médico poderá solicitar a coleta de três amostras em dias alternados, e para isso, o laboratório fornecerá um frasco contendo o conservante para a preservação das fezes.

As amostras fecais devem ser examinadas para a pesquisa de proglotes e de vermes adultos, bem como para determinar a consistência, a presença de sangue, de muco e restos alimentares.

A consistência das fezes está diretamente ligada à quantidade de água que contém, e são classificadas em: fezes formadas, semiformadas, pastosas, diarreicas ou líquidas. Na conduta metodológica é importante a determinação da consistência do material fecal, principalmente em relação aos estágios de diagnóstico dos protozoários.

Os trofozoítos são usualmente diagnosticados nas fezes diarreicas ou líquidas, nas mucosanguinolentas e nas pastosas, enquanto que os cistos são encontrados mais comumente nas fezes formadas ou semiformadas e também nas pastosas.

Os oocistos são encontrados em fezes de qualquer consistência. Os ovos e as larvas de helmintos geralmente podem ser diagnosticados em todos os tipos de amostras fecais, entretanto, nas fezes líquidas se encontram em pequeno número.

A utilização simultânea de três métodos com diferentes sensibilidades, para o diagnóstico de enteroparasitos, tem a finalidade de aumentar a eficiência no diagnóstico e, portanto, diminuir os resultados falso-negativos.

O exame microscópico permite visualizar os estágios de diagnósticos dos protozoários (cistos, trofozoítos, oocistos e esporos) e dos helmintos (ovos, larvas e vermes pequenos).

A descrição das técnicas dos métodos e das colorações utilizadas no exame parasitológico de fezes encontra-se no livro de Parasitologia Clínica (DE CARLI, 2007).

Método direto

O exame direto a fresco permite visualizar a motilidade de trofozoítos dos protozoários em fezes recém emitidas, analisadas até 30 minutos após a evacuação. Para a identificação de cistos de protozoários e larvas de helmintos, a preparação deve ser corada com lugol.

Método de Hoffman, Pons e Janer ou de Lutz

É utilizado para a pesquisa de cistos, oocistos, ovos e larvas. Fundamenta-se na sedimentação espontânea em água, sendo indicado para recuperação de ovos considerados pesados como os de Taenia spp, S. mansoni e ovos inférteis de A. lumbricoides.

Método de Faust e cols

Fundamenta-se em centrífugo-flutuação de cistos, oocistos, ovos leves e larvas em solução de sulfato de zinco, na densidade 1,18g/ml. Para fezes preservadas recomenda-se a densidade de 1,20g/ml. É indicado para a concentração de cistos de protozoários.

Outro método que pode ser usado é o método de Ritchie, o qual se fundamenta em centrífugo-sedimentação de cistos, oocistos, ovos e larvas em sistema formalina-éter ouformalina-acetato de etila. É indicado para a concentração de cistos e oocistos de protozoários.

Método de Baermann-Moraes ou método de Rugai, Mattos e Brizola

Os dois métodos se fundamentam no termo hidrotropismo positivo de larvas de nematóides, como as larvas de S. stercoralis e de ancilostomídeos. A temperatura da água deve estar entre 40 e 45°C.

Colorações de esfregaços fecais:

  • Solução de lugol, coloração pelo tricrômico ou pela hematoxilina férrica, e Giemsa.
  • Coloração para coccídios intestinais: coloração de Ziehl-Neelsen e suas modificações, e da safranina modificada.
  • Coloração para microsporídios: Gram-Chromotrope.

Morfometria

: feita com micrômetro ocular.

Источник: https://parasitologiaclinica.ufsc.br/index.php/info/conteudo/diagnostico/helmintoses-protozooses/parasitologico-fezes/

Parasitológico de fezes: o que é, para que serve e como é feito

PARASITOSES (e exame parasitológico de fezes)

O exame parasitológico de fezes é um exame que permite a identificação de parasitas intestinais através da avaliação macro e microscópica das fezes, em que são visualizados cistos, ovos, trofozoítos ou estruturas adultas de parasitas, o que ajuda o médico a fazer o diagnóstico de doenças causadas por parasitas como ancilostomose, ascaridíase, giardíase ou amebíase, por exemplo.

Assim, esse exame é indicado pelo médico quando a pessoa apresenta sinais e sintomas de vermes como dor abdominal, perda do apetite ou de peso sem causa aparente, pois assim é possível identificar a causa da alteração e ser indicado o tratamento mais adequado.

Para que serve

O exame parasitológico de fezes serve para identificar parasitas responsáveis por alterações gastrointestinais, podendo ser identificados cistos, trofozoítos, ovos ou vermes adultos nas fezes, sendo este último mais raro de ser identificado. Dessa forma, quando a pessoa apresenta sintomas de parasitoses como dor abdominal, perda do apetite ou barriga inchada, por exemplo, o médico pode indicar a realização do exame parasitológico de fezes. Saiba identificar os sintomas de vermes.

Os principais parasitas encontrados nas fezes por meio do exame parasitológico são:

  • Protozoários: são parasitas simples e cuja infecção é normalmente identificada através da presença de cistos nas fezes, sendo identificado mais frequentemente cistos de Entamoeba histolytica, responsável pela amebíase, e Giardia lamblia, que é responsável pela giardíase.
  • Helmintos: são parasitas mais alongados e cuja infecção é normalmente identificada através da presença de grande quantidade de ovos nas fezes, sendo identificados com mais frequência ovos de Ascaris lumbricoides, Taenia sp., Trichuris trichiura, Enterobius vermicularis e Ancylostoma duodenale.

Quando é identificada grande quantidade de ovos dos parasitas nas fezes, por exemplo, o médico normalmente indica a realização de exame de imagem, como a colonoscopia ou endoscopia, com o objetivo de identificar se há vermes adultos no sistema digestivo, o que acontece no caso de infecção por Taenia sp., Ascaris lumbricoides e Ancylostoma duodenale.

Além disso, é comum que além do exame parasitológico de fezes, o médico indique a realização da coprocultura, principalmente se a pessoa apresentar fezes diarreicas ou mais pastosas, pois pode ser também indicado de infecção por bactérias, sendo a coprocultura o exame mais indicado nesse caso. Entenda o que é e para que serve a coprocultura. 

Ovo de Ascaris lumbricoides

Como é feito

O parasitológico de fezes é feito a partir da análise de uma amostra de fezes que deve ser coletada pela pessoa e levada para o laboratório em até 2 dias após a coleta para que seja realizada a análise.

A recomendação é que sejam coletadas 3 amostras em dias alternados, isso porque alguns parasitas possuem variações em seu ciclo de vida, não conseguindo ser observadas estruturas caso as amostras sejam coletadas em dias consecutivos.

Além disso, é importante que a amostra coletada não tenha tido contato com a urina ou com o vaso e, no caso de ser observada a presença de muco ou ponto mais esbranquiçado nas fezes, é recomendado que essa área seja coletada para que seja analisada. É recomendado também que não tenha feito uso de laxantes, medicamentos antidiarreicos ou antibióticos pelo menos 1 semana antes do período do coleta, pois podem interferir no resultado. Veja mais sobre o exame de fezes.

No laboratório, as fezes são avaliadas macroscopicamente, ou seja, é avaliado aspecto e cor das fezes, o que é importante para que seja realizado a melhor técnica diagnóstica para o exame, uma vez que de acordo com as características das fezes podem surgir hipóteses do tipo e grau de infecção, o que permite que técnicas mais adequadas para a identificação de cistos, ovos, trofozoítos ou vermes adultos sejam realizadas.

Em seguida, as amostras passam por um processo de preparação para que possam ser avaliadas microscopicamente e, assim, ser possível realizar a pesquisa e identificação de estruturas parasitárias, o que é indicado no laudo.

No laudo é indicado o método de diagnóstico realizado, se foi observada e identificada estruturas parasitárias, qual a estrutura e a espécie do parasita, sendo essas informações importantes para que o médico indique o tratamento mais adequado.

Confira mais detalhes sobre como deve ser a coleta para o exame de fezes no vídeo a seguir:

Источник: https://www.tuasaude.com/parasitologico-de-fezes/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: