PITIRÍASE VERSICOLOR (Pano branco)

PITIRÍASE VERSICOLOR (Pano branco)

PITIRÍASE VERSICOLOR (Pano branco)

A pitiríase versicolor é uma micose de pele provocada provocada pelo fungo do gênero Malassezia (antigamente chamado Pityrosporum ovale). A espécie mais comum é a Malassezia globosa, mas muitos casos também são causados pela Malassezia furfur.

A pitiríase versicolor também é conhecida pelos nomes pano baco, micose de praia ou tínea versicolor.

O pano branco não é uma doença contagiosa, não havendo, portanto, risco de transmissão do fungo de uma pessoa para outra. Também não há relação com falta de higiene ou contato com locais de uso público, tais como piscinas, banheiros ou vestiários.

Apesar dos nomes semelhantes, a pitiríase versicolor é uma doença completamente diferente da pitiríase rósea.

Se você procura informações sobre a pitiríase rósea, acesse o seguinte link: PITIRÍASE RÓSEA – Sintomas e tratamento.

Como surge

As lesões da pitiríase versicolor costumam se apresentar como manchas hipopigmentadas (mais claras que a pele), daí da doença também ser chamada de pano branco. 

O termo micose de praia surgiu pelo fato das lesões tornarem-se mais aparentes após a exposição solar. Esse fato ocorre porque, ao contrário das lesões, a pele sadia ao seu redor consegue se bronzear normalmente, aumentando o contraste entre as duas regiões.

Todavia, o termo micose de praia não é o mais adequado, pois pode levar à falsa impressão de que a pitiríase versicolor possa ser adquirida na praia.

Na verdade, ninguém “pega” pano branco, uma vez que o fungo Malassezia costuma ser um germe da flora microbiana natural da nossa pele. Só para se ter uma ideia, a Malassezia pode ser encontrada em cerca de 20% das crianças e em mais de 90% dos adultos.

Por ser um fungo que depende de gordura para sobreviver, ele costuma ser facilmente encontrado em áreas mais oleosas da pele, tais como o tronco, pescoço, face e couro cabeludo.

Portanto, o pano branco não é uma doença que se pegue de alguém ou de algum lugar. Não é a areia da praia, a toalha que você usou ou o contato com a espreguiçadeira que lhe transmitiu o fungo. A Malassezia já existia há anos na sua pele, ela apenas passou a se manifestar clinicamente.

Fatores de risco

Os sintomas da pitiríase versicolor surgem quando por algum motivo a população do fungo Malassezia que sempre viveu pacificamente na sua pele passa a se proliferar exageradamente. Em geral, alguns fatores estão associados a essa proliferação do fungo e ao surgimento dos sintomas. Os mais comuns são:

  • Oleosidade excessiva da pele.
  • Viver em locais muito quentes e úmidos.
  • Sudorese excessiva.
  • Alterações hormonais, incluindo uso de pílula anticoncepcional.
  • Adolescência.
  • História familiar.
  • Fraqueza do sistema imunológico.

Apesar da fraqueza imunológico poder ser um gatilho para a proliferação da Malassezia, a grande maioria dos pacientes com pano branco são jovens perfeitamente saudáveis.

Sintomas do pano branco

Apesar do sinal mais comum da pitiríase versicolor ser o aparecimento de manchas brancas na pele, a verdade é que as manchas do pano branco podem ter mais de uma aparência diferente. Enquanto a maioria das lesões são hipopigmentadas, isto é, mais claras que a pele, há casos também de manchas hiperpigmentadas, ou seja, mais escuras que a pele.

As manchas do pano branco não costumam provocar sintomas, mas algumas pessoas se queixam de coceira.

As lesões da pitiríase versicolor podem ser brancas, cinzentas, cor de salmão, acastanhadas ou até avermelhadas, daí o termo versicolor.

As manchas costumam ser múltiplas e ovais, apresentando, habitualmente, uma fina camada descamativa e se localizam preferencialmente na parte superior do tronco e dos braços e no pescoço. Nas crianças a face é um local frequentemente acometido.

As lesões, em geral, são pequenas, mas se forem múltiplas podem se coalescer, formando uma ou mais grandes manchas na pele.

Habitualmente, as lesões do pano branco são comuns no verão, pois nesta época a maior exposição solar favorece o aumento do contraste entre as manchas e as áreas de pele sadia. Como já referido anteriormente, ao contrário do que diz o senso comum, não é a praia ou a piscina que provocam o pano branco, elas apenas intensificam o seus sinais.

A pitiríase versicolor é um problema basicamente estético. A infecção fúngica é muito superficial e não costuma causar maiores problemas de saúde. Em geral, os pacientes só procuram o médico por conta do incômodo estético.

Em alguns casos, as lesões podem desaparecer espontaneamente com tempo, mas muito pacientes ficam com as manchas na pele de forma persistente caso não sejam tratados.

Diagnóstico

As lesões do pano branco costumam ser bem típicas, e o diagnóstico na maioria das vezes pode ser feito clinicamente, sem necessidade de nenhum exame complementar. Se houver alguma dúvida, o dermatologista pode fazer uma raspagem das lesões e levar o material para observação no microscópio, o que facilmente identifica a presença do fungo.

Tratamento

Existe uma grande variedade de remédios disponíveis para o tratamento do pano branco. Como é uma micose superficial, a maioria dos casos de pitiríase versicolor pode ser tratada com medicação de uso tópico, como cremes, loções e shampoos. O uso de comprimidos fica geralmente restrito aos casos de lesões muito extensas ou quando o tratamento tópico não funciona.

Entre as opções de tratamento tópico do pano branco, os mais utilizados são aqueles à base de:

Quando as manchas são tão extensas que tornam a aplicação tópica de medicamentos um trabalho difícil, ou quando o tratamento tópico não é eficaz, o uso de antifúngicos em comprimidos costuma ser indicado. As opções mais indicadas são o itraconazol ou o fluconazol (leia: FLUCONAZOL | Tratamento para candidíase e outras micoses).

O cetoconazol também é uma opção eficaz contra o pano branco, porém, ao contrário da formulação para uso tópico, o cetoconazol em comprimidos pode ser tóxico ao fígado, motivo pelo qual atualmente damos preferência ao fluconazol ou itraconazol quando optamos por antifúngicos por via oral.

A taxa de cura da pitiríase versicolor é de cerca de 80 a 90%. É importante destacar que, em alguns casos, as lesões podem demorar meses para desaparecer, fazendo com que as manchas em si não sirvam como parâmetro para cura a curto prazo. Nos casos em que as lesões demoram para desaparecer, a eficácia do tratamento pode ser comprovada através da raspagem das lesões.

Em alguns indivíduos, a erradicação do fungo pode ser mais difícil, e o paciente pode precisar de tratamento preventivo com antifúngicos tópicos um vez por mês, principalmente se o mesmo viver em regiões tropicais. Este tratamento impede que a população de Malassezia torne-se excessivamente grande durante o verão.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/dermatologia/pitiriase-versicolor-pano-branco/

Pano branco na pele é contagioso? Como tratar a pitiríase versicolor

PITIRÍASE VERSICOLOR (Pano branco)

No verão, é comum que as pessoas se preocupem mais com a pele, já que o calor e a umidade trazem riscos à estética e à saúde. Um dos danos mais frequentes causados pela exposição excessiva ao sol e temperaturas elevadas são as manchas pelo corpo, que podem afetar até a autoestima.

O pano branco, nome popular para a pitiríase versicolor, é um exemplo de lesão temida por quem redobra os cuidados com o corpo durante o verão, pois pode aparecer em qualquer lugar. E, embora seja confundida com micose de praia, essa mancha é causada por um fungo que está presente na pele humana.

E fique tranquilo: não é contagioso!

1 de 1
O pano branco é causado por um fungo que habita na pele humana — Foto: Shutterstock

O pano branco é causado por um fungo que habita na pele humana — Foto: Shutterstock

– O pano branco é um tipo de micose superficial, causado por um fungo chamado malassezia, que faz com que haja redução de pigmentação da pele e, consequentemente, a mancha fica mais branca.

Apesar de a lesão ser caracterizada por manchas brancas, as ‘versicolor’ podem ter múltiplas cores, como castanho escuro e até avermelhada – declara o dermatologista Tiago Silveira, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD): – Quando uma pessoa vai à praia ou a algum lugar com piscina, ela se bronzeia e, ao redor da micose, a pele fica bronzeada, enquanto a micose fica branca (pano branco). Por isso, muitas pessoas confundem o pano branco com a micose adquirida na praia, mas isso não é verdade

Como a micose é transmitida? É contagiosa?

Segundo o dermatologista Tiago Silveira, a imunidade influencia diretamente no desenvolvimento do pano branco, além de fatores genéticos e oleosidade e umidade da pele. O uso de corticoides e de anticoncepcionais também pode promover a proliferação do fungo.

– A pitiríase versicolor é uma micose que não se pega na praia e na piscina, e também não é contagiosa, já que todo mundo tem o fungo Malassezia.

Em algumas condições que predispõem ao crescimento desses fungos, a micose se prolifera e invade a pele. Algumas pessoas são predispostas a desenvolver a micose, pois quem tem uma imunidade boa não deve adquirir o pano branco.

Além disso, a oleosidade da pele ajuda no desenvolvimento da micose – explica.

Muitos atletas ficam expostos ao sol e ao calor excessivo, principalmente os praticantes de caminhada, ciclismo e corrida. Para piorar, o suor impregnado nas roupas pode contribuir para o desenvolvimento do pano branco.

– Os esportistas que ficam com a roupa suada e molhada por muito tempo, ou até sem trocar a roupa logo, podem desenvolver a micose. Além disso, o uso de óleos, cremes e máscaras que possuem óleo de silicone deve ser evitado, porque os fungos se alimentam não apenas da oleosidade natural da pele, mas também da oleosidade que fornecemos – afirma Tiago Silveira.

5 dicas básicas para evitar o pano branco

  1. Evite o uso de roupas que seguram a umidade;
  2. Se estiver suado, lave a pele uma ou mais vezes por dia, principalmente o couro cabeludo, pois é o local em que o fungo mais prolifera;
  3. Use filtro solar de toque seco;
  4. Evite substâncias que podem ser estimuladoras de óleo;
  5. Não use cosméticos oleosos na pele.
  • Sabonetes e shampoos antifúngicos;
  • Uso de protetor solar;
  • Antifúngicos tópicos e orais podem ser necessários.

– O tratamento é feito principalmente com sabonetes específicos para higienização, ou shampoos antifúngicos para o couro cabeludo (para tirar a população de fungo no couro cabeludo). O uso de bucha (ou esponja) de banho também é indicado, porque as camadas de células mortas funcionam como alimento do fungo – conta.

Banhos de sol para ajudar na repigmentação

De acordo com Tiago Silveira, as manchas regridem totalmente após a morte dos fungos (o que deve acontecer facilmente). Ainda assim, o dermatologista recomenda banhos de sol para estimular o bronzeamento da pele. Sempre com protetor solar de toque seco e preferencialmente antes das 10h ou após as 16h, para que haja uma repigmentação segura.

– A produção natural da pele para fazer uma nova melanina pode ser acelerada tomando banhos de sol, porque o sol estimula o bronzeamento da pele, inclusive no local da mancha. É importante salientar que, caso ainda existam fungos, a pele não irá se bronzear no local da mancha – diz ele.

Além disso, Silveira não indica esconder as manchas com maquiagem, uma vez que as substâncias presentes nos cosméticos podem alimentar os fungos.

– Tampar as manchas com maquiagem não é necessário, especialmente porque o tratamento é muito simples.

Se a estética for um grande problema, o uso da maquiagem pode até ser feito, mas com cuidado, pois se o fungo ainda estiver presente, o cosmético pode servir como alimento.

O ideal é deixar a pele o mais sequinha possível e ir tomando sol para o pigmento ser produzido naturalmente – finaliza.

Источник: https://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/pano-branco-na-pele-e-contagioso-como-tratar-a-pitiriase-versicolor.ghtml

Pano branco: o que é, sintomas, é contagioso? Saiba tudo sobre a micose de pele chamada pitiríase versicolor

PITIRÍASE VERSICOLOR (Pano branco)

Manchas brancas na pele são os sintomas mais frequentes do pano branco, tipo comum de micose de pele que é formalmente chamada de pitiríase versicolor.

Muita gente pensa que essa doença aparece apenas no verão, por conta do calor e da umidade, mas a verdade é que pode surgir em qualquer época do ano e em várias regiões do corpo, principalmente aquelas mais oleosas.

Se você conhece pouco sobre esse problema, quer descobrir como tratar, os sintomas e outras informações, o DermaClub esclareceu as dúvidas com seu time de dermatologistas.

1. O que é pano branco?

O pano branco é o nome popular da pitiríase versicolor – uma micose, vinda de um fungo que temos naturalmente na pele, e que surge na sua camada mais superficial.

“São manchas brancas, mas que também podem ser de coloração variável (desde castanhas até vermelhas).

São lesões que podem surgir em qualquer região do corpo, porém, são mais frequentes nas áreas oleosas do corpo, como couro cabeludo, tórax anterior e dorso”, esclareceu a dermatologista Tatiane Curi, de São Paulo.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

2. Como o pano branco surge na pele?

O pano branco é uma micose causada por fungos já existentes na pele. Porém, seus sinais podem se manifestar através de fatores internos ou externos, como o calor, a umidade e o excesso de sudorese. “Existem também fatores do hospedeiro que a favorecem, como a desnutrição, o uso de anticoncepcionais, corticóides e imunossupressores”, afirmou a Drª Livia Luna, do Rio de Janeiro.

3. Sintomas da micose de pele

– Manchas na pele da coloração branca indo até o vermelho e o castanho;- Com formato arredondado ou oval;- Recoberta por escamas finas;

– Bastante coceira.

4. Fatores que causam o pano branco

– Excesso de sudorese;- Imunodepressão;- Excesso de oleosidade;- Má higiene da pele

– Predisposição para a doença de pele.

5. Como podemos prevenir a doença de pele?

O melhor jeito de prevenir esse tipo de micose de pele é manter uma higiene adequada e adotar uma boa rotina de cuidados:

– A higienização deve ser feita com sabonetes queratolíticos;- No cabelo, devem ser usados shampoos antifúngicos durante o banho;- Também se deve evitar o uso de cremes muito oleosos nas regiões oleosas e com maior predisposição às manchas;

– Apostar no uso de filtros solares que possuem toque seco e livres de óleos;

– Manter a pele bem arejada.- Logo após a prática esportiva tome banho;- Use roupas frescas no verão;

– Se você já teve quadros de pano branco durante o ano, existem alguns produtos que controlam a população de leveduras na pele.

Consulte o seu dermatologista para uma indicação específica para o caso.

6. Como podemos tratar o pano branco?

De acordo com a médica, o tratamento é feito com dermocosméticos antifúngicos de uso tópico e, dependendo da extensão, associados a medicações orais.

“Sempre oriento meus pacientes a pegarem um pouco de sol, para, aos poucos, repigmentar as áreas acometidas pela micose”, concluiu.

É importante lembrar que essa exposição deve ser feita antes das 10 e depois das 16 horas – horários de menor incidência de radiação UV – e com a aplicação essencial do filtro solar.

7.1. Pano branco é a mesma coisa que vitiligo

Mito. O pano branco e o vitiligo são doenças de pele completamente diferentes. O vitiligo dão manchas normalmente bem mais brancas do que as de pano branco com superfície lisa e, às vezes, brilhosa. Geralmente são simétricas, afetando dois lados do corpo – como os dois braços, duas pernas, duas bochechas – e não possui o risco de contágio.

Sem falar que o pano branco é uma micose de pele e o vitiligo uma doença autoimune.

7.2. Pano branco branco tem cura

Mito. De acordo com a dermatologista Livia Luna, não há cura já que o fungo existe de forma natural em nossa pele. Mas existe tratamento, que pode ser feito com o uso de dermocosméticos antifúngicos e, dependendo da extensão, associados a medicações orais.

7.3. Pano branco não é contagioso

Verdade. De acordo com a Drª Flávia Addor, de São Paulo, o pano branco não é uma doença de pele contagiosa. “Na verdade, a micose, é causada por um fungo já existente em nossa pele, mas que pode se proliferar excessivamente em pessoas predispostas, sob condições favoráveis, como calor e suor, por exemplo”, esclareceu.

7.4. O pano branco aparece na praia

Verdade. A praia é um habitat que reúne as condições mais favoráveis à multiplicação do fungo, que gosta de calor e umidade. Por isso, o pano branco também é conhecido como micose de praia.

*Os dermatologistas especialistas são consultados como fontes jornalísticas e não se utilizam deste espaço para a promoção de qualquer produto ou marca. Para saber qual é o tratamento ideal para a sua pele, consulte um dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Publicada em: 08 de Janeiro de 2019
Modificada em: 18 de Abril de 2019

Encontre aqui o seu dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia mas perto de você!

continuar lendo

Источник: https://www.dermaclub.com.br/blog/noticia/pano-branco-o-que-e-sintomas-e-contagioso-saiba-tudo-sobre-a-micose-de-pele-chamada-pitiriase-versicolor_a8544/1

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: