Pomadas para Fimose: quais são e como usar

Contents
  1. Fimose: o que é, diagnóstico, causas, sintomas e cirurgia
  2. Tipos de fimose:
  3. O que causa a fimose?
  4. Como saber se é fimose (diagnóstico)?
  5. Qual o tratamento da fimose?
  6. Cirurgia de fimose 
  7. Quais complicações a fimose pode causar?
  8. Qual a diferença entre a fimose e a aderência?
  9. A fimose também atinge mulheres?
  10. Como prevenir a fimose?
  11. Fimose
  12. Graus de fimose
  13. Fimose – causas
  14. Fimose – sintomas
  15. Fimose – diagnóstico
  16. Complicações da fimose
  17. Fimose tem cura?
  18. Fimose – tratamento
  19. Fimose – quando operar?
  20. Tratamento cirúrgico na fimose
  21. Fimose – O que é – Doenças Urológicas
  22. Diagnóstico
  23. Fatores de risco
  24. Prevenção
  25. Sintomas
  26. Tratamento
  27. Perguntas frequentes
  28. Pomada para fimose: tudo o que você precisa saber
  29. O que causa a fimose? É possível prevenir?
  30. Afinal, o que é a pomada para fimose e qual a sua composição?
  31. A pomada para fimose é vendida apenas com prescrição médica
  32. Existe alguma contraindicação ou efeito colateral para o uso da pomada para fimose?
  33. Pomada para fimose x cirurgia. Quais os benefícios da pomada?
  34. A pomada para fimose funciona? Como ela age?
  35. Como se usa a pomada para fimose?
  36. Quanto tempo dura o tratamento com a pomada para fimose?
  37. Fimose: o que é, pomadas para usar e como é a cirurgia
  38. Causas
  39. Diagnóstico de Fimose
  40. Tratamento de Fimose
  41. Complicações possíveis
  42. Convivendo/ Prognóstico
  43. Referências
  44. Pomada para fimose: como agem e quais as melhores opções | MS
  45. O que é fimose?
  46. Pomada para fimose funciona?
  47. Pomada para fimose infantil (em bebê): resolve?
  48. Como agem as pomadas para fimose?
  49. Betnovate
  50. Postec
  51. Drenison
  52. Berlison
  53. Pomada para fimose feminina

Fimose: o que é, diagnóstico, causas, sintomas e cirurgia

Pomadas para Fimose: quais são e como usar
Fimose: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção

Fimose é o excesso de pele que recobre o pênis dificultando que a glande (cabeça do pênis) seja exposta. Esta condição é comum nos bebês meninos e tende a desaparecer com o passar do tempo, mas se na adolescência o problema persistir pode ser necessária uma intervenção cirúrgica simples para remoção da pele.

Em homens adultos, pode provocar, além do câncer de pênis, problemas no desempenho sexual. Nas crianças, é comum causar dor e inflamação. A cirurgia de fimose é fornecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas o tratamento adequado é feito caso a caso, conforme orientação médica.

Tipos de fimose:

A fimose pode ser classificada em dois tipos:

  • Fimose fisiológica: é a condição mais comum, que está presente desde o nascimento.
  • Fimose secundária: pode surgir em qualquer fase da vida e ocorre após um quadro de infecção ou traumatismo local, por exemplo.

O que causa a fimose?

A fimose infantil tem cura e nem sempre é necessária intervenção cirúrgica ou tratamento específico, tendo em vista que a condição pode se resolver naturalmente com o passar do tempo. Por isso, o pediatra deve avaliar caso a caso.

Quando um bebê do sexo masculino nasce é comum que ele apresente dobra de pele que protege o pênis, aderindo à extremidade do órgão, conhecida como glande (cabeça do pênis).

 Com seis meses de idade, 20% das crianças já apresentam o prepúcio retrátil. Aos três anos, cerca de 50% dos meninos já o retraem facilmente e aos 17 anos, o número chega a 99% dos casos.

Essa é a causa mais comum da fimosa.

Entretanto, a fimose também pode ser causada por episódios repetidos de infecção na pele ou na glande durante os primeiros anos de vida ou mesmo na adolescência e fase adulta. Esse quadro desencadeia uma piora da pele que envolve a glande, impossibilitando que ela seja exposta.

Como saber se é fimose (diagnóstico)?

O diagnóstico da fimose é feito apenas pelo exame físico, durante avaliação clínica pelo médico urulogista, que constata que a glande (cabeça do pênis) não consegue ser exposta quando a pele é retraída, ou seja, a única forma de confirmar a presença da fimose é tentar retrair a pele que recobre a glande do pênis manualmente.

Quando não é possível ver completamente a glande, isso representa a fimose. A primeira verificação da presença da fimose é feita no bebê recém-nascido, mas faz parte de todas as consultas com o pediatra até os 5 anos. 

No caso da fimose secundária, que pode surgir na adolescência ou a vida adulta, o próprio homem pode observar se existe alguma dificuldade na retração da pele, e se esta for verificada, recomenda-se uma consulta com um urologista para melhor avaliação e escolha do tratamento mais eficaz.

Qual o tratamento da fimose?

São indicados os seguintes tratamentos para fimose:

  • Pomadas à base de corticóides, que possuem propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antibióticas facilitando que a pele deslize sobre a glande.
  • Exercício de retração da fimose para meninos com mais de 5 anos. É um exercício para retração da pele do prepúcio sem forçar demais ou causar dor. Esse exercício deve ir soltando a pele pouco a pouco.

Cirurgia de fimose 

  • Cirurgia, indicada quando as outras formas de tratamento não surtem efeito. A cirurgia pode ser feita removendo completamente a camada de pele que recobre a glande do prepúcio ou realizando apenas um ou vários pequenos cortes na pele, que sejam suficientes para permitir que a pele impessa a retirada da glande.
  • Além da retirada dessa pele, o médico pode ainda realizar um corte que liberta o freio curto do pênis.

Um dos tratamentos cirúrgicos da fimose é a postectomia ou a posteoplastia. Ambas as intervenções são realizadas de forma simples e apresentam poucas chances de complicações. A cirurgia é indicada apenas em casos específicos, uma vez que o procedimento não é indicado para todos os casos.

Em pacientes adultos, a cirurgia pode ser realizada com anestesia local por meio do bloqueio peniano e, em crianças, o procedimento é melhor realizado sob anestesia geral. A cirurgia deve ser feita normalmente, antes da adolescência, porque a fimose pode interferir na qualidade da atividade sexual e, excepcionalmente, pode comprometer a fertilidade, dificultando a saída de sêmen.

Se a família optar pela circuncisão por motivos culturais ou religiosos, esta deve ser realizada preferencialmente no período neonatal.

Quais complicações a fimose pode causar?

Além de ser um dos principais fatores para o câncer de pênis, a fimose pode provocar outras complicações, se não tratada adequadamente, devido ao risco de dificuldade de limpeza na região, como:

  • aumento do risco de infecção urinária;
  • dor nas relações sexuais;
  • maior propensão a ter uma DST, HPV ou câncer de pênis;
  • maior risco de desenvolver uma parafimose, que é quando o prepúcio fica preso e não volta a recobrir a glande.

Qual a diferença entre a fimose e a aderência?

Existe um outro problema que por vezes é confundido com a fimose, que é a condição conhecida como aderência. A aderência é como se fosse uma “cola” na pele, que fica grudada na glande (cabeça do pênis). No entanto, a aderência cede naturalmente, o que dispensa intervenção cirúrgica ou outro tipo de tratamento.

Já a fimose ocorre quando a pele não está “colada” na glande, mas a aperta e impede que seja exposta. 

A fimose também atinge mulheres?

Apesar de ser um problema que acomete principalmente os homens, em casos raros as mulheres também podem ter. A fimosa femenina acontece quando há aderência entre os pequenos lábios da vagina, que tapam completamente a abertura vaginal.

É uma condição rara e que quando não se resolve naturalmente, o tratamento mais indicado para solução definitiva é aplicação de pomada com estrôgeno, receitada por médico especializada conforme cada caso.

Como prevenir a fimose?

Não é possível prevenir a fimose, uma vez que a formação da pele que encobre a cabeça do pênis (glande) ocorre ainda na vida fetal e varia conforme cada caso, baseado na genética de cada pessoa.

Источник: https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/fimose

Fimose

Pomadas para Fimose: quais são e como usar

Fimose é a incapacidade de redução do prepúcio com completa exposição da glande (veja imagens do pénis).

Pode ser dividida em dois tipos: fimose primária ou fisiológica e fimose secundária ou patológica. O fenómeno de fimose não deve ser confundido com a presença de um “excesso de pele”.

Ou seja, um prepúcio que se consiga retrair expondo toda a glande do pénis, independente da quantidade de pele, não representa um fenómeno de fimose.

A fimose fisiológica decorre de aderências balano-prepuciais congénitas (remanescentes embriológicos resultantes da fusão de membranas entre a glande e o prepúcio). Estima-se que menos de 5% dos bebés recém-nascidos apresentam prepúcio totalmente retrátil ao nascimento.

Na maioria dos casos, a fimose fisiológica (ou primária) resolve espontaneamente com o crescimento, devido sobretudo ao aparecimento das ereções intermitentes e à acumulação gradual de esmegma a nível do sulco coronal, responsável pela dissecção progressiva das aderências.

Apenas 1% das crianças adolescentes mantêm fimose aos 17 anos de idade.

Por outro lado, o significado de fimose patológica é diferente: esta ocorre por lesões inflamatórias ou traumáticas do prepúcio, que dão origem à formação de tecido cicatricial (anel fibrótico constritor).

Entidades como a balanopostite, traumatismos prepuciais ou a balanite xerótica obliterans (BXO) constituem algumas das causas mais frequentes para a fimose patológica.

A fimose secundária a BXO é mais comum no adulto, enquanto que no homem jovem é mais frequente a fimose decorrente de inflamação ou traumatismo.

Por vezes, não é possível proceder à retração da pele que recobre a glande do pénis (retração prepucial) por limitações do freio peniano / freio do prepúcio dado este ser muito curto. Veja fotos superiores.

Graus de fimose

A fimose masculina pode ser dividida em diferentes graus consoante a quantidade de glande exposta, a saber:

  • Grau 1: retração completa sem estreitamento atrás da glande. Podem existir aderências balanoprepuciais;
  • Grau 2: retração completa com estreitamento atrás da glande;
  • Grau 3: exposição apenas parcial da glande;
  • Grau 4: retração do prepúcio muito reduzida, não sendo possível expor a glande;
  • Grau 5: forma mais grave de fimose; não é possível qualquer retração prepucial.

Fimose – causas

A fimose infantil ou que surge logo em bebé (fimose primária ou fisiológica) é uma patologia congénita e que tendencialmente resolve de forma espontânea com o passar dos anos, com o progressivo desenvolvimento da criança. Cerca de 99% dos bebés do sexo masculino nascem com fimose fisiológica e apenas 1% dos adolescentes com 17 anos apresentam ainda fimose.

No caso da fimose desenvolvida posteriormente, a fimose patológica, as principais causas estão relacionadas com episódios de traumatismos ou de infeções. Por exemplo, na tentativa de retrair manualmente uma fimose fisiológica pode surgir lacerações no prepúcio se esta for efetuada de forma violenta. Estas cicatrizes podem originar no futuro uma fimose patológica.

As infeções crónicas da glande e do prepúcio, ou infeções específicas como a Balanite xerotica obliterans ou líquen escleroso podem originar a longo prazo fimoses patológicas.

Fimose – sintomas

Entre os sinais mais frequentes encontra-se a incapacidade de expor a glande completamente, com subsequente limitação da qualidade da higiene pessoal. Algumas crianças podem apresentar dificuldades na micção ou o chamado balão miccional (balão de urina formado na ponta do pénis quando a criança começa a urinar).

Os sintomas mais típicos são a presença de dor quando retraem o pénis ou dor com a ereção.

No futuro, as relações sexuais podem ser afetadas pela presença de dor ou problemas relacionados com a completa exposição da glande.

No entanto, não existe qualquer relação direta entre a fimose, a disfunção erétil (incapacidade de ter uma ereção) e a fertilidade masculina (gerar filhos).

Saiba, aqui, o que é disfunção erétil.

O risco para desenvolvimento de infeções urinárias e infeções da glande também aumenta e estas situações devem ser vigiadas. A criança deve ser incentivada a comentar com os pais se dói quando urina ou com a ereção.

Saiba, aqui, o que é uma infeção urinária.

Fimose – diagnóstico

O diagnóstico da fimose é feito pelo médico urologista (especialista em urologia) através do exame objetivo e história clínica. Raramente, são necessários outros exames, exceto se existir a suspeita de alguma infeção ou lesão do pénis associada.

Na criança a primeira especialidade a realizar o diagnóstico costuma ser a Pediatria que, consoante a gravidade clínica, orientará para a Urologia / Urologia Pediátrica para tratamento cirúrgico.

Complicações da fimose

A incompleta retração do prepúcio pode predispor o homem a algumas doenças como:

  • Parafimose – a presença de um anel prepucial apertado pode dar origem à formação de uma parafimose. Esta situação ocorre quando a zona de aperto fica retraída atrás da glande e, por fenómenos inflamatórios, começa a ficar muito Inflamada e edemacida, não permitindo depois a re-colocação do prepúcio na sua posição anatómica, acima da glande.
  • Infeções urinárias (ITU): A presença da fimose modifica e intensifica a colonização bacteriana balanoprepucial. Esse facto contribui para o aumento da incidência de inflamação da glande (balanopostite)e ITU, principalmente nos primeiros cinco anos de vida. Saiba, aqui, o que é uma infeção urinária.
  • Doenças sexualmente transmissível (DST): a probabilidade de contrair uma doença sexualmente transmissível, incluindo o HIV, é superior nos homens não circuncidados dado algumas especificidades próprias da pele do prepúcio.
  • HPV e cancro do colo uterino: Segundo alguns autores, a circuncisão reduz o risco de infeção pelo HPV nas mulheres (parceiras sexuais) e, consequentemente, reduz a probabilidade de aparecimento de cancro de colo uterino nas parceiras sexuais de circuncidados.
  • Carcinoma de pénis: A fimose é um fator de risco significativo para o cancro de pênis, provavelmente em relação com a deficiente higiene do pénis nesses casos.

Fimose tem cura?

A fimose fisiológica pode ter cura sem se recorrer à cirurgia. A maioria dos casos de fimose fisiológica vai resolver espontaneamente com o desenvolvimento sexual masculino.

Em algumas crianças, nomeadamente quando na presença de balão prepucial miccional, pode ser sugerido à Mãe / Pai que realize diariamente a aplicação de um corticoide em pomada no pénis da criança, enquanto realiza suavemente a ginástica prepucial, ou seja, retração suave e cuidadosa do prepúcio da criança, mais fácil durante o banho ou executado pelo próprio, sem que cause dor significativa. O tratamento cirúrgico tem indicação quando existem determinados critérios como presença de infeções urinárias ou balanopostites, deficiência na micção e esta não resolve com a ginástica prepucial. Veja mais informação em tratamento.

A fimose patológica raramente resolve com a terapia médica e requer na grande maioria dos casos a realização de cirurgia corretiva.

Em alguns países é comum a realização da circuncisão em contexto de crenças sociais, familiares ou religiosas.

Saiba, de seguida, como tratar a fimose.

Fimose – tratamento

O principal tratamentonas fimoses primárias (congénitas) é a vigilância e aguardar pela evolução natural da situação clínica com a resolução espontânea.

Em alguns casos, se indicado pelo seu médico, pode ser tentada a realização de ginástica prepucial (fazer um exercício que a permita a retração cuidadosa do prepúcio (“puxar a pele para trás”), durante o banho com água tépida e aplicação de uma pomada tópica de corticoide (ex. betametasona), durante várias semanas.
Esta massagem de retração, apesar de poder ser realizado pela criança sozinha, confortavelmente em casa, deve obrigar a que exista sempre ajuda / supervisão dos Pais, de modo a permitir uma retração cuidadosa do prepúcio sem causar complicações, como por exemplo, lacerações no pénis.

Não existem neste momento quaisquer medicamentos (ou remédios) orais que possam resolver a fimose. Existe no entanto, medicação específica para os casos associados a balnopostite (infeção da glande) que permite aliviar a dor e tratar a infeção. Uma ingestão abundante de líquidos, como a água ou de qualquer tipo de chã caseiro, permitem ajudar a evitar o surgimento de infeções urinárias.

Nos casos em que não seja possível resolver o problema com as medidas atrás descritas, deve ser equacionado o tratamento cirúrgico (cirurgia ou operação).

O tratamento cirúrgico consiste na realização de uma intervenção cirúrgica designada por circuncisão. Trata-se de uma técnica que remove o prepúcio em excesso, incluindo a zona de aperto, e corrige os casos de freio curto.

No final da cirurgia a maioria das crianças apresentará em condições normais uma glande não recoberta pelo prepúcio (parcialmente ou totalmente).

Fimose – quando operar?

O tratamento cirúrgico tem indicação nas fimoses fisiológicas que não resolvem com a ginástica prepucial associadas a infeções urinárias, balanopostites ou alterações na micção como a formação de balão miccional e esforço miccional ou esvaziamento incompleto.

A fimose patológica raramente resolve com a terapia médica e requer na grande maioria dos casos a realização de cirurgia corretiva. Nalguns países é comum a realização da circuncisão em contexto de crenças sociais, familiares ou religiosas.

Tratamento cirúrgico na fimose

A cirurgia na fimose (Circuncisão) deve ser realizada logo que possível, apenas quando existem critérios clínicos para tal.

Nos casos de crenças religiosas, culturais ou preferências pessoais, a operação deve ser realizada vários anos após o nascimento, de preferência no início da adolescência e antes do início da atividade sexual.

Saiba, aqui, tudo sobre circuncisão.

Источник: https://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/urologia/fimose/

Fimose – O que é – Doenças Urológicas

Pomadas para Fimose: quais são e como usar

A fimose é um estreitamento do prepúcio, pele que cobre a glande ou cabeça do pênis, dificultando ou impossibilitando que esta fique exposta. Este estreitamento pode ser leve ou causar uma dificuldade maior de expor a glande, causando desconforto e dor durante as relações sexuais.

Nos primeiros meses de vida, há uma aderência natural do prepúcio à glande. Essa aderência, normalmente, diminui naturalmente até os 3 anos de idade na maioria dos meninos.  Aos 6 meses, somente 20% dos meninos conseguem expor totalmente a glande, mas quase 90% já o conseguem aos 3 anos.

Quando não ocorre naturalmente, o tratamento é cirúrgico e visa facilitar a higiene, diminuir o risco de doenças e evitar dores durante relações sexuais.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito apenas pelo exame físico. É possível detectar a não exposição da glande pela retração do prepúcio. 

A fimose deve ser diferençada de outras condições que afetam o pênis. Um médico pediatra, cirurgião pediátrico ou urologista pediátrico, no caso de crianças, deve ser consultado.

Fatores de risco

Na infância, a fimose é causada pela falha no prepúcio em se soltar durante o crescimento. No adulto, pode se manifestar como um quadro discreto que passou despercebido na infância. Pode ainda ser consequência de inflamações, infecções como a balanite, deformidades causadas por traumas e/ou doenças dos órgãos genitais.

Prevenção

A fimose que se manifesta na infância não pode ser prevenida. No entanto, ao longo da vida os cuidados com a higiene do pênis são fundamentais para evitar o acúmulo de sujeiras e secreções que acarretam a fimose.

Para evitar o problema, é preciso lavar o pênis todos os dias com água e sabão neutro. Além disso, é importante ir ao urologista regularmente.

Sintomas

A fimose, geralmente, é uma condição indolor. No entanto, ela pode dificultar a higiene e provocar alguns sintomas como vermelhidão e inchaço. Um prepúcio muito apertado também pode provocar incômodos durante a micção e relação sexual.

Outros sintomas são:

  • Dor durante a ereção
  • Dificuldade em controlar a vontade de urinar durante a noite
  • Secreções no pênis, com mau cheiro
  • Sangramento

Apesar de não comprometer o crescimento e desenvolvimento do pênis, a fimose deve ser tratada para evitar complicações graves.

Tratamento

Quando o descolamento do prepúcio não ocorre na primeira infância, o tratamento geralmente é cirúrgico. A correção é importante para facilitar a higiene do pênis, diminuir o risco de balanopostites (infecções do prepúcio e da glande), corrigir a parafimose (estrangulamento da glande pelo prepúcio) e permitir relações sexuais mais confortáveis na vida adulta.

O tratamento também pode iniciar com aplicação de pomadas que atuam amolecendo o tecido do prepúcio e afinando a pele ou exercícios no prepúcio, que devem ser indicados pelo pediatra ou urologista.

A cirurgia, também conhecida como circuncisão ou postectomia, consiste na retirada do excesso de pele para facilitar a higienização e diminuir o risco de infecções. Ela dura cerca de uma hora, com aplicação de anestesia, e é recomendada para crianças entre 7 e 10 anos. O paciente pode voltar à rotina 3 ou 4 dias depois do procedimento.

Perguntas frequentes

Qual a idade ideal para a cirurgia de fimose?

Em casos não complicados, aguarda-se até os 7 a 10 anos de idade para verificar se não ocorre o deslocamento natural do prepúcio.  É importante que seja antes da adolescência, já que nessa fase as ereções são mais frequentes e podem tornar o pós-operatório mais doloroso.

A cirurgia precoce é recomendada quando há o que os especialistas chamam de balanopostites de repetição, que são infecções da pele que cobre a glande.

Como preparar os filhos para a cirurgia?

Primeiro, os pais devem ser orientados pelo cirurgião sobre o procedimento. Entendendo como ocorrerá, os pais podem explicar com mais segurança para o filho. É importante não esconder da criança o que será realizado, mas tomar cuidado com a forma como será explicado. Usar a palavra “cortar”, por exemplo, pode assustá-lo.

Como é feita a cirurgia?

A não ser que o paciente tenha outras doenças ou que os pais prefiram, a cirurgia será feita em regime ambulatorial, ou seja, a criança não necessitará permanecer internada durante um dia todo ou mesmo passar a noite no hospital – evitando assim uma maior separação do ambiente familiar e diminuindo os riscos de infecção hospitalar.

Quanto à técnica cirúrgica e o quanto de pele deverá ser retirada, há variações de acordo com a idade do paciente, a intensidade da fimose e a experiência do cirurgião.

A anestesia é local ou geral?

Na infância, e mesmo na adolescência, se prefere a anestesia geral, geralmente precedida pelo uso de um sedativo e de um analgésico. É um procedimento muito seguro: o risco de complicações severas é inferior a 1 em cada 5.000 anestesias e o risco de óbito ao redor de 1 em cada 200.000 anestesias.

Qual é o tempo de cicatrização?

Em cerca de dez dias geralmente todos os pontos já caíram e o inchaço desapareceu. A partir desse período, o menino pode voltar às atividades normais. No entanto, é aconselhável evitar por mais algumas semanas atividades que ofereçam risco de contusões, como andar de bicicleta por exemplo.

Quais os cuidados com a higiene após a cirurgia?

Após o procedimento, é necessário passar uma pomada cicatrizante e não aderente para tentar conter o inchaço. Em alguns casos, recomenda-se o uso de analgésicos via oral.

Depois da operação, a criança pode sentir dor ao urinar?

Não, não dói para urinar. O que ocorre é um desconforto, que acontece porque a ponta do pênis, sem a pele sobre ela, fica mais exposta e, assim, mais sensível.

Источник: https://www.ladoaladopelavida.org.br/fimose-o-que-e-doencas-urologicas

Pomada para fimose: tudo o que você precisa saber

Pomadas para Fimose: quais são e como usar

No artigo de hoje, vamos falar sobre a pomada para fimose, uma alternativa de tratamento que, tendo sucesso, evita a cirurgia de postectomia. Você vai saber o que é de fato a pomada para fimose, conhecer os benefícios e tempo do tratamento com a pomada, como fazer a aplicação e muito mais.

Aqui no blog do É coisa de Menino, o assunto fimose está sempre em pauta, justamente por ainda existirem alguns tabus e poucas pessoas sabem de fato o que é e como tratar a fimose.

A fimose é uma camada de pele (prepúcio) que impede ou impossibilita a passagem da glande (cabeça) do pênis, causando dificuldade para a higienização e aumentando riscos de infecção urinária, além de outros prejuízos para a criança.

Para saber mais sobre a fimose, leia esse artigo que esclarece as principais dúvidas sobre o assunto.

O que causa a fimose? É possível prevenir?

A formação de pele que recobre a glande acontece ainda na gestação, ou seja, é impossível prevenir, já que existe uma variação de cada caso, de acordo com a genética de cada pessoa. Mas se não é possível prevenir, é possível trata-la e um dos tratamentos é feito através da pomada para fimose.

Segundo informações do Ministério da Saúde, das crianças com seis meses de idade já conseguem retrair o prepúcio e expor a glande, número que sobe para 50% aos três anos e chega a 99% quando o menino atinge os dezessete anos. Mas se não é possível prevenir, é possível trata-la e um dos tratamentos é feito através da pomada para fimose.

Afinal, o que é a pomada para fimose e qual a sua composição?

A pomada para fimose é um tratamento alternativo com o objetivo de evitar a cirurgia de postectomia, a famosa circuncisão.

É uma pomada à base de corticoide e que deixa a pele mais flexível e, assim, facilitar no deslocamento do prepúcio e exibição da glande do pênis da criança.

Além de deixar a pele mais flexível, o corticoide presente em sua composição tem efeito anti-inflamatório, ajudam a aliviar a dor e aceleram o tratamento.

A pomada para fimose é vendida apenas com prescrição médica

A pomada para fimose é encontrada nas farmácias e drogarias, mas é vendida somente com prescrição médica. Seu uso deve ser orientado pelo pediatra da criança, que irá indicar a forma correta de aplicações, quantidade de aplicações ao dia e tempo de tratamento. Para que o uso seja feito de forma apropriada e o tratamento obtenha os resultados pretendidos, procure o pediatra.

Existe alguma contraindicação ou efeito colateral para o uso da pomada para fimose?

A pomada não deve ser aplicada em crianças menores de doze meses, ou seja, crianças com menos de um ano e em crianças que tenham hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

As crianças normalmente possuem boa tolerância ao uso da pomada, mas seu uso pode aumentar a circulação sanguínea no local e causar irritação, ardência e inchaço.

Caso isso aconteça, suspenda o uso imediatamente e procure o pediatra da criança.

A pomada para fimose não deve ser associada com outros produtos, pois isso pode prejudicar a ação do medicamento e comprometer os resultados desejados.

Pomada para fimose x cirurgia. Quais os benefícios da pomada?

Como falamos anteriormente, o uso da pomada é recomendado para evitar a cirurgia da fimose na criança. A pomada proporciona um tratamento menos invasivo e pode ser iniciado a partir de um ano de vida da criança, obtendo resultados satisfatórios em poucas semanas.

Já a cirurgia de circuncisão (postectomia) só é recomendada a partir do 5º ano de vida da criança e, apesar da recuperação ser rápida, exige alguns cuidados.

Por mais simples que seja a cirurgia, assim como qualquer procedimento cirúrgico ela apresenta riscos e demanda cuidados em seu pós-operatório.

Converse com o pediatra e esclareça as suas dúvidas sobre qual tratamento é mais indicado para a criança.

A pomada para fimose funciona? Como ela age?

O tratamento com a pomada para fimose geralmente obtém os resultados esperados. Como seu uso é recomendado pelo pediatra, a ação dos componentes da pomada aliada aos exercícios passados pelo médico ajuda a tornar a pele mais maleável, possibilitando a passagem da glande pelo prepúcio. A ação anti-inflamatória e analgésica do corticoide facilita a adesão e o sucesso do tratamento.

Como se usa a pomada para fimose?

  • A criança deve urinar antes de aplicar a pomada. Após a urina, lave e seque bem a região genital.
  • A aplicação da pomada deve ser feita na região do prepúcio duas (2) vezes ao dia, a cada 12 horas.
  • Aplique também a pomada na extensão do pênis, após puxar levemente a pele, sem causar dor.
  • Faça uma massagem leve e reposicione a pele (prepúcio) sobre a glande (cabeça) do pênis.

Tome cuidado com a quantidade de pomada que é aplicada, já que uma dosagem muito alta pode causar irritações na pele, vermelhidão e inchaço.

Após a aplicação, lave bem as mãos para remover qualquer vestígio da pomada e evitar o contato dela com os olhos.

Quanto tempo dura o tratamento com a pomada para fimose?

O tratamento com a pomada para fimose costuma durar de 3 a 12 semanas, mas isso varia de acordo com a necessidade de cada paciente. Quando o médico pediatra faz a recomendação do uso da pomada, ele a faz baseado no exame clínico e passa uma estimativa para o tratamento.

Após esse prazo de uso ininterrupto, a criança deve retornar em consulta para que o pediatra faça uma nova análise e oriente sobre os próximos passos do tratamento: se ele vai recomendar a aplicação novamente, suspender o uso ou tentar uma nova abordagem, como a cirurgia.

Gostou desse conteúdo sobre fimose ou tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe seu comentário aqui embaixo. Aproveite e curta a nossa página no e siga É coisa de Menino no Instagram.

VV-00922

Источник: https://ecoisademenino.com.br/saude/pomada-para-fimose/

Fimose: o que é, pomadas para usar e como é a cirurgia

Pomadas para Fimose: quais são e como usar

Fimose (CID-10 N47) é a dificuldade de expor a glande do pênis devido a um excesso de pele no membro. A condição causa empecilhos a higiene íntima, e também pode facilitar o surgimento do câncer em casos mais graves.

O excesso de pele é mais comum em bebês do sexo masculino, e normalmente desaparece com o passar dos anos. Caso o problema persista, é recomendável a remoção cirúrgica, já que a fimose em adultos pode gerar dores, inflamação e diminuição da qualidade da vida sexual.

É extremamente comum que os bebês nasçam com excesso de pele na glande. Entretanto, de acordo com dados do Ministério da Saúde, 20% das crianças já consegue expor a cabeça do pênis.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Já aos três anos, metade dos meninos já consegue retrair o excesso de pele. Aos 17 anos, 99% dos indivíduos não são mais afetados pelo problema.

Apesar de ser raro, a fimose também pode atingir as mulheres. Ela acontece quando os pequenos lábios da vagina ficam “grudados”, e acabam cobrindo a abertura vaginal.

Causas

Há duas principais causas da fimose. A causa primária do problema está na formação do prepúcio durante o período fetal. Quando o prepúcio é anelado e não se consegue expor a glande com facilidade, é diagnosticada a fimose.

Entretanto, a fimose pode ocorrer por episódios repetidos de infecção prepucial durante os primeiro anos de vida (ou mesmo na adolescência e nos adultos), desencadeando uma piora do anel prepucial pelos processos cicatriciais, impossibilitando a exposição natural da glande.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No final do primeiro ano de vida, a retração do prepúcio para trás do sulco glandular é possível em apenas cerca de 50% dos meninos e esse percentual sobe para 89% aos três anos.

A incidência de fimose é de 8% em crianças entre os seis e sete anos de idade e apenas 1% no adolescente entre 16-18 anos.

Adultos que sofrem inflamações prepuciais de repetição podem piorar o grau de fibrose do anel a ponto de impedirem sua exposição natural. Estes pacientes devem ser operados para sua resolução.

Diagnóstico de Fimose

O diagnóstico é feito apenas pelo exame físico, evidenciado pela não exposição da glande pela retração do prepúcio.

A fimose pode ser classificada em dois tipos: fisiológica e secundária. O primeiro caso significa que ela está presente desde o nascimento.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Já o último é quando o excesso de pele surge em qualquer época da vida, normalmente depois de uma infecção ou traumatismo local.

  • Dificuldade ou impossibilidade de expor totalmente a glande do pênis
  • dor nas relações sexuais.

Tratamento de Fimose

O tratamento inicial pode ser realizado durante o banho para expor e higienizar a glande. Desde que o anel não esteja estreitado, é possível que ocorra liberação.

Mas quando ocorrer fissuras dolorosas durante este processo de exposição digital é preferível indicar cirurgia para remoção do anel precocemente, independente da idade da criança.

Muitas crianças poderão ter sucesso neste processo para expor a glande, que poderá demorar meses para sua completa liberação.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A cirurgia engloba a remoção da pele e mucosa onde se localiza o anel prepucial. O procedimento deve preservar parcialmente o prepúcio, propiciando a exposição livre da glande pela retração do prepúcio.

A remoção completa, com exposição permanente da glande, deve ser evitada, pois é necessário proteger a região. Quando isso ocorre, há uma mudança na glande, modificando a pigmentação da glande.

O aspecto cosmético ficará para sempre modificado, podendo causar também, perda da sensibilidade táctil da glande e a umidade natural destas mucosas na porção interna do prepúcio que recobre a glande.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Atualmente a segurança da anestesia e da cirurgia é muito alta, mas como qualquer ato médico, eventos indesejados podem ocorrer, mas podem ser contornados com sucesso – desde que se realize o procedimento em ambiente cirúrgico adequado e com segurança para que seja atingido o sucesso pretendido para o procedimento.

Atualmente, a cirurgia de remoção de fimose é fornecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Comumente, as pomadas à base de corticoide são utilizadas para o tratamento da fimose. O motivo disso são por que elas agem como anti-inflamatórios na área do prepúcio, diminuindo a dor e eliminando bactérias. Tudo isso faz com que a pele do pênis possa deslizar com facilidade na glande.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Complicações possíveis

A complicação mais comum da fimose é a infecção local do prepúcio e glande, que propicia aderência entre estas estruturas (balanopostite). Os neonatos são mais suscetíveis a apresentarem infeção do trato urinário superior (pielonefrite) proveniente de colonização bacteriana no prepúcio obstruído.

Podem ocorrer aderências prévias a exposição da glande do prepúcio, e em decorrência destas aderências, o procedimento pode exigir cuidado médico mais próximo no pós-operatório da cirurgia durante os curativos iniciais. As aderências podem ser frouxas; mais densas, com pontes aderenciais entre o prepúcio e a glande; e formação de cicatrizes firmes.

Outras complicações mais raras podem ocorrer como estreitamento do meato uretral, deformidades severas da glande causadas pelas infeções locais repetidas e dor durante a ereção.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Convivendo/ Prognóstico

Uma cirurgia bem feita e sem complicações proporciona, normalmente, que a pessoa não apresente mais problemas locais. A postectomia evita ou pelo menos reduz algumas lesões virais e bacterianas, como o HPV, o próprio HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Este conhecimento é milenar para proteção das DST. A recente epidemia de HIV foi reduzida nas populações endêmicas africanas por programas de saúde da ONU, indicando a realização de postectomia indiscriminada aos homens.

Referências

Escrito por: Francisco Fonseca, uro-oncologista membro da Sociedade Brasileira de Oncologia e especialista Minha Vida – CRM: 44006/SP.

Ministério da Saúde (saude.gov.br/)

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/fimose

Pomada para fimose: como agem e quais as melhores opções | MS

Pomadas para Fimose: quais são e como usar

Início » Remédios » Pomada para fimose: como agem e quais as melhores opções

Apesar de ser algo comum, problemas envolvendo a região genital são, ainda hoje, um tabu para muitas pessoas. 

É o caso da fimose, condição em que a pele na região do pênis não permite a exposição da glande. 

Para o tratamento do problema, existem pomadas que visam a melhora e até mesmo a eliminação da condição.

Conheça mais sobre as pomadas e qual sua ação!

Índice — neste artigo você vai encontrar:

O que é fimose?

A fimose é um problema que ocorre na região genital. Apesar de ser mais conhecida por afetar os homens, também pode ocorrer em mulheres.

Nos homens, é a incapacidade de retrair a pele que recobre a cabeça do pênis (chamada prepúcio), impedindo o aparecimento da glande. 

É uma condição fisiológica normal nos primeiros anos de vida, já que quando a criança nasce, o prepúcio está fixado junto à cabeça do pênis. 

À medida que o menino cresce, essa situação tende a normalizar-se, desafixando naturalmente e permitindo a exposição da glande.

A fimose patológica acontece quando a pessoa já chegou à fase da adolescência e, ainda assim, não consegue retrair o prepúcio.

Já nas mulheres, a fimose ocorre quando há a união dos pequenos lábios, bloqueando o orifício vaginal.

Um dos tratamentos que podem ser indicados por profissionais, para ambos os casos, é o uso de pomadas.

Pomada para fimose funciona?

Em geral, sim. Nos homens, as pomadas para fimose geralmente são recomendadas junto a exercícios específicos e ajudam a tornar a pele mais maleável, o que facilita a retração. 

Nas mulheres, elas atuam tornando a pele mais fina, facilitando o descolamento dos pequenos lábios. 

Geralmente, elas têm corticoides — hormônios esteroides — em sua composição, que promovem ação anti-inflamatória e analgésica durante o tratamento.

Porém, existem casos mais complexos em que apenas o uso de pomadas não é o suficiente, sendo necessário realizar uma cirurgia de remoção de pele. 

Pomada para fimose infantil (em bebê): resolve?

Em geral, sim. Assim como as pomadas utilizadas em pessoas com idade mais avançada, as pomadas para bebês podem auxiliar no tratamento da fimose, mesmo que a maioria das crianças não precise utilizá-las.

Vale lembrar que ao nascer, nos meninos, é normal que a pele esteja grudada à cabeça do pênis. A idade natural para que o prepúcio comece a soltar-se da glande, em geral, é entre 3 e 5 anos. 

Dessa forma, caso não haja complicações, o uso de pomadas em bebês, normalmente, não é necessário, sendo recomendado aguardar o processo de desafixação natural. 

A indicação do uso desse medicamento só é feita por profissionais em pediatria, em casos em que a criança sofre com infecções recorrentes na região, e dificuldade de urinar.

Como agem as pomadas para fimose?

As pomadas para fimose, em geral, têm como objetivo a maleabilidade da pele do pênis e pequenos lábios.

Dessa forma, promovem a facilitação do deslocamento e exposição da glande nos meninos, e o descolamento da pele nas meninas. 

Geralmente, esses fármacos agem promovendo o amolecimento dos tecidos.

Entre as pomadas mais conhecidas estão:

Betnovate

O Betnovate é um medicamento que trata lesões na pele, podendo ser utilizado para outras enfermidades, além da fimose.

Por conter o corticoide Valerato de Betametasona em sua formulação, ele tem ação anti-inflamatória e analgésica. 

O produto atua amolecendo os tecidos da pele e, dessa forma, facilitando a movimentação do prepúcio e descolamento dos pequenos lábios. 

Postec

A pomada postec é uma das mais conhecidas para o tratamento da fimose. 

O medicamento contém Valerato de Betametasona (corticoide), que tem ação anti-inflamatória, e a enzima Hialuronidase, que facilita a absorção do fármaco pela pele.

Juntos, eles atuam eliminando o ácido hialurônico, substância que promove a aderência entre o prepúcio e a cabeça do pênis. Dessa forma, propicia o deslizamento da pele e exposição da glande.

O uso é tópico e seu mecanismo de ação inicia no momento da aplicação. 

Drenison

Drenison é uma pomada de uso tópico, indicada para o tratamento de inflamações e alergias na pele que respondem ao uso de corticoides, e pode ser utilizado também para casos de fimose.

Seu princípio ativo é o corticoide Fludroxicortida, substância que possui ação anti-inflamatória e vasoconstritora, ou seja, diminui o inchaço do local.

Berlison

Berlison é uma das pomadas de uso tópico à base do princípio ativo o Acetato de hidrocortisona, um corticoide.

É recomendado para o tratamento de distúrbios da pele que respondam ao tratamento com corticoides, e pode ser utilizado em casos de fimose.

Assim como outros, o medicamento promove ação anti-inflamatória.

Pomada para fimose feminina

Apesar de menos comum, a fimose não é uma condição exclusivamente masculina, podendo ocorrer também em mulheres.

Nesse caso, o problema é caracterizado pelo fechamento dos pequenos lábios, bloqueando o orifício vaginal. 

Assim como na fimose masculina, o tratamento pode ser realizado com pomadas. Em geral, não há diferenciação entre os fármacos indicados, sendo utilizados os mesmos citados no tópico anterior. 

Assim como outros medicamentos, algumas pomadas para fimose têm a versão genérica — quando o medicamento oferece a mesma eficácia, segurança e qualidade, porém, sem o nome comercial. 

É o caso do Betnovate e do Berlison. Os princípios ativos Valerato de Betametasona e  Acetato de Hidrocortisona são formulado por diversos laboratórios e podem ser encontrados em farmácias físicas e online.

Os valores dos fármacos podem variar de acordo com a região geográfica e estabelecimento de compra.

Para comparar preços de forma fácil, pode-se usar o site do Consulta Remédios.

Os valores são de aproximadamente*:

*Preços consultados em fevereiro de 2020. Os valores podem sofrer alteração. 

A fimose é comum no Brasil, ocorrendo cerca de 150 mil casos por ano no país.

Para tratar o problema, existem pomadas que podem eliminar a condição por completo.

O Minuto Saudável tem outros conteúdos sobre saúde para você. Leia mais e continue informado(a)!

Источник: https://minutosaudavel.com.br/pomada-para-fimose/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: