Por que o Cabelo Cai Tanto Após o Parto?

Por que o Cabelo Cai Tanto Após o Parto?

Por que o Cabelo Cai Tanto Após o Parto?

Cuidar de um bebê nos primeiros meses de vida pode causar grande estresse emocional e ainda impedir a mãe de se alimentar bem e descansar o suficiente.

Mas esses não são os motivo pelos quais o cabelo da mãe cai. Pelo menos não são os principais motivos. A causa é o eflúvio telógeno gravídico, que conforme será explicado a seguir, é um mecanismo fisiológico normal.

O corpo da mulher passa por diversas transformações ao longo da gravidez, grande parte delas devido à ação hormonal. Muitas alterações estéticas são indesejadas, como o surgimento de estrias, os inchaços, as varizes e as manchas na pele.

Porém, há pelo menos uma dessas modificações na aparência que as grávidas não costumam se queixar: os cabelos tornam-se mais densos, brilhosos e aparentemente mais saudáveis.

Infelizmente, após o parto, todo o estímulo hormonal que mantinha o cabelo mais grosso e denso é subitamente eliminado, dando origem a um quadro de grande perda de cabelo, chamado eflúvio telógeno gravídico. Essa queda de cabelo costuma iniciar-se no primeiro mês pós-parto e pode durar até 15 meses.

Informações em vídeo

Antes de seguirmos em frente com as explicações, assista a esse curto vídeo que resume as informações contidas nesse artigo.

Por que os cabelos crescem na gravidez e depois do parto começam a cair?

O nosso couro cabeludo possui aproximadamente 100.000 fios de cabelo. A todo momento há cabelo nascendo, crescendo e caindo.

Como a queda e o nascimento são feitos de forma dessincronizada, não é esperada a ocorrência de episódios de perda de maciça de cabelo, gerando “buracos” no couro cabeludo.

Pelo contrário, a queda de cabelo ocorre de forma lenta e contínua em diversos pontos da cabeça.

O ciclo de vida do cabelo dura vários anos e é dividido em três fases:

  1. Anágena ou fase de crescimento dos cabelos. Dura em média de 2 a 3 anos.
  2. Catágena ou fase de involução. Dura apenas algumas semanas, em média duas ou três. Nessa fase, o cabelo para de crescer e o folículo começa a regredir.
  3. Telógena ou fase de queda. Dura 3 a 4 meses. O cabelo se solta da papila e uma nova fase de crescimento começa. O cabelo antigo cai quando o novo cabelo o empurra para fora.

Em situações normais, o nascimento de novos fios é mais ou menos igual à taxa de queda, de forma que o cabelo mantenha uma densidade estável durante meses ou anos. Em qualquer momento, 90% dos cabelos estão na fase de crescimento e 10% estão ou estagnados ou na fase de queda.

Portanto, o cabelo tem um tempo limitado de vida. Perder vários fios de cabelo todos os dias é absolutamente normal e ocorre com todo mundo. A média é de 50 a 150 fios por dia. O problema surge quando a telógena passa a ser mais intensa que a anágena, ou seja, quando a taxa de queda de cabelo é maior que a taxa de crescimento de novos fios.

Na gravidez, a estimulação hormonal, principalmente do estrogênio, causa uma desaceleração no ciclo do cabelo, tornando a passagem da anágena para telógena bem mais lenta.

O resultado é um aumento da quantidade de cabelos na fase de crescimento e uma redução dos cabelos na fase de queda. Por isso, os cabelos tendem a ficar mais volumosos e “vivos”.

Durante a gravidez, a mulher realmente passa a ter mais cabelo, não porque ele cresce mais, mas sim porque ele demora mais tempo para cair.

Quando a gravidez acaba, cessa o estímulo hormonal e o processo se inverte. Uma grande quantidade de fios entra na fase telógena. Em vez de termos uma proporção de 90/10 entre cabelos crescendo e caindo, passamos a ter até 70/30. Em vez de perder 50 fios por dia, a mulher pode passar a perder até 500 fios.

O eflúvio telógeno gravídico costuma durar várias semanas. Habitualmente, são necessários entre 6 a 15 meses até que o cabelo alcance novo equilíbrio, voltando a ter uma taxa de queda semelhante a de nascimento. Ao final, o cabelo tende a voltar ao volume que tinha antes da gravidez, mas, em alguns casos, ele pode ficar menos denso.

Existem outros motivos para queda de cabelo pós-parto?

Chamamos de eflúvio telógeno qualquer perda de cabelo que ocorra por aumento da fase telógena. O eflúvio telógeno gravídico é apenas um dos tipos de eflúvio. Outras causas comuns são:

Nada impede que a mulher no pós-parto possa ter outras causas de eflúvio telógeno além do parto. Mas, como já foi dito, a principal causa para queda do cabelo nessa fase é mesmo o fim do estímulo hormonal que estava mantendo o ciclo do cabelo artificialmente mais longo.

Se após cerca de 12 meses a sua perda de cabelo ainda se mantiver intensa, o ideal é procurar um dermatologista. É possível que você tenha alguma outra causa para eflúvio que esteja perpetuando a queda de fios.

A queda de cabelo após a gravidez pode deixar a mulher careca?

O eflúvio telógeno gravídico é um mecanismo natural, não é uma doença. A queda excessiva de fios surge simplesmente porque o ciclo de vida do cabelo está voltando ao seu normal. Todo aquele cabelo que está caindo é, na verdade, cabelo que já deveria ter caído nos meses anteriores, mas que não caiu devido a um anormal prolongamento da fase anágena.

Sendo assim, essa perda de cabelo é auto-limitada. Em alguns casos, o volume do cabelo pode até ficar menor que o anterior, mas a mulher não vai desenvolver calvície.

Tratamento

Não é necessário nenhum tratamento específico para a queda de cabelo após a gravidez. Como já referido, o quadro é natural e auto-limitado. Procure apenas evitar que outras causas de eflúvio telógeno possam surgir.

Tente manter uma alimentação balanceada, não tome medicamentos ou suplementos sem necessidade, procure dormir e descansar o máximo possível e fique atenta a sinais de doenças, como lesões no couro cabeludo ou sintomas de hipotireoidismo.

Referências bibliográficas

Источник: https://www.mdsaude.com/dermatologia/queda-de-cabelo-apos-o-parto/

Queda de cabelo pós-parto. Dicas para lidar com este flagelo

Por que o Cabelo Cai Tanto Após o Parto?

É um drama comum a muitas mulheres: se durante a gravidez o cabelo ganha densidade, o pós-parto vem acompanhado de uma queda moderada a intensa — e as culpadas são as alterações hormonais, que influenciam o ciclo de vida do cabelo.

Como explica Helena Toda Brito, médica dermatologista, “o aumento do nível de estrogénios que ocorre durante a gravidez é responsável por um cabelo mais denso e espesso durante este período.

O prolongamento da anagénese (fase de crescimento) faz com que o cabelo cresça mais e caia menos, levando ao aumento da quantidade e diâmetro dos fios, resultando num cabelo mais espesso”, explica a especialista à MAGG.

Após o parto, a diminuição dos estrogénios leva a uma reversão desta tendência de crescimento e, de acordo com a dermatologista, muitos dos cabelos que se tinham mantido em anagénese entram em telogénese (fase de repouso), resultando numa queda acentuada alguns meses depois, já no período de pós-parto — cerca de três a quatro meses.

Para além da influência hormonal que a gravidez tem no ciclo do cabelo, Helena Toda Brito refere que “o próprio stresse físico e emocional do parto pode ser responsável por uma entrada prematura de cabelos na telogénese”.

A queda do cabelo é inevitável, mas pode ser controlada

Apesar de ser muito frequente, Helena Toda Brito refere que este não é um quadro que ocorra em todas as mulheres. Mais, é também possível que a mesma mulher possa passar por este drama numa gravidez, mas sair ilesa noutra gestação.

Já para quem não escapa a esta realidade, a dura verdade é que não há nada que se possa fazer para impedir o cabelo de cair neste período. “A queda é determinada maioritariamente por alterações hormonais típicas desta fase, que não podem ser alteradas. A boa notícia é que se trata de uma queda temporária”, esclarece a médica dermatologista.

Se esta situação for incomodativa, há medidas que podem ser tomadas para ajudar a fortalecer o cabelo que está a crescer após a fase de queda, como a toma de suplementos alimentares específicos para o cabelo, aconselhados pelo dermatologista. A especialista refere também que existem algumas pequenas alterações que podem ser feitas na rotina diária para melhorar a aparência do cabelo, fazendo-o parecer mais forte e denso.

“Pode optar por champôs de volume, que contêm proteínas que revestem o cabelo, dando-lhe um aspeto mais denso. Por outro lado, os produtos com formulações ‘2 em 1’ devem ser evitados, pois dão um aspeto mais pesado ao cabelo”, aconselha Helena Toda Brito.

Quanto à hidratação dos fios, a escolha deve recair por amaciadores específicos para cabelos finos, com uma fórmula mais leve. Tal como refere a especialista, “estes produtos devem-se aplicar apenas nas pontas. Os amaciadores intensivos e máscaras devem ser evitados, dado que são demasiado pesados para um cabelo sem volume”.

Um corte de cabelo ajuda sempre, principalmente um que dê a ilusão de maior volume, bem como a toma de vitaminas ou a aplicação de ampolas para a queda do cabelo. “Existem no mercado muitos suplementos alimentares e produtos de aplicação local que podem ser usados mesmo durante a amamentação, embora se deva sempre confirmar a utilização junto do médico”, salienta Helena Toda Brito.

Cuidado com os rabos de cavalo

Por mais que seja complicado lidar com este problema num período tão exigente como o pós-parto, altura em que a maioria das mulheres também tem de gerir alterações na sua forma física, a amamentação, o défice de sono e, claro está, um recém-nascido, a verdade é que esta é uma fase transitória que, mesmo sem qualquer intervenção exterior, irá reverter-se espontaneamente.

“A queda começa habitualmente entre o terceiro e o quarto mês após o parto e prolonga-se durante vários meses.

No entanto, a maioria das mulheres afetadas tem uma recuperação completa da densidade do cabelo cerca de um ano após o parto, podendo mesmo recuperar mais cedo”, afirma Helena Toda Brito, que aconselha uma consulta num médico dermatologista caso a recuperação não ocorra um ano após o parto “para avaliar se existe outro motivo que esteja a contribuir para a queda de cabelo”.

Durante esse período, e por mais que tenha a tentação de amarrar o cabelo em rabos de cavalo para disfarçar a falta de densidade, é importante que tenha noção que este pode ser um hábito prejudicial.

 “Se prender o cabelo com muita tração e por períodos prolongados, a tensão causada pode provocar uma quebra dos cabelos a curto prazo”, conclui a dermatologista, que ainda alerta para o facto de, caso recorra aos rabos de cavalo apertados de forma recorrente, “poder mesmo perder fios de forma permanente, uma situação denominada de alopécia de tração”.

Источник: https://magg.sapo.pt/beleza/artigos/queda-de-cabelo-pos-parto-dicas-para-lidar-com-este-flagelo

Queda de Cabelo na Amamentação: Saiba o que Fazer

Por que o Cabelo Cai Tanto Após o Parto?

As mulheres após o nascimento do bebê costumam se assustar com a quantidade e velocidade com que os cabelos começam a cair durante a amamentação, e principalmente porque são vistos em todos os cantos da casa.

As alterações hormonais pelas quais passam durante a gestação influenciam nisso também, passando uma sensação de que os cabelos estão caindo descontroladamente. Quando na verdade são apenas os hormônios, que antes alterados e produzidos em excesso estão voltando às taxas normais do organismo.

Com isso os cabelos voltam a seguir o seu ciclo normal, portanto não é necessário entrar em pânico quando notar a queda dos fios de cabelo na amamentação.

O cabelo da mulher quando adulta cai em média de 100 a 125 fios por dia, já no pós-parto os fios chegam a cair até 500 por dia. O que acontece é que durante a gravidez a mulher fica com os cabelos radiantes, mais brilhosos, macios e fortes por conta do desequilíbrio hormonal.

E a média de cabelo que costumava a cair antes da gestação diminui consideravelmente durante a gravidez. Dessa maneira, após o nascimento do bebê os fios de cabelo voltam a cair novamente, e aqueles fios que não caíram durante a gravidez também.

Dicas para Amenizar a Queda de Cabelo

Algumas coisas poderão ser feitas para amenizar a perda dos fios durante a amamentação, já que para as mulheres a saúde do cabelo reflete consideravelmente na sua autoestima.

Pois nada mais incômodo (mesmo sabendo que se trata de um processo normal) do que ver seu próprio cabelo nos ralos do chuveiro, no quarto, na sala e em todos os lugares que passe, não é mesmo? Logo abaixo veja algumas dicas do que se pode fazer para tentar amenizar a queda de cabelo durante a amamentação:

Seja Mais Cuidadosa

Não que você já não seja cuidadosa com as suas madeixas. Como foi dito é inevitável a queda dos fios de cabelo por conta das alterações hormonais. O que se pode fazer é tentar amenizá-la ao máximo, pois devido à fragilidade do cabelo é importante que dê ainda mais atenção a ele.

Portanto, passe a ter hábitos saudáveis que contribua para diminuir a quantidade dos fios que virão a cair. Esse hábito está na maneira como lava os cabelos, como penteia, faz massagens e seca os fios, pois são fatores que refletem bastante na sua aparência e saúde.

Abaixo segue algumas dicas de como fazer isso:

  • O cabelo por estar frágil não precisa ser lavado todos os dias, basta lavar três dias durante a semana ou se preferir intercale entre um dia e outro.
  • Ao pentear os fios de cabelos, prefira escovas com cerdas macias que não agrida os fios ao escová-los, e de preferência não prenda os cabelos deixe-os soltos.
  • Quando for secar o cabelo use uma toalha macia e enxugue os fios com delicadeza, nada de torcê-los na toalha e esfregá-los, leves batidas já são suficientes.
  • Faça massagens no cabelo, isso estimula o crescimento dos fios.

Alimentação Saudável

Para ter uma vida saudável é necessário que se tenha hábitos também saudáveis, pois há um ditado que diz que “você é o que você come” e isso é a mais pura verdade. Tudo o que você comer refletirá em seu exterior, e para o cabelo essa regra não é exceção.

O cabelo é constituído por proteínas e nada mais sensato do que fazer ingestão de alimentos ricos que contenham tanto proteínas como vários outros alimentos nutritivos:

– Alimentos ricos em proteínas– Ovos, carnes, leite, iogurte, etc.,

– Alimentos que contém vitamina A – cenoura, espinafre, óleos de peixes, fígado, etc.,

– Alimentos que contém ferro – Feijão, beterraba, salsinha, carne vermelha, peixe, frango, etc,..

– Alimentos que contém Zinco – Castanha do Pará, grãos integrais, ostras, camarão, legumes, etc.

Outra dica interessante que serve de complemento para uma alimentação saudável rica em nutrientes é fazer sucos fortificados para beber. Basta colocar mais de uma fruta ao fazer o suco, feito isso você com certeza terá um suco ainda mais rico em nutrientes.

IMPORTANTE: Assim que começar a notar a queda de cabelo é essencial que procure o médico. O médico poderá indicar além de boa alimentação medicamentos que auxiliem o tratamento.

Como Tratar a Queda de Cabelo durante a Amamentação?

Acima foram passadas estratégias sobre como tentar amenizar a queda de cabelo durante a amamentação. Mas ainda mais importante do que amenizar é tratar a queda desses fios, pois de nada adiantará seguir todas as dicas se não fizer um tratamento adequado.

Logo, assim que perceber que o cabelo está caindo de modo que comece a incomodar é essencial que procure imediatamente um médico, pois mesmo sendo normal a queda dos fios para a maioria durante a amamentação, o acompanhamento de um profissional especializado é indispensável. Através de exames ele saberá de fato o que está ocorrendo e assim orientará melhor o que deverá ser feito.

Após ter um acompanhamento adequado de profissionais como dermatologistas e nutricionistas os fios de cabelo começarão a nascer normalmente e em poucos meses o cabelo terá a mesma quantidade de fios que antes. Mas é importante ressaltar mais uma vez sobre a importância do médico, pois a queda dos fios no pós-parto pode estar ligado a uma predisposição genética como diabetes, problemas da tireoide ou até mesmo calvície.

Durante a consulta, geralmente os médicos orientam as suas pacientes a terem uma alimentação mais saudável com a ingestão de alimentos ricos em nutrientes como frutas, legumes, carnes magras e cereais integrais.

No entanto, as mulheres que tem alguma predisposição genética para os problemas causadores da queda de cabelo, somente a ingestão desses alimentos poderá não ser suficiente.

Sendo assim o médico poderá prescrever alguns medicamentos que contenham vitaminas, minerais e aminoácidos para complementar a dieta.

Portanto, se esse for o caso a falta de um tratamento adequado só agravaria ainda mais a queda desses fios.

Como Prevenir a Queda de Cabelo?

Para tentar prevenir uma queda excessiva dos fios de cabelo é necessário que o acompanhamento seja feito por profissionais como médico dermatologista e nutricionista e tenha acompanhamento já durante a gestação, de preferência desde o início.

Com o acompanhamento destes profissionais será orientada a ter uma alimentação mais saudável e equilibrada. Uma dieta rica com todos os nutrientes de que precisa, servirá assim para amenizar a queda dos fios de cabelo depois do nascimento do bebê.

Outros fatores também que devem ser levados em conta é quanto a ingestão de água e a limpeza dos fios. Se manter hidratada é importante pois além de ajudar na produção do leite materno, contribui para a beleza das madeixas os deixando mais fortes e saudáveis.

É importante também que se faça a limpeza correta dos fios e lembrando sempre que eles estão frágeis e não deixe acumular sujeiras no couro cabeludo que contribuam para o aparecimento de caspas e até mesmo seborreias.

Outro fator importante é manter uma vida tranquila e saudável, pois o estresse também contribui e muito para a queda dos fios de cabelo. E lembre-se de procurar um médico para orientá-la melhor, só ele saberá responder as suas dúvidas e sobre o que está ocorrendo em seu organismo.

Lembre-se, cada organismo reage de uma forma em determinadas situações, e sendo assim, o que pode funcionar com o outro poderá não funcionar com você. Cuidado com dicas caseiras e receitas milagrosas, pois o seu quadro pode se agravar.

Veja Também: Cuidados Pós-Parto Depois da Maternidade

Foto: Adina Voicu

Источник: https://www.famivita.pt/queda-de-cabelo-na-amamentacao/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: