Preciso tomar ácido fólico antes de engravidar?

Importância do Ácido Fólico na Gravidez

Preciso tomar ácido fólico antes de engravidar?

O ácido fólico, ou folato (vitamina B9), é um nutriente essencial para a nossa saúde, sendo necessário para a formação do DNA e para uma série de reações enzimáticas envolvidas na produção de aminoácidos e no metabolismo das vitaminas.

Durante a gravidez, a demanda do organismo pelo folato aumenta consideravelmente, uma vez que essa vitamina também é necessária para o crescimento e desenvolvimento do feto.

A deficiência de folato durante a gravidez está associada a graves anomalias fetais, principalmente àquelas chamadas defeitos do tubo neural.

 Os defeitos na formação do tubo neural são a segunda causa mais comum de má-formação fetal, perdendo apenas para as doenças congênitas cardíacas.

O tubo neural é uma estrutura embrionária que dá origem à medula espinhal, vértebras, meninge, cérebro e crânio. Defeitos na formação do sistema nervoso do feto ocorrem habitualmente em grávidas que têm níveis insatisfatórios de ácido fólico no organismo durante a gestação.

Neste artigo vamos explicar porque a reposição de ácido fólico é uma das medidas preventivas mais importantes da gravidez.

Obs: os termos ácido fólico e folato são frequentemente utilizados como sinônimo, mas eles não são exatamente a mesma coisa. O ácido fólico é a forma sintética do folato, que é também chamado de vitamina B9.

O que são os defeitos do tubo neural?

O defeito na formação do tubo neural podem dar origem a diversas má formações fetais, como:

  • Anencefalia: ausência parcial do encéfalo e da calota craniana.
  • Espinha bífida: má-formação da medula espinhal, na qual algumas vértebras não se formam completamente, permitindo que parte da medula espinal se projete na abertura nos ossos.
  • Encefalocele: defeito no qual ocorre a herniação do cérebro e das meninges por aberturas no crânio.

Os problemas estruturais gerados por defeitos no tubo neural costumam ser graves e sem tratamento definitivo. Quando não levam à morte do bebê costumam provocar incapacidade importante.

Uma das principais causas de má-formações do tubo neural é a deficiência de folato durante a gravidez. Portanto, não é de se estranhar que esse tipo de má-formação possa ser evitado com a suplementação de ácido fólico.

Porém, há um grande problema que faz com que a solução não seja tão simples quanto pareça. O tubo neural é formado nas primeiras 4 semanas de vida do embrião.

Como a maioria das mulheres só descobre que está grávida depois de, pelo menos, 5 ou 6 semanas de gestação, o processo de formação do tubo neural já costuma estar completo no momento do diagnóstico da gravidez.

 Depois da 6ª semana gestação, a ação preventiva do ácido fólico é muito menor.

Portanto, toda mulher que tenha intenção de engravidar deve começar a tomar ácido fólico pelo menos 1 mês antes de ficar grávida, de forma a garantir níveis sanguíneos satisfatórios no momento da formação do sistema nervoso fetal.

O que é o ácido fólico?

O ácido fólico é uma vitamina da família da vitamina B, necessária na síntese do DNA e de novas células. Durante a gestação, a mulher precisa de quantidades de ácido fólico suficientes para ela e para o feto, que está em processo de formação.

O folato é encontrado naturalmente em alimentos como espinafre, alface, brócolis, feijão, cereais, couve de bruxelas, batata, arroz integral, frutas e carne de fígado.

Alimentos ricos em ácido fólico.

Atualmente, em vários países do mundo, vários alimentos recebem suplementação de ácido fólico, incluindo vários cereais como arroz, trigo e milho.

No Brasil, toda farinha de trigo e milho deve ser, por lei, enriquecida com ácido fólico. Nos EUA, o FDA (Food and Drug Administration) desde 1998 indica a suplementação de ácido fólico em todos os cereais.

Essa atitude reduziu em 50% a incidência de defeitos do tubo neural naquele país.

O ácido fólico é importante na prevenção dos defeitos do tubo neural, mas também é essencial no crescimento do feto, por isso, ele deve ser consumido antes e durante toda a gestação.

Deficiência

Apesar de ser uma vitamina naturalmente presente em vários alimentos, a reposição de ácido fólico artificial é uma forma mais efetiva de prevenir os defeitos do tubo neural. Isso porque a biodisponibilidade do ácido fólico de suplementos ou alimentos artificialmente fortificados é substancialmente maior que a biodisponibilidade do folato obtido nos alimentos naturais.

Um estudo americano realizado entre 2007 e 2012 demonstrou que até 1 em cada 4 americanas apresentava níveis de ácido fólico abaixo do recomendado. Vários são os fatores que podem explicar esse elevado número, entre eles:

  • Dietas pobres em carboidratos podem levar à deficiência de folato, uma vez que o pães a massas são feitos com grãos fortificados.
  • Alguns medicamentos, como carbamazepina, ácido valproico, fenitoína, fenobarbital, metformina, metotrexato, sulfassalazina, triantereno e sulfametoxazol-trimetoprim, interferem nos níveis de ácido fólico.
  • Alto consumo de alimentos designados como “orgânicos”, que não recebem suplementação artificial de ácido fólico.
  • Condições médicas ou cirúrgicas que provocam má absorção intestinal, como, por exemplo, doença celíaca, doença de Crohn ou ressecção intestinal.
  • Tabagismo.
  • Alcoolismo.

A reposição de ácido fólico antes e durante a gravidez ajuda a reduzir de forma relevante o risco de defeitos do tubo neural, porém, ela não elimina o risco em 100%. Situações como diabetes mal controlado, defeitos cromossomiais e obesidade também estão relacionados a um maior risco de problemas do tubo neural.

Estima-se que a reposição de ácido fólico seja capaz de prevenir cerca de 50 a 70% dos casos de defeitos do tubo neural.

Qual é a dose necessária de ácido fólico por dia?

Em algumas mulheres, somente a alimentação pode não ser suficiente para manter bons níveis de ácido fólico durante a gestação.

Portanto, por segurança, a suplementação é indicada para todas as grávidas e mulheres que pretendem engravidar. Na verdade, como até metade das gravidezes surgem sem planejamento, o mais seguro é que todas as mulheres em idade fértil se preocupem com o consumo de ácido fólico.

A dose mínima diária de ácido fólico recomendada para as grávidas é de 0,4 mg por dia. Existem no mercado comprimidos de 0,2 até 15 mg. A forma mais comum é o comprimido de ácido fólico de 5 mg, que é mais do que suficiente para repor os estoques da mãe.

Nas gestantes com elevado risco de deficiência de folato, como são os casos das mulheres que fazem uso de uma das medicações listadas anteriormente, a dose mínima de ácido fólico diária recomendada é de 5 mg.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/gravidez/gravidez-acido-folico/

10 perguntas para fazer ao médico se você estiver pensando em engravidar

Preciso tomar ácido fólico antes de engravidar?

Decidir aumentar a família é um passo que envolve vários níveis de planejamento. É preciso pensar no aspecto financeiro, no espaço físico da casa e em todas as mudanças na rotina dos futuros papais. Mas principalmente, é interessante que a mulher ou o casal procure um acompanhamento médico desde cedo e fique atento a alguns cuidados antes mesmo do teste de gravidez dar positivo.

Tomar vitaminas ou não, quanto tempo antes parar a pílula anticoncepcional e quais condições afetam a fertilidade são dúvidas que podem surgir, e precisam ser sanadas! Caso a ideia seja ter um bebê nos próximos meses, separe o bloquinho de anotações e confira nossas sugestões do que perguntar ao especialista para aumentar as chances de concepção e garantir um começo de gravidez saudável.

1. Quanto tempo antes devo parar de tomar o anticoncepcional?

“A partir do momento em que se interrompe o uso da maioria dos anticoncepcionais hormonais, o organismo já entende que está liberado para voltar a funcionar visando à gravidez em mulheres em idade reprodutiva”, responde o Dr. Renato de Oliveira, ginecologista e obstetra da Criogênesis.

No entanto, alguns outros métodos contraceptivos como as injeções trimestrais, podem manter o funcionamento hormonal “bloqueado” por mais tempo, postergando o retorno dos ciclos ovulatórios, como acrescenta o doutor.

2. Algum problema de saúde da mãe ou do pai pode afetar a capacidade de engravidar? 

Algumas condições de saúde podem sim afetar a fertilidade do casal. “De um modo geral, pensamos nelas quando há alterações do ciclo menstrual feminino ou quando um casal, cuja mulher possui ciclos menstruais regulares e apresente relações sexuais frequentes, tente a gravidez sem sucesso após um ano de tentativas, considerando a idade feminina até 35 anos de idade”, esclarece Renato.

Agora, se a mulher tiver entre 35 e 40 anos, o ginecologista recomenda que o período de tentativa – antes de buscar ajuda especializada – seja menor, em torno de 6 meses. “Acima dos 40, indico que procurem um especialista em infertilidade caso pensem em gravidez”, completa ele.

Além de doenças do casal, o histórico da família também pode ser levado em conta, como afirma o Dr. Waldemar Carvalho, ginecologista e obstetra especializado em reprodução humana da clínica Tempo de Fertilidade.

“Recomendo verificar com quantos anos a mãe entrou na menopausa e se teve alguma doença ou dificuldade de engravidar, por exemplo.

Da parte paterna, uma das condições que pode ser verificada é a criptorquidia, que afeta os testículos e pode ocasionar infertilidade”, pontua.

3. A idade avançada da mãe pode interferir na saúde do feto?

É fato que a gravidez tardia traz mais riscos de complicações para a gestante e para o desenvolvimento do feto, mas isto não é regra.

“A idade avançada possui relação com os riscos de malformações e de Síndrome de Down no bebê, por exemplo.

O risco é baixo, mas existe, e por isto a importância do acompanhamento médico, para que o profissional ajude a investigar a existência de doenças na família e se houveram abortos anteriores, por exemplo.

4. Algum medicamento pode afetar a fertilidade?

Segundo o Dr. Renato, qualquer medicação que altere o eixo hormonal pode impactar na fertilidade. Alguns fármacos, por exemplo, podem alterar os níveis de um hormônio chamado prolactina e, consequentemente, interferir no processo de ovulação. 

O ideal mais uma vez é verificar com seu médico se alguns dos seus medicamentos de uso contínuo podem afetar a gravidez – e nunca interrompê-los por conta própria.

Continua após a publicidade

5. Devo tomar alguma vitamina ou suplemento?

De um modo geral, a suplementação com ácido fólico é a única indicada antes de engravidar, com o objetivo de diminuir os riscos de fechamento do tubo neural do bebê e assim reduzir o risco de malformações, como esclarece Renato. 

“A deficiência de ácido fólico costuma aparecer em mulheres com deficiência nutricional”, acrescenta Waldemar. A sua administração geralmente é recomendada, mas só o médico saberá indicar qual é o melhor tipo de ácido fólico para a paciente. Já as demais suplementações deverão ocorrer dependendo do padrão nutricional da mulher. 

6. Preciso tomar alguma vacina?

A maioria das vacinas são liberadas durante a gestação e podem ser aplicadas em todas as mulheres que desejam engravidar, como as antitetânicas, contra hepatite B, tétano ou gripais.

Algumas, porém, devem ser feitas antes da gravidez e há a necessidade de que a mulher não engravide nos três meses seguintes – por ser um vírus atenuado que pode ser transmitido ao bebê. “Este é o caso da vacina da rubéola e da febre amarela, as quais a mulher deve evitar tomar no período da gestação”, diz o especialista em reprodução humana. 

7. Preciso mudar o meu peso, dieta ou hábitos alimentares?

“Sabe-se que extremos de peso podem interferir na fertilidade”, responde o ginecologista Renato. De acordo com ele, há um conceito denominado epigenética que diz respeito a como o meio ambiente pode interferir na expressão dos nossos genes.

Assim, “um corpo que se alimenta bem, se exercita bem e dorme bem, tende a funcionar melhor, inclusive do ponto de vista reprodutivo”, diz, mas nada exclui o acompanhamento com uma nutricionista para verificar se a dieta precisará de alguma adaptação neste período.

8. Tratamentos estéticos devem ser interrompidos?

Alguns tipos de tintura de cabelo e de tratamentos dermatológicos com ácidos podem ser prejudiciais à gestação, mas a mulher não precisa abrir mão deles de imediato. O médico da clínica Tempo de Fertilidade recomenda que a paciente converse com sua dermatologista e verifique quais produtos são permitidos nesta fase. 

9. Condições ginecológicas podem interferir na capacidade de engravidar?

Alguns corrimentos são inofensivos, mas outros podem exigir uma atenção extra da mulher. “Candidíase crônica ou algum outro tipo de afecção vaginal podem afetar o PH da vagina e atrapalhar para engravidar”, afirma Waldemar. Manter os exames em dia – desde os de mama até o papanicolau e outros de rotina – é importante especialmente nesta etapa.

10. Devo procurar outro médico, além do meu ginecologista?

“Geralmente, ginecologia e obstetrícia andam juntos”, pontua Waldemar. Mesmo se a mulher está se consultando com um ginecologista, ele pode ser capaz de dar os encaminhamentos iniciais e indicar os exames necessários para o começo da gestação.

Já se o profissional não realizar obstetrícia, ele geralmente encaminha para algum obstetra que seja capaz de auxiliar com todos os cuidados pré-natais iniciais, como conclui o médico.

Continua após a publicidade

  • Fertilidade
  • Gravidez
  • Pré-natal
  • Prevenção e Tratamento

Источник: https://bebe.abril.com.br/gravidez/10-perguntas-para-fazer-ao-medico-se-voce-estiver-pensando-em-engravidar/

O que precisa de saber sobre a toma de ácido fólico

Preciso tomar ácido fólico antes de engravidar?

Provavelmente já ouviu que tem de tomar ácido fólico, uma vitamina B, se estiver a tentar engravidar. Mas o que é isso exatamente? Saiba por que motivo o ácido fólico é um dos suplementos mais importantes quando está a tentar engravidar e durante o início da gravidez e qual a quantidade que precisa de tomar.

  • O ácido fólico ou o folato, tal como é conhecido na sua forma natural, é uma vitamina B utilizada pelo nosso corpo para criar novas células
  • Durante a fase inicial da gravidez, o ácido fólico é importante, uma vez que pode ajudar a evitar malformações do tubo neural no cérebro e na coluna vertebral do bebé em desenvolvimento
  • O tubo neural de um bebé desenvolve-se durante as primeiras semanas da gravidez, frequentemente antes de saber que está grávida, pelo que se recomenda o início da toma de suplementos de ácido fólico antes de começar a tentar engravidar
  • Pode obter folato a partir de certas fontes alimentares, mas não nas quantidades de que necessita
  • É aconselhável tomar diariamente um suplemento de 400 mcg de ácido fólico, idealmente assim que começar a tentar engravidar e durante as primeiras 12 semanas de gravidez1,2
  • Se não tomar ácido fólico e descobrir que está grávida, comece a tomar o mais depressa possível.

Por que motivo é importante?

O ácido fólico é importante para um feto em desenvolvimento, em especial na fase de formação da coluna vertebral. Foi demonstrado que ajuda a evitar as principais malformações congénitas, como espinha bífida, uma condição que afeta a coluna vertebral e outras malformações do tubo neural, como anencefalia, o desenvolvimento incompleto do cérebro, couro cabeludo ou crânio.

Por que motivo é importante tomar ácido fólico antes de engravidar?

O tubo neural desenvolve-se nas primeiras semanas da gravidez e, frequentemente, antes de saber que está grávida, motivo pelo qual é importante tomar ácido fólico se pretender engravidar. Uma vez que muitas gravidezes não são planeadas, os médicos podem recomendar a todas as mulheres para tomarem ácido fólico. 

Professor William Ledger, Professor de obstetrícia e ginecologia, Universidade de Nova Gales do Sul em Sydney, na Austrália.

Há evidências sólidas de que ter um bom nível de ácido fólico no sangue no momento da conceção reduz substancialmente o risco de o bebé ter malformações do tubo neural, como a espinha bífida.

As autoridades públicas de saúde no Reino Unido, EUA e noutros países recomendam às mulheres saudáveis a ingestão de 0,4 ou 0,5 mg de ácido fólico por dia (disponível em muitos suplementos vitamínicos de pré-gravidez) e às mulheres com fatores de risco de fraco metabolismo do ácido fólico, como as mulheres que tomam medicamentos antiepiléticos ou com mutações genéticas MTHFR, a ingestão de 5 mg por dia. O importante é tê-lo no óvulo antes que seja fecundado.

Quando é que devo tomar ácido fólico?

Comece a tomar ácido fólico assim que começar a tentar engravidar. Ao tomar previamente ácido fólico, pode acumular o suficiente para proteger o seu bebé contra malformações do tubo neural. Continue a tomar ácido fólico todos os dias até chegar às 12 semanas de gravidez1,2.

Uma vez que muitas gravidezes não são planeadas, os médicos podem recomendar a todas as mulheres que tomem ácido fólico.

Qual é a dose de ácido fólico de que necessito?

A dose recomendada de ácido fólico é de 400 mcg (microgramas) por dia. A maior parte dos suplementos de ácido fólico ou de vitaminas pré-natal tem a dose diária recomendada, mas consulte a embalagem para garantir que está a tomar a dose de que necessita. 

No entanto, poderá precisar de uma dose mais elevada se tiver tido anteriormente um bebé com uma malformação neural ou se tiver um histórico de malformações neurais na família. Se considerar que precisa de uma dose maior de ácido fólico do que a recomendada, fale com o seu médico que lhe poderá receitar uma dose mais elevada.

Acabei de descobrir que estou grávida e não estou a tomar ácido fólico. O que devo fazer?

Comece a tomar ácido fólico assim que souber que está grávida e continue a tomar até alcançar as 12 semanas de gravidez. Se tiver alguma preocupação, fale com o seu médico.

Posso obter ácido fólico a partir da alimentação?

Pode obter pequenas quantidades de folato, a forma natural do ácido fólico, em vários alimentos, como: 

  • vegetais de folhas verdes, como espinafres ou couves 

​Pode aumentar a sua dose de alimentos reforçados com ácido fólico, como algumas marcas de pão e cereais de pequeno-almoço. Consulte a embalagem para ver a quantidade de ácido fólico incluído. É sempre aconselhável obter os seus nutrientes a partir de uma dieta equilibrada, mas é difícil obter a quantidade diária recomendada de ácido fólico apenas a partir da dieta, motivo pelo qual, os médicos incentivam também a toma de suplementos de ácido fólico ou de vitaminas pré-natal.  ​

Источник: https://pt.clearblue.com/como-engravidar/tomar-acido-folico

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: