Primeiros dentes do bebê: quando nascem e quantos são

Os dentes do bebê e da criança: tudo o que você precisa saber

Primeiros dentes do bebê: quando nascem e quantos são

  • WhatsApp
  • Pinterest
  • Linkedin
  • Copiar Link

Todo mundo deseja ver o filho feliz e sorrindo. Mas não basta ser bonito – o sorriso também deve ser saudável.

Cuidar da dentição da criança desde o início da vida é fundamental para que ela cresça com dentes fortes.

CRESCER entrevistou dois especialistas em saúde bucal infantil: o odontopediatra Gabriel Politano, do Ateliê Oral Kids (SP) e Karla Mayra Rezende, diretora da Associação Brasileira de Odontopediatria (ABO). A seguir, te contamos tudo sobre o assunto.

Os primeiros dentes do bebê

Não existe idade certa, mas eles começam a surgir entre os 6 e 14 meses de vida. Os primeiros costumam ser os frontais de baixo.

Em situações muito raras, o primeiro dente aparece ainda no primeiro mês de vida ou até já está na boca do bebê ao nascer. É o chamado dente neonatal.

Caso aconteça com seu filho, é importante consultar um odontopediatra para avaliar se está tudo bem, se ele tem raiz e se não existe nenhum tipo de alteração.

Enquanto o bebê não tem nenhum dente, as bactérias que causam a cárie são engolidas, sem danos à saúde bucal. Porém, quando nasce o primeiro dente, elas encontram uma superfície para se apoiar e, assim, a cárie pode surgir. Para evitar que isso aconteça, é importantíssimo fazer a higiene bucal adequada.

Use uma escova pequena, macia e adequada para a idade (a embalagem traz a indicação etária). A pasta deve ter flúor, mas o ideal é colocar uma quantidade bem pequena: uma porção do tamanho de um grão de arroz cru é suficiente para os bebês.

Para crianças maiores, que já sabem cuspir, use um pouco mais, como um grão de ervilha. Troque a escova a cada três meses mais ou menos.  Recomenda-se que os pais façam de duas a três escovações diárias nos filhos, sempre após as principais refeições (café da manhã, almoço e jantar).

Caso consuma algo muito rico em açúcar entre as refeições (o que deve ser evitado), também é bom escovar depois. Para estimular a boa higiene bucal, dê o exemplo escovando seus dentes na frente da criança e explique sempre a importância da limpeza para evitar o surgimento de cáries.

Utilizar livros infantis que abordam o assunto de forma lúdica pode ajudar. Deixar a criança escolher na compra da escova costuma funcionar também.

Na grande maioria dos casos, entre 2 anos e meio e 3 anos, todos os dentes de leite da criança já terão nascido. São dez superiores e mais dez inferiores.

Troca de dentes

É por volta dos 5 ou 6 anos de vida que tem início a troca dos de leite pelos permanentes.  Os primeiros são os de baixo, da frente.

Os dentes costumam amolecer até que caiam sozinhos ou fiquem “por um fio”, bastando uma leve puxadinha para soltar.

Porém, em alguns casos raros, quando ele fica mole por muito tempo e não quer saber de cair, pode ser necessária a ajuda de um odontopediatra. A troca completa dura até os 12 anos da criança.

Dentes permanentes

Com cerca de 12 anos, quando terminam todas as trocas, a criança deve ter 28 dentes. Aí, falta aparecer apenas os cisos – que, em alguns casos, não nascem ou não existem. Caso venham a surgir, é só por volta dos 18 anos. 

Uso de fio dental

O uso ou não do fio dental depende da proximidade entre os dentes: quando são bem grudadinhos, é melhor utilizar (um vez por dia é suficiente). Caso sejam afastados, não precisa passar.

A importância da alimentação

Você sabia que a saúde bucal não depende apenas dos bons hábitos de higiene? Para dentes bonitos, é fundamental cuidar da alimentação de seu filho.

Tudo começa com uma dieta balanceada, rica em verduras, frutas e legumes. O consumo de itens ricos em açúcar, como balas, chocolates e refrigerantes, deve ser evitado ao máximo.

Quando a criança ingere muitos doces e não faz a escovação correta, aumenta a chance de surgirem cáries.

O odontopediatra deve ser consultado quando nasce o primeiro dentinho do bebê. Na ocasião, o profissional irá orientar a família sobre escovação. Não há regra para o retorno das consultas – isso dependerá da saúde bucal de cada paciente.

Por exemplo, para uma criança com boa escovação e sem cáries, uma visita anual ao dentista é suficiente. Se ela tiver cáries, precisará voltar com mais frequência, de acordo com cada caso.

FONTES CONSULTADAS: Gabriel Politano, odontopediatra do Ateliê Oral Kids (SP) e Karla Mayra Rezende, diretora da Associação Brasileira de Odontopediatria (ABO).

Leia mais

Você já curtiu Crescer no ?

Источник: https://revistacrescer.globo.com/Criancas/Saude/noticia/2017/03/os-dentes-do-bebe-e-da-crianca-tudo-o-que-voce-precisa-saber.html

Quando aparecem os dentes aos bebés: primeiros sintomas, remédios e cuidados a ter

Primeiros dentes do bebê: quando nascem e quantos são

Este período também é desgastante para os pais principiantes. No início, muitos não sabem de onde vêm os gritos dos seus filhos.

Será que são os dentes a nascer? Nessa fase, muitos bebés sofrem as primeiras infeções, sendo que a febre ou a diarreia estão associadas ao aparecimento dos dentes.

Embora seja provavelmente um momento stressante para a pequena família, também é algo muito importante.

Afinal, quando o bebé tem os primeiros dentinhos, começa a interessar-se pelos alimentos sólidos.

Quando começam a aparecer os dentes e em que ordem?

Antes do nascimento, os dentes de leite estão ocultos no osso dos maxilares e, geralmente, começam a sair por partes a partir do sexto mês.

Os primeiros dentes que geralmente aparecem são os incisivos centrais do maxilar inferior. Em seguida vêm os superiores e, depois, os incisivos laterais. Caninos e molares são os últimos a aparecer.

Os dentes de leite não ficam completos com os seus 20 dentes antes dos 20/30 meses.

Dentição

Este processo de tempo representa apenas uma orientação aproximada, já que há crianças que começam a dentição a partir do quarto mês enquanto outras celebram o seu primeiro aniversário com apenas quatro dentes. No entanto, se após os 12 meses ainda não lhe tiver nascido nenhum dentinho é aconselhável consultar um dentista.

Sintomas típicos da dentição

Embora muitos pais se sintam um pouco inseguros com o primeiro filho, aqueles com mais experiência interpretam com frequência os sinais inconfundíveis do aparecimento dos primeiros dentes. Nem todos os bebés se comportam da mesma forma. Nalguns casos, os primeiros dentes fazem o seu percurso quase sem efeitos colaterais, enquanto noutros provocam fortes dores.

Portanto, os seguintes sintomas podem aparecer individualmente ou em conjunto, e com maior ou menor intensidade:

  • O bebé não para de colocar a mão ou levar objetos à boca para os mastigar.
  • Ao fazê-lo, baba-se muito e acaba por criar feridas à volta da boca.
  • As bochechas estão vermelhas e quentes.
  • As gengivas estão inchadas e vermelhas.
  • O bebé tem menos fome do que o habitual.
  • Choraminga e grita com mais frequência do que nos últimos meses e não dorme bem.
  • Procura constantemente o contato físico, algo que pode indicar o surgimento dos primeiros dentes.

Alguns bebés também têm febre e diarreia. O rabinho fica vermelho e irritado. Por outro lado, esses sintomas também podem ocultar uma leve infeção, pois, à medida que os dentes saem, o sistema imunológico do bebé fica temporariamente debilitado. É por isso que as infeções costumam aparecer juntamente com os dentes.

A isto, acrescentamos a mudança de alimentação do leite materno ou de fórmula para alimentos sólidos, algo que, geralmente, coincide com a fase de dentição, e que pode causar mais problemas ao seu pequeno organismo. Se o bebé tiver febre alta e diarreia intensa, os pais devem levá-lo ao pediatra.

Como é que os pais podem ajudar o bebé durante a dentição?

Para o bebé sofrer menos, a maioria dos pais pode ajudar ativamente, dependendo do nível de dor:

  • Com os dedos limpos ou umas luvas de silicone especiais (vendidas na farmácia), os pais podem massajar suavemente as gengivas do bebé. Dependendo de como a criança reage, saberá se está a fazer a massagem corretamente ou não.
  • Massagens de reflexologia podal também são úteis. Amassar e acariciar delicadamente as pontas dos dedos do bebé alivia a dor.
  • Como o fluxo da baba aumenta durante a dentição isto faz com que o peito e o pescoço do bebé fiquem imediatamente molhados. Quando está frio pode-lhe provocar uma constipação, por isso é recomendável colocar-lhe fraldas de tecido, babetes ou lenços para manter a roupa seca.
  • Se o bebé criar feridas nos cantos da boca e nas bochechas de tanto se babar, existem cremes especiais para bebé que funcionam muito bem.
  • Além disso, para evitar que o rabinho fique irritado, os pais podem mudar a fralda com mais frequência e aplicar um pouco de creme para proteger a pele. Os cremes com extrato natural de calêndula são adequados para esta situação.
  • O carinho e as distrações são uma excelente forma de ajudar o bebé durante a difícil fase da dentição. Os bebés inquietos e chorões gostam muito de ser mimados e pegados ao colo. Além disso, brincar e passear mais tempo com ele também lhe ajuda a esquecer a dor por momentos.

Remédios que aliviam a dentição

Os objetos que o bebé morde massajam-lhe as gengivas, algo que a maioria das crianças adora. Portanto, os pais devem-lhe oferecer recursos diferentes para o ajudar. Com o tempo, o bebé descobrirá quais são os seus favoritos.

1. Mordedor

Assim que o bebé começa a colocar o plástico da chupeta na boca, em vez da tetina, para o morder, é hora de lhe comprar um mordedor. Os mordedores não têm cantos e são fáceis de lavar.

Os que estão cheios de água, e que se colocam no frigorífico, são muito adequados para a dentição pois o frio reduz a circulação sanguínea da gengiva, ajuda a desinflamar e a diminuir a dor.

O bebé pode mastigar o mordedor sem ter medo de se magoar.

Ao escolher um mordedor os pais devem, em primeiro lugar, priorizar a qualidade comprovada. Mordedores suaves, sem PVC e feitos sem plastificantes. Desta forma, não se desprenderá nenhuma substância nociva nem existe perigo em caso de o mordedor se partir durante o uso. Certificados de qualidade como a certificação TÜV oferecem segurança.

2. Colar de âmbar

Muitas mães confiam nestes colares de material natural. Outras, no entanto, não atribuem ao âmbar qualquer eficácia na dentição e a maioria dos especialistas rejeitam o seu uso como um remédio para aliviar a dor.

No entanto, diz-se que o âmbar contém muitos óleos etéreos que podem ser benéficos para o corpo do bebé. É por isso que o óleo de âmbar é usado em massagens, pois tem um efeito positivo na circulação sanguínea e é calmante. Assim sendo, o bebé não deve mastigar o âmbar, mas sim sentir o efeito dos óleos que se libertam quando usa o colar. Além disso, os colares de âmbar são muito bonitos.

No entanto, ao comprar um colar de âmbar tem de escolher um que seja adequado para bebés. Estes encontram-se em lojas infantis especializadas e não em joalharias.

Infelizmente, não há uma lei sobre isso, mas, por razões de segurança, um colar de âmbar que ajude a dentição do bebé deve ter as seguintes propriedades: – Deve ter um fecho tipo clip, por exemplo, e abrir apenas quando o puxamos e deve ser resistente (um valor de referência: 90°N, no mínimo). – As pedras de âmbar devem ser atadas individualmente. – Se o colar se romper, dever soltar-se apenas uma pedra.

Uma opção alternativa são estes colares e pulseiras em silicone sem BPA, PVC e ftalatos que o seu bebé pode morder com total segurança.

3. Luva de banho fria

Alguns bebés preferem mastigar coisas moles quando os dentes estão a nascer. Por isso, os pais podem calmamente dar-lhes uma luva de banho molhada e bem torcida. Por razões de higiene, tem de ser mudada várias vezes ao dia.

4. Alimentos duros

Especialmente os avós acreditam que o melhor para a criança morder é pão duro, fatias de maçã ou cenouras.

Estes produtos não apresentam nenhum problema, mas é necessário estar sempre a vigiar o bebé para que não se engasgue.

Além disso, o pão, os legumes e as frutas contêm açúcar, por isso, se o bebé os mastigar continuamente pode desenvolver cáries. Portanto, é melhor recorrer a esses alimentos apenas de vez em quando.

Remédios homeopáticos

Muitos naturopatas, e até mesmo alguns pediatras, recomendam remédios homeopáticos que podem ser muito eficazes durante a dentição. Os glóbulos mobilizam o poder curativo da criança. Estas são algumas preparações de glóbulos que provaram a sua eficácia na dentição:

  • Camomila
  • Fosfato de cálcio
  • Magnésio fosfórico
  • Creosoto
  • Beladona

Um médico especializado ou um naturopata pode-lhe dar mais informações sobre a indicação adequada e a dosagem. Importante: Assim que as dores diminuírem, a administração de glóbulos deve reduzir-se, a menos que o médico indique uma aplicação mais longa.

Mordedor de raiz de violeta com precauções

Naturalmente, os pais e as mães sempre querem o melhor para o bebé, mas as raízes naturais de violeta não são necessariamente melhores que os mordedores industriais.

As raízes podem contaminar-se com bactérias muito rapidamente e, embora sejam regularmente esterilizadas, isto não é suficiente.

No entanto, se os pais quiserem ajudar o filho durante o aparecimento dos dentes apenas com meios naturais, e recorrerem às raízes de violeta devem prestar muita atenção à sua higiene.

O primeiro dente já exige cuidados

No início basta limpar o dente regularmente com um pano ou um cotonete de algodão. Também funcionam muito bem as escovas de dentes de dedo.

Estas têm a vantagem de as poder continuar a usar ao longo da dentição e depois do aparecimento do primeiro dente, massajando suavemente as gengivas.

Antes de começar a usar uma escova de dentes infantil, depois de algum tempo, pode começar a usar uma escova de treino para cuidar dos primeiros dentes do bebé.

Atenção! Se a dentição provocar dores muito intensas e os pais não tiverem a certeza de que a razão é o aparecimento dos dentes, então, o melhor é levar o bebé ao pediatra.

Normalmente, a dentição desenvolve-se sem complicações e o aparecimento dos primeiros dentes do bebé é um momento que se vive com muita alegria e em família.

Источник: https://www.bebitus.pt/guia/bebe/desenvolvimento-do-bebe/quando-aparecem-os-dentes-aos-bebes-primeiros-sintomas-remedios-e

Dentes de leite: quando nascem e quando caem

Primeiros dentes do bebê: quando nascem e quantos são

O lindo sorriso desdentado de bebês é lindo, mas o surgimento dos primeiros dentinhos pode incomodar

Mordedores são ótimos para aliviar a coceira nas gengivas durante esse período

Massagem da mamãe na gengiva e um pouco de chamego podem contribuir muito para seu bebê ficar mais calmo e esquecer a dor

Desvie o foco do bebê: brinquedos e contato com outras crianças também ajudam

O nascimento dos dentes de leite é um rito de passagem que pode durar alguns anos

Na faixa dos três anos de idade a criança já deve ter todos os dentes de leite nascidos

Porém, chega o momento de se despedir e abrir espaço para os dentes permanentes

Algumas crianças não aceitam muito bem a fase de “janelinhas” na boca, por isso, é importante tranquilizá-las e explicar que os dentes nascem novamente e mais fortes

Acompanhar a escovação e cuidados do seu filho é muito importante para evitar problemas futuros

Surgindo qualquer dúvida é muito importante que os pais levem a criança para uma visita com um profissional

Especialista, Mestre e Doutora em Odontopediatria. Especialista em Ortodontia. Coordenadora do Curso de Pós-Graduação em Odontopediatria na UNINGÁ-DF. Coordenadora do Núcleo Ação Social da FACIPLAC -DF. Membro da Comissão de Ensino CRO -DF.

Sorrisos banguelas de bebês podem ser uma graça, mas quando os primeiros dentinhos de leite começam a aparecer, a criança passa a ficar meio inquieta e babando um pouco mais. De acordo com a odontopediatra Leticia Vieira, a gengiva também fica inchada e avermelhada.

“Ele vai começar a colocar diversos objetos na boca para tentar coçar. E pode aumentar um pouquinho a temperatura do corpo, mas isso não está necessariamente ligado ao nascimento deles. Em caso de febre alta os pais devem procurar o pediatra”, explica.

Com a ajuda e orientações dos profissionais, os responsáveis começam a entender a importância de cada etapa do desenvolvimento da cavidade bucal do pequeno, e como elas influenciam na vida adulta.

Pensando nisso, o Sorrisologia conversou com a especialista sobre os dentes de leite e os cuidados importantes dessa dentição.

O que fazer para amenizar o desconforto nessa fase?

Criança pequena consegue se distrair com quase qualquer coisa, por isso, procure tirar o foco dela na dor com brincadeiras, desenhos animados ou contato com outras crianças. “Mordedores também ajudam bastante e existem vários tipos no mercado para aliviar o bebê nesse período”, indica.

Outra tática que funciona é uma massagem. Afinal, quem não gosta? Limpe bem o seu dedo, envolva num pedaço de gaze umedecida em soro fisiológico gelado e passe na gengiva da criança fazendo uma leve pressão.

O alívio é momentâneo, mas seu filho se sentirá agradecido e com certeza vai adorar esse carinho recebido de quem o ama.

Quando nascem os dentes de leite?

Mas o nascimento dos dentes de leite não acontece de uma única vez. É um rito de passagem que pode durar alguns anos.

A odontopediatra explica que a dentição primária vai começar a apontar na boca da criança por volta dos seis meses. Normalmente, são aqueles dois dentinhos da frente na arcada inferior.

Fofíssimo, né? Os dentes superiores surgem cerca de um mês depois. Mas só lá pelos três anos é que seu filho deve ter todos os 20 dentes de leite na boca.

Hora de “trocar” os dentes

Quando seu filho tiver por volta dos seis anos os dentes de leite não só vão, como devem cair! E tudo acontecerá de forma bem natural, sem motivo para preocupações. “É importante que os dentes de leite caiam naturalmente, sem precisar levar a criança ao dentista ou recorrer a métodos caseiros, afinal é um processo fisiológico e normal”, alerta Leticia.

Durante essa transição pode ser preciso tranquilizar aqueles que não aceitarem muito bem esse momento e se sentirem envergonhados com as tais “janelinhas”.

Explique, por exemplo, que é um processo natural, que todos os amiguinhos da escola já passaram ou também vão passar por isso e que depois surgirão dentes maiores, mais bonitos e mais fortes.

Se tiver, vale até mostrar uma foto sua banguela. 

Dentes que vieram pra ficar

Até sete anos, mais ou menos, é quando os dentes de leite se despedem para dar lugar aos permanentes. Alguns pais se desesperam quando percebem que isso não acontece, mas isso não é motivo para susto de acordo com a especialista. “Casos de dentes de leite não caírem e o permanente estar nascendo por trás são relativamente comuns. No tempo certo tudo se encaixa.

Se tiverem muitas dificuldades ou dúvidas, os pais podem procurar ajuda de um dentista”. Como os dentes permanentes são maiores, o nascimento deles pode provocar dor, dependendo da sensibilidade da criança. Com a formação de todos os 32 dentes permanentes, o sorriso do seu filho ficará harmônico para toda a vida.

Este artigo tem a contribuição do especialista:

Letícia Vieira – Odontopediatra e Ortodontista
Brasília – DF
CRO-DF 3891

Источник: https://www.sorrisologia.com.br/noticia/dentes-de-leite-quando-nascem-e-quando-caem_a125/1

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: