Principais sintomas de gastrite

Gastrite: o que é, causas, sintomas, tratamento e alimentação adequada

Principais sintomas de gastrite

A dor e a queimação, sintomas típicos da gastrite, são consequência de uma inflamação nas paredes internas do estômago.

E qual a causa disso?Pesquisas mostraram que a maioria dos episódios desse problema é provocado por uma bactéria, a Helicobacter pylori.

Esse micro-organismo se instala abaixo da camada de muco do estômago e vai liberando a urease, uma enzima capaz de mudar o pH das áreas próximas.

A multiplicação desenfreada desse agente infeccioso gera uma reação inflamatória. Se as células de defesa não conseguem conter o avanço, a mucosa que protege as paredes do estômago é corroída – e o órgão então sofre diretamente a ação do ácido gástrico, dando origem à ardência.

A H. pylori pode contaminar água e alimentos, mas o principal meio de transmissão é de pessoa para pessoa. Ainda assim o fato é que muita gente carrega esse inimigo, mas não sofre com suas consequências.

Alguns fatores, ou uma associação deles, também desencadeiam a irritação: alimentação inadequada, abuso de remédios (sobretudo anti-inflamatórios), e consumo exagerado de bebida alcoólica.

O estresse é outro componente importante na origem das crises de gastrite: em situações de tensão, nosso organismo aumenta a liberação de cortisol e de adrenalina, hormônios que, por sua vez, elevam a fabricação de ácido pelo estômago.

Sinais e sintomas

– Dor de barriga

– Sensação de queimação no estômago

– Enjoo

– Falta de apetite

– Perda de peso

Fatores de risco

– Predisposição genética

– Consumo excessivo de alimentos gordurosos e ácidos

– Abuso de anti-inflamatórios

– Estresse

– Consumo exagerado de bebida alcoólica

– Ingestão excessiva de itens com cafeína

Continua após a publicidade

– Tabagismo

– Doença de Crohn

A prevenção e a alimentação

Diminuir o consumo de alimentos que aumentam a acidez do estômago, como comidas picantes, álcool e café, é o caminho indicado para atenuar o ataque às paredes do estômago.

Alimentos mais gordurosos, que exigem mais quantidade de ácido para serem digeridos, também entram na lista dos desencadeadores da gastrite.

Cuidado também com o leite puro, que estimula a secreção de suco gástrico.

Só tenha em mente que, dependendo da severidade, do tempo sem crise e de questões individuais, é possível ingerir esses alimentos com moderação. Discuta isso com um profissional de saúde.

Ficar muito tempo em jejum é outro perigo. Sem alimentos na barriga, o ácido gástrico se acumula e começa a lesionar o estômago. Vale, portanto, fracionar as refeições. E comer devagar. A mastigação, como primeira fase da digestão, poupa os esforços do estômago.

Além disso, quem fuma tem mais este motivo para tentar abandonar o cigarro. O vício aumenta a produção de ácido no estômago e, dessa forma, favorece a queimação.

Por fim, fuja da automedicação: o uso de anti-inflamatórios sem receita e sem as devidas orientações do médico também contribui para o aparecimento das crises estomacais.

O diagnóstico

Sentir dores no estômago uma vez ou outra não significa que a pessoa tem gastrite. Agora, se os sintomas se arrastam por duas semanas, é melhor consultar um gastroenterologista.

O médico irá solicitar a realização de uma endoscopia. Nesse exame, feito com o paciente sob efeito de sedativo, uma microcâmera desce pela boca até o estômago, e as imagens registradas mostram se há inflamação na mucosa do órgão.

Para confirmar se o problema foi causado pela bactéria H. pylori, durante a endoscopia é feita uma biópsia. A análise do material revela se o micro-organismo está alojado por ali.

O tratamento

Controlar a alimentação é fundamental para aliviar o mal-estar digestivo, mas nem sempre uma dieta equilibrada basta. Para combater a inflamação já instalada, o médico pode receitar antibióticos, além de antiácidos para atenuar os sintomas.

Nos casos em que a H. Pylori é a causa da gastrite, às vezes só um revezamento de antibióticos consegue dar fim ao problema. Isso porque essa bactéria é muito resistente.

Ao término do tratamento, o especialista pode recomendar  outro exame para confirmar se o micro-organismo foi eliminado de vez. Esse teste detecta a presença a H. Pylori pelo ar expelido dos pulmões. Se o resultado der negativo, significa que foi exterminada. Caso contrário, é preciso tomar novas medidas contra ela.

Ao longo do tratamento, é preciso ficar longe de determinados alimentos. Até que a regeneração do estômago seja completa, deve-se evitar refrigerantes, águas gasosas e sucos cítricos. Chocolates, balas e doces também ficam de fora do cardápio – o açúcar fermenta na barriga e, para piorar, estimula a liberação de ácido clorídrico.

Uma vez que a causa da gastrite sai de cena, seja ela qual for, a pessoa fica curada em no máximo três semanas. Esse é o prazo necessário para o estômago recuperar suas rugosidades naturais, destruídas pela agressão.

Continua após a publicidade

  • Alimentação saudável
  • Bactérias
  • Dores
  • Saúde – Gastrointestinal

Источник: https://saude.abril.com.br/medicina/gastrite-o-que-e-causas-sintomas-tratamento-e-alimentacao-adequada/

Gastrite: sintomas, tratamentos, tipos e tem cura?

Principais sintomas de gastrite

Gastrite é a inflamação, infecção ou erosão do revestimento do estômago. Ela pode durar por pouco tempo, na chamada gastrite aguda, ou pode durar meses e até mesmo anos (gastrite crônica).

A expressão “gastrite nervosa” é muito usada e bastante comum, mas não existe uma definição precisa para o seu significado.

Habitualmente usa-se este termo relacionado quando a pessoa apresenta sintomas de gastrite – como sensação de dor ou queimação no estômago – em alguém submetido a um estresse emocional significativo, não necessariamente exibindo alterações inflamatórias gástricas, que são evidenciadas com a endoscopia.

No caso da gastrite, a definição de aguda ou crônica é dada pelo tempo de doença e pelo tipo de infiltrado inflamatório presente no estômago. No caso da gastrite crônica, presente por um tempo mais prolongado, os tipos celulares predominantes passam a ser linfócitos e plasmócitos.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Causas

A causa mais provável da gastrite é a fraqueza da barreira mucosa que protege a parede estomacal, permitindo que os sucos digestivos produzidos pelo estômago causem danos ao tecido que reveste o órgão.

Essa fraqueza pode ser causada pela bactéria Helicobacter pylori, que vive justamente no revestimento do estômago e que, se não for tratada, pode levar ao surgimento de úlceras e até mesmo ao câncer de estômago. Outras bactérias e vírus também podem causar infecções que levam à gastrite. Especialistas apontam também o refluxo da bile para dentro do estômago como uma causa para a gastrite.

Fatores de risco

Alguns fatores considerados de risco podem aumentar as chances de uma pessoa desenvolver gastrite:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Anti-inflamatórios: o uso excessivo desses medicamentos prejudica a produção de uma substância que ajuda na proteção do revestimento do estômago
  • Idade: quanto mais idosa a pessoa for, mais chances de desenvolver gastrite ela tem, pois a produção do muco protetor do estômago diminui com o passar dos anos. Além disso, adultos mais velhos também têm mais chances de serem infectados por bactérias e vírus ou de desenvolver doenças autoimunes que causam danos à parede gástrica
  • Alcoolismo: o consumo exacerbado de bebidas alcoólicas irrita o revestimento do estômago (mucosa), o que eleva os danos causados pelos sucos gástricos produzidos para a digestão
  • Estresse: momentos de estresse também elevam os danos causados à parede do estômago
  • Doenças autoimunes: quando as células de defesa atacam as células do próprio corpo, em vez de atacar e combater o organismo invasor, nós chamamos de uma doença autoimune. No caso da gastrite, os anticorpos atacam as células que compõem o revestimento do estômago. Geralmente, esse é um problema que acomete pessoas já com distúrbios autoimunes
  • HIV / Aids: pessoas infectadas com o vírus do HIV, causador da Aids, apresentam falhas no sistema imunológico e estão mais sujeitas à ação de bactérias e outros vírus
  • Uso de drogas: fazer uso de algumas drogas, como cocaína, também pode causar gastrite.

Sintomas de Gastrite

Gastrite às vezes pode passar desapercebida, mas também pode manifestar alguns sinais. Conheça os principais sintomas de gastrite:

  • Indigestão
  • Queimação e azia
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Perda de apetite
  • Dores abdominais.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Em caso de sangramento da parede do estômago:

  • Fezes escuras (semelhante à borra de café)
  • Vômito de sangue.

Buscando ajuda médica

Procure um especialista se sentir dores na região da barriga (abdômen) e se apresentar fezes escuras ou sangue no vômito.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Antes da consulta, evite consumir bebidas alcóolicas e fumar. Substâncias tóxicas podem causar ainda mais irritação ao estômago e, consequentemente, o agravamento dos sintomas.

Diagnóstico de Gastrite

O médico avaliará seu histórico familiar e seus sintomas, mas isso não basta para o diagnóstico. Há alguns exames que ele poderá solicitar que ajudam na hora de determinar qual a causa dos sintomas do paciente, veja:

  • Exames para detectar a presença da bactéria Helicobacter pylori no estômago é uma das opções mais comuns para o diagnóstico. Ele pode ser feito por exame de sangue ou por meio de um exame conhecido como teste respiratório, em que o paciente ingere uma solução líquida, sem gosto, que contém doses de carbono radioativo. Depois, o paciente assopra dentro de um saco. Se o hálito do paciente contiver amostras desse carbono, então o paciente estará diagnosticado como portador do Helicobacter pylori
  • Endoscopia também é uma opção, em que o especialista analisa o estômago por meio de um endoscópio, em busca de sinais de inflamação. Em seguida, ele coletará pequenas amostras e as enviará para testes em laboratório, que determinarão se há presença da bactéria ou não.
  • O especialista também poderá optar por fazer um raio X do trato digestório do paciente em busca de anormalidades.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento de Gastrite

Mas e para tratar a gastrite? O tratamento depende muito da causa específica.

Você pode precisar parar de tomar certos medicamentos que possam causar gastrite, mas primeiro converse com seu médico.

Você pode usar outro medicamento (sempre prescrito por um médico) que diminua a quantidade de ácido no estômago, como:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Antiácidos
  • Antagonistas H2
  • Inibidores da bomba de prótons (IBP), como omeprazol, esomeprazol, lansoprazol, rabeprazol e pantoprazol
  • Antibióticos.

Os antibióticos também podem ser usados para tratar a gastrite crônica causada pela infecção pela bactéria Helicobacter pylori.

Primeiramente, é importante evitar dar intervalos muito grandes entre as refeições, pois para alguns pacientes predispostos geneticamente o contato do suco ácido do estômago diretamente com as células da mucosa gástrica pode levar à uma irritação local e desencadear a gastrite. Isto não acontece quando o alimento está no estômago funcionando como uma barreira física entre o ácido clorídrico produzido pelo estômago e sua mucosa. Muitas horas sem se alimentar também pode piorar a azia. O ideal é comer de 3 em 3 horas.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Alguns hábitos devem ser estimulados no paciente com gastrite, como fracionar a alimentação em volumes menores, evitar refeições “pesadas” com muitos alimentos, de fácil mastigação e digestão (refeições mais leves) em temperaturas não muito elevadas, a fim de contribuir para a melhora do quadro clínico.

Medicamentos para Gastrite

Alguns dos medicamentos mais usados para o tratamento de gastrite são:

  • Esomeprazol Magnesio
  • Omeprazol
  • Pantoprazol
  • Mylanta

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo/ Prognóstico

Algumas medidas podem ajudar na recuperação e facilitar o tratamento.

  • Comer menos e com menos intervalo entre as refeições pode ajudar no controle da produção de ácidos do estômago. Isso ajuda na digestão e evita desconfortos
  • Evite alimentos que possam causar ainda mais irritação ao seu estômago, especialmente frituras
  • Evite bebidas alcoólicas
  • Evite estresse.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O tratamento para gastrite geralmente é bem sucedido. Dependendo da causa, a recuperação pode demorar mais do que o previsto. O importante é iniciar logo o tratamento para evitar complicações mais graves.

Especialistas respondem:

Milho faz mal à gastrite?

Batata doce faz bem a quem tem gastrite?

Quem tem gastrite pode consumir abacate? E suco?

Quem tem gastrite pode beber bebidas alcoólicas?

Quem tem gastrite pode consumir soja?

Gastrite tem cura?

O tratamento para gastrite geralmente é bem sucedido. Dependendo da causa, a recuperação pode demorar mais do que o previsto. O importante é iniciar logo o tratamento para evitar complicações mais graves.

Especialista responde: gastrite tem cura?

Complicações possíveis

Gastrite não tratada pode causar:

  • Sangramento no estômago
  • Câncer em casos mais graves, especialmente se houver mudanças nas células que compõem o revestimento do estômago.

Referências

Roberto Navarro, médico nutrólogo, membro da Associação Brasileira de Nutrologia, (CRM-SP 78392)

Elaine Moreira, médica gastroenterologista da Federação Brasileira de Gastroenterologia (CRM: 109.612)

Leonardo Peixoto, médico gastroenterologista, CRM 780553/RJ

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/gastrite

Sintomas de gastrite: saiba quais os principais! – Infinita Diagnóstico Por Imagem – Saúde e Qualidade de Vida

Principais sintomas de gastrite

Sensação de queimação e dor no estômago: esses podem ser sintomas de gastrite, uma inflamação que acomete a mucosa estomacal interna, e que pode ser causada por diferentes fatores. É um problema que exige tratamento, pois quando a condição se torna crônica ela pode desencadear úlceras e até câncer.

Quer saber como reconhecer o problema e que medidas tomar para preveni-lo e viver melhor? Então não perca nosso post e entenda quais são os fatores de risco para a gastrite e as formas de tratamento dessa inflamação. Boa leitura!

Quais as causas da gastrite?

Quando se fala em gastrite, é preciso esclarecer que ela pode atingir toda a mucosa estomacal ou somente um pedaço dela. Além disso, pode ser aguda, aqueles casos em que surgem de repente, ou crônica, quando se estende por meses ou anos.

A inflamação pode ainda ser intensa, sem que haja dano ao revestimento estomacal, ou ser mais branda, porém causando lesão na parede do órgão. Da mesma maneira que o problema se apresenta de formas diferentes, as causas também variam, visto que ele pode ser desencadeado por:

  • fatores genéticos;
  • uso excessivo de anti-inflamatórios;
  • consumo exagerado de álcool;
  • tabagismo, pois as substâncias do cigarro elevam a produção dos ácidos estomacais;
  • consumo excessivo de cafeína;
  • alimentação rica em itens ácidos;
  • consumo de alimentos muito gordurosos;
  • doenças autoimunes, como a Doença de Crohn.

Bactéria Helicobacter pylori

A maioria dos casos de gastrite são provocados pela bactéria Helicobacter pylori, que se instala abaixo da camada de muco do estômago e libera uma enzima que modifica o pH das regiões próximas.

Assim, quando esse micro-organismo se multiplica no órgão, ocorre uma reação inflamatória. Se o corpo não consegue combatê-lo, ocorre uma corrosão do revestimento do estômago, que passa a sofrer com a ação do ácido gástrico. Está inciada a gastrite. A bactéria pode ser contraída do consumo de água e alimentos contaminados e também de pessoa para a pessoa.

Estresse

É importante destacar, ainda, que uma das causas da gastrite não tem a ver com alimentação ou uso abusivo de medicamentos. O desconforto pode surgir em decorrência do estresse, quadro que recebe o nome de gastrite nervosa.

Isso ocorre, pois, em momentos de tensão, há uma liberação dos hormônios cortisol e adrenalina, que aumentam a produção de ácido pelo estômago.

Quais os principais sintomas?

Muitas pessoas têm a inflamação, mas não apresentam os sinais. No entanto, há quem fique com a qualidade de vida prejudicada com os sintomas de gastrite, que podem ser:

  • queimação;
  • náuseas;
  • dor intensa na barriga;
  • enjoos;
  • arrotos frequentes;
  • perda de peso;
  • sensação de estômago muito cheio;
  • vômitos;
  • sangue nas fezes;
  • dor de cabeça;
  • mal-estar.

Quando o paciente sente algum desconforto na região abdominal, que não passa em alguns dias, é importante procurar ajuda médica para que, no caso da gastrite, a condição aguda não se torne crônica, o que pode tornar o tempo de tratamento maior.

Como é o diagnóstico e o tratamento?

Ao sentir os sintomas de gastrite, é necessário procurar um gastroenterologista. O médico vai ouvir as queixas do paciente, além de tentar entender como é a alimentação, quais medicamentos ele toma e descobrir outros hábitos, como o consumo de bebidas alcoólicas, uso de cigarro e até se a pessoa passa por situações estressantes com frequência.

Diagnóstico

Para fazer o diagnóstico, o médico vai solicitar a realização de uma endoscopia. Trata-se de um exame no qual se utiliza uma microcâmera que percorre o caminho da boca até o estômago do paciente, apontando se há ou não inflamações no revestimento do órgão. Quem tiver que fazer o procedimento pode ficar tranquilo, pois a pessoa fica sedada.

Para saber se a inflamação é por conta da H. pylori, durante o exame, o médico já colhe um material para a biópsia, que será analisado para descobrir se a bactéria está alojada no local.

Tratamento

O tratamento vai depender da causa da gastrite, mas, em geral, é recomendado modificar alguns hábitos alimentares para aliviar o desconforto. É necessário evitar frutas e sucos mais ácidos, pratos gordurosos, refrigerantes, café, chocolate e outros itens doces. É que o açúcar fermenta no estômago estimulando a produção de ácido.

O médico pode receitar ainda antiácidos para conter o incômodo e até antibióticos, no caso de o diagnóstico apontar a presença da H. pylori.

Em pacientes que sofrem com a gastrite nervosa, a solução é conter a tensão com psicoterapia, prática regular de exercício físico e até atividades relaxantes, como ioga e meditação.

Quando o tratamento tem sucesso, em três semanas, em média, o paciente fica curado: esse é o tempo que o estômago leva para se restabelecer da inflamação.

Como prevenir o problema?

Agora que você já conhece os principais sintomas de gastrite e viu como ela pode atrapalhar a qualidade de vida e evoluir para doenças mais graves, precisa conhecer as formas de prevenção dessa inflamação. Veja a seguir:

  • mude a alimentação, reduzindo itens que vão provocar um aumento dos ácidos no estômago, como alimentos picantes, ácidos, muito doces e gordurosos;
  • reduza o consumo de cafeína;
  • não fique muito tempo em jejum, pois com isso há um acúmulo dos ácidos no estômago;
  • coma devagar, mastigando bem os alimentos, pois a digestão começa na boca;
  • não fume;
  • beba álcool com moderação;
  • consuma alimentos que estejam higienizados corretamente e de procedência conhecida;
  • não descuide da higiene pessoal, lavando a mão com frequência;
  • nunca se automedique, pois alguns fármacos, quando consumidos sem orientação médica, podem agredir o estômago causando a gastrite;
  • viva mais tranquilo, evitando situações de estresse;
  • faça o check-up médico anualmente.

Com os sintomas de gastrite não se brinca, por isso fique de olho em caso de qualquer desconforto estomacal. Procurar um médico, fazer os exames necessários e seguir o tratamento vai combater a inflamação, permitindo que você volte a ter qualidade de vida.

Conseguimos esclarecer os principais pontos em relação à gastrite? Caso tenha alguma dúvida, deixe um comentário no post que, em breve, responderemos!

Источник: https://blog.grupoinfinita.com.br/sintomas-de-gastrite/

Gastrite: sintomas, causas e como tratar

Principais sintomas de gastrite
Imagem de Trần Toàn de Unsplash

A gastrite é uma inflamação nas paredes do estômago que pode ter diversas causas, tipos e sintomas.

Os sintomas de gastrite mais comuns são: dor na boca do estômago em forma de pontadas, sensação de bola na garganta e queimações que surgem logo após as refeições. Esses sintomas podem prosseguir mesmo ao tomar antiácidos.

Também pode haver a sensação de enjoo ou de estômago muito cheio, a demora na digestão e arrotos frequentes, região do estômago inchada e dolorida, perda do apetite, vômito ou ânsia de vômito.

Tipos, causas e tratamentos

Para cada tipo de gastrite existe uma causa diferente que será explicada logo abaixo, para tratar da gastrite o recomendável é procurar uma médica ou médico para que ele prescreva os medicamentos necessários. A gastrite é um problema que pode se tornar muito grave e, dependendo do tipo, se não tratada corretamente, pode evoluir até para um câncer. Os principais tipos de gastrite são:

Gastrite nervosa

Como o próprio nome diz, aparece em situações de medo, estresse e ansiedade. Os sintomas de gastrite nervosa são azia, arrotos frequentes, vômito e sensação de estômago cheio. Os médicos geralmente prescrevem medicamentos como antiácidos e calmantes, pedindo também alterações na dieta e prática de atividades físicas, pois ajudam a diminuir o estresse e o nervosismo.

Gastrite aguda

É geralmente causada pela bactéria Helicobacter pylori, que está presente no estômago de 80% da população e os principais sintomas desse tipo de gastrite são náuseas, vômitos e dores, que normalmente se iniciam repentinamente. Como tratamento, os médicos geralmente prescrevem antibióticos, antiácidos e alterações na dieta alimentar e atividade física. Se não tratada, essa gastrite aguda pode se tornar crônica.

Gastrite crônica

É caracterizada por sintomas prolongados, com um aumento gradativo da inflamação do estômago; se não tratada, pode danificar muito as paredes do estômago.

Para tratar a gastrite crônica, os médicos geralmente prescrevem antiácidos e protetores gástricos; antibióticos são indicados pelos especialistas nos casos em que a gastrite for causada pela bactéria Helicobacter pylori.

Uma dieta adequada e a ingestão de suplementos de vitamina B12 também fazem parte do tratamento, pois esse tipo de gastrite pode causar anemia pela falta da vitamina.

Gastrite eosinofílica

É caracterizada pelo aumento de células imunes no estômago, causando inflamação e sintomas como náuseas, vômito e azia e afeta principalmente pessoas que têm algum tipo de alergia. Para esse tipo de gastrite, os médicos geralmente prescrevem medicamentos corticoides.

Gastrite enantematosa

Surge quando há uma inflamação na camada mais profunda da parede do estômago, podendo se manifestar devido a infecções por bactérias, doenças autoimunes, uso frequente de aspirinas ou de anti-inflamatórios e alcoolismo. Seus sintomas são a indigestão, gases e vômitos. Para o tratamento, os médicos costumam indicar antiácidos e uma dieta pobre em cafeína, doces e gorduras.

O que incluir na dieta:

  • Queijo branco e ricota, evitando os amarelos e gordurosos;
  • Chás, exceto os de mate, preto ou que contenha cafeína;
  • Leite desnatado;
  • Suco de frutas, exceto as cítricas, como laranja, abacaxi ou limão;
  • Pão sem miolo, evitando pães de farinha branca, como o pão francês;
  • Gelatina de ágar;
  • Frutas frescas sem casca ou cozidas;
  • Cremes com mingau de maisena;
  • Utilize ervas finas para temperar, evitando molhos prontos, pimenta, mostarda, alho ou cebola;
  • Peixe e frango com pouca gordura;
  • Arroz e feijão;
  • Verduras e legumes;
  • Alimentos integrais.

O que tirar da dieta:

  • Chocolate;
  • Queijos picantes ou com tempero forte;
  • Sucos cítricos;
  • Frutas cítricas;
  • Leite com chocolate;
  • Leite e seus derivados: iogurte, sorvete, etc.;
  • Chocolate quente de cacau;
  • Qualquer bebida que contenha cafeína e refrigerantes;
  • Chá de hortelã;
  • Chá preto;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Alimentos com corante e conservantes;
  • Alimentos apimentados e qualquer tipo de pimenta;
  • Tomate e produtos derivados, como massas e molho de tomate;
  • Goma de mascar;
  • Linguiça, bacon e carne vermelha;
  • Comidas processadas: macarrão, pão, produtos com açúcar adicionado, alimentos com gordura trans, óleos vegetais refinados, frituras e produtos laticínios pasteurizados;
  • Sementes de mostarda e noz-moscada;
  • Doces enlatados;
  • Alimentos gordurosos;
  • Biscoitos recheados e bolos industrializados;
  • Massa folhada, quibe, hambúrguer e cachorro quente;
  • Carne de porco e embutidos como salsicha, presunto e mortadela.

Outras informações importantes

É recomendável fazer as refeições de três em três horas e, para quem tem o vício de fumar, é recomendável parar – o mesmo deve ser feito com relação ao consumo de álcool.

Fontes: WebMD, Doctors Health Press, Dr. Axe, Wikipedia

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Источник: https://www.ecycle.com.br/5516-gastrite.html

Principais sintomas de gastrite

Principais sintomas de gastrite

Gastrite é o nome dado à inflamação da mucosa gástrica, camada de tecido que reveste a parede do estômago, protegendo-o contra a excessiva acidez.

A gastrite pode ser aguda, quando a inflamação surge subitamente, ou crônica, quando a inflamação vai se estabelecendo lentamente, podendo a mucosa permanecer inflamada por meses ou até anos.

A gastrite é uma inflamação da parede do estômago, que pode ser causada por inúmeros problemas. Entre as causas mais comuns, podemos citar:

A inflamação pode acometer toda a mucosa do estômago de forma difusa, sendo chamada de pangastrite, ou apenas algumas regiões, como o antro, na chamada gastrite antral.

A gastrite também pode ser classificada como gastrite erosiva ou gastrite não-erosiva. A gastrite erosiva é aquela que provoca pouca inflamação, mas causa erosão da parede do estômago, levando à perda da mucosa. A gastrite erosiva também pode levar à formação de úlceras e sangramentos. Na gastrite não-erosiva, ainda existe mucosa presente, mas a mesma encontra-se muito inflamada.

Quando durante a endoscopia digestiva a mucosa do estômago além de inflamada também aparenta estar inchada (com edemas), damos o nome de gastrite enantematosa.

Neste artigo vamos abordar apenas os sintomas da gastrite. Se você quiser saber mais informações sobre a gastrite, como causas, tipos, diagnóstico e tratamento, leia: GASTRITE | ÚLCERA GÁSTRICA.

Sintomas da gastrite

Um erro frequente é chamar de gastrite qualquer sintoma de dispepsia. Basta haver uma dor ou queimação no estômago para as pessoas dizerem que estão com gastrite. Gastrite não é sinônimo de dor no estômago.

Na verdade, ao contrário do que se imagina, a maioria das pessoas com gastrite não apresenta sintoma algum. Muitos pacientes com gastrite referem um pequeno incômodo estomacal após algumas refeições, mas nada que cause preocupação ou faça-os procurar um médico.

Nos pacientes que realmente têm sintomas de gastrite, o mais comum é uma queimação na boca do estômago, que para algumas pessoas melhora com a comida e para outros piora. Todos os sintomas de dispepsia descritos no tópico anterior podem estar presentes no paciente com gastrite. Além da queimação, azia e náuseas também são muito comuns.

Os sintomas da gastrite podem piorar em situações de estresse ou após o consumo de álcool, refrigerantes, café ou alimentos picantes. Fumar também costuma piorar a inflamação da mucosa do estômago, podendo agravar os sintomas.

Podemos concluir, portanto, que o diagnóstico de gastrite não pode ser dado apenas com base nos sintomas. Há pacientes com muitos sintomas que não têm gastrite, e há outros com pouco ou nenhum sintoma que podem ter o estomago todo inflamado.

A intensidade dos sintomas também não é um bom preditor de gravidade da gastrite. Ter muita ou pouca dor no estômago não significa que a gastrite é mais ou menos grave. Há pacientes com gastrite erosiva e úlceras que referem pouca dor e há pessoas com sintomas fortíssimos, que apresentam pouca ou nenhuma inflamação do estômago quando fazem a endoscopia digestiva.

Nas gastrites erosivas graves, quando há sangramento do estômago, o paciente pode apresentar fezes bem escurecidas, pastosas e com odor muito forte. Estas fezes, chamadas de melena, são compostas por sangue digerido que transitou ao longo do trato gastrointestinal.

Nos pacientes mais idosos, a anemia e o sangramento digestivo, muitas vezes, são os únicos sintomas de uma gastrite severa. Se o sangramento gástrico for muito volumoso, o paciente pode apresentar vômitos sanguinolentos.

Os caos mais graves, porém, são a minoria. Na maioria dos pacientes, a gastrite é um quadro leve, que pode ser facilmente tratado com medicamentos e mudanças de hábito de vida.

Источник: https://www.mdsaude.com/gastroenterologia/sintomas-gastrite/

Gastrite

Principais sintomas de gastrite

A gastrite é o termo que define um conjunto de situações que se caraterizam por inflamação do revestimento interno (mucosa) do estômago.

É uma situação clínica muito frequente, e o seu diagnóstico baseia-se na realização da endoscopia digestiva com observação direta do estômago e colheita de amostras de tecido (biópsias) para exame histológico.

Gastrite aguda, crónica

As gastrites podem ocorrer de uma forma súbita, designando-se neste caso de gastrite aguda, e resultam habitualmente do efeito nocivo de certos químicos e agentes infeciosos sobre a mucosa gástrica.

As gastrites crónicas, que são situações mais frequentes do que as anteriores, evoluem lentamente ao longo do tempo e podem ser totalmente assintomáticas.

A inflamação crónica da mucosa gástrica pode resultar na sua atrofia, definida pela perda das glândulas e diminuição da espessura total da mucosa, condições que proporcionam a formação de úlceras e aumentam o risco de desenvolvimento de cancro gástrico.

Tipos de gastrite

A existência de vários tipos de gastrite assim como a descoberta do Helicobacter pylori (Hp) como seu principal agente etiológico levaram à criação de um sistema de classificação para uniformizar a classificação das gastrites.

Este sistema designa-se por Sistema de Sydney cuja intenção é orientar o modo com se devem classificar as gastrites, tendo em consideração os fatores etiológicos, topográficos, clínicos e morfológicos.

Este sistema engloba uma divisão histológica, baseada nos achados de biópsia e uma classificação endoscópica baseada nos achados endoscópicos.

Na divisão endoscópica, a gastrite pode estar localizada predominantemente no antro, corpo ou em todo o estômago designando-se neste caso de pangastrite.

Consoante a categoria endoscópica que melhor se coaduna com o aspeto observado a gastrite pode ser classificada como eritematosa, exsudativa, erosiva ou hemorrágica. Por fim, atribui-se um grau de intensidade às alterações observadas: ligeiras, moderadas ou marcadas.

Na divisão histológica são avaliados outros aspetos como a presença de atrofia, metaplasia intestinal (substituição do epitélio gástrico por epitélio do tipo intestinal) e a presença de infeção pelo Hp.

Conjugando os vários aspetos, as gastrites podem ser classificadas como:

1. Gastrites agudas:

  • Hemorrágicas;
  • Fleimonosas;
  • Relacionadas com o Hp.

3. Formas especiais de gastrite:

  • Linfocítica;
  • Granulomatosa;
  • Eosinófilica;
  • Colagénica;
  • Radiação;
  • Infeciosa.

Causas da gastrite

A gastrite pode ser causada por ingestão de agentes agressivos como bebidas alcoólicas, uso prolongado de medicamentos anti-inflamatórios não-esteróides (AINEs), ou infeção por agentes infeciosos como o Hp.

Algumas vezes, a gastrite desenvolve-se depois de uma grande cirurgia, lesão traumática, queimadura ou infeção grave. Algumas doenças, como anemia perniciosa, doenças autoimunes e refluxo crónico de bile também podem causar gastrite.

Sintomas na gastrite

Muitas das gastrites podem permanecer assintomáticas, no entanto os principais sinais e sintomas referidos pelos doentes são: epigastralgia (dor na região central do abdómen), náuseas e vómitos, distensão abdominal e sensação de queimor.

A presença de sangue no vómito ou nas fezes pode indicar uma complicação que requer atenção médica imediata.

Diagnóstico da gastrite

A gastrite pode ser diagnosticada através de um ou mais exames:

  • Endoscopia digestiva alta. Consiste na inserção de um endoscópio, um tubo fino contendo uma pequena câmera, através da boca (ou às vezes pelo nariz) para observação do revestimento do estômago. O exame verificará se há inflamação e possibilita a remoção de uma pequena amostra do tecido para testes;
  • Teste sanguíneo. A presença de anemia pode ser um indicador de sangramento no estômago;
  • Exame de fezes. Este teste verifica a presença de sangue nas fezes, um sinal de sangramento.

Saiba, aqui, tudo sobre endoscopia digestiva alta.

Complicações da Gastrite

As complicações da gastrite, que podem surgir quando o tratamento não é feito corretamente, são:

  • Úlcera péptica;
  • Anemia;
  • Gastrite atrófica;
  • Cancro gástrico.

Gastrite tem cura?

O tratamento da causa é a forma mais eficaz para atenuar ou resolver a gastrite. Por exemplo, se a causa da gastrite é infeção por Hp o tratamento com antibióticos pode resolver a infeção e a gastrite associada. Se a causa é o uso de medicações como por exemplo os AINEs, a suspensão do seu uso geralmente resolve a situação.

No entanto, nas situações de gastrite crónica, mesmo após tratamento podem persistir alterações na mucosa gástrica que necessitam de vigilância pelo risco associado de complicações.

Tratamento da gastrite

O tratamento da gastrite deve ser orientado pelo médico gastrenterologista (especialista em doenças do aparelho digestivo). Esse tratamento passa, geralmente, pela prescrição de medicamentos que reduzem a acidez do estômago ou antibióticos para erradicar a infeção pelo Hp.

O doente nunca se deve automedicar, ou seja, tomar qualquer medicação de venda em farmácia ou outra sem prescrição médica, pois esta atitude pode mascarar ou atrasar o diagnóstico de complicações associadas à gastrite.

Dieta para quem tem gastrite

Ingerir pequenas refeições frequentemente e evitar certo tipo de alimentos que são picantes, ácidos ou com grande teor de gordura pode ajudar a reduzir os sintomas de gastrite. O controlo de fatores emocionais, como o stress, também pode ajudar. Exemplo de alguns alimentos que podem ajudar a aliviar os sintomas e retardar o crescimento do Hp incluem:

  • Frutos vermelhos;
  • Vegetais verdes;
  • Alho e cebola;
  • Sumo de cenoura;
  • Certo tipo de cereais.

Devem ser evitadas as bebidas alcoólicas pois elas agravam os sintomas e podem desencadear complicações.

Como prevenir a gastrite?

Condições de higiene e sanitárias adequadas, aliadas a uma dieta alimentar saudável e equilibrada, podem garantir o bem-estar e evitar que a gastrite se apresente.

Algumas formas de evitar a gastrite de maneira saudável:

  • Consumir verduras, legumes e frutas;
  • Evitar o consumo exagerado de gorduras, cafeína, álcool e condimentos ácidos e picantes;
  • Fazer no mínimo três refeições ao dia em ambiente tranquilo;
  • Não exagerar na quantidade de alimentos por refeição e mastigar bem os alimentos;
  • Evitar temperaturas extremas (muito quente ou muito gelada);
  • Beber líquidos com frequência, exceto nos horários das refeições;
  • Evitar o consumo de AINEs sem prescrição médica.

Источник: https://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/gastrenterologia/gastrite/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: