Psicomotricidade: O que é e Atividades para ajudar no desenvolvimento infantil

Contents
  1. Coordenação Motora Grossa para Crianças – 43 Atividades para fazer dentro de casa
  2. Atividades psicomotoras: as 12 principais por faixa etária
  3. Bola por cima, bola por baixo
  4. 1° passo
  5. 2° passo
  6. 3° passo
  7. Corrida do Saci
  8. Pega-pega
  9. Corda
  10. Sapos em fila
  11. Esponjas
  12. Morto-vivo
  13. Caminhada companheira
  14. Cada um tem o seu próprio jeito
  15. Música
  16. Bater palmas com os alunos
  17. O professor tocar/cantar
  18. Considerações finais sobre atividades psicomotoras
  19. O que é psicomotricidade infantil e como promovê-la? – Blog Red Balloon
  20. Afinal, o que é psicomotricidade infantil?
  21. Qual é a relação entre psicomotricidade infantil e desenvolvimento da criança?
  22. Esquema corporal 
  23. Imagem corporal
  24. Tônus muscular
  25. Organização espaço-temporal
  26. Ritmo
  27. Coordenação motora global ou motricidade ampla
  28. Coordenação motora fina ou motricidade fina
  29. Lateralidade
  30. Equilíbrio
  31. Dicas de como estimular a psicomotricidade infantil
  32. 1. Crie um ambiente afetivo saudável para a criança
  33. 2. Estimule seu filho a brincar
  34. 3. Comece, desde cedo, a incentivar a prática de exercícios físicos
  35. 4. Utilize a mimetização 
  36. O que é psicomotricidade e como estimular em casa – Kinedu Blog
  37. O que é psicomotricidade?
  38. Por que a psicomotricidade é importante para o desenvolvimento da criança?
  39. Como estimular a psicomotricidade na educação infantil?
  40. De 4 a 6 meses
  41. De 7 a 9 meses
  42. Aos 12 meses
  43. De 17 a 19 meses
  44. De 22 a 24 meses
  45. Aos 36 meses
  46. Como a tecnologia pode auxiliar os pais nesse estímulo?
  47. Atividades psicomotoras: utilizando-as na educação infantil | Blog do Educamundo
  48. A importância das atividades psicomotoras
  49. Criando jogos psicomotores para a educação infantil
  50. Os certificados do Educamundo podem ser usados para:
  51. Jogos para alfabetizar brincando

Coordenação Motora Grossa para Crianças – 43 Atividades para fazer dentro de casa

Psicomotricidade: O que é e Atividades para ajudar no desenvolvimento infantil

Precisa de ideias simples e práticas de brincadeiras para desenvolver a coordenação motora grossa dos seus filhos? Aqui irá encontrar 43 atividades divertidas para fazer com os seus filhos dentro de casa! Ideal para os dias de chuva, frio ou muito calor. Ou  simplesmente quando não tem oportunidade de os levar ao parque.

E ainda… os benefícios destas atividades na facilitação de outras tarefas que os seus pequeninos irão fazer!

O movimento e a coordenação motora são uma parte muito importante do desenvolvimento infantil.

Enquanto a coordenação motora fina envolve os músculos mais pequenos do corpo, em particular os músculos das mãos, dos dedos, ao redor da boca e dos olhos, a coordenação motora grossa envolve os grandes músculos do corpo e é responsável pelos movimentos de maior amplitude que o seu filhote faz com os braços, pernas ou o corpo inteiro.

Saltar, correr, sentar, subir escadas, gatinhar e até dançar são exemplos de atividades motoras grossas.

Mas para que isso aconteça, os neurónios têm que criar ligações entre si, chamadas conexões.

Por isso, no seu recém-nascido, apenas estão operacionais as conexões entre os neurónios responsáveis pelas funções básicas de sobrevivência – respirar, o bater do coração, a regulação da temperatura…

Todas as outras conexões precisam de ser criadas e desenvolvidas durante os primeiros anos de vida do seu bebé.

O movimento e as atividades de coordenação motora são uma das principais ferramentas para o desenvolvimento destas conexões no cérebro do seu filhote.

Por isso, comece logo desde cedo a oferecer atividades ao seu recém-nascido e bebé.

A capacidade do seu bebé fazer movimentos controlados com o seu corpo começa de cima para baixo.

O que é que isto significa?

Significa que o seu filhote irá conseguir controlar em primeiro lugar os movimentos da face e só depois o pescoço e os ombros.

O mesmo acontece com os membros.

O seu bebé irá aprender a controlar em primeiro lugar os braços e só depois as mãos e por fim os dedinhos (cá está a coordenação motora fina!!!)

Em qualquer parte do seu corpo, o seu bebé aprenderá a controlar primeiro os movimentos mais amplos (motricidade grossa) e só mais tarde os movimentos mais precisos e finos (motricidade fina).

Por esta razão conseguirá juntar as mãos antes de conseguir passar o seu brinquedo favorito de uma mão para a outra.

♥ Ajudam nas tarefas diárias

As atividades de coordenação motora grossa ajudam a controlar a força necessária para cada movimento que o seu filho realiza. E também desenvolvem o equilíbrio e a postura.

Estes movimentos ajudam o seu filhote na tarefa de vestir e despir sozinho (por exemplo equilibrar numa perna para vestir as calças).

Também ajudam a manter a postura quando está sentado à mesa durante as refeições.

Ou na escola durante as aulas

Источник: https://www.beesytoeasy.com/atividades-coordenacao-motora-grossa-criancas/

Atividades psicomotoras: as 12 principais por faixa etária

Psicomotricidade: O que é e Atividades para ajudar no desenvolvimento infantil

As atividades de psicomotricidade envolvem o desenvolvimento das capacidades motoras durante o nosso crescimento na infância. Compreender as necessidades dos pequenos nesta fase é vital para que eles possam alcançar o seu pleno desenvolvimento enquanto crescem. Por fim, aqui te apresentaremos 12 atividades psicomotoras para ajudar no crescimento dos jovens.

Bola por cima, bola por baixo

Bola por cima, bola por baixo é uma das atividades psicomotoras mais construtivas que existem. A aula de educação física das crianças de 4 anos será bem produtiva e divertida do jeito que elas merecem. Com isso, conseguem desenvolver a sua concentração, coordenação motora e velocidade.

O jogo bola por cima, bola por baixo consiste na seguinte sequência de execução:

1° passo

O professor coloca os estudantes divididos em duas filas indianas, formando duas equipes. Assim que ele der o sinal, o primeiro estudante de cada fila passará a bola por cima de sua cabeça para trás. Os outros devem fazer o mesmo e quando o último pegá-la, deverá correr até a frente e repetir o processo.

2° passo

Quando todas as crianças tiverem ido até o começo da fila para passar a bola para trás, a brincadeira se inverte. Agora elas devem abrir as pernas e fazer o movimento passando a bola por baixo em direção ao fim da fila. Mais uma vez, quando todas terminarem e conseguirem ir ao começo da fila para jogar, entra o próximo nível.

3° passo

Quando a fase anterior terminar, a primeira criança deve passar a bola por cima da cabeça. Já a segunda pega a bola por cima e passa por baixo, fazendo a terceira pegar por baixo e passar por cima.

Todas as crianças precisam completar o exercício de forma lúdica e divertida. Então, se elas errarem algumas vezes, tudo bem. Não as repreenda e deixe que continuem tentando.

Corrida do Saci

A corrida do Saci é uma das melhores atividades psicomotoras para cuidar do equilíbrio, velocidade e coordenação motora. O instrutor deve montar um ponto de partida e chegada em um espaço. Nisso, posicionadas em fila, as crianças devem sair pulando com um pé só até a chegada quando receberem o sinal.

As crianças não devem colocar o outro pé no chão em hipótese alguma. Contudo, caso isso aconteça, ao invés de serem eliminadas, poderão pagar uma prenda divertida. Isso vai evitar a sensação de que foram excluídas da diversão em qualquer nível. Essa é uma boa dica da nossa lista de atividades psicomotoras para as crianças se divertirem.

Pega-pega

Pega-pega é um jogo da infância de muitos adultos, mas ainda bastante vigente na hora do recreio das crianças. Um dos pequenos começa a ser o pegador, fazendo com que outras crianças devam fugir dele. Assim que ele alcançar e tocar com a mão em outra criança, o que foi tocado deverá se tornar o novo pegador.

Para que a brincadeira não fique monótona, pode utilizar uma versão dela mais cooperativa. Primeiro, o pegador assim que tocar outra criança, esta deverá também se tornar um pegador com ele.

Ou ainda, a criança que for pega deverá dar a mão ao pegador e ajudá-lo sem soltá-la, formando uma corrente onde apenas quem tem mão livre pode pegar os outros. E por fim, quem for a última criança a ser pega vence o jogo.

Corda

A corda possui múltiplos usos dentro das atividades de psicomotricidade e usada para diversos fins. Por meio dela, as crianças de 5 anos conseguem desenvolver:

  • orientação espacial e temporal;
  • equilíbrio;
  • esquema corporal;
  • coordenação motora;
  • tônus muscular.

Leia Também:  Meditação para ansiedade: como praticar?

Assim sendo, isso acaba por tornar os pequenos mais vigorosos e interessados nas atividades.

Para a brincadeira, por exemplo, o professor pode deixar a corda esticada no chão em linha reta. As crianças podem andar descalças sobre ela e com os braços abertos, tentando manter o equilíbrio. A fim de dinamizar, elas podem andar de costas e fazer pulos da direita à esquerda pulando com os pés juntos.

Sapos em fila

A brincadeira dos sapos em fila é excelente para refinar a atenção dos menores, sem contar a coordenação e trabalho em grupo. Embora o exercício seja simples visualmente, o resultado do trabalho afeta individual e coletivamente o grupo. Somente conseguirão realizar a tarefa com trabalho em equipe.

Você precisará traçar duas linhas distantes uma da outra, mas paralelas entre si, que corresponderão ao ponto de partida e chegada. Divididos em dois ou mais grupos, os alunos precisam formar uma fila indiana onde devem segurar na cintura de quem está na frente.

Pulando para frente com os dois pés, o grupo precisa cruzar a linha de chegada sem soltar as mãos da cintura do colega.

Esponjas

O uso de esponjas dentro da psicomotricidade na educação infantil ajuda no desenvolvimento da coordenação motora fina. Ademais, também colabora no aperfeiçoamento de:

  • coordenação viso-motora;
  • tônus muscular;
  • e esquema corporal.

Tudo o que você e as crianças precisam é de uma bacia com água e esponjas coloridas e de texturas variadas.

Cada criança precisa retirar as esponjas da água de uma em uma, apertando bem para retirar a água. Além de fazer um reconhecimento das cores, as crianças sentirão a textura de cada esponja. Isso vai ajudar também a desenvolver uma memória tátil enquanto fortalece seus músculos das mãos.

Morto-vivo

Uma das atividades psicomotoras mais famosas na educação é a brincadeira morto-vivo. Atravessando gerações, o simples jogo consiste em aprimorar a atenção e agilidade das crianças. Embora seja fácil no início, com o tempo, os pequenos se sentem mais desafiados e erram o comando.

O professor dá o comando de “vivo”, ficar de pé, e “morto”, se agachar. A fim de que as crianças que errarem não fiquem excluídas, poderá solicitar uma prenda de quem perder o jogo.

Caminhada companheira

O principal objetivo da caminhada companheira dentro das atividades psicomotoras é trabalhar a tolerância entre os pequenos desde cedo. Sendo peça fundamental da formação de caráter, a tolerância conquistada nessa idade ajuda a formar adultos mais compreensivos e solidários. Nisso, o único material que necessita é a disposição das crianças.

Os alunos ficarão em fila indiana e esticarão um dos braços em direção ao ombro do colega da frente. Isso vai delimitar um espaço entre eles, sendo recolhida em seguida e os estudantes caminharão respeitando esse limite. Quem for mais rápido precisa se controlar para não se afastar e quem for mais lento precisa acelerar.

Qualquer criança com dificuldade em se locomover terá de ser esperada pelos colegas.

Cada um tem o seu próprio jeito

Outra brincadeira da psicomotricidade na educação infantil é cada um é do seu próprio jeito. Nada mais é do que o professor pedir o aluno para se deitar em cima de uma folha grande de papel kraft e desenhar sua silhueta. Em seguida, o pequeno precisa completar o seu desenho, observando o próprio corpo e recebendo incentivo para tal.

Leia Também:  Saúde mental: conceito e terapias mais efetivas

Assim que todos terminarem suas desenhos, cole um ao lado do outro na parede e diga para todos observarem os desenhos. Faça com que trabalhem a observação, pedindo que comentem semelhanças e diferenças entre os desenhos, como altura, por exemplo. Neste ponto, você aproveitará para que elas se abram livremente sobre suas particularidades.

Música

Por fim, a música é um excelente recurso dentro das atividades de psicomotricidade, estimulando a atenção dos pequenos. Por meio delas, eles podem aprender a memorizar sons e refinar sua capacidade de se manterem atentos. Tudo o que precisa é de músicas em ritmos variados e que sejam o foco da atividade.

Nisso, o professor pode:

Bater palmas com os alunos

Tanto o professor, quanto os alunos, podem seguir a música batendo palma. Além disso, caso conheçam a letra, a coordenação, atenção e ritmo melhoram satisfatoriamente.

O professor tocar/cantar

Por fim, caso o professor tenha habilidades musicais, isso pode ser bastante útil em sala de aula. Ele mesmo pode conduzir a brincadeira cantando, tocando violão ou trabalhando outros instrumentos musicais.

Considerações finais sobre atividades psicomotoras

Em síntese, as atividades psicomotoras são componentes vitais ao aprimoramento da educação infantil em seu início. Embora algumas atividades dependam diretamente da faixa etária para a sua aplicação, os benefícios são similares e altamente aplicáveis. Com isso, ajudamos os pequenos a alcançarem seu potencial pleno no crescimento.

Caso seja professor, recreador ou mesmo mãe ou pai, comece a inserir brincadeiras lúdicas que contribuam ao afloramento das crianças. Ainda que estejam brincando, é justamente dessa forma que desenvolvem sua inteligência, tolerância, empatia e controle de suas vontades.

A fim de aperfeiçoar a abordagem, que tal se inscrever em nosso curso de Psicanálise Clínica online? Trata-se do mais completo do mercado e as aulas te ajudam a fortalecer sua visão sobre o comportamento humano através do autoconhecimento e poder de análise. A elaboração de atividades psicomotoras ganhará insights a mais com esse curso, então aproveite!

Источник: https://www.psicanaliseclinica.com/atividades-psicomotoras/

O que é psicomotricidade infantil e como promovê-la? – Blog Red Balloon

Psicomotricidade: O que é e Atividades para ajudar no desenvolvimento infantil

Muitas vezes o conceito de psicomotricidade infantil é associado somente ao movimento do corpo, mas ele vai muito além disso. Na verdade, a psicomotricidade envolve também questões de emoção e raciocínio da criança. Os pequenos tendem a descobrir o mundo por meio de seus corpos, sobretudo nos primeiros anos. E essa pode ser uma experiência muito rica! 

Como veremos neste artigo, a psicomotricidade infantil é uma base fundamental para o desenvolvimento integral da criança. Quando as habilidades psicomotoras dos pequenos estão bem desenvolvidas, o processo geral de aprendizado deve ser mais facilitado, reduzindo alguns entraves nessa jornada. 

A seguir, descubra mais sobre o que é, qual é a importância e como estimular a psicomotricidade infantil. Acompanhe a leitura.

Afinal, o que é psicomotricidade infantil?

Psicomotricidade é uma ciência que abarca conceitos psicológicos, psiquiátricos, psicossomáticos, psicolinguísticos e sociológicos. Segundo a Sociedade Brasileira de Psicomotricidade, essa denominação abrange o entendimento de movimento organizado e integrado, em razão das experiências vividas pela pessoa cuja ação resulta de sua individualidade, linguagem e socialização.

Em outras palavras, trata-se de uma ciência que agrega um olhar holístico às relações e influências entre o psiquismo e a motricidade.

Ela é dedicada ao estudo do ser humano por meio de seu movimento e da relação dele com outras questões intrínsecas e extrínsecas, compreendendo que nosso corpo é a origem da aquisição de habilidades cognitivas, afetivas e orgânicas.

Resumidamente, pode-se dizer que essa ciência engloba a relação existente entre pensamento, emoção e ação.

Neste contexto, a psicomotricidade infantil é uma subdivisão dessa ciência que tem como objeto de estudo, especificamente, como essas relações se dão em crianças. 

Nas crianças, a psicomotricidade se dá, entre outras coisas, por meio de ações educativas dos gestos espontâneos e das atitudes corporais, o que contribui para a formação de sua personalidade e da consciência de seu corpo. Ainda, seu desenvolvimento ajuda a criança a se situar no espaço e a ter mais coordenação racional de seus movimentos.

A psicomotricidade entende o movimento como algo significativo e intencional, uma manifestação humana de expressão própria. Nesse sentido, a psicomotricidade infantil pode ser entendida como um suporte para a criança tomar consciência de si própria, de seu corpo e do espaço que ocupa no mundo. 

Por tudo isso, a psicomotricidade na educação infantil vem sendo trabalhada e estimulada. Uma educação psicomotora tem o potencial de ser uma base fundamental para assegurar que crianças tenham um desenvolvimento funcional de acordo com suas possibilidades, além de apoiar sua afetividade e fazer esse intercâmbio entre si mesma e o ambiente humano.

A seguir, explicaremos com mais detalhes como a psicomotricidade pode ter um impacto no desenvolvimento e na educação infantil, além de dar algumas dicas práticas para quem deseja incentivar esse tipo de amadurecimento nos pequenos. 

Qual é a relação entre psicomotricidade infantil e desenvolvimento da criança?

Essa é uma relação bastante próxima. A psicomotricidade está fortemente atrelada ao desenvolvimento infantil, em especial quando consideramos o corpo enquanto instrumento de aquisição cognitiva.

De fato, a psicomotricidade ajuda a trabalhar a esfera afetiva, intelectual e motora da criança, o que favorece um desenvolvimento muito mais assertivo e completo. 

Principalmente nos cinco primeiros anos de vida, as habilidades psicomotoras devem ser estimuladas, visto este ser o momento mais relevante para aquisições físicas, emocionais e intelectuais da criança.

Dessa forma, na educação infantil, é fundamental que a instituição inclua essa esfera no planejamento das aulas e das atividades. Com isso, os pequenos começarão a elaborar e a compreender melhor seus movimentos, a noção de espaço e de seu próprio corpo, além de desenvolver com mais facilidade noções como respeito ao próximo e ao ambiente no qual vive. 

Quando se deixa de lado essa questão, pode ocorrer de a criança não se desenvolver bem em determinado ponto.

Por exemplo, quando a lateralidade não é bem trabalhada, isso pode acarretar problemas de percepção espacial e da correta utilização de termos como direita e esquerda.

E isso pode ir além, representando dificuldade da criança em acompanhar a direção de leitura e escrita, por exemplo, ou de diferenciar “d”, “b”, “p” e “q”.

Portanto, é importante que na educação infantil a criança tenha contato com atividades de movimento, jogos, brincadeiras e tarefas em grupo. Esses, muito mais do que momentos lúdicos, são oportunidades de desenvolvimento de uma série de habilidades e de consolidação de aprendizado, por meio da atividade prática. 

Esquema corporal 

Trata-se da conscientização sobre seu corpo, suas partes constitutivas e suas possibilidades de movimento no espaço. Ele é um elemento essencial para o desenvolvimento da personalidade da criança. 

Imagem corporal

Trata-se de um item importante para o desenvolvimento do esquema corporal. Ela reflete a representação subconsciente que a criança tem de seu próprio corpo. 

Tônus muscular

Esse elemento apresenta relação direta com a fisiologia: em linhas gerais, refere-se à tensão fisiológica dos músculos que proporciona equilíbrio estático e dinâmico, coordenação e postura à criança – esteja ela em repouso ou em movimento. 

Organização espaço-temporal

Para que esse estágio seja atingido, a criança deve ter noções básicas de tempo e de espaço – tais como o que é perto ou longe, em cima e embaixo, o que está ao lado do que, etc.

Desse modo, esse elemento apresenta relação com a capacidade da criança de se orientar e se movimentar em um ambiente e em determinado espaço de tempo.

Isso inclui, por exemplo, conseguir correr em dado ritmo, bater palmas em sincronia, entre outras.

Ritmo

Esse elemento relaciona-se à realização ordenada de determinado movimento. O ritmo depende da preexistência da noção de organização espaço-temporal. 

Coordenação motora global ou motricidade ampla

Aqui, a criança consegue utilizar vários grupos musculares simultaneamente para fazer movimentos mais complexos e voluntários. Por exemplo, ao caminhar, tanto os músculos superiores quanto os inferiores movimentam-se conjuntamente. 

Coordenação motora fina ou motricidade fina

Esse elemento caracteriza-se pela capacidade da criança de executar movimentos coordenados mais refinados ou detalhistas utilizando os grupos musculares das extremidades – esses são conhecidos como movimentos de precisão. Por exemplo, escrever, encaixar peças ou cortar um papel com a tesoura.

Lateralidade

Esse elemento da psicomotricidade, basicamente, representa a habilidade em utilizar ambos os lados do corpo para realizar tarefas simples como, por exemplo, fechar a porta. Assim, quando uma criança está com a mão direita ocupada, ela deve conseguir executar essa ação simples com a outra mão. 

Ainda, ele deverá estimular a descoberta e o aperfeiçoamento do lado de dominância da criança – em resumo, se ela é destra ou canhota.

Equilíbrio

Aqui, refere-se à capacidade da criança de manter-se firme mesmo em uma base reduzida, parada ou em movimento – ou seja, o equilíbrio pode ser estático ou dinâmico. Essa habilidade depende do sistema labiríntico e do sistema plantar. 

Dicas de como estimular a psicomotricidade infantil

Como vimos, durante os primeiros anos de vida, a criança deve ser acompanhada e estimulada de diversas formas para garantir seu bom desenvolvimento em todas as esferas.

Além do trabalho que será feito na escola, em casa também é possível incentivar a psicomotricidade infantil a partir de iniciativas como:

1. Crie um ambiente afetivo saudável para a criança

Conforme especialistas em psicomotricidade infantil, os movimentos da criança apresentam relação com o ambiente que ela vive, o afeto recebido e suas próprias emoções. 

Compreende-se que o afeto é um regulador de ações, que influencia no desenvolvimento da criança – portanto, afeto e cognição são inseparáveis.

2. Estimule seu filho a brincar

A brincadeira fornece à criança a oportunidade de descobrir-se, de compreender seus sentimentos e o mundo à sua volta, começar a formar conceitos, fomentar sua criatividade e desenvolver relações lógicas.

Por isso, a brincadeira é vista como um elemento fundamental para a estimulação linguística. Escolas têm adotado cada vez mais atividades lúdico-pedagógicas e brincadeiras dirigidas para instigar o desenvolvimento das crianças.

Mais especificamente no que diz respeito à psicomotricidade infantil, o brincar demanda movimentação física, envolvimento emocional e atividade mental. 

Portanto, incentive seu filho a brincar em seus momentos de lazer. Atividades sozinho, em sua companhia ou na de amiguinhos são importantes para o seu desenvolvimento integral e de suas habilidades psicomotrizes. 

Como ideias, atividades de mímica, por exemplo, costumam ser bastante ricas nesse estímulo. Ainda, montar quebra-cabeça, fazer dobraduras, brincar de “estátua”, modelagem em massinha, entre tantas outras.

3. Comece, desde cedo, a incentivar a prática de exercícios físicos

Como você já deve imaginar, naturalmente o exercício físico e a psicomotricidade têm uma relação importante. As atividades físicas são cruciais para o desenvolvimento mental, corporal e emocional da criança. 

Em família, você pode propor ações recreativas, que favoreçam o desenvolvimento corporal e mental de seu filho. Por exemplo, jogos de se equilibrar em um pé só, de esconde-esconde, de pega-pega, de imitar movimentos de animais e, mais tarde, esportes conjuntos ou individuais.

4. Utilize a mimetização 

As crianças aprendem muito por meio de observação e de exemplos. Desse modo, é muito comum que elas imitem os pais realizando suas atividades. Quando isso acontecer, enriqueça a experiência fazendo movimentos conscientes e mais claros, explicando porque você está executando tal tarefa, questionando a criança sobre algum detalhe ou objeto utilizado, etc. 

Isso pode ser feito, por exemplo, ao lavar o carro, calçar os sapatos, dobrar roupas, guardar as compras, entre tantos outros momentos.

E então, ficou mais claro agora o que é psicomotricidade infantil e como promovê-la? Se esse tipo de desenvolvimento e educação te parece interessante, conheça a Red Balloon!

Somos especialistas no ensino de inglês para crianças e jovens e utilizamos metodologias ativas de ensino, que ajudam as crianças a desenvolverem-se integralmente e a serem protagonistas de seu processo de aprendizagem.

Por isso, promovemos, entre outras iniciativas, eventos do tipo “mão na massa” para estimular uma imersão completa no idioma e incentivar o desenvolvimento integral de nossos alunos, incluindo cuidados em trabalhar a psicomotricidade infantil.

Para saber mais sobre o nosso método de ensino,entre em contato com a unidade Red Balloon mais próxima de você!

Venha conhecer a Red Balloon!

Источник: https://redballoon.com.br/blog/psicomotricidade-infantil/

O que é psicomotricidade e como estimular em casa – Kinedu Blog

Psicomotricidade: O que é e Atividades para ajudar no desenvolvimento infantil

Ao estimular a psicomotricidade da criança, a família faz com que ela tenha mais consciência sobre seus movimentos, trazendo benefícios para o seu desenvolvimento saudável.

O movimento é uma ação natural que realizamos, na maioria das vezes, de forma espontânea. Apesar disso, não é um processo simples, pois envolve não só a parte motora, mas também os aspectos cognitivos e até emocionais.

Desse modo, a psicomotricidade pode ser estimulada ainda na primeira infância, a fim de que a criança se desenvolva de forma integral. Assim, ela passa a entender não apenas a estruturação do próprio corpo, mas também o lugar que ocupa na natureza e na sociedade.

Quer compreender melhor o que é psicomotricidade, sua importância no desenvolvimento infantil e como ela pode ser estimulada em casa pela família? Então acompanhe nosso post!

O que é psicomotricidade?

Trata-se de uma ciência que busca entender os aspectos cognitivos, ligados ao processamento das informações, e também os emocionais, e sua relação com o movimento humano nas diversas etapas da vida.

Tal função se dá porque a realização de qualquer movimento envolve a nossa inteligência e tem uma intenção. Dessa maneira, ao estimular a psicomotricidade, estamos educando os movimentos com o melhor uso das nossas capacidades psíquicas.

Nesse contexto, é fundamental que ela seja trabalhada na primeira infância para que as crianças cresçam mais conscientes em relação a seus movimentos e ao próprio corpo, entendendo também como se dá o seu relacionamento com o mundo externo.

Baixe GRÁTIS o Kinedu e estimule o desenvolvimento do seu bebê com +1.800 atividades criadas por especialistas!

Por que a psicomotricidade é importante para o desenvolvimento da criança?

Agora que você já sabe o que é psicomotricidade, é possível entender como a terapia psicomotora é essencial para crianças com atrasos no desenvolvimento ou dificuldades de aprendizagem.

Contudo, ela pode ser trabalhada com todos os bebês e crianças. Veja a seguir as habilidades que o estímulo ao movimento dos pequenos – e sua consciência em relação a isso – ajuda a desenvolver:

  • coordenação motora grossa e fina;
  • consciência corporal;
  • noção de espaço e tempo;
  • autorreconhecimento;
  • lateralidade;
  • comunicação;
  • atenção;
  • concentração;
  • inteligência emocional;
  • raciocínio lógico;
  • ritmo;
  • equilíbrio.

Como estimular a psicomotricidade na educação infantil?

A escola trabalha a psicomotricidade dos pequenos em diferentes atividades, e um terapeuta psicomotrista pode tratar os casos em que as crianças apresentem atrasos ou dificuldades de aprendizagem – mas você também pode estimular o seu filho em casa, de um modo bastante lúdico, com brincadeiras e jogos.

Dessa maneira, você contribui para o desenvolvimento saudável do seu pequeno e ainda aproveita bons momentos de diversão com ele!

Confira abaixo algumas sugestões para cada fase.

De 4 a 6 meses

Por ainda serem bem pequenos, nessa fase, os bebês ainda não se reconhecem. Por isso, uma dica para estimular a psicomotricidade é colocar o seu filho em frente a um espelho, a uma curta distância, na qual ele consiga se ver por inteiro.

Sente-se com o seu pequeno e levante os braços dele apontando para o movimento do espelho. Você pode mostrar os pés, mãos, dedos, tudo de uma forma bem lúdica. É um exercício que vai ajudar a reforçar sua consciência corporal.

De 7 a 9 meses

Nessa fase, o bebê está começando a engatinhar ou a se arrastar com a intenção de explorar o ambiente e, principalmente, de pegar objetos.

Então, você pode colocá-lo de bruços em um tapete de atividades e deixar um brinquedo do qual ele goste, de preferência que seja bem colorido ou musical, a uma pequena distância. A partir disso, você o incentiva a se movimentar para conseguir apanhar o brinquedo. É uma brincadeira que estimula a coordenação motora.

Seguindo essa mesma ideia, você também pode utilizar uma caixa de papelão aberta dos dois lados, para que funcione como um túnel: de um lado, coloque o brinquedo; do outro, o bebê. Ele terá que passar pelo túnel para conseguir aquilo que quer.

Aos 12 meses

Os pais podem utilizar brinquedos que tenham formas para encaixe e, assim, estimular o movimento de pinça e a coordenação motora fina. Dá para improvisar até mesmo com outros objetos: você pode entregar cotonetes para a criança colocar em um pote de plástico.

De 17 a 19 meses

É possível realizar diversas atividades, como colocar pequenas almofadas no chão como obstáculos para a criança andar, para que ela utilize o movimento como forma de transpor o desafio.

Um simples jogo de empilhar blocos também é bem-vindo, pois trabalha a verticalidade, e outra brincadeira em que ela tenha que abrir uma garrafa, estimula a lateralidade e a coordenação motora fina.

Outra sugestão é brincar com massinha: a criança pode se divertir fazendo bolinhas ou outros formatos.

De 22 a 24 meses

Perto dos dois anos, os pequenos já desenvolvem o equilíbrio, e a família pode estimular a psicomotricidade com brincadeiras de chutar uma bola ou arremessar objetos leves, por exemplo. Você pode improvisar uma caixa de papelão para ser o gol ou a cesta de basquete.

Podem parecer movimentos simples, mas que trabalham a concentração, senso de direção, força e autoconsciência.

Aos 36 meses

Nessa fase, a dica é fazer atividades artísticas utilizando cartolina, giz de cera, lápis de cor, papéis, cola ou carimbos. A criança pode desenhar, pintar, rabiscar e fazer colagens de forma livre.

É uma forma de estimular a concentração, a criatividade, a expressão das emoções e a coordenação motora fina.

Como a tecnologia pode auxiliar os pais nesse estímulo?

Mesmo sabendo o que é psicomotricidade e a importância de estimulá-la na primeira infância, muitos pais ficam confusos e sem ideia sobre qual é a melhor atividade a ser realizada de acordo com a faixa etária da criança.

Nessa hora, vale contar com a forcinha da tecnologia.

Existem aplicativos criados para auxiliar as famílias a trabalharem as questões ligadas à psicomotricidade dos bebês e crianças, com instruções para atividades diárias e vídeos para cada fase. Assim, fica mais fácil estimular o movimento do pequeno e seus aspectos cognitivos, ajudando-o a atingir seu desenvolvimento pleno.

Gostou de entender o que é psicomotricidade e as formas de estimulá-la na infância? É possível trabalhar diferentes atividades lúdicas que acompanham o desenvolvimento do bebê. Dessa forma, ele passa a se reconhecer, ter consciência do seu corpo, das pessoas e do mundo à sua volta.

As informações que trouxemos sobre a psicomotricidade no desenvolvimento infantil foram interessantes para você? Então, baixe GRÁTIS o app Kinedu e estimule o desenvolvimento do seu filho com +1.800 atividades criadas por especialistas!

Источник: https://blog-pt.kinedu.com/o-que-e-psicomotricidade/

Atividades psicomotoras: utilizando-as na educação infantil | Blog do Educamundo

Psicomotricidade: O que é e Atividades para ajudar no desenvolvimento infantil

As crianças expressam-se muito por meio de movimentos corporais. Isso incluiu correr, mexer as mãos, pular e até fazer caretas. Tudo isso representa atividades psicomotoras, porém, você sabia que essas ações podem ser trabalhadas para melhorar a aprendizagem infantil? Bem, é isso que vamos apresentar no artigo de hoje. Boa leitura!

A importância das atividades psicomotoras

Atividades psicomotoras são aquelas que marcam a interação entre o movimento muscular e o sistema nervoso. Elas são extremamente importantes para o ser humano em qualquer etapa da vida, mas para as crianças são indispensáveis. Afinal, o controle sobre o próprio corpo é a base para aprendizados mais complexos.

O governo do estado do Paraná fez um estudo sobre o tema e demonstrou que o desenvolvimento psicomotor da criança é necessário para trabalhar:

  • reflexos;

  • interação social;

  • locomoção;

  • linguagem;

  • postura;

  • equilíbrio;

  • imagem corporal;

  • consciência de espaço e tempo, entre outras coisas.

Diante de tal amplitude de benefícios, fica evidente que não podemos deixar de estudar sobre psicomotricidade e colocar seus conceitos em prática dentro da educação infantil.

Nos próximos tópicos, vamos lhe dar alguns exemplos de atividades para colocar em prática, porém caso você queira um conhecimento mais aprofundado, vale a pena conferir nosso Curso Online Psicomotricidade na Educação Infantil.

Criando jogos psicomotores para a educação infantil

A melhor forma de trabalhar a capacidade motora das crianças é por meio de jogos psicomotores. Estes misturam aprendizado com brincadeiras, o que deixa as dinâmicas mais atrativas e divertidas, algo essencial nos primeiros anos de vida.

Sendo assim, quando for realizar exercícios em sala de aula opte por atividades que valorizem:

  • a descoberta do próprio corpo;

  • o controle da respiração;

  • a velocidade na realização de movimentos;

  • a ajuda para com os demais colegas da sala;

  • o uso de sons;

  • o uso de objetos, como bolas e cordas;

  • a percepção espacial, utilizando desenhos ou materiais modeláveis etc.

Tudo isso pode ser feito por meio de atividades isoladas ou integrando vários movimentos em circuitos, que podem funcionar como gincanas. Os exemplos de como fazer isso estão no próximo tópico.

Não existe mistério na hora de montar um circuito psicomotor infantil. Você pode pensar em atividades para realizar na própria sala de aula ou levar as crianças até a quadra ou o jardim da escola, caso precise de mais espaço.

Aqui a dica é alternar as atividades. Se começar com um exercício de equilíbrio, o próximo pode trabalhar algum dos reflexos corporais e o seguinte exigir um pouco de força, por exemplo. Também se lembre de sempre incentivar o trabalho em equipe.

Circuito 1

  1. jogo de amarelinha;
  2. caça ao tesouro;
  3. jogo amarrar e desamarrar;
  4. repetir uma sequência de sons.

Circuito 2

  1. corrida do saco;
  2. jogo de bater palmas;
  3. fazer um autorretrato;
  4. andar com um pé só.

Circuito 3

  1. andar sobre uma linha reta desenhada no chão;
  2. jogo do passa anel;
  3. jogo para reproduzir movimentos;
  4. cantar cantigas.

Circuito 4

  1. passar por cima de pneus;
  2. fazer formatos geométricos em massa de modelar;
  3. engatinhar em um túnel de pano;
  4. jogo para acertar a bola em um cesto.

Circuito 5

  1. pular corda;
  2. juntar as partes de um boneco desmontado;
  3. fazer movimentos com bambolês;
  4. identificar o cheiro de algum ingrediente.

Os certificados do Educamundo podem ser usados para:

Prova de Títulos em Concursos Públicos

Horas complementares para faculdades

Complemento de horas para cursos técnicos

Progressão de carreira em empresas

Turbinar seu currículo

Revolucionar sua vida profissional e acadêmica

Jogos para alfabetizar brincando

Além das atividades para melhorar o controle das crianças sobre o próprio corpo, é possível utilizar jogos psicomotores para trabalhar o processo de leitura. Abaixo você conferir algumas opções para usar em sala de aula e alfabetizar brincando:

  1. recortar letras coloridas e pedir para as crianças formarem palavras usando cores iguais;

  2. determinar um movimento para cada vogal e pedir para as crianças reproduzirem;

  3. escrever sílabas em copos coloridos e dizer para o grupo empilhar os objetos formando uma palavra;

  4. usar o jogo da memória para diferenciar vogais e consoantes.

Jogos de aprendizagem são importantes para desenvolver a curiosidade infantil, ao mesmo tempo em que trabalham o desenvolvimento cognitivo. Eles são uma ferramenta pedagógica que trabalha a autonomia, a concentração, a cooperação, o raciocínio e as habilidades psicomotoras da criança. 

Gostou das opções de atividades que listamos ao longo do artigo? Todas elas são de fácil execução e ajudam a tornar a educação infantil mais dinâmica. Sendo assim, não perca tempo e comece a colocá-las em prática.

Caso queira ampliar seus conhecimentos sobre o processo de aprendizagem para crianças, aqui no Educamundo temos diversas opções de cursos online voltadas ao tema. O melhor é que você investe apenas uma taxa única de R$ 69,90 e tem acesso a todos os cursos do Pacote Master durante um ano.

Portanto, faça já sua inscrição na plataforma, capacite-se e melhore sua forma de ensino ao aprender com um portal que é referência em cursos online com certificado.

Источник: https://www.educamundo.com.br/blog/atividades-psicomotoras

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: