Qual o melhor chocolate para saúde

Qual é o chocolate mais saudável? Conheça os tipos e escolha o melhor para você!

Qual o melhor chocolate para saúde

Você está tentando consumir menos açúcares no dia a dia, mas não consegue abrir mão do delicioso chocolate? Não é para menos! Essa iguaria, tão saborosa, está presente na rotina de muitas pessoas e, como não é difícil de imaginar, é a mais apreciada no mundo todo. Por isso, não é surpresa que você – e outros tantos “chocólatras de plantão” – não queira parar de comer chocolate tão cedo na vida!

E a boa notícia é que, acredite, depois de ler esse artigo, você nem precisa mais cogitar essa ideia. Você sabia que existem vários tipos de chocolate e que, dentro dessas opções, você pode escolher qual é o mais saudável para consumir? Além do sabor característico, cada chocolate possui composições distintas e atuam no nosso organismo de maneiras diferentes.

Por isso, fazendo uma boa escolha, aliada a um pouquinho mais de informação e uma dose de moderação, é possível aproveitar a degustação de chocolate sem culpa e manter a saúde, pele e corpo sempre em excelente forma.

Além disso, apesar de já ter sido considerado um vilão para a saúde e de dietas, a grande verdade é que o chocolate, se for consumido de forma moderada e do tipo certo, pode até ser benéfico ao nosso organismo.

Quer saber quais são os tipos existentes para apreciar essa deliciosa iguaria e descobrir qual é o chocolate mais saudável para consumo? Então, continue de olho nos próximos parágrafos que nós te contamos tudo!

Como escolher o chocolate mais saudável? Confira as dicas!

Antes de saber qual é o chocolate mais saudável, é preciso que você entenda quais são os benefícios dessa iguaria para a nossa saúde.

Dentre eles, podemos citar a sua ação anti-inflamatória, antioxidante, vasodilatadora, que estão diretamente associados aos compostos fenólicos e ao seu teor de cacau, responsáveis pelo gostinho amargo do chocolate.

Por isso, na hora de escolher o chocolate mais saudável para você incluir na rotina, é preciso escolher entre os tipos que possuam em sua composição pelo menos 50% de cacau (no caso de crianças) ou 70% (no caso de adultos). Então, vamos resumir as dicas para você ir às compras e consumir o seu doce sem culpa:

  • Escolha sempre chocolates que possuam em sua composição 70% ou mais de cacau;
  • Evite aqueles que possuam em sua fórmula adoçantes tóxicos, tais como sacarina, ciclamato e aspartame;
  • Compre o que tiver menor quantidades de açúcar. Mesmo que tenha 70% de teor de cacau, é preciso evitar aqueles que têm o açúcar em primeiro lugar na lista de ingredientes;
  • Se a ideia for comprar ovos recheados de chocolate, a dica é procurar sempre por aqueles que possuam frutas secas e castanhas no recheio;
  • Tome bastante cuidado com chocolates que tenham na embalagem aqueles nomes “esquisitos” de conservantes, pois fazem mal à saúde;
  • Evite também aqueles que possuam gordura vegetal hidrogenada (a chamada gordura “trans”) ou que contenham gordura anidra de leite;
  • Para crianças, é bom que você saiba que o chocolate precisa ter, pelo menos, 50% de teor de cacau em sua composição e ser livre de açúcares. No entanto, como criança é criança, você pode até comprar aqueles que possuam esse ingrediente. Mas vale lembrar que o consumo de açúcar só é liberado para crianças a partir dos 2 anos de idade e, ainda, que é preciso respeitar o horário de alimentação na hora de introduzir a iguaria na rotina dos pequenos.

As diferenças entre os tipos de chocolate

Agora que você já sabe as dicas para escolher qual é o chocolate mais saudável para você, chegou a hora de conhecer os tipos de chocolate e suas principais diferenças entre si. Ficar bem informado sobre isso o ajudará a não errar na hora de ir às compras. Confira:

Chocolate ao leite: Possui em sua composição, pelo menos, 25% de pó de cacau. No entanto, por também conter leite, é considerado rico em colesterol e gordura saturada. Além disso, essa versão da iguaria também contém muitas gorduras hidrogenadas e bastante açúcar.

Chocolate meio amargo: Possui em sua composição, pelo menos, 40% de pó de cacau. Além disso, contém menos açúcar e leite em relação anterior. Porém, as quantidades de pó de cacau ainda não são consideradas ideais para obter os benefícios do cacau à saúde.

Chocolate amargo: Possui em sua composição, pelo menos, 70% de pó de cacau. Ainda, este tipo de chocolate não possui leite em sua fórmula, além de ter menos gorduras e açúcar. Por isso, quando consumido em doses moderadas, isto é, na quantidade de até 30 gramas por dia, pode trazer vários benefícios à saúde.

Chocolate branco: Não possui em sua composição o pó de cacau. Na realidade, essa versão é feita a partir de açúcar e manteiga de cacau, apenas, e, em alguns casos, infelizmente, ainda contém boas quantidades de gorduras hidrogenadas, o que faz desse tipo de chocolate o pior para a saúde.

Chocolate de soja: Esse tipo de chocolate possui alto poder antioxidante, além de bastante proteína, o que o torna indicado especialmente para quem tem intolerância à lactose. Essa versão também possui baixo teor de sódio.

Chocolate de alfarroba: A alfarroba tem características semelhantes ao cacau. Por isso, ela passou a substituir este em dietas de intolerantes ao fruto.

A alfarroba é rica em vitaminas B1 e B2, que ajudam a melhorar o funcionamento dos músculos, do sistema nervoso, do raciocínio e do coração.

Ainda, contém excelentes quantidades de nutrientes que auxiliam no funcionamento do intestino.

Chocolate light: Normalmente, o chocolate light contém uma diminuição na quantidade de um de seus ingredientes ou valor energético. Por isso, é crucial ler a embalagem com atenção.

Chocolate diet: Já esse tipo de chocolate é mais recomendado para pessoas diabética, já que não possui açúcar em sua fórmula. No entanto, é preciso ficar atento! Isso porque, em contrapartida, ele possui maior teor de gordura e, portanto, mais calorias que um chocolate comum.

Então, qual é o chocolate mais saudável?

Como dissemos, o chocolate mais saudável sempre será aquele que contém uma maior quantidade de cacau, que é o ingrediente responsável por todos os benefícios à saúde. 

Por isso, na hora de escolher o seu no supermercado, a dica é sempre optar por aquele que contenha, pelo menos, 70% de pó de cacau em sua composição. Isso quer dizer que o chocolate mais saudável é o chocolate amargo.

Entre os efeitos benéficos do chocolate amargo, podemos citar a redução do risco de doenças cardiovasculares e do câncer. Ainda, esse tipo de chocolate ajuda a proteger o cérebro e é de grande auxílio na redução do colesterol ruim e da pressão arterial.

Todos esses benefícios acontecem pelo fato de o chocolate amargo contar com boas quantidades de pó de amêndoa de cacau em sua fórmula, que, por sua vez, é uma excelente fonte de flavonoides, um poderoso antioxidante que traz esses benefícios à saúde listados. 

Lembrando que, para isso, você precisa consumi-lo sempre com moderação, isto é, na quantidade de até 30 gramas por dia.

E aí? Gostou de saber qual é o chocolate mais saudável para consumir no dia a dia? Então, compartilhe esse artigo com os seus amigos nas redes sociais, para que eles descubram que é possível comer chocolate à vontade e sem culpa!

Posts Relacionados:

  • Chocolate vs TPM
  • Conheça a História do Chocolate

Источник: https://amochocolate.net/chocolate-mais-saudavel/

Precisa de uma razão para comer chocolate? Damos-lhe nove

Qual o melhor chocolate para saúde

A Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP) refere na sua página oficial que nove em cada dez pessoas gostam de chocolate, sendo que metade destas tem mesmo compulsão pela sua ingestão. Sabia que todos os dias, no mundo inteiro, um bilião de pessoas consome chocolate?

Porque é que não estamos surpreendidos? De facto, o seu papel na sociedade atual é de grande destaque, apesar de a sua história vir de longe, e até há uma dia destinado à sua celebração: 7 de julho.

O chocolate é ingerido de todas as formas possíveis e nos mais variados momentos, sejam de stresse, felicidade ou também de tristeza. E apesar do seu consumo estar comummente associado a efeitos negativos para a saúde –excesso de peso, diabetes, problemas dentários e até reações cutâneas – a verdade os benefícios do chocolate são reais e recomendam-se. Mas como assim?

É sobretudo necessário atentar a dois fatores essenciais: a quantidade que se consome e o tipo de chocolate escolhido.

Efetivamente, é verdade que o chocolate em excesso terá todos os efeitos negativos já mencionados e mais ainda. Para fazer parte da sua dieta deve então ser consumido em moderação. Um quadrado por dia será o suficiente.

Mas existem diferentes tipos de chocolate – de leite, branco, ruby ou rosa e amargo – com composições igualmente distintas. Segundo os especialistas é este último, o chocolate amargo, também conhecido como chocolate negro ou preto, que devemos privilegiar.

Na verdade, os benefícios do chocolate devem-se unicamente ao seu fruto base: o cacau, considerado mesmo um superalimento. Ora quanto maior a concentração de cacau mais saudável será o alimento (por se tratar de um poderoso antioxidante), e menor será teor de açúcar estará presente.

Antioxidantes: o que são, o que fazem e onde os encontrar

Assim, enquanto que os restantes tipos de chocolate têm normalmente até 30% de cacau na sua composição, juntamente com açúcar, leite e manteiga, o chocolate amargo deve ter pelo menos 70% de cacau, até para se conseguirem obter os benefícios do chocolate. Pode encontrar alguns, inclusivamente, com 99% deste ingrediente.

Como os benefícios do chocolate se devem exclusivamente ao cacau, este deverá ser sempre o ingrediente principal a privilegiar a escolha do mesmo. Agora já sabe, chocolate em moderação e sempre amargo.

1. Ajuda a perder peso

Pode parecer um contrassenso, mas é mesmo verdade. Senão veja: comer um pequeno quadrado deste tipo de chocolate antes de uma refeição, por exemplo, vai dar a informação ao cérebro de que está cheia, aumentando a sensação de saciedade. Desta forma, diminui-se a quantidade de comida ingerida posteriormente, permitindo a regulação do peso.

2. Reduz os níveis de mau colesterol

A investigação mostra que o consumo de chocolate preto pode ajudar não só a baixar os níveis de LDL, mais conhecido como mau colesterol, como aumenta mesmo os níveis de bom colesterol ou HDL.

Para além do seu efeito antioxidante, que previne a formação de placas de gordura nas artérias (aterosclerose) o cacau é ainda um cardioprotetor.

3. Protege o coração

O chocolate amargo ajuda a prevenir as doenças cardiovasculares e até o risco de ataque cardíaco. Uma vez que os componentes deste ajudam a controlar o colesterol, a longo prazo levará a que haja menos LDL nas artérias, reduzindo o risco de doença cardíaca.

Também devido às suas propriedades anti-inflamatórias se promove um fluxo adequado de sanguíneo.

4. Melhora a função cerebral

Está comprovado que o consumo de chocolate negro melhora a cognição e impede a perda de memória. Assim, para além de se estimular a função cerebral pelo aumento de sangue no cérebro, certas substâncias aqui presentes reduzem o declínio da memória em pessoas mais velhas, prevenindo o Alzheimer. O cérebro mantém-se assim saudável e jovem.

Viver com Alzheimer é muito mais do que esquecer o presente

5. Pode prevenir a diabetes

O chocolate amargo em moderação pode atrasar ou impedir o aparecimento da diabetes, uma vez que estabiliza os níveis de glicose na circulação sanguínea.

Por outro lado, melhora a sensibilidade à insulina, hormona associada não só a esta doença como a a inflamações e à acumulação de gordura abdominal.

6. Controla a pressão arterial

O cacau é rico em potentes antioxidantes que inibem uma enzima reconhecida por aumentar a pressão sanguínea.

Assim, há uma diminuição da pressão arterial e melhor circulação do sangue, uma vez que se consegue o relaxamento das artérias.

7. Protege a pele do sol

Comer chocolate amargo é bom para a sua pele. Os flavonoides, compostos bioativos do cacau, aumentam a densidade de hidratação desta, protegendo-a contra os danos da radiação UV.

Antes de ir para a praia coma um quadrado de chocolate, mas, claro, não dispense o protetor solar.

8. Ajuda prevenir o cancro

Ainda são poucos os estudos que indicam que o chocolate amargo possui propriedades que auxiliam na proteção de certos tipos de cancro, mas têm vindo a aumentar.

Os antioxidantes do cacau protegem as células dos danos causados pelos radicais livres, dos quais já deve ter ouvido falar. Estas moléculas de oxigénio que se pensa estarem ligadas esta patologia são também responsáveis pelo envelhecimento da pele.

9. Aumenta a sensação de bem-estar

Finalmente, um último benefício do chocolate não menos importante: aumenta a sensação de bem-estar, melhorando a disposição e o humor, e aliviando os níveis de stress.

Como? O chocolate estimula a libertação de alguns neurotransmissores, entre eles endorfinas – hormonas que reduzem o stresse, diminuem a dor e induzem a satisfação. Também a serotonina enquanto neurotransmissor se destaca, pelo seu efeito antidepressivo.

Inspire-se nestas receitas de bolo de chocolate

Mas já sabe, sempre amargo

Источник: https://www.saberviver.pt/comida/nutricao/beneficios-do-chocolate-para-a-sua-saude/

É mito ou verdade? Chocolate amargo faz bem para a saúde?

Qual o melhor chocolate para saúde

O chocolate amargo pode ser o melhor amigo de quem adora uma sobremesa, mas sem deixar de lado a saúde.

Rico em nutrientes e em sabor, esse alimento faz bem ao corpo e ao paladar. Confira a seguir um pouco mais sobre a história desse ingrediente milenar, entenda quais benefícios ele proporciona e qual quantidade você pode consumir diariamente. 

O que é o chocolate amargo e como é feito? 

Apesar de não existir uma norma ou legislação, o consenso é que, para ser considerado amargo, o chocolate precisa ter pelo menos 70% de cacau em sua fórmula (embora alguns fabricantes comecem a considerar os amargos a partir de 50%).

O produto é feito com grãos de cacau torrados, pouco açúcar e, preferencialmente, sem nada leite. Quanto mais cacau, menor o teor de açúcar em sua formulação. A pureza do chocolate varia bastante, mas existem opções no mercado com até 99% cacau em sua composição. 

Esse tipo de chocolate se aproxima mais do sabor do alimento em sua origem asteca. A bebida amarga bebida consumida por esses povos — xocolatl, que significa água amarga — deu origem à mistura de cacau, que é tão popular nos dias de hoje. 

De onde vem o chocolate?

Para resgatar suas raízes, é importante relembrar que o cacau é uma planta nativa. É fruto de uma região que vai do México, atravessando a América Central e adentrando a região tropical da América do Sul.

O ingrediente milenar tem seus primeiros vestígios datados de 1.500 a.C. Nasceu numa civilização Olmeca, que habitava nesse período o que entendemos hoje como México. 

Posteriormente, o alimento foi incorporado pelos Maias. Assim, o cacau passou a ser cultivado por eles e a bebida, feita com suas sementes, era considerada sagrada.

A mistura, chamada pelos astecas de xocolatl, levava ainda baunilha e pimenta em suas receitas. Em cerimônias religiosas, o cacau torrado era servido com outras especiarias, como o mel. 

Atualmente, o chocolate atravessa questões culturais e ganha espaço nos paladares em todo o mundo. Ele vem em diferentes versões e possui incontáveis modos de fabricação.

Mesmo se tratando do chocolate amargo, exclusivamente, existem diferentes processos produtivos, fórmulas, teor de cacau e complementos. 

Como é feito o chocolate amargo?

De forma geral, a criação dessa guloseima tão cobiçada começa quando as frutas do cacau são quebradas e retiradas da semente. Esse é o substrato base do chocolate, mas, nesse ponto, ainda estão bem amargas.

No processo de produção dos chocolates meio amargos e das versões ao leite, a receita ganha dosagens de açúcar e leite. A torra do cacau também influencia o sabor do chocolate, assim como nos diferentes cafés.

Geralmente, os chocolates amargos sofrem a torra a diferentes temperaturas, para que o amargor fique mais pronunciado no produto final. O Brasil se destaca como produtor cacaueiro por conta do clima tropical, tendo ambientes ideais para o cultivo.

Hoje, o país é o maior produtor da América do Sul e um dos maiores do mundo. Não é coincidência que existem chocolates amargos brasileiros premiados no International Chocolate Awards.

Quais os benefícios do chocolate amargo?

Quanto maior o teor de cacau no chocolate, mais puro ele é. Assim, possui uma quantidade menor de açúcar e maior de antioxidantes e nutriente benéficos. É fonte rica de minerais, como cobre, ferro, magnésio e manganês.

O zinco, selênio e potássio, por exemplo, também estão presentes em menores quantidade. Uma pesquisa feita pela Universidade de Loma Linda aponta que, entre os aspectos positivos no consumo de chocolate amargo, estão: melhora no estresse, memória, humor, imunidade.

São beneficiados ainda os sistemas cognitivo, endócrino e cardiovascular. Por isso, recomenda-se o consumo de uma porção diária para garantir os benefícios à saúde listados abaixo:

O chocolate amargo pode ser um aliado para queima de gordura. Isso, porque aumenta o funcionamento do metabolismo, fazendo com o que o organismo utilize mais calorias para realizar suas atividades diárias. 

De acordo com um estudo Holandês, publicado na US National Library of Medicine, promover a sensação de saciedade é um dos benefícios do chocolate amargo, justamente por seu efeito na digestão.

Além disso, os flavonoides presentes em sua composição causam uma diminuição da resistência à insulina. Isso, por sua vez, retarda a fome logo após o consumo de açúcar.

Assim, regulando os índices de glicose no sangue, evita a liberação excessiva da insulina. Esse hormônio está relacionado a inflamações e acúmulo de gordura abdominal. 

Faz bem pro coração

Um estudo publicado em Melbourne, na Austrália, demonstra alguns bens causados ao órgão. Primeiramente, consumir chocolate amargo duas vezes por semana já é suficiente para reduzir o risco de morte por doenças ligadas ao coração, como o infarto.

Em segundo lugar, é rico em catequinas e procianidinas, substâncias antioxidantes. Tais compostos são responsáveis por inibir uma enzima que eleva a pressão sanguínea.

Em outras palavras, o chocolate amargo ajuda a controlar a pressão arterial. Além disso, a ingestão de chocolates com alto teor de cacau, pode ajudar a aumentar o bom colesterol (HDL) e reduzir o mau colesterol (LDL)

Rico em antioxidantes

O chocolate amargo é um dos alimentos com maior potencial antioxidante. Possui índices maiores que do açaí e do mirtilo, por exemplo.

Assim, combate os radicais livres. Entre os benefícios listados, diminui o risco de câncer e problemas cardiovasculares e também evita o envelhecimento celular precoce.

Um dos benefícios mais conhecidos do chocolate é a capacidade de liberar substâncias que aumentam a sensação de bem-estar. Na lista estão: a endorfina, que reduz o estresse, e a serotonina, um potente antidepressivo.

Por último, libera a anandamida, conhecida como “substância da felicidade” por possuir propriedades ansiolíticas, antidepressivas e analgésicas. Além disso, o alimento é rico em aminoácidos que estimulam certos hormônios relacionados ao relaxamento e redução da ansiedade. 

Quanto de açúcar tem no chocolate amargo?

Maior o teor de cacau, menos açúcar no chocolate. Confira um pouco mais sobre os ingredientes em cada tipo de chocolate: 

Chocolate amargo: também chamado de dark ou negro, é o que possui maior concentração de cacau e nutrientes. Normalmente, com percentuais acima dos 70%, afinal sua produção leva pouco açúcar e exclui o leite na formulação.

Dessa forma, é o chocolate com maior benefício à saúde, sendo o único que garante as propriedades listadas acima. Sua característica marcante é o sabor amargo, que se deve à quantidade de massa de cacau ou licor de cacau em sua receita.

É o mais calórico, porém mais saudável. Afinal de contas, uma alimentação com menos calorias, não é necessariamente uma alimentação saudável. Uma porção de 30g fornece 179 calorias, e contém apenas 7.2g de açúcar total. 

Chocolate meio amargo: concentra uma menor quantidade de cacau em relação aos chocolates amargos, porém ainda superior às formulações ao leite.

Costuma ter em torno de 50% de cacau em sua composição, pouco açúcar e um sabor menos acentuado. Uma porção de 30g desse chocolate fornece 164 calorias, mas possui 14.3g de açúcar total. 

Chocolate ao leite: os chocolates ao leite, por sua vez, têm parte da massa de cacau substituída por leite em pó. O teor de cacau nesse tipo de chocolate, varia entre 25% e 46%, na maioria das vezes.

Mas ainda existem outras variações que incluem licor, manteiga de cacau e outros ingredientes. O produto final é o popular do mercado, conhecido por sua textura cremosa e um sabor doce bem característico.

Apesar desse número variar muito conforme a receita, em média, uma porção de 30g de chocolate ao leite possui 160 calorias e tem 15.4g de açúcar. 

Chocolate branco: não é oficialmente considerado um chocolate. É feito com manteiga de cacau, e não a massa de cacau. Em sua composição, leva ainda leite, açúcar e lecitina. Em suma, é o mais doce e cremoso dentre os listados.  

Ele não possui antioxidantes ou efeitos positivos e possui maior dosagem de açúcar e gordura. A mesma porção de 30g, fornece 162 calorias e 17.7g de açúcar. 

Qual a quantidade de chocolate amargo por dia?

Com tanto benefícios, é possível consumir chocolate à vontade? Infelizmente, para manter suas propriedades benéficas, é preciso comer com moderação. Afinal, como já diriam nossos avós, tudo que é demais, sobra, não é mesmo?

O chocolate amargo, mesmo sendo mais saudável, ainda é uma fonte rica em calorias e gorduras saturadas. Se consumido em excesso, pode causar um efeito contrário à saúde. A porção diária recomendada é de 25g a 30g, no máximo.

Essa quantidade, é mais que suficiente para você obter todos os benefícios, sem desequilibrar a dieta ou inserir calorias demais na alimentação. 

Por fim, um dos principais problemas do consumo excessivo de chocolate é o sobrepeso. Somado às quantidades de açúcar, pode-se elevar o colesterol e os triglicerídios no sangue, aumentando o risco de diabetes.

De imediato, o chocolate pode ainda causar dor de cabeça, pois é rico em aminas vasoativas, que causam dilatação das veias cerebrais. E, finalmente, o excesso de chocolate pode aumentar a propensão a cálculos renais porque o alimento é rico em oxalato. 

Portanto, é só maneirar na dose e lembrar que, para manter a saúde em dia, é preciso investir em uma alimentação balanceada, praticar exercícios físicos, possuir uma rotina de sono reparador, entre outros hábitos equilibrados. Na dúvida, consulte um profissional da nutrição. 

Veja todas nossas opções feitas com chocolate

Источник: https://blog.livup.com.br/chocolate-amargo-faz-bem-para-a-saude-o-que-e-mito-e-o-que-e-verdade/

Chocolate ajuda a proteger o coração e dar sensação de bem estar

Qual o melhor chocolate para saúde

Um dos principais benefícios do chocolate é fornecer energia ao organismo porque ele é rico em calorias, mas existem diferentes tipos de chocolate que têm composições muito diferentes e, por isso, os benefícios para a saúde podem ir variando de acordo com o tipo de chocolate. Os tipos de chocolate que existem são o branco, de leite, ruby ou rosa, meio amargo e amargo.

Trinta gramas de chocolate têm em média 120 calorias. Para que estas calorias não se tornem gorduras acumuladas, o ideal é comer o chocolate no café da manhã ou no máximo como sobremesa após o almoço, pois assim, estas calorias serão gastas durante o dia. Se comer o chocolate a noite, quando o corpo fica em repouso, estas calorias à mais provavelmente serão depositadas como gordura.

Os benefícios do chocolate estão presentes especialmente no chocolate amargo e meio amargo, devido à sua maior concentração de cacau:

  1. Melhora a saúde do coração porque promove um fluxo adequado de sangue devido aos potentes antioxidantes do grupo dos flavonoides que possui, que são as catequinas, epicatequinas e procianidinas;
  2. Estimula o sistema nervoso central e os músculos cardíacos, pois possui teobromina, que é uma substância com ação semelhante à cafeína;
  3. Aumenta a sensação de bem estar, pois ajuda a libertar o hormônio serotonina;
  4. Diminui a pressão arterial e melhorar a circulação sanguínea pois produz óxido nítrico, que é um gás que permite relaxar as artérias;
  5. Aumenta o colesterol bom HDL e diminuir o colesterol ruim, além de evitar a formação de placas de aterosclerose devido ao seu efeito antioxidante e cardioprotetor;
  6. Melhora a função cerebral por aumentar o fluxo de sangue para o cérebro devido às substâncias estimulantes como a cafeína e a teobromina, que também previnem o Alzheimer;
  7. Protege a pele do sol graças aos seus compostos bioativos como os flavonóides, que protegem a pele contra os danos da radiação UV;
  8. Diminui a fome, sendo uma ótima opção para quem está querendo emagrecer, desde que consumido com moderação.

Para ter todos os benefícios do chocolate amargo basta comer um quadradinho de chocolate amargo ou meio amargo por dia, o que equivale a cerca de 6 g.

Saiba mais sobre os benefícios do chocolate, neste vídeo:

Chocolate branco tem benefícios?

O chocolate branco é feito somente com a manteiga do cacau e por isso não tem os mesmos benefícios que o chocolate ao leite, amargou ou meio amargo. Apesar disso, ele não tem cafeína o que pode ser uma vantagem, especialmente para pessoas que não abrem mão de comer chocolate mas não podem consumir cafeína depois das 17 horas da tarde, por exemplo.

Informação nutricional do chocolate

Valor nutricional por 25g de chocolateChocolate brancoChocolate de leiteChocolate Ruby ou rosaChocolate meio amargoChocolate amargo
Energia140 calorias134 calorias141 calorias127 calorias136 calorias
Proteínas1,8 g1,2 g2,3 g1,4 g2,6 g
Gorduras8,6 g7,7 g8,9 g7,1 g9,8 g
Gordura saturada4,9 g4,4 g5,3 g3,9 g5,4 g
Carboidratos14 g15 g12,4 g14 g9,4 g
Cacau0%10%47,3 %35 a 84%85 a 99%

Diferença entre os principais tipos de chocolate

As diferenças entre os tipos de chocolate existentes são:

  • Chocolate branco – não tem cacau e tem mais açúcar e gordura.
  • Chocolate ao leite – é o mais comum e tem alguma quantidade de cacau, leite e açúcar.
  • Chocolate Ruby ou rosa – é um novo tipo de chocolate que contém 47,3 % de cacau, leite e açúcar. Sua coloração rosa é natural, pois é feita a partir do grão de cacau Ruby, e não possui aromatizantes nem corantes. Além disso, tem um sabor característico de frutos vermelhos. 
  • Chocolate meio amargo – é o que tem 40 a 55% de cacau, pouca quantidade de manteiga de cacau e açúcar.
  • Chocolate negro ou amargo – é o que tem mais cacau, entre 60 a 85%, e menos açúcar e gordura.

Quanto mais cacau o chocolate tiver, mais benefícios terá para a saúde, por isso os benefícios do chocolate meio amargo e negro são maiores que os outros tipos.

Receita de mousse saudável

Esta é a melhor receita de mousse de chocolate porque é econômica e tem apenas 2 ingredientes, o que aumenta o teor de chocolate e seus benefícios para saúde.

Ingredientes

  • 450 ml de água fervente
  • 325 g de chocolate negro para culinária

Modo de preparo

Basta adicionar a água fervida ao chocolate partido em pedacinhos e ir misturando com um batedor de claras. O chocolate irá derreter e inicialmente ficará líquido mas aos poucos deverá ganhar mais consistência.

Isso acontece em cerca de 10 minutos após continuar mexendo a mistura. Para esfriar um pouco mais rápido você pode colocar a taça onde está o chocolate numa outra taça maior com água gelada e cubos de gelo enquanto bate a mistura.

Se achar que o sabor está muito amargo, poderá acrescentar uma pitada de sal para diminuir o amargo e intensificar o sabor do chocolate.

Ficou alguma dúvida? Clique aqui para ser respondido.

Источник: https://www.tuasaude.com/beneficios-do-chocolate/

Chocolate: 12 boas (e más) notícias para sua saúde

Qual o melhor chocolate para saúde

É chocolate, mas pode chamar de perfeição. Um estudo de 2012 da Universidade da Califórnia, em San Diego, apontou que os voluntários que comeram pequenas porções de chocolate, duas vezes por semana, apresentaram Índice de Massa Corporal (IMC) menor que os demais pesquisados.

Estavam mais magros que os que exageravam na dose – claro -, mas também em relação aos que não costumavam provar o doce. A média de IMC dos participantes em geral era de 28, considerada sobrepeso. Já a dos que comiam moderadamente o chocolate era de 21.

O estudo analisou os hábitos alimentares de 972 homens e mulheres, com idades entre 20 e 85 anos. Difícil é ficar nos limites recomendáveis. Segundo a nutricionista Vanderli Marchiori, para emagrecer e ter um consumo saudável, o certo é ingerir 30 gramas por dia. E do chocolate certo: com, pelo menos, 60% de cacau.

Lembre-se disso quando estiver diante de uma barra de chocolate de 170 gramas – que pode ser uma bomba de açúcar e gordura.

2. Dá espinha?

Espinhas têm a ver com alterações hormonais. Isso pode ser agravado em períodos de stress e ansiedade, situações em que as glândulas sebáceas produzem mais óleo. Ou seja: o stress dá vontade de chocolate, mas o que dá espinha não é comer o chocolate. É o próprio stress. O doce acaba levando a culpa por associação.

3. Vai uma barata aí?

Você não vai achar o ingrediente em nenhuma receita, mas, desculpe informar: pode haver pedaços de barata no seu chocolate.

Segundo a Food and Drugs Administration, a Anvisa dos EUA, uma barra contém, em média, oito pedacinhos do inseto.

A invasão acontece durante o armazenamento do cacau – e baratas podem acabar moídas no processamento do chocolate. De qualquer forma, isso não traz riscos para a saúde.

4. Chocolate após tatuagem – melhor evitar

Quem já fez sabe: há toda uma série de cuidados que devem ser tomados nos primeiros dias de tatuagem no corpo. Mas pouca gente se preocupa com a alimentação nessa fase. E quitutes gordurosos como o chocolate devem ser evitados. A gordura presente ali dá uma canseira no fígado e prejudica a cicatrização, deixando seu corpo suscetível a infecções por mais tempo.

5. Alívio na TPM

Mulheres que sofrem demais no período de Tensão Pré-Menstrual podem, sim, se beneficiar do chocolate.

É que, durante essa fase do mês, há uma redução de algumas vitaminas e minerais no corpo da mulher – o que explica o fato de elas buscarem alimentos que supram essas carências. Cerca de 45% das mulheres apresentam maior compulsão por doces nesse momento.

Como o chocolate. Ele compensa a redução dos níveis de magnésio. E, de quebra, ainda mexe com a serotonina e a endorfina, promovendo uma sensação de bem-estar.

6. Posso dar chocolate para criança pequena?

Calma nessa hora. Vale a pena resistir à ideia de satisfazer o pequerrucho durante algum tempo, pelo menos. Oferecido precocemente, o chocolate pode favorecer o surgimento de manifestações alérgicas – como secreção nas vias aéreas e até manchas na pele.

E tem um problema bomba-relógio aí. Na primeira infância, o consumo de doces acostuma o paladar dos pequenos, que passam a rejeitar alimentos menos estimulantes – como frutas, verduras e legumes. Você estará criando uma bomba.

Espere até depois dos 2 anos que já é razoável.

Continua após a publicidade

7. Te salva da leseira pós-almoço

Exames de encefalograma da Northern Arizona University com 122 voluntários exibiram imagens do cérebro desses indivíduos, e elas não deixaram dúvida: os que consumiram chocolate com alta porcentagem de cacau estavam mais alertas. “Muitos de nós ficam um pouco sonolentos à tarde e não conseguem prestar atenção, particularmente estudantes, então a dica é comer um chocolate amargo”, afirmou Larry Stevens, professor de psicologia da universidade.

8. Futuras mamães também podem

Se a grávida não tiver diabete gestacional, pode comer chocolate, sim.

“Consumindo eventualmente, pode até comer chocolate ao leite, embora a preferência seja pelo mais saudável, que é o amargo, com 60% de cacau”, explica a nutricionista Vanderli Marchiori. “Mas essa recomendação serve para todo mundo.

A grávida, pela fase de transformações no corpo, só deve ficar ainda mais atenta à própria alimentação, que tem consequências diretas na saúde do bebê.”

9. O diet não diminui a cintura

tetraimages/Getty Images

O termo diet é uma ilusão da indústria. Quem consome frequentemente de refrigerante desse tipo engorda. Com o chocolate, a questão é ainda mais evidente. O diet é produzido especialmente para o diabéticos, por isso não contém açúcar na composição.

Só que os fabricantes compensam na gordura, o que pode deixar um chocolate diet mais calórico que um convencional. Então, se a sua ideia é emagrecer comendo o doce, siga a primeira dica nesta matéria, na página à esquerda, vá com chocolate de qualidade, e coma como um passarinho.

10. Quem não deveria comer

É chato, mas tem gente que, para o bem da própria saúde, deveria evitar chocolate. É o caso de pessoas com problemas graves no fígado, como a cirrose. Quando o órgão está muito gorduroso, sentimos um mal-estar geral, inchaço na barriga, dor no lado direito do abdômen, além de vômitos.

Durante o tratamento, é recomendável evitar qualquer alimento gorduroso. Mesmo que o alimento em questão seja um famoso pelas gorduras saudáveis, como o azeite de oliva extra virgem. Para o órgão doente, gordura é gordura, e ponto.

Chocolate, mesmo os melhores, tem manteiga de cacau, que é a gordura extraída da prensagem da semente do cacau. Então…

11. Contra o Alzheimer

Tomar duas xícaras de chocolate quente por dia melhora o fluxo sanguíneo no cérebro de pessoas idosas, o que pode dar o empurrão que faltava para o velhinho aperfeiçoar a memória – e finalmente achar aqueles óculos que andavam sumidos. A conclusão é da Academia Americana de Neurologia. “Essa relação pode cumprir um importante papel na prevenção de doenças como o Alzheimer”, diz Farnazeh A. Sorond, autora responsável pelo estudo.

12. Coração blindado

Embora pesquisas anteriores já viessem dando indicações nesse sentido, um estudo da Universidade de Cambridge foi mais conclusivo na afirmação de que, sim, o chocolate faz bem ao coração. E não só porque nos deixa mais felizes.

Foram analisados sete estudos anteriores, envolvendo mais de mil participantes.

E os resultados foram animadores – pelo menos para os chocólatras: o consumo de chocolate está associado à redução de 37% dos riscos de doenças cardíacas, além de contribuir para a queda de 29% das chances de acidente vascular cerebral (AVC). Repetindo: desde que consumido com parcimônia.

Continua após a publicidade

  • Benefícios dos alimentos
  • Chocolate
  • Saúde e Corpo Humano

Источник: https://super.abril.com.br/saude/chocolate-12-boas-e-mas-noticias-para-sua-saude/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: