Rapadura é melhor que açúcar

Os 11 tipos de açúcar mais saudáveis do mercado

Rapadura é melhor que açúcar

Há muitos tipos de açúcar no mercado, e o que muda entre eles não é apenas o preço. Há diferenças que são facilmente percebidas — como a cor e a textura — e outras que ficam mais escondidas — como a presença de nutrientes e de aditivos químicos.

Assim, há açúcares e adoçantes que são mais saudáveis do que outros. O açúcar branco refinado é o tipo mais consumido pela população e traz pouquíssimos benefícios à saúde. Por ser altamente processado, ele perde a maior parte dos nutrientes originais da cana-de-açúcar, além de receber produtos químicos que garantem a sua brancura e a sua granulosidade.

Neste post, vamos apresentar 8 tipos de açúcar que são alternativas mais saudáveis ao açúcar branco. Boa leitura!

Rapadura

Quanto mais escuro for o açúcar, mais próximo do seu estado bruto ele estará. A rapadura é o açúcar da cana sem nenhum tipo de refinamento. Para a sua produção, o caldo de cana é fervido até se transformar em uma barra sólida. Além de açúcar, a rapadura é rica em vitaminas e nos seguintes minerais:

  • cálcio;
  • ferro;
  • fósforo;
  • magnésio;
  • potássio.

A rapadura é, portanto, um dos tipos de açúcar derivado da cana mais saudável para o homem e para o ambiente, uma vez que não há gasto de água para o seu refino.

Melado de cana

É uma forma intermediária do cozimento do caldo de cana, antes da transformação em rapadura. Durante o processo de fervura, a espuma formada é retirada, resultando na purificação do melado.

O melado de cana é um produto artesanal ao qual não são adicionados aditivos químicos. Assim como a rapadura, ele é rico em nutrientes que são perdidos no processo de produção do açúcar refinado.

Açúcar mascavo

Ao contrário do que muitos pensam, o açúcar mascavo não é a rapadura ralada. Ele também é produzido a partir do melado de cana, que deve ser batido até a secagem.

Assim como a rapadura e o melado de cana, o açúcar mascavo não passa por refinamento, conservando todos os nutrientes da cana-de-açúcar.

O açúcar mascavo é uma das opções mais procuradas por quem quer adotar uma dieta mais natural. Deve-se tomar cuidado com o seu armazenamento, uma vez que ele tende a empedrar facilmente com a umidade do ar.

Açúcar demerara

Esse é um dos tipos de açúcar que passa por um processo de produção semelhante ao mascavo. Porém, o açúcar demerara passa por um leve refinamento antes de chegar às prateleiras dos supermercados. Apesar disso, os nutrientes da cana-de-açúcar são preservados.

O açúcar demerara não altera tanto o sabor dos alimentos quanto os açúcares mencionados anteriormente. Entretanto, esse tipo de açúcar tem 2 pontos negativos:

  • os seus cristais não se dissolvem facilmente;
  • e ele adoça menos do que o açúcar branco.

Açúcar orgânico

O açúcar orgânico não é exatamente um tipo de açúcar, mas sim uma maneira como os açúcares cristal, demerara ou mascavo podem ser produzidos. Na produção de um açúcar orgânico, não são usados agrotóxicos nem produtos químicos.

Isso quer dizer que ele é natural desde o plantio da cana-de-açúcar até a sua industrialização. Quando comercializados em embalagens biodegradáveis, garantem o maior respeito possível à natureza.

Açúcar light

Também conhecido como “açúcar magro”, o açúcar light é uma combinação do açúcar comum com adoçantes artificiais. Por essa razão, ele adoça mais e é menos calórico do que o açúcar normal. Entretanto, o açúcar light não possui mais nutrientes do que o açúcar comum.

O açúcar light não deve ser utilizado por portadores de diabetes, uma vez que ele ainda apresenta açúcar comum na sua composição. O seu consumo deve ser feito com cautela, já que alguns adoçantes são nocivos à saúde quando ingeridos em excesso.

Mel de abelhas

Enquanto os açúcares derivados da cana são compostos de sacarose (molécula formada da união da glicose e da frutose), o mel tem uma composição mais complexa. Por isso, o corpo gasta mais energia para processar o mel do que outros tipos de açúcares, tornando o ganho calórico menor. Além disso, o mel é um produto rico em minerais e em vitaminas.

Apesar dos seus benefícios, o consumo de mel não é recomendado para crianças com menos de 2 anos. O sistema digestivo dos bebês não é maduro o suficiente para lidar com contaminações bacterianas que alguns produtos apresentam.

Açúcar de coco

Produzido a partir da seiva das flores da palma de coco, esse tipo de açúcar apresenta baixo índice glicêmico. Isso quer dizer que a energia é liberada lentamente e não gera descargas de insulina que contribuem para o desenvolvimento da diabetes do tipo 2.

O açúcar de coco sofre pouco processamento, conservando quantidades significativas de minerais como o magnésio e o potássio, além de vitaminas. Ele também contém inulina, uma fibra prebiótica benéfica que atua na imunidade, na absorção da glicose e no metabolismo de lipídeos.

Os melhores adoçantes

Sabemos que algumas pessoas, como, por exemplo, os diabéticos não podem consumir, ou devem reduzir ao máximo a ingestão de açúcar. Mas, mesmo com esse tipo de restrição, ainda é possível  comer um doce, sobremesa ou mesmo adoçar um  cafezinho? Para isso, existem algumas formas de açúcar e adoçantes menos calóricas e mais adequadas para quem necessidade manter uma dieta diferenciada.

Stevia

Cerca de 300 vezes mais doce do que o açúcar normal, a stevia é composta por glicosídeo de esteviol e pode ser encontrada facilmente em lojas de produtos naturais, farmácias e supermercados. Mesmo sendo bem mais doce do que o açúcar, ela não possui calorias.

Xilitol

Derivado da xilose, substância encontrada em muitas frutas e legumes, o xilitol é outra opção para quem sofre de diabetes ou optou por uma vida com menos calorias. Sua concentração de calorias é 40% menor que o açúcar normal.

Sucralose

Este adoçante tem sabor muito semelhante ao açúcar – a grande diferença é que ele é modificado para não ser absorvido pelo corpo. Então, embora seja uma substância química produzida em laboratório e não possua nenhum nutriente, ela não contém calorias e nem modifica a glicemia corporal.

Como incluir novos tipos de açúcar na sua dieta

Para responder essa pergunta, é preciso considerar outro fator além das propriedades nutricionais: o gosto pessoal. Embora as opções menos refinadas de açúcar sejam as mais ricas em nutrientes, o sabor não agrada a todos os paladares.

Além disso, se você possui um plano de saúde é possível que ele tenha um serviço para tirar dúvidas sobre qualidade de vida e alimentação, como os disponibilizados por empresas como Amil Saúde e Intermédica Notredame, consulte seu plano e tire proveito desse serviço.

Algumas pessoas que buscam alternativas mais naturais ao açúcar refinado acham o sabor da rapadura e do açúcar mascavo muito intenso. Nesses casos, a substituição deve ser feita gradualmente para dar tempo de o paladar se acostumar ao novo sabor.

Além disso, é interessante buscar usar menos açúcar e sentir melhor o sabor natural dos alimentos. Essa é uma forma de reeducação alimentar que contribui para uma alimentação mais saudável.

Como você pôde ver, substituir o açúcar que você usa no seu dia a dia é uma maneira simples de aumentar a ingestão de nutrientes importantes para o bom funcionamento do seu corpo. Em conjunto com outros hábitos simples de alimentação, não é difícil adotar um estilo de vida mais saudável.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre os diferentes tipos de açúcar que existem no mercado, que tal continuar acompanhando as nossas dicas de saúde e bem-estar? Curta a nossa página no e fique por dentro dos nossos conteúdos.

Источник: https://amigaosaude.com.br/blog/os-tipos-de-acucar-mais-saudaveis/

8 opções saudáveis para substituir o açúcar

Rapadura é melhor que açúcar

Não é segredo que o consumo em excesso do açúcar pode colocar a saúde em risco, pois aumenta os níveis de diabetes, prejudica o metabolismo e altera os níveis de saciedade, nos fazendo consumir mais calorias do que necessário.

Além desses problemas, ingerir o produto sem moderação contribui para o ganho de peso, jogando por água abaixo a busca pelo corpo ideal. Para evitar tais consequências, o indicado é substituir o açúcar por alternativas mais saudáveis.

Mas como encontrar os melhores substitutos para o açúcar? Não se preocupe! Neste artigo vamos listar 8 produtos que podem deixar sua alimentação mais saudável, sem perder totalmente o sabor adocicado e ainda ajudar no processo de emagrecimento.

1. Mel de abelha

O mel que é produzido pelas abelhas é um adoçante natural que substitui o açúcar. Ele é rico em nutrientes, como cálcio, ferro, potássio e magnésio, e apresenta um grande potencial antioxidante. Esse produto também pode melhorar na digestão e ainda manter a flora intestinal, garantindo o bom funcionamento do sistema digestivo como um todo.

Apesar de haver uma grande confusão e falta de consenso em relação ao mel, ele tem médio índice glicêmico e aproximadamente 46 calorias por colher. Isso significa que, em pequenas doses, ele não estimula a produção de gordura, como acontece com o açúcar.

Outra vantagem do mel de abelha é que, como o corpo tende a processá-lo melhor, ele está ligado a um menor nível de produção de grelina (hormônio que regula a fome), quando comparado à sacarose, o que é vantajoso, visto que precisamos ingerir menos alimentos.

Apesar de o mel ser composto por açúcares simples, ele também contém carboidratos complexos, que têm a digestão mais lenta, dependendo da origem das flores que as abelhas usam para fabricação. No entanto, esse produto não é recomendado para crianças menores de 3 anos.

2. Stevia

A Stevia também é um adoçante de origem natural e é obtida a partir de uma planta original do Brasil chamada Stevia Rebaudiana Bertoni. Atualmente, ela pode ser encontrada em lojas de produtos naturais ou, até mesmo, em supermercados em forma de gotas ou em pó.

Com uma capacidade de adoçar que supera 300 vezes o açúcar, esse adoçante tem como uma de suas principais vantagens o fato de não ter calorias.

A Stevia é bastante versátil, já que se adapta bem em alimentos quentes e frios, pois ela se mantém estável em altas temperaturas. Essas características fazem dela uma ótima opção para substituir o açúcar em bolos, biscoitos ou tortas que necessitam de calor durante o preparo.

Também pode ser encontrada com diferentes sabores, como chocolate e baunilha, e na versão orgânica. Apesar de não haver açúcar em sua composição, é preciso consumir o adoçante com moderação, já que, em excesso, é capaz de causar diarreia ou outras contraindicações.

3. Açúcar de coco

Outra opção interessante é o açúcar produzido a partir do coco. Ele tem baixo índice glicêmico e seu uso evita que haja um grande aumento da glicemia na corrente sanguínea, impedindo que o corpo estimule a produção de gordura e ajudando no controle do peso.

O açúcar de coco contém grande quantidade de nutrientes, como potássio, zinco, ferro e cálcio.

Ele tem aproximadamente 20 calorias por colher de chá e pode ser encontrado em lojas de produtos naturais.

 Entretanto, vale destacar que, por conter um elevado teor de frutose, deve ser usado com moderação, pois, em excesso, contribui para o acúmulo de gordura no fígado e o ganho de peso.

4. Xilitol

O xilitol é produzido a partir do álcool obtido de frutas, vegetais, cogumelos e, até mesmo, algas marinhas. Tem o índice glicêmico baixo e o potencial para adoçar semelhante ao açúcar tradicional.

Contém cerca de 2,4 calorias por grama e ainda tem como uma de suas grandes vantagens não prejudicar a saúde dos dentes, evitando o desenvolvimento de cáries. Também é seguro para pessoas que têm diabetes e pode ser usado como substituto no dia a dia e em receitas na mesma proporção do açúcar branco.

Além disso, o xilitol atua na melhora do metabolismo de lipídios e de lesões nos rins, previne infecções e a osteoporose.

5. Melado de cana

O melado de cana é um xarope produzido a partir do caldo de cana, antes que ele se torne rapadura. Tem a cor escura, um alto potencial adoçante e contém diversos minerais e nutrientes.

VEJA TAMBÉM  5 alimentos que ajudam a destoxificar o organismo

No entanto, vale destacar que ele deve ser consumido com certa moderação já que, ainda que não seja refinado, é feito do mesmo material do açúcar branco e apresenta grande quantidade de calorias, devendo ser evitado por pessoas que têm problemas renais e diabetes.

6. Açúcar mascavo

O açúcar mascavo é obtido da cana-de-açúcar, entretanto, trata-se de um estágio anterior do açúcar branco, uma vez que não passa pelo processo de refinamento. Isso faz com que ele mantenha nutrientes e sais minerais em sua composição.

Apesar de mais saudável do ponto de vista nutricional, o açúcar mascavo ainda tem o mesmo teor calórico que a versão refinada e, por isso, o recomendado é que seu consumo seja moderado e que seja evitado em casos de diabetes.

7. Eritritol

Com a mesma origem do xilitol, esse adoçante tem 70% da capacidade de adoçar da sucralose e apenas 0,2 calorias por grama. Por praticamente não ter calorias, é bastante indicado na hora de substituir o açúcar nas dietas, principalmente para pessoas com diabetes ou que desejam emagrecer. Também tem como vantagem não provocar cáries.

O eritritol pode ser comprado em forma de pó em lojas especializadas em produtos naturais ou suplementos.

8. Maple syrup

Também chamado de ácer ou xarope de bordo, o maple syrup é produzido a partir de uma árvore de origem canadense e oferece benefícios aos usuários graças ao seu alto potencial antioxidante e aos diversos nutrientes. É bastante indicado em preparações que vão ao fogo, mas, por ter alto valor calórico, deve ser consumido em pequenas porções.

E aí, você já conhecia algum desses produtos? Substituir o açúcar por opções saudáveis é um grande passo na busca por mais qualidade de vida, além de facilitar no processo de emagrecimento. Lembre-se de que para obter resultados é preciso aliar uma alimentação balanceada com a prática regular de atividades físicas.

Se você gostou deste artigo e quer ficar por dentro de outras dicas, curta a nossa página no e siga-nos no Instagram!

Источник: https://news.gympass.com/substituir-acucar/

Rapadura é Saudável ou Faz Mal? O Que é Exatamente?

Rapadura é melhor que açúcar

Veja se a rapadura é saudável ou esse se quitute típico de algumas regiões do Brasil pode ser prejudicial para a nossa saúde por algum motivo. Antes, vamos conhecer o que é exatamente esse produto?

  Continua Depois da Publicidade  

Pois bem, a rapadura é um doce bastante famoso entre os nordestinos, produzido a partir do caldo de cana-de-açúcar, que é reduzido até atingir o estado sólido. Para chegar ao seu conhecido formato parecido com um pequeno tijolo, ela passa por um processo de modelagem em formas de madeira.

Acredita-se que o quitute seja originário da Ilhas Canárias e tenha chegado ao Brasil no ano de 1532, servindo de alimentos para os escravos. Aproveite para conferir se rapadura engorda, de acordo com uma análise completa, e veja se diabético pode comer rapadura.

E então, será que a rapadura é saudável ou faz mal?

Para saber se a rapadura é saudável, vale a pena olharmos para a composição nutricional do alimento. E, diga-se de passagem, podemos dizer que a rapadura é nutritiva, sim.

A rapadura serve como fonte de compostos importantes para o funcionamento apropriado do organismo humano como carboidratos, ferro, cálcio, potássio, magnésio, vitamina B1, vitamina B2 e vitamina B3.

Em 25 g de rapadura é possível encontrar 23 g de carboidratos. O quitute apreciado pelos nordestinos pode ser utilizado como um recurso ergogênico para repor os carboidratos até para atletas.

Em nutrição, esportiva os recursos ergogênicos são as ferramentas empregadas com o objetivo de melhorar o desempenho esportivo e a recuperação depois da realização do exercício.

Estudos mostram que a utilização de carboidratos em treinos acima de uma hora permite prolongar a permanência no exercício, fornece energia para o músculo e aumenta a glicemia. Como estratégia nutricional, é indicada a utilização de carboidratos de alto índice glicêmico e de rápida absorção para elevação dos níveis de glicose.

A rapadura pode ser empregada como fonte de carboidratos, seja substituindo, seja alternando o seu uso com gel de carboidratos, frutas, bebida esportiva, caldo de cana ou água de coco.

Ela pode também ser utilizada após o treino, com a finalidade de repor os estoques de glicogênio muscular e hepático, e associado a proteínas para acelerar a recuperação muscular.

  Continua Depois da Publicidade  

Por ter um alto índice glicêmico, a energia do açúcar da rapadura é rapidamente absorvida pelo organismo, o que permite manter o rendimento do treino sem sentir a barriga pesada.

Entretanto, atente para o fato que a rapadura pode ser usada como um recurso ergogênico para os atletas e como uma fonte energética rápida para os treinamentos longos e com muito desgaste. Sabe-se que nesses casos costuma haver o gasto de muita energia e, portanto, é necessário repô-la.

Por outro lado, para quem malha apenas de vez em quando ou até treina com mais regularidade, porém não na mesma intensidade que um atleta ou não faz um treinamento muito longo, sem queimar tanta energia, o doce pode não ser o lanche mais adequado. Converse com um nutricionista a respeito disso e aproveite para conhecer opções de lanche pós-treino.

Cuidado com as calorias

O fato da rapadura ser apresentada como uma boafonte de energia também serve de indicativo que ela pode carregar umaquantidade considerável de calorias em sua composição.

Para você ter uma noção, a rapadura da marca Santo Antônio carrega 72 calorias em cada porção de uma colher de sopa ou 20 g. Transformando isso para 100 g, temos um total de 360 calorias.

Vamos combinar que para quem aprecia a rapadura pode ser um tanto quanto difícil se contentar com uma porção mais moderada do doce, não é mesmo? O que não é tão bacana porque pode gerar um acúmulo de calorias e, consequentemente, o excesso de peso, caso o exagero na hora de comer a rapadura aconteça frequentemente.

Vale lembrar que, de acordo com o que alertou o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais (NIDDK, sigla em inglês) dos Estados Unidos, o excesso de peso aumenta o risco de desenvolver problemas de saúde como diabetes do tipo 2, pressão alta, doença no coração, acidente vascular cerebral (AVC), certos tipos de câncer, apneia do sono, doença hepática gordurosa e doença renal.

Por isso, quem deseja continuar a comer a rapadura, mas aprendeu que não pode exagerar no seu consumo, precisa se esforçar para não consumir o doce em excesso. O ideal para não engordar é consumir uma porção de somente 30 g.

  Continua Depois da Publicidade  

Uma boa dica é comer a rapadura logo após uma grande refeição como o almoço, onde normalmente se come salada no prato principal, o que ajuda a reduzir a produção de gordura que o doce da rapadura pode trazer.

Além disso, depois do almoço a pessoa certamente estará de barriga cheiae, consequentemente, será mais fácil controlar a vontade de comer porçõesmaiores de rapadura. Por outro lado, se ela estiver faminta, ao recorrer aodoce, ela corre o risco de exagerar na quantidade, consumindo assim muitascalorias.

Outros possíveis problemas

Além da questão da elevação do peso, o consumo excessivo da rapadura pode aumentar o risco de desenvolvimento de níveis altos de triglicerídeos, colesterol e glicose no sangue. Ela também não deve ser consumida por pessoas com diabetes, colesterol alto e doenças renais.

Você já se perguntou se rapadura é saudável? Consome com frequência? Comente abaixo!

(2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading…

Источник: https://www.mundoboaforma.com.br/rapadura-e-saudavel-ou-faz-mal-o-que-e-exatamente/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: