Refluxo biliar: o que é, sintomas, causas e tratamento

Pedra na vesícula ou hérnia de hiato? Sintomas podem confundir

Refluxo biliar: o que é, sintomas, causas e tratamento

Dor forte na região conhecida como “boca do estômago”, sensação de má digestão, como se tivesse se empanturrado de comida mesmo sem ter ingerido quase nada. Pode parecer refluxo, mas também pode ser outra coisa…

João Kleber, cirurgião e membro da SBH (Sociedade Brasileira de Hérnia e Parede Abdominal), explica que, de uma maneira geral, o refluxo, que pode ser causada pela hérnia de hiato, provoca queimação e azia.

Já a pedra na vesícula tem como sintomas a dor na região abdominal do lado direito do corpo, associada a vômitos, podendo ocorrer também febre e infecção.

Só que, em alguns casos, os sinais desses dois problemas podem ser semelhantes, dificultando o diagnóstico correto.

Marcos Belotto, especialista em gastro-oncologia, médico do Hospital Sírio-Libanês (SP) e professor na Santa Casa (SP), esclarece que, em alguns pacientes a semelhança é tamanha que só exames de imagem podem fechar o diagnóstico correto.

Algumas vezes, a crise de vesícula não é caracterizada somente pela cólica do lado direito, onde exatamente fica o órgão. “A dor e o desconforto podem ser só na região epigástrica, a mesma onde do refluxo gastroesofágico”, diz.

Kleber acrescenta ainda que em alguns casos de hérnia de hiato, por conta do refluxo, a dor é forte o bastante para ser confundida até com angina ou infarto.

O que causa?

Imagem: iStock

A hérnia de hiato geralmente acontece por um problema estrutural anatômico na região do hiato esofágico. Doenças estruturais na região do hiato levam a formação de hérnias e defeitos na musculatura dessa região que acarretam no refluxo de alimentos e ácido gástrico.

De acordo com especialistas, a incidência de hérnia de hiato é de 10% nos brasileiros com mais de 50 anos de idade, e pesquisas mostram que esse distúrbio aumentou em 5% na última década.

Já a pedra na vesícula é causada por um desequilíbrio entre a produção e excreção da bile, geralmente impulsionado pela ingestão excessiva de gordura na dieta.

Sobre pedra na vesícula, estatísticas apontam que afeta mais de 10% da população ocidental e a incidência se multiplica com o avançar da idade, a partir dos 40 anos.

Consequências

Ilustração de hérnia de hiato: à esq., normal; à dir., com hérnia Imagem: iStock

Segundo Kleber, em muitos casos a hérnia de hiato não necessita de tratamento específico.

Não existem medicamentos ou um remédio para “curar” uma hérnia de hiato, mas, sim, para controlar alguns dos seus sintomas. “Só o tratamento cirúrgico permite fazê-la desaparecer.

O tratamento da hérnia de hiato depende dos sintomas, do seu volume e do risco de complicações que representa para o paciente”, explica.

Ele acrescenta que um estilo de vida saudável, uma dieta correta e a manutenção de peso ideal são a base de um tratamento eficaz. As hérnias pequenas e assintomáticas não necessitam, habitualmente, de qualquer tratamento.

Já as sintomáticas podem ser tratadas com vários tipos de medicação, geralmente para diminuir a produção de ácido no estômago e a facilitar o seu esvaziamento, evitando assim os sintomas relativos ao refluxo. “As hérnias maiores, mal controladas ou de risco podem ser operadas. Só um cirurgião deverá determinar se uma hérnia de hiato possui ou não indicação operatória”, afirma.

No caso de pedras na vesícula, entretanto, a cirurgia deve ser realizada em todos os casos procurando minimizar os riscos de complicações, que são:

  • Inflamação da vesícula biliar (colecistite aguda) – a vesícula inflamada pode causar dor intensa, febre, abscesso e até mesmo ruptura. É uma situação que exige tratamento médico ou cirúrgico imediato e pode pôr a vida em risco.
  • Obstrução dos canais biliares – ocorre então icterícia e possivelmente infecção e lesão do fígado.
  • Obstrução do canal pancreático – causando pancreatite, situação grave que obriga a hospitalização.
  • Câncer da vesícula – os doentes com cálculos têm risco aumentado de câncer na vesícula. No entanto, este câncer é raro.

Como evitar a cirurgia

Belotto informa que a cirurgia de hérnia de hiato pode ser evitada com ajuste da dieta do paciente e com medidas não medicamentosas como perda de peso, exercícios físicos e medicação em alguns casos. No caso da cirurgia da vesícula, como já dito, dificilmente o paciente não passará por cirurgia, frente aos riscos que as pedras na vesícula podem causar no longo prazo.

No caso da hérnia de hiato, por ser um problema estrutural do hiato e do esôfago, os fatores de risco são obesidade, idade avançada, trauma abdominal e de origem congênita.

No caso da pedra na vesícula, são muito mais frequentes em mulheres acima de 40 anos de idade. Obesidade ou perda de peso expressiva de forma abrupta, gestações prévias e histórico familiar de pedra na vesícula também são fatores de risco.

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/10/12/pedra-na-vesicula-ou-hernia-de-hiato-sintomas-podem-confundir.htm

Refluxo gastroesofágico: o que é, sintomas e tratamento

Refluxo biliar: o que é, sintomas, causas e tratamento

O refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago e em direção à boca, causando dor e inflamação constante da parede do esôfago, e isso acontece quando o músculo e esfíncteres que deveriam impedir que o ácido do estômago saia do seu interior não funcionam de forma adequada.

O grau da inflamação causada no esôfago pelo refluxo depende da acidez do conteúdo do estômago e da quantidade de ácido que entra em contato com a mucosa do esôfago, podendo causar uma doença chamada esofagite, porque o revestimento do estômago o protege contra os efeitos de seus próprios ácidos, mas o esôfago não possui essas características, sofrendo uma sensação desconfortável de queimação, chamada azia.

Os sintomas de refluxo são bastante desconfortáveis e, por isso, é importante que o gastroenterologista seja consultado para que possa ser feita uma avaliação e indicado o tratamento mais adequado, que normalmente envolve o uso de medicamentos que diminuem a produção de ácido pelo estômago e ajudam a aliviar os sintomas.

Sintomas de refluxo

Os sintomas de refluxo podem surgir minutos ou poucas horas após a alimentação, sendo principalmente notada pela sensação de queimação no estômago e sensação de peso no estômago. Outros sintomas comuns de refluxo são:

  • Sensação de queimação que pode atingir a garganta e peito, além do estômago;
  • Arroto;
  • Azia;
  • Indigestão;
  • Tosse seca frequente após comer;
  • Regurgitação dos alimentos
  • Dificuldade para engolir os alimentos;
  • Laringite;
  • Crises de asma ou infecções de vias aéreas superiores de repetição.

Os sintomas tendem a piorar quando dobra-se o corpo para baixo para pegar algo do chão, por exemplo, ou quando a pessoa permanece na posição horizontal após a refeição, como ocorre na hora de dormir. O refluxo constante pode provocar uma intensa inflamação na parede do esôfago, chamada de esofagite, que, se não for tratada corretamente, pode até levar ao câncer. Veja mais sobre a esofagite.

Sintomas de refluxo em bebês

O refluxo em bebês também provoca retorno do conteúdo dos alimentos do estômago em direção à boca, por isso, alguns dos sinais e sintomas que podem indicar esta situação são vômitos constantes, sono agitado, dificuldade para mamar e ganhar peso e rouquidão devido à inflamação da laringe.

Além disso, o bebê pode desenvolver otites de repetição devido à inflamações frequentes das vias aéreas ou até pneumonia aspirativa, devido à entrada de alimentos nos pulmões. Saiba reconhecer os sinais e sintomas de refluxo em bebês.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico para refluxo gastroesofágico deve ser feito pelo gastroenterologista, pediatra ou clínico geral a partir da avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa. Além disso, é indicada a realização de alguns exames para confirmar o diagnóstico e verificar a gravidade do refluxo.

Assim, pode ser indicado pelo médico a realização de esofagomanometria e medição do pH em 24 h que relaciona os sintomas apresentados com alterações da acidez do suco gástrico para determinar o numero de vezes que ocorre o refluxo.

Além disso, pode ser indicada também a realização de endoscopia digestiva para observar as paredes do esôfago, estômago e início do intestino e identificar a possível causa do refluxo. Saiba como a endoscopia é feita.

Como é o tratamento para refluxo

O tratamento para refluxo pode ser feito com medidas simples, como fazer uma alimentação adequada ou usar remédios como a domperidona, que aceleram o esvaziamento gástrico, omeprazol ou esomeprazol, que reduzem a quantidade de ácido no estômago ou antiácidos, que neutralizam a acidez já presente no estômago. Veja os remédios mais usados para tratar o refluxo gastroesofágico.

As alterações alimentares na doença do refluxo gastroesofágico são necessárias, mas devem ser adaptadas ao tratamento medicamentoso e também personalizadas.

Geralmente, a pessoa com refluxo deve eliminar ou reduzir o consumo de bebidas alcoólicas, alimentos ricos em gordura, como frituras e produtos industrializados e chocolate além de evitar o cigarro e refrigerantes.

Além disso, a última refeição do dia deve ser feita, no mínimo, 3 horas antes de deitar, para evitar que o conteúdo do estômago volte para a boca.

Confira no vídeo a seguir mais dicas de alimentação para refluxo:

Источник: https://www.tuasaude.com/refluxo-gastrico/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: