Remédios naturais e de farmácia para tratar a Síndrome do Pânico

8 maneiras de aliviar os sintomas de um ataque de pânico

Remédios naturais e de farmácia para tratar a Síndrome do Pânico

Palpitação, suor excessivo, tremor, sensação de falta de ar, náusea, tontura, dor no peito, calafrio e medo de morrer… Esses são alguns dos sintomas de quem está tendo um ataque de pânico, crise aguda de ansiedade com sensação intensa de medo que alcança seu pico em poucos minutos, durando, em média, de 10 a 15 minutos.

A maior parte das pessoas –cerca de 90% da população mundial — irá experimentar, em algum momento da vida, um ataque de pânico, sem que isso seja diagnosticado como uma doença”, esclarece Guilherme Spadini, psiquiatra, psicoterapeuta e especialista em transtorno de pânico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). De qualquer modo, o ideal é buscar ajuda médica principalmente na primeira vez que tiver essas sensações, pois elas podem também indicar uma síndrome do pânico, ainda mais se ocorrerem repetidamente.

VEJA TAMBÉM:

O que fazer durante um ataque de pânico?

O primeiro passo para conseguir controlar o ataque de pânico é perceber que se está passando por uma crise momentânea.

Depois disso, a melhor coisa a se fazer é se afastar do local em que se estava, sentar, respirar fundo, tentar controlar os pensamentos (racionalizando sobre eles, pensando, por exemplo, que isso é apenas um ataque de pânico, que irá passar, eu não vou morrer, etc), até que os sintomas passem.

Além disso, existem outras estratégias que também podem ajudar a controlar a crise. Veja só!

1. Respire fundo e feche os olhos

Imagem: iStock

Durante a crise de pânico é comum respirar rapidamente (a chamada hiperventilação), porém, isso pode piorar os sintomas, já que reduz a taxa de gás carbônico no sangue. O certo é concentrar-se em inspirar e expirar profundamente pela boca, da seguinte forma:

  • Puxe o ar lentamente contando até quatro;
  • Segura a respiração por um segundo
  • Solte o ar novamente, contando de novo até quatro.

Fechar os olhos também é uma ótima tática, pois irá ajudar a focar a atenção no que você deseja, que no caso é se acalmar e racionalizar sobre o que está ocorrendo, conseguindo amenizar os sintomas aos poucos até que passe.

2. Foque nas sensações físicas familiares

Imagem: iStock

Como os ataques de pânico podem causar um sentimento de distanciamento ou separação da realidade, é interessante concentrar-se em sensações físicas com as quais está familiarizado, como sentir a textura de um objeto em suas mãos (pode ser a roupa que esteja usando no momento, por exemplo). Essas percepções específicas ancoram o indivíduo na realidade e fornecem um objetivo para ser focado, o que pode combater o ataque de pânico.

3. Concentre a sua atenção em um objeto

Imagem: iStock

Durante a crise de pânico, tudo perde o sentindo e o medo fica intenso. Por isso, a habilidade de focar em um objeto que esteja mais próximo ajuda retirar a atenção sobre os sintomas corporais, o que faz acalmar até que todas as sensações desapareçam. Então, procure por um objeto próximo e descreva para si a cor, a forma e o tamanho dele.

4. Mindfulness e o aqui e agora

Imagem: iStock

A técnica de meditação, cuja tradução significa “atenção plena”, busca manter a mente no momento presente, sem preocupação com o passado e o futuro, que muito contribui para a ansiedade e o pânico. Uma prática do mindfulness que pode ser bastante utilizada é a chamada aqui e agora. Na hora da crise do pânico, para conseguir se acalmar, você deve pensar em:

  • Cinco coisas que possa ver;
  • Quatro coisas que possa tocar;
  • Três coisas que possa ouvir;
  • Duas coisas que possa cheirar;
  • Uma que possa experimentar o sabor.

Isso fará com que você tire totalmente o foco das sensações ruins e mantenha atenção nesses elementos que está imaginando.

Praticar a atenção plena no dia a dia ajuda o efeito no momento da crise a ser mais rápido e pode até mesmo evitar que os ataques aconteçam. Veja como começar a fazer mindfulness aqui.

5. Imagine um local que lhe traga felicidade

Imagem: Getty Images

Durante o ataque de pânico, a pessoa tem um sentimento de angústia e hostilidade em relação ao ambiente em que está, por isso, pode-se usar a estratégia de imaginar um lugar familiar e acolhedor, que leve à sensação de tranquilidade. Isso faz com que as regiões do sistema límbico do cérebro liberem substâncias prazerosas para combater as sensações ruins.

VEJA TAMBÉM:

6. Use técnicas de relaxamento muscular

Imagem: iStock

O bom e velho alongamento pode ser um aliado quando você perceber que está começando a ter um ataque de pânico.

Isso porque, durante o ataque, o corpo fica em estado de alerta, e isso se reflete na rigidez muscular.

As técnicas de relaxamento não só ajudam a reduzir a tensão dos músculos como a tirar o foco dos pensamentos catastróficos. E para que o alongamento tenha mais efeito, o ideal é pratica-lo sempre, independentemente do momento.

7. Sinta essência de lavanda

Imagem: iStock

Ela é bastante conhecida por seu efeito calmante, além de aliviar o estresse. Por isso, pode ser indicada como uma alternativa na hora do ataque de pânico. Quando estiver tendo os sintomas, você pode cheirar o perfume direto no frasco ou passar no braço.

8. Tenha a medicação na bolsa

Imagem: mermaidb/Istock

Caso não seja seu primeiro ataque de pânico e você já foi ao psiquiatra, ele pode receitar os benzodiazepínicos, que são remédios ansiolíticos que agem rapidamente no combate ao ataque de pânico, isto é, diminuem a ansiedade e acalmam o paciente.

A única ressalva é que esses medicamentos podem ocasionar dependência física e psicológica, por isso devem ser usados durante pouco tempo e também evitados em pacientes com histórico conhecido de abuso de substâncias ou alcoolismo. Ou seja, siga à risca a orientação de seu médico.

Já para o tratamento de longo prazo é recomendado o uso de antidepressivos.

Bônus: em longo prazo, invista em exercícios físicos

Imagem: iStock

Suar a camiseta, principalmente com atividades aeróbicas, contribui para a liberação de hormônios como endorfina, dopamina e serotonina, que levam à sensação de bem-estar, além de reduzir a ansiedade, o que pode contribuir para que os episódios de ataques de pânico diminuam.

“A sensação física de fazer exercício, quando eles são exaustivos, é muito parecida aos sintomas da crise de pânico (taquicardia, falta de ar, formigamento, sudorese, tremor etc), e isso funciona como uma terapia de dessensibilização, ou seja, a pessoa experimenta as mesmas percepções físicas em um contexto prazeroso, não ameaçador, o que ajuda a controlar melhor os sintomas no contexto do pânico”, explica Guilherme Spadini.

Como ajudar quem tem ataques de pânico

Imagem: iStock

Se você presenciar alguém que esteja passando por um ataque de pânico, a primeira coisa a fazer é manter a calma e buscar um ambiente tranquilo e seguro. Isso feito, oriente a pessoa a ter o controle da respiração, tente modular a voz para não gerar mais ansiedade e valide o sofrimento do indivíduo.

O acompanhante deve permanecer empático, tranquilizando a outra pessoa. Entenda que você jamais será capaz de dimensionar o sofrimento de um portador do transtorno a menos que também sofra ou já tenha tido ataque de pânico alguma vez.

Afirmações como “não é nada sério” e “isso está relacionado ao estresse”, podem ser mal interpretadas como uma falta de compreensão e preocupação. Também é importante ajudá-lo a reconhecer que está tendo um ataque de pânico em vez de um ataque cardíaco, que isso é temporário, passará e ele ficará bem.

E após o evento, estimule o tratamento com psiquiatra e psicólogo. A cada sucesso na superação do problema, reconheça-o. Críticas devem ter como intuito apenas estimular os cuidados com a saúde construtivamente. 

Fontes: Guilherme Spadini, psiquiatra, psicoterapeuta e especialista em transtorno de pânico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP); Luciana Sarin, psiquiatra do Programa de Distúrbios Afetivos (PRODAF) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Luiz Scocca, psiquiatra pelo Hospital das Clínicas da USP, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e da Associação Americana e Psiquiatria (APA); Mario Louzã, psiquiatra, doutor em medicina pela Universidade de Würzburg, na Alemanha e membro do Instituto de Psicanálise da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo; Roney Vargas Barata, psiquiatra do Hospital de Apoio de Brasília e da Aliança Instituto de Oncologia, ambos no Distrito Federal; Yuri Busin, psicólogo e doutor em neurociência do comportamento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo.

Источник: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2018/10/17/8-maneiras-de-aliviar-os-sintomas-de-um-ataque-de-panico.htm

16 opções de remédio para ansiedade no estilo natural

Remédios naturais e de farmácia para tratar a Síndrome do Pânico
Imagem redimensionada de Ablimit Ablet, está disponível no Unsplash

A ansiedade é um sentimento saudável, que serve para antecipar os perigos e nos ajudar a sobreviver.

Entretanto, quando ela mais atrapalha do que ajuda, se tornando uma luta diária, é hora de procurar orientação psicológica ou psiquiátrica.

Além do apoio profissional, também é possível adotar alguns hábitos complementares e dicas de remédio para ansiedade no estilo natural, sempre com orientação médica. Confira:

  • Precisamos falar sobre a eco-ansiedade

1. Mantenha-se ativo

Praticar exercícios regularmente faz bem para a saúde física e mental e é um hábito que funciona como um remédio natural para ansiedade. O exercício funciona de modo semelhante à medicação para aliviar a ansiedade de algumas pessoas. E não é apenas uma sensação de curto prazo: a sensação de alívio da ansiedade permanece por horas após o exercício.

2. Evite o álcool

O álcool é um ansiolítico e sedativo natural. Beber um copo de vinho ou um dedo de uísque quando seus nervos estão à flor da pele pode ajudar a acalmar. Entretanto, após um tempo, o álcool pode piorar o quadro de ansiedade e causar dependência.

3. Medite

O principal ensinamento da meditação é o controle sobre a mente e os pensamentos caóticos, que traz uma sensação de calma e plenitude. A meditação é amplamente reconhecida por aliviar o estresse e a ansiedade. Uma pesquisa sugere que 30 minutos de meditação diária podem atuar como um remédio natural para ansiedade e ainda agir como antidepressivo.

  • Meditação infantil: cinco técnicas para crianças

4. Mantenha uma dieta saudável

Baixos níveis de açúcar no sangue, desidratação ou os produtos químicos presentes nos alimentos processados, como aromas, corantes e conservantes artificiais, podem causar alterações de humor em algumas pessoas.

Uma dieta rica em açúcar também pode afetar o temperamento. Se a sua ansiedade piorar depois de comer, verifique seus hábitos alimentares.

Mantenha-se hidratado, elimine os alimentos processados ​​e mantenha uma dieta saudável rica em carboidratos complexos, frutas, vegetais e proteínas magras.

5. Respire fundo

A respiração superficial e rápida é típica de quando estamos ansiosos, podendo acelerar o ritmo cardíaco, causar tontura e até mesmo um ataque de pânico. Praticar exercícios de respiração lenta e profunda pode ajudar a restaurar os padrões respiratórios normais e atuar como remédio natural para ansiedade.

  • Conheça o pranayama, técnica de respiração da ioga

6. Tente aromaterapia

A aromaterapia é uma técnica que utiliza óleos essenciais para promover a saúde e o bem-estar. Os óleos essenciais podem ser inalados diretamente ou adicionados a um banho ou difusor quente. Estudos mostram que alguns óleos essenciais utilizados na aromaterapia ajudam a:

  • Relaxar;
  • Dormir;
  • Melhorar o humor;
  • Reduzir a frequência cardíaca e a pressão sanguínea.
  • O que são óleos essenciais?

O óleo essencial de lavanda, por exemplo, tem uma estrutura quimicamente complexa com mais de 150 constituintes ativos. Ele possui propriedades anti-inflamatórias, antinfúngicas, antissépticas, antimicrobianas, antiespasmódicas, analgésicas, desintoxicantes e sedativas. Além disso, ele pode reduzir a depressão e melhorar a insônia.

Pesquisadores da Flórida descobriram que o óleo essencial de lavanda também pode reduzir a ansiedade e a pulsação em estudantes de enfermagem que faziam testes estressantes frequentemente. Em ambientes hospitalares, a aromaterapia demonstrou diminuir a angústia pré-operatória e relaxar mais do que massagem ou apenas repouso.

Alguns exemplos de óleos essenciais usados ​​para aliviar a ansiedade são:

  • Bergamota;
  • Lavanda;
  • Sálvia-esclareia;
  • Toranja;
  • Ylang-ylang.

7. Beba chá de camomila

O chá de camomila é um remédio caseiro comum para acalmar os nervos e promover o sono. Um estudo de 2009 mostrou que a camomila também pode ser uma poderosa aliada contra o transtorno de ansiedade generalizada.

O estudo descobriu que as pessoas que tomaram cápsulas de camomila alemã (220 miligramas até cinco vezes ao dia) tiveram uma redução maior nas pontuações para testes que medem os sintomas de ansiedade do que aquelas que receberam um placebo.

  • Chá de camomila: para que serve?

Se você não gosta de tomar chá de camomila, faça o teste com suplementos. A dose média recomendada do suplemento varia de 350 a 500 mg, podendo ser dividida em dois comprimidos ou tomada em uma única dose diária. No caso do chá, o ideal é tomar uma xícara por dia.

8. Use suplementos vitamínicos

Se você já possui uma dieta saudável, talvez essa opção não funcione como um remédio para sua ansiedade. Mas se você sabe que sua dieta é pobre em nutrientes essenciais (principalmente quem não consome frutas e vegetais crus), os suplementos dietéticos podem ser a chave para o alívio dos sintomas da sua ansiedade.

Vitamina A

Pessoas com ansiedade possuem deficiência de vitamina A. A vitamina A é um antioxidante que ajuda a controlar os sintomas da ansiedade. A dose média indicada do suplemento é de cerca de 10.000 unidades internacionais (UI), tomadas como um comprimido uma vez por dia.

Complexo B

Suplementos do complexo B contêm todas as vitaminas do complexo B necessárias para o organismo, que são vitais para manter o sistema nervoso saudável. Esses suplementos também podem ajudar a melhorar os sintomas de ansiedade e depressão.

A dosagem varia, em média, de 300 miligramas (mg) a 500 mg por dia.

Vitamina C

O dano oxidativo pode aumentar a ansiedade. A vitamina C, em contrapartida, por ser um antioxidante, previne esse dano e, consequentemente, a ansiedade.

A dose média recomendada do suplemento varia de 500 a 1000 mg. Isso pode ser dividido em dois comprimidos ou tomado como um comprimido diário.

Vitamina D

A vitamina D é um nutriente importante que ajuda o organismo a absorver outras vitaminas.

Apesar de ser produzida pelo próprio organismo a partir da exposição à luz solar, é possível haver deficiência em vitamina D, que pode levar a outras deficiências vitamínicas, agravando a ansiedade.

A dose média do suplemento pode variar de 1.000 a 2.000 UI. A dose pode ser dividida em vários comprimidos ou tomada em um único comprimido uma vez ao dia.

  • Vitamina D: para que serve e benefícios

Vitamina E

A vitamina E é outro antioxidante. O organismo usa esse nutriente rapidamente em tempos de estresse e ansiedade. A suplementação de vitamina E pode ajudar a restaurar o equilíbrio e reduzir os sintomas da ansiedade. A dose média recomendada do suplemento é de cerca de 400 UI, que deve ser tomado como um único comprimido uma vez ao dia.

9. Experimente o suplemento ashwagandha

A ashwagandha (Withania somnifera) é uma planta utilizada na Ayurveda. Algumas pesquisas sugerem que ela pode ser tão eficaz quanto medicamentos convencionais para tratar a ansiedade.

A dose média recomendada do suplemento é de cerca de 900 mg, que pode ser tomada em duas cápsulas de 450 mg ou uma de 900 mg por dia.

10. Tome suplemento de magnésio

O magnésio é um mineral essencial para o organismo e sua deficiência pode causar sintomas de ansiedade. A dose média recomendada de suplemento de magnésio varia de 100 a 500 mg.

  • Magnésio: para que serve?

11. Não se atrase

Ao correr, além de ficarmos suados, o coração bate como um pandeiro e acelera a respiração. Para evitar essa situação, é melhor sair mais cedo. Se você já está atrasado, porém, não se apresse.

Respire profundamente e tente manter a calma, o que são alguns minutos extras se você já está atrasado? Melhor dar prioridade à paz de espírito. O ideal é chegar dez minutos mais cedo, assim dá tempo de se adaptar ao local e, se o ambiente permitir, até pedir uma bebida.

Mais do que dez minutos de antecedência podem trazer pensamentos ansiosos durante a espera.

12. Escolha o que vestir com antecedência

Não há nada pior do que tentar encontrar uma roupa no último minuto. Escolha algo confortável e que faça você se sentir bem com antecedência. Estar bem vestido ajuda a aumentar a autoconfiança.

13. Tente o suplemento de bacopa

Um estudo de 2013 descobriu que o extrato da planta bacopa pode reduzir os níveis de cortisol. O cortisol é conhecido como o hormônio do estresse, podendo agravar os sintomas da ansiedade. A dose média recomendada do suplemento é de cerca de 500 mg por dia.

14. Distraia-se no caminho

A jornada até seu destino é frequentemente a pior parte. Use técnicas de distração para evitar que sua mente ansiosa repasse tudo o que poderia dar errado. Livros, aplicativos e jogos para celular são muito bons para isso.

15. Use um cobertor pesado

Para muitas pessoas que têm distúrbios como ansiedade, insônia ou autismo, os cobertores pesados ​​podem funcionar como um remédio natural. Eles também podem ser usados ​​para complementar as terapias convencionais.

Um estudo mostrou que fazer pressão sobre o corpo durante o sono é uma forma eficaz de sincronizar a secreção de cortisol com o ritmo circadiano natural de 24 horas, especialmente em mulheres. A pressão ajudou a reduzir a produção de cortisol durante o sono nos participantes, o que melhorou o sono e aliviou o estresse, a insônia e a dor.

Outro estudo descobriu que cobertores de 13,6 Kg são uma maneira segura e eficaz de reduzir a ansiedade em adultos. Dos 32 adultos que participaram do estudo, 63% relataram níveis mais baixos de ansiedade.

16. Respire

Você pode praticar a respiração, sentado ou deitado. Seja qual for a posição que você escolher, certifique-se de ficar confortável.

  1. Feche os olhos e preste atenção à maneira como você respira.
  2. Em seguida, conte lentamente 1-2-3-4 enquanto inspira pelo nariz.
  3. Expire pela mesma contagem de quatro segundos.
  4. Ao inspirar e expirar, preste atenção às sensações de enchimento e vazio em seus pulmões.

Conforme você continua praticando a respiração igual, sua segunda contagem pode variar. Certifique-se de manter a inspiração e a expiração iguais.

Adaptado de Healthline 1, Healthline 2, Just Naturally Healthy e Pubmed

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Источник: https://www.ecycle.com.br/6852-remedio-para-ansiedade.html

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: