Remédios para Dor de Cabeça

Saiba quais são os melhores remédios para a cefaleia – Vitta

Remédios para Dor de Cabeça

A cefaleia é uma das reclamações médicas mais comuns do mundo, por isso existem diversos remédios para tratar essa condição. Além disso, ela pode afetar qualquer um, independentemente da idade, raça ou gênero.

Pode ser um sinal de estresse ou pode ser sinal de outra doença mais grave, como pressão alta, ansiedade ou depressão.

O que é a cefaleia?

Cefaleia é uma condição que causa dor e desconforto na cabeça, couro cabeludo e pescoço. Na maioria dos casos, ela causa dores severas que torna difícil a concentração no trabalho ou qualquer outra atividade. É uma condição tão comum que 7 a cada 10 pessoas sofrem dela, pelo menos, uma vez por ano.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, é uma condição bem mais complicada do que parece. Elas têm sintomas diferentes de pessoa para pessoa e acontecem por razões únicas e diferentes, e precisam de tratamentos diferentes.

Uma vez que você conhece o tipo de dor que você possui, você pode encontrar auxílio com o seu médico para ajudar no alívio das dores e preveni-las – com remédios e outros tipos de tratamentos.

Qual o tratamento?

O tratamento costuma ser bem simples, mas requer um diagnóstico preciso por conta dos diversos tipos existentes de dores de cabeça, então procure seu médico para que ele possa fazer uma avaliação e te recomendar remédios ou outro tratamento para o alívio desse incômodo.

Algumas mudanças de hábito podem ajudar na melhora e também evita futuras dores. Dormir mais horas por dia, evitar usar óculos, capacetes ou chapéus apertados e técnicas de relaxamento são uma boa alternativa para quem quer diminuir esses tipos de dor.

Outros tratamentos também são muito comuns, como sessões de acupuntura e o uso de medicamentos adequados para o alívio são muito eficazes. Mas devem ser feitos e acompanhados por um profissional, então, procure um médico.

Ibuprofeno

O ibuprofeno costuma ser prescrito para o tratamento das dores de leve a moderada intensidade, principalmente para casos de dor de origem inflamatória, tais como artrites, dores traumáticas, inflamações dentárias, etc.

É um analgésico e anti-inflamatório indicado para o alívio da febre, dores e inflamação como dor de cabeça, dor muscular, dor de dentes, dor de garganta, enxaqueca ou cólica menstrual.

Além disso, também pode ser usado no tratamento de sintomas de gripes e resfriados comuns, especialmente nas formas de gotas pediátricas e comprimidos de 200 e 400 mg.

Já o Ibuprofeno 600 mg, é mais indicado para situações graves, no alívio da dor e inflamação em casos de artrite reumatoide, reumatismo articular, osteoartrite, alívio de dores após cirurgias e para reduzir a febre alta.

Este medicamento é o princípio ativo de remédios como Alivium, Ibupril, Ibufran ou Benotrin.

Contraindicação

É contraindicado nos casos de hipersensibilidade conhecida à substância ativa ou a qualquer componente da fórmula, ao ácido acetilsalicílico ou a qualquer outro AINE (anti-inflamatório não-esteroidal).

Não deve ser indicado a indivíduos com história prévia ou atual de úlcera gastrintestinal ou sangramento gastrintestinal.

Não deve ser usado durante os últimos 3 meses de gravidez. Esta substância ativa é contraindicada para menores de 12 anos.

Paracetamol

O paracetamol é indicado em adultos para a redução da febre e para o alívio temporário de dores leves a moderadas, tais como: dores associadas a resfriados comuns, dor de cabeça, dor no corpo, dor de dente, dor nas costas, dores musculares, dores leves associadas a artrites e cólicas menstruais.

Esses remédios podem reduzir a febre, atuando no centro regulador da temperatura no Sistema Nervoso Central (SNC) e diminui a sensibilidade para a dor. Seu efeito tem início 15 a 30 minutos após a administração oral e permanece por um período de 4 a 6 horas.

Dorflex

Dorflex é um dos remédios mais indicados para tratar e aliviar sintomas de dor de cabeça tensionais e outras dores associadas a contraturas musculares. É recomendado apenas para adultos, sendo encontrado nos formatos de comprimido, solução oral e até mesmo adesivo – este sendo recomendado para dores e inflamações localizadas.

Com prescrição médica, o dorflex pode ser usado até mesmo no tratamento da dengue, pois a dipirona sódica presente na composição é capaz de aliviar os sintomas de dor e febre provocadas pela doença!

O dorflex tem em sua composição 3 compostos fundamentais, sendo eles a dipirona sódica, citrato orfenadrina e a cafeína anidra – responsáveis pelas propriedades analgésicas e relaxantes musculares do medicamento em destaque.

Seu mecanismo de ação se dá por esses 3 compostos.

O citrato de orfenadrina é um anticolinérgico, com ação e propriedades anti-histamínicas fracas, capaz de auxiliar no alivio de dores associadas a contraturas musculares, de origem traumática ou inflamatória. Além disso, essa substância também atua no organismo através de propriedades analgésicas, potencializado pela dipirona sódica e a cafeína anidra.

Migraliv

Migraliv é destinado ao tratamento das crises de dor de cabeça (cefaléia) incluindo a enxaqueca.

O medicamento apresenta em sua fórmula uma substância (di-hidroergotamina) que age no sistema nervoso central e é específica para o alívio da dor de cabeça, gerada pela enxaqueca. Apresenta também um analgésico (dipirona sódica) e a cafeína, que aumenta a efetividade dos analgésicos.

Cefalium

Cefalium alivia as dores de cabeça (cefaléias), incluindo a enxaqueca, que são acompanhadas com frequência de náuseas e vômitos.

O medicamento apresenta em sua fórmula uma substância (di-hidroergotamina), que age no sistema nervoso central e é específica para o alívio da dor de cabeça gerada pela enxaqueca.

Apresenta também um analgésico (paracetamol), uma substância (cloridrato de metoclopramida) que melhora as náuseas e vômitos associados às crises de enxaqueca e a cafeína que aumenta a efetividade dos analgésicos.

Источник: https://blog.vitta.com.br/2020/03/30/saiba-quais-sao-os-melhores-remedios-para-a-cefaleia/

Enxaqueca

Remédios para Dor de Cabeça

Com tantas pessoas a padecer desta condição, a investigação nas últimas décadas sobre enxaquecas e as suas causas tem-se intensificado.

As causas exatas da enxaqueca continuam sem estar conclusivamente esclarecidas – a doença é demasiado complexa. No decorrer dos anos os cientistas desenvolveram novas teorias relativas à origem da enxaqueca. No entanto, com o estado atual da ciência, muitas destas abordagens não resistiram a um novo exame.

Atualmente, os cientistas partem do princípio que as causas deste tipo de dor de cabeça residem em transtornos recorrentes da regulação da dor no cérebro.

O que acontece então na cabeça quando se sofre de uma enxaqueca? Fatores como uma predisposição hereditária afetam certas células do chamado tronco cerebral.

No âmbito de uma crise de enxaqueca, estas células desenvolvem uma hipersensibilidade, que não fica obrigatoriamente circunscrita localmente, podendo irradiar até ao nervo trigémeo. Este nervo apanha amplas partes do crânio e localiza-se na proximidade direta de todos os vasos sanguíneos no cérebro.

Se o nervo trigémeo se encontra irritado durante a enxaqueca, isso dá origem, por um lado, a falsos sinais de dor, por outro lado, a uma distribuição de neurotransmissores que são responsáveis por reações inflamatórias, principalmente nos vasos sanguíneos. Como consequência aparecem os sintomas típicos da enxaqueca. A causa da enxaqueca é, portanto, segundo teoria atual, uma particularidade congénita dos afetados no processamento de estímulos no cérebro.

Sensibilidade a ruídos, luz e cheiros

Dores de cabeça fortes a muito fortes

Quem sofre de enxaquecas tem pelo menos uma crise por mês, mas muitos têm crises de enxaquecas com mais frequência.

Existem muitas causas: stress, alterações climáticas, alterações no equilíbrio hormonal e inúmeros outros fatores poderão contribuir para o início de uma enxaqueca. Para os que sofrem de enxaqueca, este é um grande fardo.

Durante uma crise aguda de enxaqueca é quase impossível viver uma vida normal. Nestes casos, os sintomas são demasiado fortes

A maioria das pessoas sofre de enxaqueca sem aura (enxaqueca sem manifestações visuais). Entre os sintomas da enxaqueca encontram-se:

  • Dores de cabeça fortes a muito fortes, maioritariamente pulsantes ou latejantes e só num lado da cabeça
  • Enjoo e/ou vómito
  • Sensibilidade a ruídos, luz e cheiros
  • Agravamento dos sintomas com o exercício físico

Cerca de 10 a 15 por cento das pessoas que sofrem de enxaquecas sofrem de enxaquecas de uma aura específica (as chamadas enxaquecas com aura), que se desenvolvem durante cinco a 20 minutos e duram no máximo uma hora. Os sinais deste tipo de enxaqueca podem ser:

  • Perturbações de visão, como visão turva, flashes ou linhas em ziguezague
  • Tremores, que vão desde as pontas dos dedos até à cabeça
  • Paralisia
  • Perturbações na fala
  • Fraqueza e/ou tonturas

Em associação com a aura segue-se uma fase de dor de cabeça com os sintomas normais.

Os sintomas de uma enxaqueca com aura assemelham-se por vezes aos sintomas de um AVC.

Caso não tenha a certeza ou caso os sinais sejam diferentes ou muito mais prolongados do que o habitual numa enxaqueca, aconselha-se que procure imediatamente um médico.

Apesar de muito limitante, quando a enxaqueca passa, a sua vida volta ao normal. Porém, um AVC pode ter consequências irreversíveis, por isso não corra riscos desnecessários.

A maioria das pessoas que sofre de enxaquecas começa normalmente a sentir os sinais típicos um a dois dias antes, gradualmente mais intensos. Os indicadores de enxaqueca podem ser:

  • Irritabilidade
  • Fadiga
  • Problemas de concentração
  • Vontade de comer um determinado alimento (que frequentemente não é saciada)
  • Perturbações depressivas
  • Euforia
  • Sede
  • Problemas digestivos, por exemplo, obstipação 

Nas enxaquecas com aura a fase posterior na qual o doente sente dores de cabeça pode não ocorrer.

Nesta situação, o doente sofre apenas com os sintomas normais de uma enxaqueca com aura (descritos nos parágrafos acima). Caso esta situação seja frequente, deverá consultar um médico.

Este não só poderá esclarecer o que representam os sinais, bem como poderá recomendar métodos adequados para prevenção e tratamento das enxaquecas.

As causas das enxaquecas não estão ainda conclusivamente esclarecidas, mas os possíveis desencadeadores de uma crise de enxaqueca são, todavia, bem conhecidos. Estes, assim chamados triggers (desencadeadores), podem dar origem a uma reação em cadeia, no fim da qual estão dores de cabeça latejantes, náuseas e outros sintomas da enxaqueca.

Nem todos os triggers têm o mesmo efeito para todos os doentes de enxaquecas, sendo a reação individual a um desencadeador por parte de um doente, podendo ainda modificar-se na evolução da doença. São elegíveis para desencadeadores das enxaquecas fatores como:

  • Mudanças no ritmo diário (por exemplo, alteração das horas de se levantar e de se deitar ou também refeições que não foram tomadas)
  • Alterações no equilíbrio hormonal (que aparecem no decurso do ciclo fértil feminino)
  • Ruído
  • Alterações de temperatura ou outras influências climáticas
  • Ingestão de determinados alimentos, como vinho tinto, certos tipos de queijo ou chocolate
  • Stress ou descanso logo a seguir ao stress (por exemplo, no início das férias)

As enxaquecas são unilaterais

Fatores desencadeadores das enxaquecas

Reconhecer e evitar os fatores desencadeadores

Enquanto algumas pessoas são afetadas apenas uma ou duas vezes por mês, outras sofrem de dores de cabeça ou enxaquecas com muito mais frequência. Algumas até têm enxaquecas crónicas, e são afetadas pelas dores de cabeça durante 15 ou mais dias por mês.

Como a frequência dos episódios de enxaqueca varia individualmente, podem durar apenas algumas horas ou mesmo três dias.

Caso a dor continue além desses 3 dias é chamado de estado de enxaqueca (condição permanente semelhante à enxaqueca).

Se o episódio de enxaqueca não terminar sozinho, deve consultar sempre um médico que possa determinar o tratamento necessário.

A duração de uma enxaqueca é um fator distintivo da dor de cabeça tensional – se os sintomas durarem mais de três dias. Nas enxaquecas podem ocorrer crises de dor que poderão ter uma duração de 4 a 72 horas, limitando significativamente a capacidade funcional das pessoas afetadas.

 No entanto, as dores de cabeça tensionais podem durar de 30 minutos a até sete dias. Se a dor não diminuir após três dias, possivelmente poderá estar a sofrer as dores de cabeça tensionais.

Além da duração, deve-se também tentar diferenciar as dores de cabeça pelos sintomas que as acompanham.

Quando a fase da dor de cabeça numa enxaqueca aparece, a dor nem sempre se concentra apenas num local podendo mover-se. Deste modo, poderá aparecer primeiro como uma dor difusa na região do pescoço, ou umas vezes no lado esquerdo da cabeça e outras vezes no direito.

A intensidade da enxaqueca também pode variar, podendo começar semelhante a uma dor de cabeça de tensão, ou seja, pode ser pulsante, de pressão ou passageira.

No entanto, o paciente com enxaqueca poderá sentir uma dor latejante perto do pico da sua enxaqueca, que é muito mais intensa do que seria na dor de cabeça tensional.

Os sintomas de enxaqueca diminuem gradualmente após a fase de dor de cabeça. Nesta altura em que os sintomas vão desaparecendo, os pacientes entram na última fase do processo de evolução da enxaqueca. Normalmente, nesta fase os pacientes sentem-se cansados e exaustos devido aos sintomas anteriores, fazendo com que recuperação total leve algum tempo.

A duração e o desenvolvimento de uma enxaqueca exigem um grande esforço por parte dos pacientes. Mesmo durante os períodos sem sintomas, o paciente continua a preocupar-se com o aparecimento e possível duração do próximo episódio.

O medo de ter um novo episódio de enxaqueca é uma preocupação constante, afetando a qualidade de vida do paciente. Muitos pacientes com enxaqueca planeiam o seu tempo livre em torno da possibilidade de ter ou não um episódio. Outros pacientes apenas desistem de fazer planos para evitar o stress adicional.

Esta preocupação, medo e ansiedade pode provocar angústia e stress, o que afeta negativamente a frequência e a duração das enxaquecas.

As pessoas que sofrem de enxaqueca devem procurar ajuda para poderem terminar esse círculo vicioso. Com o tratamento adequado, todos os que sofrem de enxaqueca podem melhorar a sua qualidade de vida.

Por exemplo, a Migraspirina®  provou ser uma boa solução para aliviar as dores de cabeça relacionadas com a enxaqueca, inibindo a acumulação excessiva de neurotransmissores da dor (as chamadas prostaglandinas) e reduzindo a sensibilidade à dor.

Simultaneamente, os sintomas associados à enxaqueca, como sensibilidade à luz ou os enjoos, também melhoram.

O que ajuda nas crises agudas da enxaqueca? O tratamento da enxaqueca requer diferentes medidas, e depende do ambiente em que o paciente se encontra quando a dor de cabeça agonizante começa.

  • Descanso e relaxamento. O repouso ajuda bastante em crises de enxaqueca e, portanto, deverá ser algo prioritário, além do tratamento com medicamentos como Migraspirina®. Vá para uma divisão com pouca luz e barulho e descanse.
  • Analgésicos. Com os comprimidos para a dor de cabeça pode aliviar os sintomas em caso de crises agudas. Se forem tomados numa fase inicial haverá um grande alívio e, por outro lado, um impacto positivo para minimizar a intensidade da crise de enxaqueca.
  • A melhor escolha é uma combinação de analgésicos e outras medidas, como os remédios caseiros, por exemplo, o café. No entanto, a opção do café não deverá ser considerada por todos os que sofrem de enxaquecas, pois o café também pode piorar os enjoos na enxaqueca.
  • Alternar duches quentes e frios estimula a circulação e também pode ser usada como terapia de suporte.
  • Combinar um banho de pés de água fria, com uma massagem de reflexologia para pés. A massagem nos pontos nevrálgicos dos dedos dos pés e a água fria ajuda positivamente a circulação do sangue na cabeça.

O segundo passo para o tratamento de enxaquecas são os Analgésicos. Com os comprimidos para a dor de cabeça, como Migraspirina®, pode aliviar os sintomas em caso de crises agudas, o que significa que, se tomar o comprimido numa fase inicial haverá um grande alívio e, por outro lado, um impacto positivo para minimizar a intensidade da crise de enxaqueca.

Tenha em atenção de que não deverá tomar analgésicos para as enxaquecas durante mais de dez dias por mês e no máximo 3 dias seguidos – caso contrário correrá o risco de desenvolver dores de cabeça associadas ao consumo excessivo de medicamentos.

Para os doentes com enxaquecas especialmente intensas, os médicos prescrevem normalmente medicamentos com triptano. Estes medicamentos foram especialmente desenvolvidos para a enxaqueca. O triptano existe não só sob a forma de comprimidos, como também sob a forma de spray nasal ou supositórios.

Evitar e reduzir os fatores desencadeadores de enxaquecas:

O básico de uma prevenção de enxaquecas bem-sucedida é conhecer os desencadeadores individuais das enxaquecas e evitá-los. Em alguns fatores, a prevenção é o mais fácil, noutros mais difícil. Comece por identificar os desencadeadores.

Para facilitar as suas tarefas, oferecemos-lhe um diário de enxaquecas, no qual poderá registar as circunstâncias de cada crise e verificar gradualmente quais os fatores e padrões comuns. Na tabela pré-preenchida poderá registar os pontos temporais das crises de enxaqueca e os sintomas.

Desta forma, não terá dificuldades em descrever os seus problemas relacionados com as dores de cabeça ao seu médico numa data posterior: este pode retirar conclusões importantes com as circunstâncias das dores para tratamento adicional e para fazer recomendações que possam ajudar a prevenir as enxaquecas.

Stress, sono, medicamentos: mais formas de prevenção de enxaquecas:

Um fator essencial na prevenção de enxaquecas é evitar o stress. O stress mental, seja relacionado com a vida familiar ou profissional, aumenta a sensação de sobrecarga. Em muitos casos, o stress revela-se sob a forma de dores de cabeça tensionais ou enxaquecas.

Se for este o seu problema, faça uma pausa para que possa relaxar e descontrair. Existem várias técnicas que poderão ajudar, como o relaxamento muscular progressivo de Jacobson ou yoga.

Uma prática regular de desporto relaxa o corpo e a mente; os desportos de resistência como corrida ou bicicleta são especialmente adequados.

A rotina acalma as enxaquecas:

Com as enxaquecas a sua cabeça exige rotina: as alterações na sua rotina podem ser uma sobrecarga para si e poderão desencadear enxaquecas. Como medida de prevenção, é muito importante comer regularmente e, sempre que possível, à mesma hora. Permita que o seu sistema nervoso faça uma pausa, com um ritmo regular de sono, também durante os fins de semana e nas férias.

Medicamentos para a prevenção da enxaqueca:

As pessoas que sofrem de enxaquecas fortes e regulares deverão consultar o médico para a prescrição de medicamentos para a prevenção. Na maioria dos casos, tanto a ocorrência como a gravidade da enxaqueca podem ser significativamente reduzidas.

Источник: https://www.aspirina.pt/dores/enxaquecas/tratamento/

5 dicas para aliviar a dor de cabeça sem remédios

Remédios para Dor de Cabeça

A dor de cabeça é muito comum, mas pode ser aliviada sem remédios, através de medidas simples como colocar compressas frias na testa, especialmente se a causa da dor de cabeça for estresse, má alimentação, cansaço ou ansiedade, por exemplo.

Na maioria das vezes a dor de cabeça passa apenas com essas medidas simples, no entanto quando é constante, não melhora ao longo do tempo ou quando é acompanhada por outros sintomas como febre, mal estar, vômitos e cansaço excessivo, é importante ir ao médico para que sejam feitos exames para identificar a causa da dor e o tratamento adequado possa ser iniciado.

Algumas dicas para ajudar a aliviar a dor de cabeça sem que seja necessário tomar remédios são:

1. Colocar compressas frias ou mornas

Dependendo da causa da dor de cabeça, o uso de compressas frias ou quentes podem ser indicados para aliviar a dor. A compressa deve ser aplicada no local da cabeça em que se sente a dor, na nuca ou na testa, por exemplo, por cerca de 10 a 20 minutos.

A compressa fria é normalmente indicada quando a dor de cabeça é típica da enxaqueca, ou seja, quando é constante e, em alguns casos, é acompanhada por outros sintomas. Assim, a compressa com água gelada ajuda a contrair os vasos sanguíneos da cabeça e diminuir o volume de sangue no local, aliviando a dor.

Por outro lado, as compressas com água morna são indicadas quando a dor de cabeça é tensional, ou seja, desencadeada por estresse. Nesse caso, além de fazer a compressa morna, pode-se também tomar banho de água quente, pois ajuda a dilatar os vasos sanguíneos e a relaxar o corpo, trazendo um alívio momentâneo da dor de cabeça.

Por isso, é importante que seja identificada a causa da dor de cabeça para saber se é mais indicado fazer a compressa fria ou quente. Saiba como identificar os tipos de dor de cabeça.

2. Tomar café

Uma xícara de café forte sem açúcar também ajuda a combater naturalmente a dor de cabeça, sendo útil até mesmo em caso de ressaca. No entanto é importante saber qual a tolerância da pessoa para a cafeína, pois em alguns casos tomar café pode aumentar a dor de cabeça, nos casos de pessoas que já tem enxaqueca, ou não ter efeito nenhum.

É importante também beber bastante líquidos ao longo do dia, isso porque a dor de cabeça também pode ser um sinal de desidratação.

3. Massagem na cabeça

A massagem na cabeça é ótima para aliviar a dor de cabeça, pois mobiliza a corrente sanguínea, diminuindo a dor e ajudando a relaxar. A massagem deve ser realizada com as pontas do dedo, massageando a testa, nuca e parte lateral da cabeça. Confira o passo a passo da massagem para aliviar a dor de cabeça assistindo ao vídeo a seguir:

4. Ter uma boa noite de sono

Muitas vezes a dor de cabeça é indicativo de que o corpo precisa de descanso e, por isso, ter uma boa noite de sono pode ajudar a aliviar a dor de cabeça.

Para isso, é importante respeitar a hora de ir dormir, evitar ficar no telefone ou assistir televisão no momento do descanso e criar um ambiente escuro, assim é possível estimular o sono e tornar possível atingir a última fase do sono, que é a responsável pela maior sensação de descanso.

Confira outras dicas para ter uma boa noite de sono.

5. Tomar chá

Se a dor de cabeça não passar com os passos anteriores, pode-se beber 1 xícara do chá de gengibre, pois tem propriedades analgésicas e anti-inflamatórias, que ajudam a aliviar a dor de cabeça. Basta colocar 2 cm de raiz de gengibre em uma xícara de água, deixar ferver por 5 minutos, coar, deixar esfriar e beber. Confira outras opções de remédio caseiro para dor de cabeça.

Quando ir ao médico

É recomendado ir ao médico no caso da dor de cabeça não melhore ou seja mais intensa após seguir as dicas mencionadas, se durar mais de 3 dias ou se a pessoa apresentar outros sintomas como coriza, dor de garganta, mal-estar geral, náuseas ou vômitos, por exemplo.

Nestes casos, o médico pode solicitar exames para tentar identificar a causa da dor de cabeça e orientar o tratamento adequado, que pode ser feito com remédios analgésicos, anti-inflamatórios ou antibióticos, se necessário.

Alguns alimentos também podem piorar a dor de cabeça, devendo ser evitados, como no caso das comidas prontas, devido ao excesso de aditivos, e a pimenta. Por outro lado, outros ajudam a aliviar, como no caso dos peixes, sementes e castanhas, por exemplo. Para saber os alimentos que melhoram ou pioram a dor de cabeça assista o vídeo a seguir:

Источник: https://www.tuasaude.com/5-passos-para-aliviar-a-dor-de-cabeca-sem-remedios/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: