Rosácea (acne rosácea): causas e tratamento

Contents
  1. Rosácea
  2. Causas para a rosácea
  3. Sinais e sintomas na rosácea
  4. Rosácea eritemato-telangiectásica
  5. Rosácea pápulo-pustulosa
  6. Rosácea fimatosa
  7. Rosácea ocular
  8. Outras variantes de rosácea
  9. Gravidade da rosácea
  10. Diagnóstico da rosácea
  11. A rosácea é contagiosa?
  12. A rosácea tem cura?
  13. Medidas preventivas
  14. Tratamento da rosácea
  15. Rosácea: o que é, sintomas, causas e tratamento
  16. Principais sintomas
  17. Como confirmar o diagnóstico
  18. O que causa a rosácea
  19. Como é feito o tratamento
  20. Tratamento para rosácea ocular
  21. Opções de tratamento natural
  22. Rosácea: causas, tipos, sintomas, tratamentos… Tem cura? Como evitar as manchas vermelhas?
  23. 1. O que é rosácea?
  24. 2.1. Eritemato telangectasia
  25. 2.2. Pápula pustular
  26. 2.3. Fimatosa
  27. 2.4. Ocular
  28. 2. O que causa rosácea?
  29. 3. Como prevenir a rosácea?
  30. 3.1. Rotina de cuidados para a pele com rosácea
  31. 4. Rosácea tem cura?
  32. 5. Como tratar o rosácea e evitar as manchas vermelhas?
  33. 6. 1. Expor-se ao sol sem proteção
  34. 6. 2. Fazer exercícios físicos
  35. 6.3. Ingerir refeições muito quentes
  36. 6. 4. Comer alimentos apimentados
  37. 6. 5. Consumir bebidas alcoólicas
  38. Rosácea – Sintomas, Causas e Tratamento
  39. O que é a Rosácea?
  40. Tipos de Rosácea
  41. Sintomas da Rosácea
  42. Causas da Rosácea
  43. Fatores de Risco para Rosácea
  44. Diagnóstico da Rosácea
  45. Tratamento para Rosácea
  46. Como Amenizar os Sintomas da Rosácea?
  47. → Causas da rosácea
  48. → Sintomas da rosácea
  49. → Rosácea coça?
  50. → Tipos de rosácea
  51. → Rosácea eritemato-telangectásica
  52. → Rosácea papulopustulosa
  53. → Rosácea ocular
  54. → A rosácea tem cura definitiva?
  55. → Tratamento da rosácea

Rosácea

Rosácea (acne rosácea): causas e tratamento

A rosácea é uma doença da pele crónica muito comum que geralmente afeta o centro da face.

 Pode manifestar-se como eritema (“vermelhidão”) persistente, telangiectasias (pequenos vasos dilatados à superfície da pele), edema (“inchaço”), pápulas e pústulas (borbulhas com ou sem pús), ou como um nariz volumoso e deformado (alterações fimatosas). Veja fotos de rosácea. Nas imagens são visíveis diferentes lesões causadas por esta patologia.

Pode ser agravada por vários fatores, tais como: o calor, frio, exercício físico, luz solar, comida picante, álcool, stress psicológico ou alterações hormonais como a menopausa.

Atinge sobretudo adultos de pele clara com mais de 30 anos. O seu aparecimento em crianças (rosácea infantil) é raro. É mais comum no sexo feminino.

Apesar de ocasionalmente ser confundida com a acne, são doenças diferentes.

Causas para a rosácea

A causa da rosácea é desconhecida. Pensa-se que poderão estar envolvidos vários fatores, tais como: a exposição à radiação ultravioleta, anomalias no sistema imunológico, hiper-reactividade vascular e uma reação inflamatória exagerada a microrganismos.

A rosácea poderá ainda estar associada a várias doenças, por exemplo, a certas doenças auto-imunes como a doença celíaca (que se associa à ingestão de glúten).

Sinais e sintomas na rosácea

Existem vários tipos de rosácea, com diferentes sinais e sintomas:

Rosácea eritemato-telangiectásica

Na rosácea eritemato-telangiectásica os doentes apresentam apenas eritema (“vermelhidão”) e telangiectasias (pequenos vasos dilatados à superfície da pele).

Estas alterações habitualmente surgem sobretudo no nariz e maçãs do rosto, mas ocasionalmente podem também afetar outros locais, como o queixo ou as orelhas.

Rosácea pápulo-pustulosa

Na rosácea pápulo-pustulosa surgem pápulas e pústulas (borbulhas ou espinhas com ou sem pús, semelhantes às da acne).

Este subtipo pode ser confundido com acne. Contudo, uma das diferenças é a ausência de comedões abertos ou fechados (pontos negros ou brancos, respetivamente) nos doentes com rosácea.  

Rosácea fimatosa

Na rosácea fimatosa os doentes apresentam um aumento das dimensões de certas áreas da cara (por exemplo, um nariz volumoso e deformado no caso do rinofima).

Observa-se ainda um aumento da espessura da pele e um marcado desenvolvimento das glândulas sebáceas. O local mais atingido é o nariz, mas também pode ocorrer envolvimento do queixo, da testa ou das bochechas. 

Rosácea ocular

Na rosácea ocular há atingimento dos olhos, que podem ficar irritados e vermelhos.

Os doentes podem queixar-se de comichão ocular, sensação de picadas, sensibilidade à luz (fotofobia) ou sensação de corpo estranho (“sentir areias nos olhos”).

O envolvimento ocular surge na maioria dos doentes com rosácea.

Outras variantes de rosácea

Existem ainda variantes mais raras, como a rosácea granulomatosa.

É frequente os doentes apresentarem simultaneamente mais do que um tipo de rosácea. Sintomas comuns incluem sensação de calor, ardor, picadas ou comichão na cara.

Gravidade da rosácea

Embora na maioria dos casos seja uma doença relativamente leve, existem algumas formas graves de rosácea que deverão ser diagnosticadas precocemente.

Saiba, de seguida, como diagnosticar a rosácea.

Diagnóstico da rosácea

O diagnóstico de rosácea é maioritariamente clínico, ou seja, assenta sobretudo na história clínica e no exame físico.

A biópsia de pele raramente é necessária, mas pode ser útil para excluir outras doenças ou para diagnosticar rosácea granulomatosa.

A rosácea é contagiosa?

A rosácea não é uma doença contagiosa ou transmissível de pessoa para pessoa. Ou seja, a rosácea não se transmite ou se “pega” por contato direto.

A rosácea tem cura?

Embora não exista nenhuma cura definitiva para a rosácea, existem vários tratamentos disponíveis que permitem melhorar de forma significativa os seus sinais e sintomas.

Saiba, de seguida, como tratar a rosácea.

Medidas preventivas

Algumas medidas preventivas poderão ser úteis para atenuar os efeitos da rosácea:

  • Evite extremos de temperatura (nomeadamente banhos quentes);
  • Aplique diariamente um protetor solar com Fator de Proteção Solar (FPS) elevado;
  • Adeque a dieta. Alimentos picantes devem ser evitados, tal como bebidas alcoólicas. Opte por uma alimentação saudável;
  • Evite exercício físico extenuante;
  • Evite stress psicológico;
  • Lave o rosto com água morna e use produtos de higiene sem sabão e com pH neutro;
  • Hidrate regularmente a pele com produtos indicados para a rosácea;
  • Maquilhagem corretora poderá ajudar a disfarçar a vermelhidão.

Tratamento da rosácea

O tratamento da rosácea depende da sua gravidade e das manifestações clínicas. Poderá incluir, entre outras opções:

  • Fármacos de aplicação tópica (por exemplo, em creme, pomada ou gel), como o Metronidazol, o Ácido Azelaico ou a Ivermectina;
  • Medicamentos de toma oral (comprimidos), como a Doxiciclina, a Minociclina ou a Azitromicina;
  • Tratamento com laser ou luz intensa pulsada.

Источник: https://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/dermatologia/rosacea/

Rosácea: o que é, sintomas, causas e tratamento

Rosácea (acne rosácea): causas e tratamento

A rosácea é uma doença de pele que geralmente causa vermelhidão no rosto, principalmente nas bochechas, mas que também pode afetar os olhos, sendo, nesses casos, chamada de rosácea ocular.

A causa exata da rosácea ainda não é conhecida, no entanto os sintomas tendem a aparecer por “crises”, que podem ser desencadeadas por alterações ambientais, como excesso de calor, ou estar relacionadas ao sistema emocional, como ansiedade e nervosismo,. A rosácea é mais comum nas mulheres de pele clara, entre 30 e 60 anos de idade, e que ficam com o rosto rosado quando sentem vergonha ou praticam exercícios físicos.

Na rosácea existe uma alteração nos pequenos vasos sanguíneos do rosto, e por isso essa alteração não tem uma cura definitiva, mas pode-se diminuir a vermelhidão do rosto e do olhos com alguns cuidados e tratamentos simples. Uma boa dica para diminuir a vermelhidão do rosto é lavar o rosto com água fria por alguns minutos.

Principais sintomas

Os sinais e sintomas da rosácea podem aparecer na testa, nariz, bochechas e, em alguns casos, nas orelhas:

  • Vermelhidão e sensação de calor na pele;
  • Pele mais seca que o habitual;
  • Sensação de queimação no rosto durante a rotina de skincare;
  • Presença de pequenos vasinhos no rosto;
  • Facilidade para apresentar acne e pele oleosa;
  • Sensação de pele mais grossa em alguns locais, especialmente no nariz;
  • Pequenas lesões elevadas na pele que podem conter pus.

É também comum que a pele fique muito sensível até mesmo a alguns sabonetes, por isso deve-se ir ao dermatologista para que seja feito o diagnóstico e para que seja indicado o melhor tipo de sabonete, além de medicamentos, se forem percebidos sinais de inflamação ou infecção.

Além disso, quando a rosácea afeta os olhos, no caso da rosácea ocular, também pode causar vermelhidão nos olhos, sensação de olho seco, visão embaçada e sensibilidade à luz, por exemplo. Entenda melhor o que é a rosácea ocular e como tratar.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da rosácea é feito pelo dermatologista a partir da observação dos sinais e sintomas do paciente. No entanto, podem ser solicitados exames adicionais para eliminar outras possíveis doenças, como leucemia, lúpus eritematoso sistêmico, micose e acne rosácea.

O que causa a rosácea

Não se conhece a causa exata para o aparecimento da rosácea, no entanto, as crises de sintomas parecem ser desencadeadas por fatores como:

  • Exposição prolongada ao sol;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Consumo de bebidas muito quentes ou alimentos picantes;
  • Situações de estresse e nervosismo;
  • Prática de exercício físico.

Pessoas com rosácea também apresentam sintomas mais intensos quando existe algum tipo de infecção na pele.

Como é feito o tratamento

O tratamento para rosácea é feito de acordo com o gravidade dos sintomas apresentados pela pessoa, sendo recomendado em todos os casos evitar os fatores desencadeantes como exposição solar prolongada, consumo de alimentos muito quentes, frio excessivo ou ingestão de bebidas alcoólicas.

O dermatologista normalmente indica o uso de protetor solar com alto fator de proteção contra os raios UVA e UVB do sol, o uso de sabonetes neutros ou adequados ao tipo de pele da pessoa e o uso de antibióticos tópicos. No caso de haver o desenvolvimento de rinofima, que é uma complicação da rosácea, pode ser indicada a realização de cirurgia para remoção.

O tratamento com laser e com luz intensa pulsada também podem ser indicados, pois são capazes de diminuir e eliminar as telangiectasias, que são os pequenos vasinhos que podem aparecer no rosto das pessoas com rosácea.

Apesar de ser eficaz, esse tipo de tratamento não é indicado para pessoas com diabetes e para quem tem tendência para desenvolver queloides na pele devido aos efeitos colaterais relacionados ao procedimento, como descamação na pele, vermelhidão e inchaço.

Saiba quais são os cuidados durante o tratamento com luz pulsada.

Tratamento para rosácea ocular

O tratamento para rosácea ocular poderá ser feito com o uso de antibióticos orais e medidas adequadas de higiene no local.

Lubrificantes oculares podem ser usados para aliviar o sintoma de ressecamento nos olhos, mas não devem ser utilizados exclusivamente.

O diagnóstico de rosácea ocular exige uma avaliação cuidadosa com o oftalmologista, pois a visão poderá ser comprometida por distúrbios inflamatórios já existentes nos olhos, como blefarite, irite ou ceratite. Veja mais sobre o tratamento da rosácea ocular.

Opções de tratamento natural

No tratamento natural para rosácea, o gel de Aloe vera e a água de rosas têm sido usados para aliviar e prevenir os sintomas da rosácea na pele, assim como o pepino pode ser usado para diminuir a sensibilidade dos olhos para tratamento da rosácea ocular. Estes tratamentos naturais são recomendados para prevenir os sintomas da rosácea, com o benefício de não provocar efeitos colaterais como os outros tratamentos.

Источник: https://www.tuasaude.com/tratamento-para-rosacea/

Rosácea: causas, tipos, sintomas, tratamentos… Tem cura? Como evitar as manchas vermelhas?

Rosácea (acne rosácea): causas e tratamento

Só quem tem rosácea sabe como é sentir na pele os sintomas da doença – desde a vermelhidão repentina à sensibilidade, passando por outros incômodos presentes, especialmente, no rosto.

Muitas pessoas com esse problema, possuem uma série de dúvidas sobre o assunto: rosácea tem cura? É possível evitar as manchas vermelhas na pele? Existem tipos de rosácea? Como podemos tratá-la? Para esclarecer essas e outras questões, o DermaClub conversou com a dermatologista Betina Stefanello que contou as causas, sintomas e tratamentos para essa complicação. Confira!

1. O que é rosácea?

A médica explica: “A rosácea é uma doença vascular inflamatória crônica, com períodos de remissões e outros de exacerbações, em que a pele que é reativa torna-se vermelha, com bolinhas vermelhas, vasinhos dilatados e algumas lesões parecidas com espinhas”. Geralmente, ela aparece em pessoas de pele bem clara, porém, pode surgir em outra tonalidade ou tipo de pele. A doença é mais comum em mulheres a partir dos 25 anos, mas também pode se desenvolver em homens, e neles, o quadro tende a ser mais grave.

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

2.1. Eritemato telangectasia

Mais comum, faz com que a pele fique vermelha e com vasos aparentes. É facilmente notada na região central do rosto e se agrava com consumo de álcool, exposição solar, exercícios físicos, entre outros. Outro sintoma é sensação de ardência. Pode ser tratada com remédios tópicos anti-inflamatórios ou tratamentos a laser;

2.2. Pápula pustular

Tem como característica, além da vermelhidão, o surgimento de lesões pápulo-pustulosas, que se assemelham com espinhas. O tratamento também tem ação anti-inflamatória e pode ser tópica ou via oral;

2.3. Fimatosa

A inflamação causada por esse tipo de rosácea torna a pele mais espessa e vermelha, em alguns casos, áreas como o nariz podem dobrar de tamanho. Além disso, regiões do rosto e ao redor podem ser comprometidas. Além dos tratamentos já citados anteriormente, em alguns casos, há intervenção cirúrgica para reduzir o volume de pele.

2.4. Ocular

Acomete a região dos olhos, mais especificamente próximo aos cílios, gerando descamação e vermelhidão. Se não tratado pode evoluir e interferir na visão do paciente. Os medicamentos devem ser indicados por um oftalmologista e a área deve ser bem higienizada.

2. O que causa rosácea?

Até hoje, ainda não se sabe ao certo o que causa a rosácea, que se apresenta como uma vermelhidão no rosto e pode, até mesmo, causar outros desconfortos, como coceira e sensação de calor. Contudo, especula-se que alguns fatores podem influenciar na sua incidência, incluindo questões genéticas, reação a ácaros e vasos sanguíneos frágeis.

3. Como prevenir a rosácea?

Mesmo sendo crônica, a rosácea pode ser prevenida para evitar a piora de estágio. Basta seguir alguns cuidados, como moderar a alimentação (evitar alimentos picantes e muitos quentes) e prestar atenção em hábitos corriqueiros que podem colaborar para agravamento da doença (consumo de álcool em excesso, temperaturas muito altas, exposição ao sol, estresse e exercícios extenuantes).

Além disso, a Drª Betina garante que seguir um ritual de skincare ajuda muito. Entre os cuidados indicados, está a água termal gelada que ajuda a contrair os vasos e diminuir a vermelhidão após a prática de atividades físicas e durante o calor extremo.

3.1. Rotina de cuidados para a pele com rosácea

1º passo) Lave o rosto com uma loção de limpeza

A limpeza da pele deve ser feita com uma loção de limpeza, produto mais adequado para a pele sensível. Ela garante uma higiene mais suave com ativos que contenham uma base calmante e anti-inflamatória.

2º passo) Aplique um hidratante com ativos prebióticos

Em seguida, aplique o hidratante com ativos que ajudem a recuperar a barreira protetora da pele e que também promova uma ação calmante. E para garantir uma ação completa, opte por produtos com ativos prebióticos, que protegem os microrganismos saudáveis da sua pele, fortalecendo ainda mais a barreira cutânea.

3º passo) Finalize com um filtro solar com FPS alto e ação hidratante

O uso do protetor solar é super importante e deve ser aplicado todos os dias. O produto precisa ter amplo espectro de proteção e FPS alto (50 ou mais).

4. Rosácea tem cura?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), não há cura para a rosácea. Por outro lado, existe tratamento para controlar os sintomas e crises do problema – o que vai depender do estágio da doença de pele.

5. Como tratar o rosácea e evitar as manchas vermelhas?

O tratamento nada mais é do que o controle da doença. Então o recomendado para prevenir a vermelhidão e outros sintomas do rosácea é:

– Evitar comidas muito exóticas, picantes e quentes;

– Proteger a pele de temperaturas extremas – seja muito quente ou muito frio;

– Parar de fumar, caso pratique o tabagismo;

– Evitar o uso de produtos que possua fragrâncias, álcool, parabenos e qualquer substância que irrite a região;

– Usar protetor solar com amplo espectro e FPS 30, no mínimo para proteger a pele da radiação solar;

– Apostar em dermocosméticos calmantes, como a água termal;

– Usar um produto anti-rubor para controlar as manchas vermelhas

– Apostar em maquiagem dermocosmética hipoalergênica corretiva, para mascarar o rubor sem agredir a pele;

6. 1. Expor-se ao sol sem proteção

Quem tem rosácea sabe muito bem que não pode ficar por muito tempo em ambientes quentes e de alta exposição solar.

Situações como essas deixam a região facial do paciente vermelha e ardente devido ao aumento da temperatura corporal.

O que acontece nesse processo é uma vasodilatação como tentativa de autodefesa para amenizar o calor nessa região. Em contrapartida, o efeito dessa intervenção é um rosto avermelhado e ardido.

6. 2. Fazer exercícios físicos

Muitas atividades físicas mexem bastante com o nosso corpo: a maioria faz com que a respiração e o batimento cardíaco acelerem, fazendo o sangue circular mais rápido para levar oxigênio às células.

Esse processo dilata os vasos sanguíneos, resultando na vermelhidão e desconforto na pele da face.

Quem tem rosácea desenvolve esses sintomas de uma forma ainda mais intensa, com bochechas bem vermelhas e sensação forte de ardência.

6.3. Ingerir refeições muito quentes

Beber uma xícara de café de manhã ou tomar uma sopa bem quentinha no jantar pode não ser uma boa ideia para quem tem rosácea. Comidas e bebidas quentes deixam a pele do paciente vermelha, com uma aparência irritada. Por isso, não tenha pressa na hora de saborear sua refeição. Espere um pouco até atingir a temperatura amena para comer.

6. 4. Comer alimentos apimentados

Embora a pimenta proporcione uma série de benefícios ao organismo, ela pode ser uma vilã para quem tem rosácea. Quando pessoas com essa característica de pele ingerem alimentos apimentados e muito temperados, apresentam várias reações, desde vermelhidão e ardência até sudorese intensa no rosto.

6. 5. Consumir bebidas alcoólicas

O álcool causa uma série de danos à pele, dentre eles a dilatação dos vasos sanguíneos – que causa vermelhidão e sensação de ardor. Isso acontece em todas as pessoas, porém, é mais evidente em quem tem rosácea.

Publicada em: 06 de Setembro de 2018
Modificada em: 05 de Março de 2020

Источник: https://www.dermaclub.com.br/blog/noticia/rosacea-causas-tipos-sintomas-tratamentos-tem-cura-como-evitar-as-manchas-vermelhas_a7884/1

Rosácea – Sintomas, Causas e Tratamento

Rosácea (acne rosácea): causas e tratamento

Aparentemente parece que você tomou sol demais, ou que está envergonhada. Mas, se não fosse pelas bolinhas avermelhadas, a pele quente e a coceira, poderia mesmo ser confundida com calor em excesso. Mas não, esses sintomas são produzidos por uma condição bastante comum, a rosácea.

O que é a Rosácea?

A rosácea é uma doença crônica da pele que afeta mais de 40 milhões de pessoas em todo o mundo. A causa da rosácea ainda é desconhecida, mas é bastante estudada.

A rosácea pode ocorrer em qualquer pessoa. Mas geralmente afeta mulheres de meia-idade com pele clara. Embora não haja cura para a rosácea, os tratamentos podem controlar e reduzir os sinais e sintomas.

Estes sinais e sintomas aparecem durante um período, que pode ser de semanas a meses e depois diminuir por um tempo. A rosácea pode ser confundida com acne, uma reação alérgica ou outros problemas de pele.

Tipos de Rosácea

Existem cinco subtipos de rosácea e cada subtipo tem seu próprio conjunto de sintomas. É possível ter mais de um subtipo de rosácea de cada vez. A marca registrada da rosácea são pequenas bolinhas, vermelhas e cheias de pus na pele. Normalmente, a rosácea afeta apenas a pele no nariz, bochechas e testa.

Geralmente ocorrem em ciclos, isso significa que a pessoa experimentará sintomas por semanas ou meses. Logo depois, os sintomas desaparecerão, e em seguida retornarão.

Subtipo 1 – Conhecido como eritemato telangectasia rosácea (ETR), está associado à vermelhidão facial, rubor e vasos sanguíneos visíveis.

Subtipo 2 – A rosácea pápula pustulosa (ou acne), está associada a surtos semelhantes a acne.

Subtipo 3 – Conhecido como rinofina ou rosácea fimatosa é uma forma rara que está associada ao espessamento da pele do nariz. Geralmente afeta homens e muitas vezes é acompanhada por outro subtipo de rosácea.

Subtipo 4 – Como o nome diz, a rosácea ocular atinge a região dos olhos. Cerca de 20% dos casos são descobertos em visita a um oftalmologista. O indicativo da doença é uma inflamação (chamada de blefarite) com avermelhamento e descamação na área dos cílios. Este tipo é o mais grave, pode evoluir para a perda da visão.

Subtipo 5 – Outro subtipo raro da rosácea é chamado granulomatosa. Sua característica principal é o aparecimento de pequenos nódulos acastanhados na face. Cerca de 15% dos pacientes com a doença podem ter lesões em outros locais.

Seu diagnóstico é difícil e requer um alto grau de suspeita por parte do dermatologista. Seu tratamento também é um desafio uma vez que esse tipo de rosácea não responde positivamente aos tratamentos convencionais.

Sintomas da Rosácea

Os sintomas da rosácea são diferentes entre cada subtipo.

  • Rubor e vermelhidão no centro da sua face
  • Vasos sanguíneos dilatados visíveis
  • Pele inchada
  • Pele sensível
  • Sensação de ardor na pele
  • Pele seca, áspera e escamosa

Sintomas de rosácea pápula pustulosa (acne rosácea):

  • Erupções tipo acne
  • Pele muito vermelha
  • Pele oleosa
  • Pele sensível
  • Vasos sanguíneos dilatados que são visíveis
  • Manchas na pele

Sintomas de rosácea fimatosa:

  • Textura acidentada da pele
  • Pele grossa no nariz
  • Pele grossa no queixo, testa, bochechas e orelhas
  • Poros grandes
  • Vasos sanguíneos dilatados e visíveis

Sintomas de rosácea ocular:

  • Olhos inchados e lacrimejantes
  • Sensação de ardor ou picada nos olhos
  • Olhos secos e com coceira
  • Olhos sensíveis à luz
  • Cistos nos olhos
  • Visão diminuída
  • Vasos sanguíneos dilatados nas pálpebras

Sintomas de rosácea granulomatosa:

  • Erupções tipo acne
  • Nódulos acastanhados na pele
  • Crostas na pele do rosto e dorso
  • Pele sensível
  • Lesões sem prurido

Causas da Rosácea

A causa da rosácea não foi determinada. Pode ser uma combinação de fatores hereditários e ambientais. A rosácea não é causada por uma falta de higiene. Uma série de fatores podem desencadear ou agravar a rosácea, aumentando o fluxo sanguíneo para a superfície da sua pele. Alguns desses fatores incluem:

  • Bebidas quentes e alimentos picantes
  • Bebidas alcoólicas
  • Temperaturas extremas
  • Luz solar ou vento
  • Estresse, ansiedade, nervoso ou vergonha
  • Exercícios físicos
  • Cosméticos
  • Drogas que dilatam vasos sanguíneos, incluindo alguns medicamentos para pressão arterial
  • A bactérias intestinal Helicobacter pylori
  • Um ácaro da pele chamado demodex e a bactéria que carrega, Bacillus oleronius
  • Presença de catelicidina (uma proteína que protege a pele da infecção)

Fatores de Risco para Rosácea

Existem alguns fatores que irão tornar algumas pessoas mais propensas a desenvolver rosácea do que outras. A rosácea geralmente se desenvolve em pessoas entre as idades de 30 e 50. Também é mais comum em pessoas de pele clara e com cabelos loiros e olhos azuis.

Existem também fatores genéticos para a rosácea. É mais provável que se desenvolva rosácea se a pessoa tiver um histórico familiar da doença ou se tiver antepassados celtas ou escandinavos.

As mulheres, como dito acima são mais propensas a desenvolver a condição, no entanto, os homens que desenvolvem geralmente apresentam sintomas mais graves.

Diagnóstico da Rosácea

O médico pode facilmente diagnosticar a rosácea em um exame físico. Inclusive, pode encaminhar a pessoa para um dermatologista determinará se a causa da afecção é mesmo rosácea ou outra condição de pele.

Tratamento para Rosácea

O tratamento mais comum é feito com produtos tópicos, como metronidazol, ácido azelaico, peróxido de benzoila e retinóides tópicos. O objetivo principal do tratamento é diminuir a inflamação do paciente, usando as substâncias citadas cerca de 1 a 2 vezes por dia.

No caso da rosácea pápula pustulosa, ocular e fimatosa, é necessário a utilização de antibióticos do grupo das ciclinas: a tetraciclina e a minociclina. A cirurgia é indicada nos casos de fimatosa. Para tratar a rosácea ocular, muitas vezes é necessário o uso de colírios locais (com antibióticos) e também imunossupressores.

O uso do laser ou da luz pulsada para vasos também é importante, pois a luz do laser atinge os vasos, promovendo sua destruição e clareando a região.

Como Amenizar os Sintomas da Rosácea?

A rosácea não tem cura, mas é possível tomar algumas medidas para amenizar e controlar seus sintomas. É importante cuidar da pele usando produtos para limpá-la que sejam suaves, sem óleo e à base de água. Evite produtos que contenham:

  • Álcool
  • Mentol
  • Avelã
  • Agentes esfoliantes

Esses ingredientes podem irritar e agravar a rosácea

O médico irá desenvolver um plano de tratamento que geralmente inclui um regime de cremes antibióticos e antibióticos orais. É interessante manter um diário dos alimentos consumidos e dos cosméticos que a pessoa utiliza. Isso irá ajudá-la a descobrir o que piora seus sintomas.

Outras medidas para amenizar os sintomas da rosácea incluem:

  • Evitar a luz do sol diretamente sobre a pele usando protetor solar
  • Não consumir bebidas alcóolicas
  • Procurar tratamentos para ajudar com alguns casos graves de rosácea
  • Tratamento de micro dermoabrasão para reduzir a pele que cresce
  • Utilizar medicamentos para os olhos, geralmente antibióticos para a rosácea ocular

A rosácea é uma doença crônica da pele que precisa ser acompanhada de perto. Pode ser difícil lidar com uma condição crônica, além de evitar os fatores agravantes e seguir o tratamento indicado pelo dermatologista, adotar hábitos simples ajuda a combater a sensibilidade da pele.

Veja Também: Doenças de Pele mais Comuns em Mulheres
Fotos: M. Sand

Источник: https://www.famivita.pt/rosacea/

Causas da rosácea

A rosácea é uma doença inflamatória crônica de origem ainda desconhecida, entretanto, acredita-se que haja uma base genética.

A doença apresenta ainda relação com o ácaro Demodex folliculorum, que vive na pele humana, e com a bactéria Bacillus oleronius. Essa doença caracteriza-se por períodos de surtos, com sintomas da doença, e de remissões, nos quais não há sinais da doença.

Esses surtos apresentam relação com o estresse, exposição solar, frio, vento e com o consumo de algumas bebidas e alimentos.

Leia também: Risco do consumo de bebidas alcoólicas

Sintomas da rosácea

A rosácea é uma doença de caráter inflamatório relativamente comum e apresenta diferentes manifestações.

De uma maneira geral, a rosácea afeta, principalmente, a região central da face, provocando vermelhidão na pele (eritema) bastante característica.

É comum a ocorrência de flushing facial, períodos nos quais o paciente apresenta sensação súbita de calor e vermelhidão na pele.

Além disso, a pele torna-se mais sensível,seca e fica irritada com mais frequência, sendo fundamental, portanto, atenção aos tipos de cosméticos utilizados na área.

Percebe-se ainda o aumento de vasos finos dilatados na pele (telangiectasias), além de pápulas e pústulas (pequenas lesões na pele) que se assemelham à acne.

Sintomas oculares podem também estar presentes, tais como olho seco, irritação e conjuntivite.

Pode ocorrer ainda quadros mais graves com o surgimento de rinofima, situação caracterizada pelo espessamento da pele do nariz e dilatação dos folículos. Essas alterações causam um aumento gradual do nariz, levando a uma deformação.

Leia também: Acne

Rosácea coça?

Apesar de não ser um dos sintomas mais comuns, os pacientes com rosácea podem apresentar coceira. Um dos fatores que podem levar a esse sintoma é a sensibilidade aumentada da pele. Por isso, é necessário cuidar bem da pele e escolher bem os cosméticos que serão utilizados, uma vez que muitas fórmulas acabam secando e irritando a pele.

Tipos de rosácea

A rosácea pode ser classificada em quatro tipos básicos com base nos sinais e sintomas apresentados:

  • Subtipo 1 – Eritemato-telangectásico

  • Subtipo 2 – Papulopustuloso

  • Subtipo 3 – Fimatoso (Rinofima)

  • Subtipo 4 – Ocular

A seguir descreveremos melhor alguns desses tipos.

Rosácea eritemato-telangectásica

Nesse tipo de rosácea, temos como lesões predominantes o eritema facial central persistente e a telangiectasia, ou seja, o paciente apresenta vermelhidão e verifica-se um aumento de vasos finos dilatados na pele. Na rosácea eritemato-telangectásica,que pode acometer também orelhas, pescoço e tórax, ocorre também o flushing facial, uma sensação abrupta de calor e vermelhidão na pele. O flushing facial dura, geralmente, mais de dez minutos.

Rosácea papulopustulosa

Nesse tipo de rosácea, temos o aparecimento de pápulas e/ou pústulas como característica mais marcante.

A pápula pode ser definida como uma lesão elevada e sólida na pele, enquanto a pústula é uma elevação que apresenta pus.

Na rosácea papulopustulosa, pode ocorrer o envolvimento das regiões perioral, perinasal e periocular. O flushing nesse tipo de rosácea é observado com menor intensidade.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade ;)

Nesse tipo de rosácea, ocorre a presença de fima, que se caracteriza pela hipertrofia das glândulas sebáceas e pela proliferação de tecido conectivo e vasos sanguíneos. O tipo mais comum de fima é aquele que afeta o nariz (rinofima).

A rinofima caracteriza-se pelo aumento gradual e deformante do nariz em decorrência do espessamento e da dilatação dos folículos, que causam alterações na cor, textura e vascularização da região.

Esse quadro é mais comum em homens do que em mulheres e é considerado a forma mais grave da rosácea. O tratamento envolve, geralmente, procedimentos cirúrgicos.

Rosácea ocular

Na rosácea ocular, ocorre o comprometimento dos olhos, com o surgimento de blefarite e de conjuntivite. A blefarite é uma inflamação da pálpebra que causa comprometimento dos cílios e da produção de lágrimas.

A conjuntivite, por sua vez, é a inflamação da membrana externa do olho e da região interior da pálpebra.

Algumas vezes, a rosácea ocular pode evoluir para casos de ceratite (inflamação da córnea), esclerite (inflamação da esclera) ou irite (inflamação da íris).

A rosácea tem cura definitiva?

A rosácea não apresenta cura definitiva. Seu tratamento é usado como forma de controle do problema e para evitar a remissão do quadro. Vale salientar que o tratamento escolhido pelo médico dependerá do tipo de rosácea apresentado e também das condições clínicas do paciente.

Tratamento da rosácea

A pessoa com rosácea apresenta vasos finos dilatados na pele (telangiectasias).

O tratamento da rosácea visa a controlar os surtos da doença e a amenizar os sintomas. Cada tratamento é individualizado e dependerá do quadro do paciente. Geralmente, é recomendado o uso de sabonetes adequados à pele do paciente e proteção solar constante.

Recomendam-se ainda alguns medicamentos tópicos (usados diretamente na pele) e orais. Entre os medicamentos de uso tópico, o mais utilizado é o metronidazol, que é aplicado, normalmente, uma ou duas vezes ao dia.

Já entre os medicamentos via oral, os mais utilizados são as tetraciclinas, que agem como anti-inflamatórios.

Além dos medicamentos, recomenda-se laser ou luz pulsada para o tratamento das telangiectasias. Já no caso de rinofima, podem ser recomendados procedimentos cirúrgicos, radiofrequência, laser ou ainda dermabrasão (método controlado de raspagem cirúrgica).

Leia também: Importância dos protetores solares

Os médicos recomendam ainda evitar algumas situações que tenham relação com surtos da doença. Entre os agravantes, podemos citar: temperaturas extremas (tanto quentes quanto frias), exposição inadequada ao sol, bebidas alcoólicas, bebidas quentes, alimentos apimentados, alguns medicamentos vasodilatadores e estresse.

ATENÇÃO: Procure imediatamente um dermatologista sempre que notar alterações anormais na pele, como manchas e vermelhidão que não desaparecem.

Por Ma. Vanessa dos Santos

Источник: https://brasilescola.uol.com.br/saude/rosacea.htm

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: