SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ

Contents
  1. Hemorragia na gravidez
  2. O que é normal na gravidez?
  3. Causas da hemorragia na gravidez
  4. No primeiro trimestre (até às 12 semanas)
  5. No segundo e terceiro trimestre (das 12 semanas até ao parto)
  6. Quando procurar o médico?
  7. Como diagnosticar?
  8. Como tratar a hemorragia?
  9. Sangramento na gravidez: é normal? O que fazer?
  10. Causas
  11. Buscando ajuda médica
  12. Referências
  13. O que precisa de saber sobre o sangramento de implantação
  14. 1. O que é o sangramento de implantação?
  15. 2. Quando é que ocorre o sangramento de implantação?
  16. 3. Como é que posso distinguir entre o sangramento de implantação e a minha menstruação?
  17. 4. Quais são os sinais e sintomas do sangramento de implantação?
  18. 5. Que quantidade de sangramento é segura durante a implantação?
  19. 6. Quanto tempo dura o sangramento de implantação e o fluxo do sangramento é muito abundante?
  20. 7. Quanto tempo após o sangramento de implantação é que posso fazer um teste de gravidez?
  21. 8. O sangramento de implantação ocorre em todas as mulheres?
  22. Sangramento de implantação: entenda o que é e quais as causas
  23. O que é o sangramento de implantação?
  24. Atenção ao tipo de sangramento
  25. A diferença entre o sangramento de implantação e a menstruação
  26. Existe perigo quando ocorre o sangramento de implantação?
  27. Sangramento no Começo da Gravidez – O que Fazer?
  28. Baixa Hormonal
  29. Coloração e Textura do Sangramento
  30. Descolamento do Saco Gestacional
  31. Sangramento Nas Primeiras Semanas
  32. Sangramento à Partir do Segundo Trimestre Gestacional
  33. Placenta Prévia
  34. Descolamento Prematuro de Placenta
  35. Sangramento Durante a Relação Sexual
  36. Sangramento no Trabalho de Parto
  37. Como diferenciar sangramento de menstruação de um aborto?
  38. Corrimento borra de café na gravidez é perigoso?
  39. Como acabar com o sangramento na gravidez?
  40. SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ
  41. O que é importante observar em casos de sangramento na gravidez?
  42. História clínica
  43. Exame físico
  44. Ultrassonografia
  45. Tratamento do sangramento na gravidez

Hemorragia na gravidez

SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ

A hemorragia vaginal (sangramento ou perda de sangue) na gravidez é uma queixa muito frequente por parte da grávida.

Corresponde à saída de sangue pela vagina com origem genital e pode ser um pequeno sangramento que normalmente é escuro “tipo borra de café” ou mais abundante com sangue vermelho-vivo e que pode durar vários dias.

É importante nesta situação identificar a origem da hemorragia, avaliar a sua gravidade e repercussão sobre o estado geral da grávida e da evolução da gravidez.

Em caso de ocorrência de uma hemorragia durante a gravidez, a grávida deve sempre procurar o seu médico obstetra (especialista em obstetrícia) para ser investigada.

A hemorragia na gravidez pode ser devida a diversas causas, conforme discutiremos adiante.

A gravidade e nível de preocupação também pode ser bastante variável de acordo com as causas subjacentes.

O que é normal na gravidez?

Sobretudo no início da gravidez é normal uma pequena perda de sangue (semelhante à menstruação), que não tem significado clínico e corresponde à implantação do embrião na parede do útero.

Na gravidez o colo do útero fica mais friável e é também muito frequente haver perdas de sangue espontâneas e também durante e após a relação sexual. Normalmente, são perdas escassas e correspondem a um corrimento “tipo borra de café” e não têm repercussões para a gravidez.

Contudo, pode ocorrer hemorragia durante a gravidez causada por diversos problemas, que necessitam sempre de investigação por parte do médico, conforme discutiremos de seguida.

Causas da hemorragia na gravidez

As causas / motivos da hemorragia variam consoante as semanas de gestação. Assim, as causas mais frequentes são:

No primeiro trimestre (até às 12 semanas)

  • Ameaça de abortamento (normalmente o colo útero está fechado e a perda de sangue é pequena);
  • Trabalho de abortamento (colo do útero está aberto, existe dor pélvica (“dor de barriga”) forte e a hemorragia é mais abundante);
  • Gravidez ectópica (gravidez extra-uterina; pode se implantar na trompa, ovário, cavidade abdominal ou no colo útero); é sempre uma gravidez não evolutiva e pode pôr em risco a vida da grávida;
  • Mola hidatiforme (anomalia do trofoblasto)

No segundo e terceiro trimestre (das 12 semanas até ao parto)

  • Placenta baixamente inserida (placenta que se implanta perto do colo do útero (< 2cm); designa-se de placenta prévia apenas no 3º trimestre pois muitas placentas baixas no 2º trimestre modificam-se à medida que a gravidez prossegue;
  • Vasa prévia (vaso placentar que passa sobre o colo útero); complicação rara, mas potencialmente catastrófica devido ao risco de rotura e subsequente exsanguinação;
  • Início do trabalho de parto (consequência do apagamento e dilatação do colo do útero e é resultante da laceração de pequenos vasos).

Quando procurar o médico?

Deve-se sempre procurar o médico quando a hemorragia na gravidez é moderada a grave (grandes perdas de sangue) e, sobretudo, se acompanhada de dor abdominal (dor de barriga).

Como diagnosticar?

A história clínica é importante para esclarecer com clareza a duração e as características da perda, as circunstâncias do seu aparecimento e a presença de sintomas acompanhantes, nomeadamente dores pélvicas. Deve ser sempre pesquisado se há queixas urinárias (infeção urinária) ou queixas anais, pois a origem do sangue pode não ser de origem genital.

Saiba, aqui, o que é infeção urinária.

O exame ginecológico efetuado pelo médico, especialista em ginecologia / obstetrícia ajuda na identificação da origem da hemorragia.

A ecografia ou ultrassonografia transvaginal constitui o instrumento decisivo para a orientação diagnóstica e terapêutica a seguir.

Saiba, aqui, o que é ecografia transvaginal.

Como tratar a hemorragia?

Os tratamentos diferem mediante a causa da hemorragia. Ou seja, apenas após o diagnóstico, por parte do médico, é que pode ser iniciado tratamento. A abordagem de cada grávida deve ser individualizada, de modo a detetar a causa da hemorragia e orientar de acordo o diagnóstico.

A mulher grávida nunca se deve automedicar (usar por sua iniciativa medicamentos ou remédios) ou tentar qualquer tipo de tratamento caseiro ou natural sob pena de poder agravar o seu estado de saúde e do seu bebé.

Источник: https://www.saudebemestar.pt/pt/clinica/ginecologia/hemorragia-na-gravidez/

Sangramento na gravidez: é normal? O que fazer?

SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ

O sangramento vaginal não é um sintoma de gravidez comum e geralmente é preocupante. No entanto, nem sempre é um sinal de problemas.

As causas do sangramento na gestação podem ser desvendadas de acordo com o período da gestação em que acontecem (primeira ou segunda metade da gravidez).

Sangramento na gravidez

Causas

  • Sangramento de implantação: Pode acontecer sangramento normal dentro das primeiras seis a 12 dias de gravidez. Algumas mulheres não percebem que estão grávidas nesse período porque confundem esse sangramento com a menstruação. Geralmente a hemorragia é muito leve e dura de algumas horas a alguns dias. O sangramento de implantação acontece quando o óvulo fertilizado se prende ao revestimento do útero, e essa implantação pode danificar alguns dos vasos sanguíneos da mãe no útero, resultando em uma pequena perda de sangue.
  • Aborto espontâneo: os sangramentos na primeira metade da gestação pode ainda indicar abortamento evitável ou ameaça de aborto que pode evoluir para uma gestação normal ou para um abortamento inevitável no primeiro caso o sangramento é discreto ou moderado acompanhado de cólicas leve. No caso de inevitável o sangramento é intenso, as cólicas são mais fortes e não cedem com analgésicos comuns.
  • Gravidez ectópica: Em uma gravidez ectópica, o embrião fertilizado se implanta fora do útero, geralmente na trompa de Falópio. Outros sintomas da gravidez ectópica são dor na parte inferior do abdômen e tontura.
  • Gravidez molar (também chamada de doença trofoblástica gestacional): Esta é uma condição mais rara em que um tecido anormal cresce dentro do útero, em vez de um embrião. Que pode se transformar embora que raro em tecido canceroso e pode disseminar para outras partes do corpo. Outros sintomas da gravidez molar além de sangramento intenso são náuseas, vômitos e crescimento do útero em desproporção com a idade da gravidez.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sangramento na segunda metade da gestação tende a ser mais grave, e pode sinalizar um problema com a mãe ou o feto. É necessário buscar ajuda médica o mais rápido possível.

As possíveis causas deste sangramento são:

  • Placenta prévia: este é um evento raro da gravidez, ocorre uma para cada 200 gestações na qual a placenta desenvolve-se na parte mais baixa do útero e cobre toda ou parte da abertura do cérvice uterina. A placenta prévia causa um sangramento geralmente indolor, é uma emergência que requer atenção médica imediata.
  • Descolamento prematuro da placenta: acontece em cerca de 0,5 a 1% das gestações. A placenta se desprende da parede do útero antes ou durante o trabalho de parto, causando um sangramento que as vezes não aparece pela vagina é oculto . Outros sintomas de descolamento prematuro da placenta são dor abdominal, coágulos da vagina e dor nas costas. Emergência obstétrica responsável por altos índices de mortalidade materna e perinatal.
  • Ruptura uterina: em casos raros, uma cicatriz de cesárea anterior pode rasgar durante a gravidez. A ruptura uterina pode ser fatal, e requer uma cirurgia de emergência para retirada do bebê. Outros sintomas de ruptura uterina são dor e sensibilidade no abdômen.
  • Vasa prévia: nessa condição muito rara, os vasos sanguíneos no cordão umbilical ou placenta do bebê em desenvolvimento atravessam a abertura para o canal de parto. Vasa prévia pode ser muito perigosa para o bebê, porque os vasos sanguíneos podem rasgar, fazendo com que o bebê receba menos oxigênio. Outros sinais de vasa prévia incluem baixa frequência cardíaca fetal anormal e sangramento excessivo.
  • Trabalho de parto prematuro: sangramento vaginal no final da gravidez pode ser apenas um sinal de que seu corpo está se preparando para o parto. Alguns dias ou semanas antes do início do trabalho, o muco que cobre a abertura do útero vai passar para fora da vagina, e geralmente terá pequenas quantidades de sangue. Se o sangramento e sintomas do trabalho de parto começarem antes da 37ª semana de gravidez, entre em contato com seu médico imediatamente, pois você pode estar em trabalho de parto prematuro. Outros sintomas de trabalho de parto prematuro incluem contrações, duas ou mais contrações a cada 10 minutos corrimento vaginal, pressão abdominal, e dor na parte inferior das costas.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O sangramento na gravidez após relação sexual é bastante comum, se em pequena quantidade. Ele ocorre por rompimento dos vasos do colo do útero (na parte externa, que não tem contato com o bebê). Caso ele persista por muito tempo, é importante buscar avaliação médica.

As hemorroidas são um problema que podem aparecer na gravidez. O sangramento decorrente delas costuma ser associado ao momento da evacuação e normalmente acompanhado de dor em região anal.

Buscando ajuda médica

O sangramento na gravidez pode ser um sinal de um problema em qualquer trimestre. Por isso, se ocorrer um sangramento na gravidez, entre contato com seu médico ou médica.

Manter o controle de quanto você está sangrando e registrar o tipo de sangue (rosa, marrom ou vermelho; liso ou cheia de coágulos) pode ajudar no diagnóstico.

Não use absorvente interno ou tenha relações sexuais enquanto estiver sangrando.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Vá a um pronto-socorro ou ligue para a emergência imediatamente se você está enfrentando algum dos seguintes sintomas, que podem ser sinais de um problema grave:

  • Dor ou cólicas intensas no baixo abdômen
  • Hemorragia grave, com ou sem dor
  • Corrimento vaginal sanguinolento que contém tecido
  • Tonturas ou desmaios
  • Febre acima de 38°C ou calafrios.

Gravidez: passo a passo para uma gestação saudável

Referências

Lindinalva Giovanni, médica ginecologista e obstetra do laboratório Exame, CRM 36269

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ricardo Luba, médico ginecologista e obstetra, CRM 113528

Fernanda Mauro, médica ginecologista e obstetra da Perinatal, CRM 52995185

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/sangramento-na-gravidez

O que precisa de saber sobre o sangramento de implantação

SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ

Pequenas perdas de sangue no início da gravidez não significam necessariamente que há um problema. O sangramento de implantação pode ser um sinal do início da gravidez e significa apenas que o óvulo fertilizado foi implantado no útero.

No entanto, se vir sangue e estiver preocupada, é recomendável ser examinada pelo seu médico para excluir quaisquer riscos.

Se quiser saber mais sobre o sangramento de implantação, o que é, respetivo aspeto e quando ocorre o sangramento de implantação, continue a ler para saber mais.

1.
O que é o sangramento de implantação?

O sangramento de implantação são as pequenas perdas de sangue ou o leve sangramento que ocorre quando um óvulo fertilizado, um grupo de células em rápida divisão designado de blastocisto, é implantado no revestimento do útero.

2.
Quando é que ocorre o sangramento de implantação?

Pode, por vezes, verificar um leve sangramento ou pequenas perdas de sangue devido à implantação cerca de uma a duas semanas após a fertilização, na mesma altura normalmente esperada para a menstruação.

3.
Como é que posso distinguir entre o sangramento de implantação e a minha menstruação?

O sangramento de implantação é muito leve versus o sangramento que teria durante a menstruação. A principal diferença que pode notar é a quantidade de sangue que vê e a respetiva cor. 

Então, que aspeto tem o sangramento de implantação? Quando tem sangramento de implantação, o mais provável é ver algumas gotas de sangue na roupa interior que não cobririam sequer um penso diário.

O sangramento de implantação também pode ser acastanhado ou rosa claro. Mas não pode ter certeza se qualquer forma de sangramento, independentemente da cor, no início da gravidez é inofensiva. Caso esteja preocupada, fale com o seu médico. 

4.
Quais são os sinais e sintomas do sangramento de implantação?

Pode perder algumas gotas de sangue e ter leves cãibras durante aproximadamente um dia na altura da implantação. Pode nem saber que está grávida quando isto acontece. Por outro lado, também é comum não ter nenhum destes sintomas. No entanto, pode ter outros sinais iniciais de gravidez, como:

  • enjoos
  • cansaço
  • sensibilidade mamária
  • urinar mais frequentemente
  • desejos ou aversões

5.
Que quantidade de sangramento é segura durante a implantação?

Na maior parte das vezes, o sangramento de implantação não indica um problema. No entanto, se notar algum sangue e estiver preocupada, consulte um médico, pois não há como saber que quantidade de sangramento é segura se estiver grávida.

6.
Quanto tempo dura o sangramento de implantação e o fluxo do sangramento é muito abundante?

O sangramento de implantação deve apenas composto por pequenas perdas de sangue (algumas gotas de sangue), que podem durar alguns dias.

7.
Quanto tempo após o sangramento de implantação é que posso fazer um teste de gravidez?

Pode fazer um teste de imediato, se ainda não o tiver feito, em especial, porque o sangramento de implantação ocorre geralmente na mesma altura esperada para a menstruação! Alguns testes de gravidez são suficientemente sensíveis para detetar a hormona hCG na sua urina 6 dias antes da menstruação em falta (5 dias antes do dia esperado para a menstruação). Se fizer o teste cedo demais, poderá obter um resultado falso negativo, uma vez que as quantidades de hCG podem ser demasiado baixas para serem detetadas, mesmo se estiver grávida. Se vir um resultado negativo, mas ainda considerar que está grávida, aguarde 3 dias antes de fazer novamente o teste. O nível da hormona HCG aumenta rapidamente no início da gravidez, pelo que deverá obter um resultado positivo se estiver grávida nessa altura.

8.
O sangramento de implantação ocorre em todas as mulheres?

Não. O sangramento ocorre apenas no início de 15-25% das gravidezes1. Na maior parte dos casos, as pequenas perdas de sangue são um sinal normal da implantação, mas qualquer sangramento deve ser observado se estiver preocupada, uma vez que ainda pode ser um sintoma de aborto espontâneo ou de uma gravidez ectópica. 

O sangramento de implantação não é normalmente motivo para preocupação. É provável que nem saiba que está grávida quando ocorrer. Se notar pequenas perdas de sangue na altura em que teria a menstruação e suspeitar que está grávida, faça um teste de gravidez. Se estiver grávida, fale com o seu médico e mencione qualquer sangramento que esteja a ter, apenas para excluir outros fatores. 

Источник: https://pt.clearblue.com/como-saber-se-estou-gravida/sangramento-de-implantacao

Sangramento de implantação: entenda o que é e quais as causas

SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ

Comitê Editorial IVI Salvador

No início da gestação, podem acontecer alguns sangramentos pequenos, que normalmente geram muitas dúvidas nas mulheres. Esse pequeno sangramento pode ser a implantação.

Além de dúvidas, trazem também sentimentos como angustia e apreensão, já que é um momento de muita expectativa.

Mulheres que realizaram tratamento de infertilidade, como a fertilização in vitro (FIV), também estão incluídas nesse grupo.

Estima-se que entre 20 e 40% das gestantes apresentam pelo menos um caso de sangramento vaginal no primeiro trimestre de gravidez. Casais que realizam tratamentos de infertilidade, estão entre os que mais possuem dúvidas sobre o tema. Como eles já vêm de um longo processo de tentativas de gerar um filho, os receios podem ser muitos.

Em muitos desses casos, entretanto, o sangramento não está relacionado a problemas com o feto ou para a gestante. Mas, o mais sensato, é procurar o obstetra que faz acompanhamento, e/ou o especialista em reprodução humana.

O que é o sangramento de implantação?

O momento inicial de toda a gestação é quando é feita a implantação do óvulo fecundado (zigoto) na parede uterina da mulher. Esse procedimento se chama nidação. E dependendo do organismo da mulher que o recebe, ele pode não passar despercebido.

Assim que acontece a fertilização, enquanto se inicia a divisão celular, o ovo desce em direção ao útero. As trompas, que antes ajudaram os espermatozoides a alcançar o óvulo, agora tem o papel de “empurrar” cuidadosamente o ovo, auxiliando na sua descida.

Durante esse percurso, a contração das trompas pode causar algum desconforto e a sensação de cólicas. Contudo, esses tipos de sintomas podem variar de mulher para mulher. Mulheres mais sensíveis aos sinais do próprio corpo podem reconhecer os sintomas com certa facilidade.

Outras precisam entender no que devem prestar atenção. Após a fecundação do óvulo e durante a ovulação, o nível de progesterona sobe e, pode produzir sintomas bem parecidos com os da gravidez.

Mas esses sinais ainda não são os que caracterizam a gravidez, e sim, sintomas da nidação. Eles deixam claro que alguma coisa diferente está acontecendo no corpo da mulher. E, entre os sintomas, está o sangramento de implantação.

O sangramento de implantação não é muito freqüente e, quando aparece, geralmente é confundido com a menstruação. Esse sangramento é basicamente uma perda de sangue que aparece, em algumas mulheres, quando o embrião é implantado no útero.

Atenção ao tipo de sangramento

Vale ressaltar que nem todo sangramento pouco e marrom é de implantação. Por isso é necessário ficar atenta. O sangramento considerado de nidação é somente aquele acontece após a confirmação da gravidez. Geralmente esse sangramento acontece apenas durante os primeiros 10 dias.

Deve durar entre um e três dias, embora em alguns casos a duração possa ser maior. Mas ele deve logo desaparecer por completo. O sangramento do implante pode também confundir as datas que seu médico pode lhe dar para a data de nascimento estimada, com base no primeiro dia do seu último período menstrual.

A diferença entre o sangramento de implantação e a menstruação

É extremamente fácil confundir o sangramento de implantação por uma menstruação precoce. Os indícios são muito semelhantes, mas conhecendo os detalhes de cada um, dá para saber a diferença. É necessário ficar atenta a cada detalhe.

Na verdade, a principal diferença entre a menstruação e um sangramento de implantação é o tempo de duração. Outras características, como a cor da perda de sangue e o peso do fluxo sanguíneo também ajudam a discernir.

Normalmente a menstruação dura entre quatro e sete dias. Ela desce mais pesada. Com um fluxo consistente de sangue e escurecido, em tom de vermelho.

Importante ainda observar se o fluxo de sangue não tem coágulos. Como é mais freqüente que o sangue da implantação não seja muito intenso (provavelmente, apenas pontinhos de sangue na calcinha surgirão, sem uma grande hemorragia). Quando ocorrer nidação, não haverá coágulos ou amontoados de sangue.

O sangramento de implantação geralmente começa como marrom ou rosa e permanece extremamente leve. O pouco de sangue que é expulso durante esse curto período de tempo, costuma ter a cor marrom. Ele sai em formato de manchas, diferente do fluxo menstrual.

Existe perigo quando ocorre o sangramento de implantação?

Durante o procedimento de implantação do óvulo fecundado no útero, ele está muito irrigado. Por isso, é que pode haver o rompimento de alguns vasos sanguíneos, resultando no sangramento de implantação.

Assim, quando o embrião se prende na parede interna do útero, algumas veias e artérias que se conectam com o endométrio podem romper, gerando a perda de sangue.

Mas o rompimento desses vasos nada tem a ver com a gravidez em si. Também não existe uma relação direta entre o sangramento por implantação com o aborto ou gravidez ectópica.

Apesar de ser algo normal, para evitar qualquer risco e constatar que se trata da implantação, é recomendável consultar o ginecologista e mantê-lo informado para descartar qualquer risco para a gravidez.

Algumas mulheres sentem ainda outros sintomas durante os dias de sangramento. Entre os mais comuns estão enjoos e vômitos em alguns casos; e em determinados horários. Cheiros e alguns alimentos podem despertar os enjoos também.

Um cansaço exagerado também é comum, além de dores fracas no baixo ventre; aquela sensação de dor na parte inferior do abdômen. Seios sensíveis, maiores e doloridos, além de uma vontade de urinar com mais frequência também podem ocorrer. Completam a relação, tontura e mudanças de humor, como sensibilidade exacerbada e irritabilidade repentina.

Mas vale ressaltar que cada gravidez é única. Não existe um padrão fixo com relação a sangrar ou não sangrar no período de nidação. E nem em relação aos possíveis sintomas associados. Pode acontecer para uma mesma mulher apenas em uma de suas gestações, em nenhuma ou em todas.

Источник: https://ivi.net.br/blog/sangramento-de-implantacao-entenda-o-que-e-e-quais-as-causas/

Sangramento no Começo da Gravidez – O que Fazer?

SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ

Grávida não menstrua! Sim, e qualquer tipo de sangramento na gravidez pode e deve ser investigado. Várias situações ou motivos podem ocasionar o sangramento durante a gravidez e por isso, um bom diagnóstico é muito importante e quanto mais precoce o tratamento da causa, melhor para a saúde da gestante e também do bebê.

Baixa Hormonal

Uma das causas do sangramento durante a gravidez é a baixa hormonal, às vezes o corpo não consegue produzir a quantidade ideal para manter aquele endométrio durante o período inicial da gravidez.

Quando o embrião se fixa o corpo passa a produzir ainda mais progesterona através do corpo lúteo, hormônio responsável pela manutenção e também por manter um endométrio grosso o suficiente para a evolução da gravidez. Assim o endométrio pode começar a se desfazer e a mulher ter um principio de aborto devido a essa deficiência hormonal.

Esse tipo de sangramento é o mais comum entre as gestantes que tem algum tipo de alerta com sangramentos durante a gravidez, porém são totalmente contornáveis em 80% dos casos com medicação apropriada como reposição de progesterona, com Ultrogestan ou similares e também com repouso total da gestante.

Coloração e Textura do Sangramento

Algumas mulheres podem ter sangramento no inicio da gravidez, inicialmente pode parecer uma menstruação estranha, diferente. Porém, alguns aspectos devem ser levados em conta. A tonalidade do sangue deve ser levada e muito em consideração pelo médico.

Normalmente a falta de progesterona se torna uma descamação da cor marrom, em outros casos da cor vermelho claro, mas a luz vermelha total se acende quando o sangue está em tonalidade vermelho vivo, semelhante realmente a o sangramento da menstruação. A presença de coágulos também é muito preocupante, pois isso, realmente significa que o endométrio não esta sendo sustentado e ainda mais arriscado no primeiro trimestre de gravidez.

Mas esse sangramento no inicio da gravidez dura quantos dias? Na verdade não deve ocorrer, por isso ao constar esse sangramento seu medico deve ser já procurado para analisar o que está gerando o sangramento e poder resolver para cessa-lo.

Descolamento do Saco Gestacional

O descolamento do saco gestacional também é um fator que pode causar sangramentos, o descolamento pode acontecer por fatores hormonais como citados acima, falta de hormônio para manutenção ou algum trauma ou batida.

É muito comum ver em novelas e filmes uma mulher sentindo fortes dores e sangrar depois de um acidente ou susto muito forte, isso pode causar descolamento de saco e levar ao aborto por trauma.

O descolamento é diagnosticado sempre via ultrassom.

Sangramento Nas Primeiras Semanas

O sangramento na gravidez mais preocupante é exatamente o do inicio da gravidez, antes da 12ª semana, o corpo pode “rejeitar” o bebê ou não conseguir sustentar hormonalmente e ai o porquê dos médicos pedirem certas cautelas da gestante no primeiro trimestre. Tanto para descolamento de saco como deficiência hormonal, o tratamento é praticamente igual para ambos, normalmente se usa Ultrogestan e repouso, algumas vezes anti contrações e anti colinérgicos para o útero como Dactil ob.

Sangramento à Partir do Segundo Trimestre Gestacional

À partir do segundo trimestre, o sangramento durante a gravidez pode ser menos preocupante mas ainda sim é importante verificar a causa. Em caso de qualquer sangramento é indispensável a procura do medico ou maternidade.

Placenta Prévia

Normalmente um sangramento durante o terceiro trimestre pode ser causado pela placenta prévia. A placenta prévia é nada mais que uma placenta que se fixou no lugar errado dentro do útero, ela fica mais próxima a saída ou mesmo no colo do útero e essa posição pode causar sangramentos rotineiramente.

Isso se dá por conta de esforço da gestante ou mesmo simplesmente pelo peso da barriga. Normalmente sangramento durante a gravidez causado por placenta prévia não são graves mas devem ser revistos pelo médico para evitar um problema maior e significante. Muito interessante a explicação nesse vídeo abaixo.

Descolamento Prematuro de Placenta

Sangramentos já no terceiro trimestre entre a 29ª e 35ªsemanas podem ser por descolamento prematuro de placenta, normalmente são contornáveis, também com medicação, porém deve ter total atenção do medico responsável pois a chance do parto prematuro ocorrer deve ser afastada, ou se se mantiver, medicamentos para amadurecimento do pulmão do bebê a base de corticoide devem ser prescritos a gestantes.

Gestantes com DHEG (doença hipertensa exclusiva na gestação) devem ir com rapidez a emergência da maternidade, esse sangramento pode significar algum problema maior como pré eclâmpsia, então atenção é fundamental.

Sangramento Durante a Relação Sexual

Pode se haver sangramento durante a relação sexual em qualquer estágio da gravidez, se houver é importante ir a emergência ou falar com o obstetra responsável para afastar maiores preocupações. Esses sangramentos podem ser pela ruptura de algum vasinho na vagina ou mesmo pela própria relação ter “cutucado” o colo do útero e assim acontecer algum sangramento.

Placenta prévia também é um dos motivos de sangramento durante a relação sexual do casal grávido. É Comum uma grávida se queixar de sangramentos durante ou após a relação sexual, o casal deve ficar atento de fato a novas relações até mesmo evitar se relacionar até a liberação do médico para nova atividade sexual.

Sangramento no Trabalho de Parto

Já na reta final da gravidez entre as 37ª e 40ª semana o sangramento pode ser sinal de trabalho de parto, e é sim um grande indicio de que se deve ir a maternidade ou consultório do médico para uma avaliação de possível parto eminente.

De qualquer forma o sangramento deve ser diagnosticado e tratado, se você esta gestante e houve qualquer sinal de sangramento durante a gravidez procure ajuda, é muito importante saber que grávida não menstrua  e qualquer sangramento deve ser investigado.

Como diferenciar sangramento de menstruação de um aborto?

Para diferenciar é realmente um pouco complicado, mas na dúvida não existe melhor saída do que procurar um medico ou fazer um teste de gravidez. Se procurar um pronto atendimento e confirmar a gravidez será realizado um ultrassom para verificar o andamento da gravidez e se é um inicio de aborto.

Corrimento borra de café na gravidez é perigoso?

Pode ser que sim como pode ser que não! O aconselhável é procurar seu GO para verificar as causas. Se o corrimento borra de café acontecer no primeiro trimestre pode significar perda de endométrio e colocar a gestação em risco de aborto, já que é nele que o embrião se fixa. Mas também pode significar baixa hormonal, mas é necessário tratar adequadamente.

Como acabar com o sangramento na gravidez?

Ao surgir qualquer sangramento durante a gravidez é necessário a procura de um pronto atendimento ou seu obstetra principalmente se acompanhado de outros sintomas como dores, cólicas e febre.

Normalmente os sangramentos cessam sozinhos e só são observados. Em casos isolados o medico pode entrar com um tratamento para a “causa” que está provocando.

O melhor a se fazer nesses casos é procurar atendimento o quanto antes e receber o tratamento adequado.

Veja também: Corrimento Marrom na Gravidez – Sinal de Alerta!

Foto: cyril galline

Источник: https://www.famivita.pt/sangramento-durante-gravidez-sinal-de-alerta/

SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ

SANGRAMENTO NO INÍCIO DA GRAVIDEZ

Gravidez

Existem muitas causas de sangramento na gravidez, algumas não são de origem vaginal ou uterina, sendo decorrentes de lesões no ânus (fissuras anais, hemorroidas) ou mesmo do trato urinário (infecção urinária).

Mesmo quando o sangramento é vaginal, é importante que se saiba que muitas vezes o sangue é de origem materna e não propriamente do feto em desenvolvimento.

Assim, algumas características do sangramento, os sintomas associados, o exame físico a ultrassonografia vão orientar o médico a um diagnóstico mais preciso.

Atenção: Quando o sangramento for volumoso ou acompanhado de cólica ou dor intensa a gestante deve procurar o hospital de referência imediatamente!

Não deixe de ler também: É GRAVIDEZ OU MENSTRUAÇÃO?.

O que é importante observar em casos de sangramento na gravidez?

Em primeiro lugar a própria gestante pode tentar observar se o sangramento realmente vem da vagina.

Na maioria das vezes, quando a origem é anal, como nos casos de hemorroidas, há dificuldade e dor para evacuar e o sangramento ocorre no momento da evacuação (leia: HEMORROIDAS | Sintomas e tratamento).

Já quando há uma infecção urinária, como na cistite, pode haver dor ou ardência ao urinar e aumento da frequência das micções (leia: INFECÇÃO URINÁRIA | CISTITE | Sintomas e Tratamento).

Algumas lesões externas na vulva (parte externa do órgão genital feminino) também causam sangramento. Essas normalmente estão relacionadas a traumas como relação sexual ou depilação. Na hipótese de sangramento vaginal deve-se observar a quantidade, se pequena ou intensa; a cor, se vermelho-vivo ou mais escuro; se é constante ou intermitente e se há dor ou cólica associada.

Dependendo do tempo de gestação as causas de sangramento serão diferentes. Por isso, elas serão divididas como de primeira ou de segunda metade da gravidez.

Neste texto abordaremos os sangramentos no início da gravidez, para sermos mais exatos, na primeira metade da gestação.

O sangramentos que ocorrem no final da gravidez (na segunda metade) serão abordados em um texto próprio a ser publicado nas próximas semanas.

No primeiro trimestre, 20 a 40% das gestantes apresentam sangramento vaginal. As principais causas são:

1. Decorrentes de abortamento2. Implantação da gestação no útero (a implantação do óvulo fecundado no útero pode causar pequenos sangramentos)3. Gravidez ectópica (fora do útero, como nos casos de gravidez tubária)

4. Patologia do colo uterino, da vagina ou do útero (lesões por trauma, inflamação/infecção, pólipos)

Muitas vezes o médico não consegue determinar a causa do sangramento. O principal objetivo é excluir os diagnósticos que podem ter uma repercussão negativa para a gravidez em curso.

As causas mais comuns são as decorrentes de abortamento, seja ele só uma ameaça ou inevitável. Já a gravidez fora da cavidade uterina, como na trompa, é o diagnóstico mais importante a ser excluído.

Nessa situação, há risco da trompa se romper e causar sangramento intenso, podendo ameaçar a vida da gestante.

De modo geral, quanto mais intensos o sangramento e a cólica, ou a dor abdominal, maior a chance de se tratar de uma dessas causas e mais urgente deve ser a avaliação clínica.

História clínica

Gestantes que já tiveram dois ou mais episódios de abortamento estão em maior risco de outro episódio. Da mesma forma, pacientes que já tiveram uma gravidez ectópica ou que tenham fatores de risco como doença inflamatória pélvica, uso de DIU ao engravidar, ou cirurgia pélvica anterior, têm maior chance de uma nova gravidez fora do útero.

É importante informar ao médico se já foi realizada uma ultrassonografia que tenha demonstrado a gravidez dentro do útero, o que torna o diagnóstico de gestação ectópica pouco provável. Caso não o tenha, a dosagem do Beta-HCG confirmando a gravidez deve ser apresentada.

Exame físico

O exame físico completo é o mais importante na avaliação do sangramento. Primeiramente serão avaliadas a pressão arterial e a frequência cardíaca.

O exame do abdome pode levar o profissional de saúde a pensar em causas até não ginecológicas ou obstétricas para a dor abdominal, como apendicite (leia: DOR NA BARRIGA | DOR ABDOMINAL | Principais causas e APENDICITE | Sintomas e tratamento).

Até 12 semanas de gestação o útero não pode ser palpado pelo abdome e os batimentos cardíacos fetais (bcf) não são avaliados com o sonnar-Doppler. Quando a gestante tem mais de 12 semanas de gestação, o útero for palpável e o bcf percebido, é tranquilizador. Garante que o abortamento não aconteceu e praticamente exclui o diagnóstico de gravidez ectópica.

Em seguida, a vulva e a região anal são examinadas à procura de lesões que possam ser foco de sangramento.

O exame especular irá diagnosticar patologias do colo uterino: lacerações, pólipos, processos inflamatórios/infecciosos (corrimento vaginal), ectopia (fragilidade do colo), verrugas ou tumores.

O toque vaginal irá avaliar o tamanho do útero, se compatível com o tempo de gravidez, avaliará as regiões anexiais procurando sinais de gestação fora do útero e se o colo uterino está aberto ou fechado.

Ultrassonografia

A ultrassonografia transvaginal é o principal método de avaliação de sangramento na gravidez, principalmente quando ela ainda não foi realizada na gravidez atual. Confirma a gravidez dentro do útero, ou fora dele, avalia o número de fetos e a presença dos batimentos cardíacos.

É importante notar que gestações com menos de cinco semanas de evolução não podem ser avaliadas pela ultrassonografia e a melhor forma de se avaliá-las nesta fase é pela dosagem do Beta-HCG (leia: ENTENDA O SEU BETA HCG).

Quando o nível de Beta-HCG é compatível com o tempo de gravidez devemos esperar até 6 ou 7 semanas para realizar a ultrassonografia. Quando menor que o esperado pode significar abortamento ou gravidez ectópica.

Essa dosagem pode ser seriada, quando o nível de Beta-HCG cai trata-se de abortamento, quando sobe de forma lenta sugere a gravidez fora do útero.

Os possíveis diagnósticos do sangramento vaginal, as características clínicas e os achados à ultrassonografia estão resumidos na tabela a seguir:

Lesões da vulva, vagina, colo uterinoSangramento vermelho-vivo (se recente), em pequena/média intensidade, sem dor importante.Visualização da lesão ao exame da vulva ou especular.Não acrescenta ao diagnóstico. Caso não tenha sido realizada pode ser indicada para confirmar o bem-estar fetal.
Implantação do ovo no útero.Sangramento em pequena quantidade, sem cólica ou cólica leve.Sem achados de gravidez (esse sangramento ocorre com 4-5 semanas). Beta-HCG compatível com tempo de gestação.
Sangramento leve a intenso, vermelho-vivo ou escuro se antigo, cólica moderada a intensa.Visualização de sangramento através do colo pelo exame especular. Útero compatível com tempo de gestação, colo fechado.Gestação dentro do útero com embrião e bcf presentes. Pode ter área de descolamento do saco gestacional ou não.
Sangramento leve a intenso, vermelho-vivo ou escuro se antigo, cólica moderada a intensa.Visualização de sangramento ou partes da gravidez através do colo pelo exame especular. Útero menor que o esperado, colo fechado.Gestação dentro do útero inviável: saco gestacional irregular, restos ovulares, embrião sem bcf.
Abortamento em curso (inevitável)Sangramento moderado a intenso, vermelho-vivo cólica moderada a intensa.Visualização de sangramento ou partes da gravidez através do colo pelo exame especular. Útero menor que o esperado, colo aberto.Gestação dentro do útero inviável: saco gestacional irregular, restos ovulares, embrião sem bcf.
Sangramento leve a moderado, escuro, cólica leve ou moderada (podem estar em fase de melhora).Visualização ou não de sangramento através do colo pelo exame especular. Útero menor que o esperado, colo fechado.Sem sinais de gestação, ou imagem sugestiva de sangue no útero.
Sangramento leve a moderado, escuro, cólica/dor moderada a intensa.Visualização ou não de sangramento através do colo pelo exame especular. Útero menor que o esperado, colo fechado. Dor à palpação da região dos ovários, pode ser percebida uma massa.Massa anexial, saco gestacional com ou sem embrião fora do útero. Quando não há sinais de gestação no útero e o tempo de gravidez for > que 5 semanas. Líquido no abdome (sangue).

Tratamento do sangramento na gravidez

O tratamento vai depender da causa do sangramento. Muitas causas não requerem tratamento específico.

Importante: sempre que se suspeite de sangramento por abortamento ou gravidez ectópica as gestantes com tipo sanguíneo Rh negativo devem receber imunoglobulina anti-Rh.

Quando não conseguimos identificar a causa, o sangramento não põe em risco a vida da gestante, o exame clínico é normal e a ultrassonografia confirma o bem-estar da gravidez são realizadas orientações gerais, principalmente de observação do aparecimento de novos sintomas. Esses casos costumam ter uma evolução favorável e o sangramento normalmente para espontaneamente.

Os sangramentos por implantação da gestação no útero e a maior parte das lesões da vulva, vagina ou colo não requerem tratamento, a não ser que o sangramento seja intenso ou a causa seja, por exemplo, um tumor no colo.

No caso de ameaça de abortamento é difícil avaliar a eficácia de algum tipo de tratamento porque quando é vista a gravidez no útero e embrião com bcf a chance de sucesso sem nenhuma medida específica é de 90 a 96% em gestações entre 7 e 11 semanas e maior ainda se com mais tempo. Muito médicos optam por observação clínica.

Os abortamentos em curso ou incompleto podem ser tratados de forma expectante, com medicamentos ou por métodos cirúrgicos. Essa avaliação é individual e a critério do médico junto com a paciente.

O abortamento completo também não demanda ação específica.

Na maioria dos casos, a gravidez ectópica é uma emergência médica, necessitando de cirurgia de urgência. Algumas vezes pode-se optar com tratamento com medicamento ou por
observação clínica.

Este texto foi escrito pela Dra. Fernanda Campos da Silva, ginecologista e obstetra formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Doutora em Ciências Médicas pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e Secretária da Comissão Nacional de Perinatologia da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO).

Источник: https://www.mdsaude.com/gravidez/sangramento-primeiro-trimestre-gravidez/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: