Síndrome de Crigler-Najjar: o que é, principais tipos e tratamento

Síndrome de Gilbert, Crigler-Najjar e Dubin-Johnson

Síndrome de Crigler-Najjar: o que é, principais tipos e tratamento

As síndromes de Gilbert, Crigler-Najjar e Dubin-Johnson são três doenças que ocorrem por uma alteração do fígado de origem genética, interferindo no metabolismo normal das bilirrubinas e levando ao surgimento da icterícia.

Antes de falarmos especificamente sobre cada uma dessas síndromes, uma rápida explicação sobre o que são icterícia e bilirrubinas se faz necessária.

O que são as bilirrubinas e o que causa a icterícia?

Nossas hemácias (glóbulos vermelhos) têm uma vida média de 120 dias. Quando elas ficam velhas, são levadas para o baço onde são destruídas, liberando um pigmento chamado bilirrubina. Este é então transportado para o fígado onde será metabolizado e eliminado nas fezes.

Um dos sinais típicos de doença do fígado é a perda da capacidade do mesmo em metabolizar as bilirrubinas, fazendo com que estas se acumulem no sangue e, posteriormente, se depositem na pele. O excesso de bilirrubina provoca um tom amarelado na pele e nos olhos chamado de icterícia.

Existem dois tipos de bilirrubina: (1) a indireta ou não conjugada, que é aquela que não foi processada pelo fígado, e (2) a direta ou conjugada, que é aquela que já passou pelo fígado mais ainda não foi excretada em direção ao intestino para ser eliminada nas fezes.

A única maneira do corpo eliminar a bilirrubina indireta produzida diariamente pela destruição das hemácias velhas é através da sua conjugação em bilirrubina direta no fígado. Somente a bilirrubina direta consegue ser excretada na bile para ser eliminada nas fezes, impedindo sua acumulação.

A icterícia pode ser causada por acúmulo de bilirrubina indireta quando o fígado não consegue transformá-la em direta ou quando ocorre subitamente uma grande destruição das hemácias, ou direta, quando há alguma obstrução que impeça a eliminação da bilirrubina direta nas fezes. Se quiser saber mais detalhes sobre icterícia e metabolismo das bilirrubinas, sugiro a leitura de ICTERÍCIA NO ADULTO.

Síndrome de Gilbert

A síndrome de Gilbert, também chamada de disfunção hepática constitucional, é uma doença genética que acomete cerca de 5 a 10% da população mundial.

A síndrome de é Gilbert uma doença benigna que não causa maiores problemas de saúde.

Ela é causada por um defeito em uma gene chamado UGT1A, responsável pela produção da enzima glucoronil transferase, que por sua vez é responsável pela transformação da bilirrubina indireta em direta.

Na síndrome de Gilbert, esta enzima apresenta uma redução na sua atividade em até 80%, acarretando em um acúmulo de bilirrubina indireta no sangue.

Para se ter a síndrome de Gilbert é preciso receber uma cópia defeituosa do gene UGT1A tanto da mãe quanto do pai.

Quem recebe uma cópia defeituosa e outra normal, costuma apresentar apenas uma discreta alteração das bilirrubinas e não desenvolve a síndrome completamente.

Cerca de 30% da população carrega apenas um gene UGT1A defeituoso e, na maioria das vezes, nem sequer desconfia deste fato.

Sintomas

Mesmo naqueles com duas cópias defeituosas do gene, a doença costuma ser assintomática, ou quase. Nestes, os apenas 20-30% de função da glucoronil transferase são suficientes para se manter as bilirrubinas em um nível sanguíneo abaixo dos 3,0 mg/dl, o que não causa uma icterícia facilmente identificável.

Na maioria dos pacientes com síndrome de Gilbert, a icterícia só ocorre em períodos de estresse, como em jejum prolongado, exercícios físicos extenuantes, doença febril (leia: O QUE SIGNIFICA E POR QUE TEMOS FEBRE ?), desidratação, hemólise (destruição anormal das hemácias) ou, em algumas mulheres, durante o período menstrual.

Muitos casos de Gilbert são descobertos acidentalmente através de análises de sangue de rotina para avaliação da função hepática (leia: O QUE SIGNIFICAM TGO, TGP, GAMA GT e BILIRRUBINA?).

O paciente nunca se queixou de nada, mas apresenta níveis de bilirrubina indireta acima dos valores de referência.

O resto das análises do fígado (TGO, TGP, Fosfatase alcalina e Gama-GT) encontram-se normais.

Consequências

Como já foi dito, a síndrome é benigna e não causa maiores problemas de saúde. Na verdade, atualmente se discute se a pequena e constante elevação da bilirrubinas sanguíneas desta síndrome não é um fator de proteção contra doenças cardíacas e alguns tipos de cânceres. O paciente com síndrome de Gilbert vive tanto quanto qualquer outro e com a mesma qualidade de vida.

Tratamento

Não há necessidade de se tratar a síndrome de Gilbert, porém, alguns cuidados são necessários. A mesma enzima glucoronil transferase que transforma a bilirrubina indireta em direta, também é responsável pela metabolização de algumas drogas no fígado, como o anticancerígeno Irinotecan e o antiviral Indinavir.

Não há dieta especial, nem nenhum tipo de atividade restrita para quem tem a síndrome. O consumo de álcool deve ser moderado como em qualquer indivíduo (leia: EFEITOS DO ÁLCOOL E ALCOOLISMO).

Síndrome de Crigler-Najjar

A síndrome de Crigler-Najjar é outra doença genética causada por defeitos no metabolismo das bilirrubinas, Ao contrário da síndrome de Gilbert que é benigna e relativamente comum, a Crigler-Najjar é muito rara pode levar a complicações sérias. Estima-se que ocorra em 1 a cada 1 milhão de nascimentos.

O mecanismo é semelhante ao Gilbert, devido a um defeito na produção da enzima glucoronil transferase, porém, na Crigler-Najjar a sua deficiência é muito mais grave. Na síndrome de Crigler-Najjar tipo 1 há praticamente 0% de glucoronil transferase funcionante, enquanto que na síndrome de Crigler-Najjar tipo 2, a sua função é de apenas 10%.

Síndrome de Dubin-Johnson

A síndrome de Dubin-Johnson também é uma doença genética que cursa com aumento das bilirrubinas e icterícia sem outras alterações nas análises do fígado. Porém, ao contrário das síndromes de Gilbert e Crigler-Najjar, neste caso a bilirrubina que se acumula é direta (conjugada).

Na síndrome de Dubin-Johnson o fígado consegue conjugar normalmente a bilirrubina indireta em direta, porém, ele é incapaz de secretá-la através da bile para ser eliminada nas fezes.

A síndrome de Dubin-Johnson também é benigna e os níveis de bilirrubinas costumam ser baixos. Não há tratamento específico e o fenobarbital pode ser usado em casos de icterícia mais clinicamente visível.

Источник: https://www.mdsaude.com/gastroenterologia/sindrome-de-gilbert-crigler-najjar/

Icterícia: sintomas, tratamentos e causas

Síndrome de Crigler-Najjar: o que é, principais tipos e tratamento

Icterícia é definida como a presença de uma cor amarelada na pele, nas membranas mucosas ou nos olhos. A icterícia não é uma doença per se, mas sim a manifestação visível de alguma doença subjacente.

Causas

A cor amarelada típica da icterícia é provocada pela deposição do pigmento biliar (bilirrubina) nos tecidos e sua identificação tem um importante significado clínico uma vez que reflete uma anormalidade na produção, metabolismo ou eliminação deste pigmento.

A bilirrubina é formada principalmente a partir da morte de glóbulos vermelhos presentes no sangue. Este processo de destruição ocorre nas células do baço, fígado e medula óssea.

Em condição habitual praticamente toda bilirrubina produzida é levada para ao fígado pela corrente sanguínea e sua eliminação se dá para o intestino através das vias biliares, após o seu armazenamento na vesícula biliar.

No entanto, quando ocorre alguma anormalidade em qualquer etapa deste processo, pode ocorrer o acúmulo dessa substância no corpo, provocando icterícia.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Muitas doenças podem levar à icterícia, a exemplo de:

  • Malária
  • Leptospirose
  • Anemia falciforme
  • Talassemia
  • Esferocitose hereditária
  • Hemoglobinúria paroxística noturna
  • Síndrome de Gilbert
  • Síndrome de Crigler-Najjar
  • Hepatites virais
  • Hepatite alcoólica
  • Cirrose hepática
  • Esteatose hepática aguda da gravidez
  • Cirrose biliar
  • Hepatite tóxico-medicamentosa
  • Sepse
  • Obstrução das vias biliares em decorrência da presença de cálculos
  • Câncer.

Fatores de risco

A icterícia pode acontecer se muitos glóbulos vermelhos estiverem morrendo, ou seja, por aumento de produção da bilirrubina, mas também se houver a presença de alguma doença hepática – neste caso a anormalidade está na metabolização. Além disso, também pode haver icterícia se a bilirrubina não for capaz de passar adequadamente pelo trato digestivo, caracterizando algum problema obstrutivo, caracterizando algum problema obstrutivo.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Na maior parte das vezes a icterícia é sinal de algum problema no fígado, vesícula biliar ou no pâncreas. Vale ressaltar que, conforme já enumerado acima, infecções, o uso de drogas, câncer, doenças do sangue e defeitos congênitos também podem provocar icterícia.

Recém-nascidos podem apresentar a icterícia como algo fisiológico (normal) desde que isso aconteça após 24 horas de vida, ou seja, entre segundo e terceiro dias de vida e vá melhorando entre o quinto e sétimo dias de vida. Caso essas características não sejam seguidas, doenças deverão ser pesquisadas a fim de se identificar a causa.

Sintomas de Icterícia

A icterícia é uma condição que pode aparecer repentinamente ou desenvolver-se lentamente com o tempo. Os principais sinais e sintomas da icterícia costumam incluir:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Pele amarelada
  • Esclera (a parte branca do olho) amarela. Se a icterícia for ainda mais grave, essa parte pode apresentar também uma coloração marrom
  • Cor amarela na parte de dentro da boca
  • Urina de cor anormal – em geral em tons mais escuros
  • Fezes esbranquiçadas ou cor de barro.

Buscando ajuda médica

Procure um médico se você notar o amarelamento de algumas partes específicas do corpo, especialmente pele e olhos.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar icterícia são:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Clínico geral
  • Oftalmologia
  • Dermatologia
  • Hepatologia
  • Gastroenterologia.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas surgiram pela primeira vez?
  • Quais partes de seu corpo estão com aspecto amarelado?
  • Qual a intensidade dos sintomas?
  • Os sintomas são frequentes e recorrentes ou apenas ocasionais?
  • Você sente outros sintomas além da presença de cor amarelada?
  • Você já foi diagnosticado com outras condições de saúde recentemente? E já começou o tratamento?
  • Você faz uso de algum tipo de medicamento?
  • Você sofre de efeitos colaterais decorrentes do uso destes medicamentos?

Diagnóstico de Icterícia

A presença de icterícia, detectada pelo exame clínico, leva necessariamente a uma investigação médica minuciosa para determinação da causa. Neste contexto é importante repetir que a icterícia não é uma doença por si só, mas sim a manifestação visível de uma doença subjacente.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Após realizar um questionário detalhado e feito o exame físico, o médico poderá solicitar a realização de alguns exames complementares, a começar por exames de sangue, que indicarão as quantidades de bilirrubina e glóbulos vermelhos presentes no sangue, além de mostrar como anda o funcionamento do fígado através de testes específicos de função hepática. Outros exames ainda podem ser realizados, mas muitos dependem única e exclusivamente da causa subjacente à icterícia.

Entre os exames que podem ser pedidos estão:

  • Painel do vírus da hepatite para procurar infecção no fígado
  • Testes de função hepática para determinar se o fígado está funcionando bem
  • Hemograma completo para verificar baixa contagem de glóbulos sanguíneos ou anemia
  • Ultrassom abdominal
  • Tomografia computadorizada abdominal
  • Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (ERCP)
  • Biópsia do fígado.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento de Icterícia

O tratamento da icterícia depende única e exclusivamente da causa subjacente. Tendo sido estabelecido o diagnóstico, todo arsenal terapêutico será dirigido para a resolução da doença que levou à icterícia. E este tratamento pode ser feito com o paciente hospitalizado ou em casa com acompanhamento regular em consultas médicas.

Medicamentos para Icterícia

Os medicamentos mais usados para o tratamento de icterícia são:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Referências

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Dermatologia

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mayo Clinic

Manual Merck

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/ictericia

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: