Síndrome de Tensão Pré-Menstrual (TPM)

Síndrome de Tensão Pré-Menstrual (TPM)

Síndrome de Tensão Pré-Menstrual (TPM)

A síndrome da tensão pré-menstrual (TPM) é um conjunto de sinais e sintomas, tanto de ordem física como psicológica, que surgem na fase final do ciclo menstrual, dias antes da descida da menstruação.

Cerca de 70% a 80% das mulheres são acometidas por alguma mudança de humor no período pré-menstrual. A época de maior incidência ocorre entre os 25 e 35 anos.

Para a maioria das mulheres, a TPM é apenas um incômodo temporário que é facilmente tolerado e não provoca grandes inconveniências. Porém, cerca de 1 em cada 10 mulheres apresenta um quadro severo de tensão pré-menstrual, com elevado estresse e explosões de raiva, que podem gerar dificuldades sociais, profissionais e pessoais.

Portanto, a mulher com TPM pode apresentar desde leves alterações do humor, até sintomas comportamentais graves, com grande impacto na qualidade de vida e prejuízos na vida social e profissional, um quadro chamado transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM).

Causas

Ainda não há uma explicação completa do motivo pelo qual a TPM surge. Os atuais estudos sugerem que existe uma interação entre os hormônios produzidos pelos ovários na segunda metade do ciclo menstrual e alguns neurotransmissores do sistema nervoso central, como a serotonina e a endorfina, que estão associados ao controle do humor.

Não se sabe exatamente por que algumas mulheres tem síndrome de tensão pré-menstrual muito sintomática e outras não apresentam sintoma algum.

Já está comprovado que não há diferenças entre os níveis de estrogênios e progesterona entre mulheres com e sem TPM.

Imagina-se, portanto, que algumas mulheres sejam mais sensíveis às flutuações dos neurotransmissores cerebrais causados pelas alterações hormonais fisiológicas do ciclo menstrual (leia: CICLO MENSTRUAL – PERÍODO FÉRTIL).

Também ainda não conseguiu-se comprovar qualquer relação entre os diferentes tipos de personalidade com a ocorrência da TPM. Mulheres que são geralmente calmas podem ter TPM, enquanto mulheres mais agitadas e nervosas podem não tê-la.

Do mesmo modo, fatores de estresse parecem não ter um papel tão importante como se pensava. Na verdade, é muito mais comum que a tensão pré-menstrual cause estresse do que o contrário.

A interferência da alimentação nos sintomas também é controversa. Excesso de sal, álcool e cafeína podem causar alterações nos níveis de neurotransmissores, porém, ainda não se conseguiu comprovar uma relação inequívoca entre dieta e TPM.

Alguns trabalhos mostraram relação entre o baixo consumo de vitaminas e sais minerais com a TPM, mas não há evidências de que a simples reposição destes melhore os sintomas em todas as mulheres.

Portanto, não há base científica que suporte qualquer tipo de tratamento da TPM que seja baseado apenas em alterações da dieta. Algumas mulheres podem até referir alguma melhora, provavelmente porque pessoas com práticas saudáveis de alimentação também costumam ter outros hábitos de vidas mais saudáveis, o que gera uma sensação de bem-estar.

Sintomas

Os sintomas mais comuns da síndrome de tensão pré-menstrual, em ordem decrescente de frequência, são:

  • Fadiga – 92%
  • Irritabilidade – 91%
  • Empanzinamento – 90%
  • Ansiedade – 89%
  • Sensibilidade nas mamas – 85%
  • Alterações de humor – 81%
  • Depressão – 80%
  • Desejos alimentares – 78%
  • Acne – 71%
  • Aumento do apetite – 70%
  • Hipersensibilidade – 69%
  • Inchaço – 67%
  • Raiva e nervosismo – 67%
  • Choro fácil – 65%
  • Sensação de isolamento – 65%
  • Dor de cabeça – 60%
  • Memória fraca, esquecimentos – 56%
  • Sintomas gastrointestinais – 48%
  • Falta de concentração – 47%
  • Ondas de calor – 18%
  • Palpitações – 14%
  • Tonturas – 14%

Os sintomas da TPM e da TDPM podem ser confundidos com os de algumas doenças psiquiátricas, tais como depressão e transtornos de ansiedade.

Pacientes com depressão podem apresentar piora dos sintomas no período pré-menstrual e melhora após a menstruação. Porém, que é depressivo nunca fica completamente livre dos sintomas. Na síndrome de tensão pré-menstrual, os sintomas desaparecem por completo após a menstruação.

A estreita relação temporal de piora dos sintomas na segunda metade do ciclo menstrual e a resolução completa dos mesmos após a menstruação é a base para o diagnóstico da TPM.

Sintomas da TDPM

Como já referido, a TDPM é uma forma de TPM grave. Normalmente, a paciente apresenta sintomas mais intensos, como explosões de raiva e crises de ansiedade.

A paciente com transtorno disfórico pré-menstrual, ao contrário da TPM simples, apresenta problemas de relacionamento interpessoal e frequentemente entra em conflitos no trabalho, o que pode gerar prejuízos na vida íntima e profissional. A TDPM é uma TPM que efetivamente atrapalha a vida da mulher.

Diagnóstico

Não existe um teste ou exame definitivo para o diagnóstico da TPM. O diagnóstico é dado após uma cuidadosa avaliação da história clínica e do exame físico da paciente.

Análises de sangue são completamente normais, mas costumam ser solicitadas para se descartar outras causas para os sintomas, como, por exemplo, alterações da tireoide (leia: DOENÇAS E SINTOMAS DA TIREOIDE).

Para auxiliar no diagnóstico, o médico pode lançar mão de questionários para serem preenchidos pela paciente, relatando seus sintomas durante todos os dias do ciclo menstrual.

Diagnóstico da TDPM

O transtorno disfórico pré-menstrual é considerado um distúrbio de origem psiquiátrica. O seu diagnóstico é feito usando os critérios do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) da American Psychiatric Association.

Um ou mais dos seguintes critérios precisam estar presentes:

  • Alterações de humor, tristeza súbita.
  • Raiva, irritabilidade.
  • Sensação de desesperança, humor deprimido, pensamentos autocríticos.
  • Tensão, ansiedade, sentir-se no limite.

Além de um ou mais dos sintomas listados acima, também são necessários uma ou mais dos sintomas abaixo, de forma a completar o número total mínimo de 5 sintomas:

  • Dificuldade de concentração.
  • Mudanças no apetite, desejo súbito de comer ou comer demais.
  • Diminuição do interesse em atividades usuais.
  • Cansaço fácil, falta de energia.
  • Sentir-se sobrecarregado ou fora de controle.
  • Sensibilidade nos seios, inchaço, ganho de peso ou dores articulares ou musculares.
  • Dormir demais ou não dormir o suficiente.

Cinco ou mais dos sintomas listados acima devem estar presentes durante a semana anterior à menstruação, resolvendo-se espontaneamente dentro de alguns dias após o início da menstruação.

Os sintomas devem ter estado presentes na maioria dos ciclos menstruais ocorridos no ano anterior, e os sintomas devem estar associados a sofrimento significativo ou interferência em atividades habituais (por exemplo, trabalho, escola, vida social).

Tratamento

Uma série de medicamento podem ser úteis para controlar a TPM. Porém, muitas mulheres conseguem controlar seus sintomas apenas com mudanças de estilo de vida.

A prática de exercícios físicos regulares e uma alimentação balanceada, rica em frutas e verduras, e pobre em sal pode ajudar mais do que se imagina. Técnicas de relaxamento também ajudam. Em alguns casos, a suplementação de vitaminas pode ser indicada pelo seu médico, apesar desta prática não ser cientificamente comprovada.

Medicamentos para TPM

Nos casos mais sintomáticos ou naquelas com diagnóstico de TDPM, a terapia medicamentosa deve ser utilizada.

Os antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina (ISRS) são os medicamentos de primeira linha. As drogas mais conhecidas desta classe são a Sertralina (conhecido pelo nome comercial Dieloft TPM), Fluoxetina, Paroxetina, Escitalopram e Citalopram (leia: Antidepressivo ISRS: Escitalopram, Citalopram, Fluoxetina, Sertralina e Paroxetina).

O uso de anticoncepcionais apresenta efeitos divergentes. Algumas mulheres referem grande melhora do quadro, porém, outras queixam-se de piora. A Yaz® é uma pílula aprovada especificamente para o controle da TPM e apresenta eficácia em mais de 60% do casos, o que a torna o anticoncepcional com os melhores resultados (leia: COMO TOMAR O ANTICONCEPCIONAL).

Nos casos graves refratários ao tratamento convencional, pode-se lançar mão de drogas que inibam a produção de estrogênio e progesterona pelo ovário, chamadas agonistas do GnRH (Leuprolide). Essas drogas causam uma menopausa medicamentosa, por isso, para serem usadas de forma prolongada, o seu médico terá que fazer reposições de estrogênio e progesterona.

A grande maioria das mulheres consegue um bom controle da TPM com o tratamento, porém, em casos mais graves de TDPM, quando todos os tratamentos falham, a cirurgia para remoção dos ovários é uma opção que deve ser proposta para as mulheres que não desejam mais ter filhos.

Acupuntura para TPM

As evidências sobre a eficácia da acupuntura para o tratamento da SPM e da TDPM são limitadas.

Recentemente, uma revisão sistemática de três estudos sugeriu que a acupuntura poderia melhorar tanto o humor quanto os sintomas físicos (uma redução absoluta de 20% quando comparada ao placebo). O estudo, porém, tem limitações e o grau de melhora variou muito de acordo com a gravidade dos sintomas.

A eficácia da acupuntura nunca foi comparada com as terapias padrão, como os ISRS.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/ginecologia/menstruacao/tpm-tensao-pre-menstrual/

6 dicas para o alívio da tensão pré-menstrual (TPM)

Síndrome de Tensão Pré-Menstrual (TPM)

Este artigo está disponível também em: English, español

*Tradução: Jade Augusto Gola

Há muita informação científica conflitante quando se trata de tensão pré-menstrual (TPM). A coisa mais importante a saber sobre TPM é que a maioria das pessoas experimentam sintomas pré-menstruais, mas isso não significa que todo mundo que menstrua tem TPM clínica (1).

Alguns especialistas até discutem que todo o fenômeno da TPM é exagerado por razões comerciais.

A melhor maneira de lidar com a TPM é descobrir os padrões únicos de seu corpo e quais soluções funcionam melhor para aliviar seus sintomas.

Há muitas maneiras de lidar com sintomas da TPM, e nem todos são médicos, científicos ou baseados em evidências. Pode ser um banho quente ou sua comida predileta. Mas se você quer saber sobre mais soluções científicas sobre a TPM, leia agora algumas dicas:

1. Tenha uma dieta balanceada para aliviar os sintomas da TPM

Assegure-se de nutrir seu corpo com uma dieta que proveja os nutrientes necessários para o dia a dia. Algumas pesquisas sugerem que dietas adequadas em cálcio e vitamina D podem reduzir o risco de TPM (2).

Dietas ricas em tiamina (vitamina B1) e riboflavina (vitamina B2) também podem reduzir o risco de más experiências com tensão pré-menstrual (3).

Não sabe se você está consumindo todos nutrientes necessários? Monitore sua alimentação por alguns dias para ter um panorama melhor.

2. Exercite-se regularmente contra os sintomas da TPM

Exercícios são uma parte crucial de uma vida balanceada, então ative seu corpo em nome de sua saúde em geral. É importante não fazer exercícios apenas ao sofrer com sintomas, mas sim manter uma rotina constante de atividades físicas. Exercitar-se regularmente pode ajudar contra dores de cabeças pré-menstruais, inchaços dos seios, diarreia, gases e vômitos (4).

Baixe o Clue app para monitorar mudanças e a duração de seu ciclo menstrual.

4.8

mais de 2M+ avaliações

3. Menos estresse = menos TPM

A combinação de estresse com tensão pré-menstrual pode criar um ciclo vicioso, exacerbado.

Se ansiedade e irritação leves são parte de seus padrões de TPM, tente acalmar os nervos com yoga (5), exercícios de respiração (6), ou terapia de redução de estresses focadas na concentração (“mindfulness”) (7).

Algumas terapias como a de comportamento cognitivo podem ajudar nos sintomas de TPM, mas mais pesquisas sobre o tema são necessárias (8).

4. Suplementos de magnésio contra sintomas de TPM

A deficiência de magnésio pode causar uma série de sintomas como ansiedade, depressão, irritabilidade e fatiga muscular (9). Tomar suplementos de magnésio é uma sugestão contra os sintomas ruins da TPM, como dores de cabeça, inchaços e irritabilidade (10). Combinar um suplemento de magnésio com outro de vitamina B6 pode ser ainda mais benéfico do que tomar o magnésio sozinho (10).

5. Não culpe a TPM por todos seus mau humores

Nós não somos robôs. Uma aspecto natural de ser humano é viver sob diferentes emoções. Antes de associar suas flutuações de humor com a TPM, considere outros importantes aspectos do seu humor diário como saúde e bem-estar (11).

A TPM é usada para desacreditar mulheres em profissões e nos governos. É importante observamos o que ela realmente é e como conversamos sobre o assunto.

Só iremos perpetuar estereótipos nocivos ao dizer que a TPM é uma síndrome de mulheres, de bruxas.

6. A TPM pode ser a exacerbação de alguma condição mental ou de saúde?

Marcas que lucram com a tensão pré-menstrual gastam muito dinheiro em publicidade sofisticada para fazer as pessoas acreditarem que certos sintomas devem ser atribuidos à TPM.

É importante saber que há algumas condições pré-existentes que podem ser amplificadas durante a fase pré-menstrual (12). Culpar a TPM por qualquer sintoma desconfortável da fase pré-menstrual pode mascarar alguma condição de saúde desconhecida.

A ansiedade e a depressão muitas vezes são diagnosticadas incorretamente como TPM (12). Outras condições de saúde podem ser erroneamente interpretadas como TPM.

Monitore os sintomas de sua TPM

Acompanhar e registrar regularmente seus sintomas pode te ajudar a determinar sua experiência pré-menstrual típica. Use o Clue app para registrar sintomas e informações sobre seus últimos três ciclos e você já começará a observar padrões em seus sintomas da TPM, além de gatilhos e medidas de alívio.

As estratégias de alívio dos sintomas da TPM que listamos aqui são ideais para TPMs com sintomas médios e moderados.

Se seus sintomas são mais fortes e severos, talvez seja hora de conversar com um(a) médico(a) para explorar e identificar as causas em potencial de seus sintomas e também opções para o alívio deles.

Artigo atualizado em 03 de Junho de 2020.

  1. Yonkers KA, O’Brien PMS, Eriksson E. Premenstrual syndrome. Lancet. 2008 Apr 5;371(9619):1200–10.

  2. Bertone-Johnson ER, Hankinson SE, Bendich A, Johnson SR, Willett WC, Manson JE. Calcium and vitamin D intake and risk of incident premenstrual syndrome. Arch Intern Med. 2005 Jun 13;165(11):1246–52.

  3. Chocano-Bedoya PO, Manson JE, Hankinson SE, Willett WC, Johnson SR, Chasan-Taber L, et al. Dietary B vitamin intake and incident premenstrual syndrome. The American Journal of Clinical Nutrition. 2011 May 1;93(5):1080–6.

  4. Mohebbi Dehnavi Z, Jafarnejad F, Sadeghi Goghary S. The effect of 8 weeks aerobic exercise on severity of physical symptoms of premenstrual syndrome: a clinical trial study. BMC Womens Health. 2018 31;18(1):80.

  5. Wu W-L, Lin T-Y, Chu I-H, Liang J-M. The Acute Effects of Yoga on Cognitive Measures for Women with Premenstrual Syndrome. The Journal of Alternative and Complementary Medicine. 2015 Jun;21(6):364–9.

  6. Kjellgren A, Bood SÅ, Axelsson K, Norlander T, Saatcioglu F. Wellness through a comprehensive Yogic breathing program – A controlled pilot trial. BMC Complement Altern Med. 2007 Dec;7(1):43.

  7. Bluth K, Gaylord S, Nguyen K, Bunevicius A, Girdler S. Mindfulness-based Stress Reduction as a Promising Intervention for Amelioration of Premenstrual Dysphoric Disorder Symptoms. Mindfulness (N Y). 2015 Dec;6(6):1292–302.

  8. Lustyk MKB, Gerrish WG, Shaver S, Keys SL. Cognitive-behavioral therapy for premenstrual syndrome and premenstrual dysphoric disorder: a systematic review. Arch Womens Ment Health. 2009 Apr;12(2):85–96.

  9. DiNicolantonio JJ, O’Keefe JH, Wilson W. Subclinical magnesium deficiency: a principal driver of cardiovascular disease and a public health crisis. Open Heart. 2018 Jan;5(1):e000668.

  10. Fathizadeh N, Ebrahimi E, Valiani M, Tavakoli N, Yar MH. Evaluating the effect of magnesium and magnesium plus vitamin B6 supplement on the severity of premenstrual syndrome. Iran J Nurs Midwifery Res. 2010 Dec;15(Suppl 1):401–5.

  11. Romans SE, Kreindler D, Asllani E, Einstein G, Laredo S, Levitt A, et al. Mood and the Menstrual Cycle. Psychother Psychosom. 2013;82(1):53–60.

  12. Mortola JF. Issues in the diagnosis and research of premenstrual syndrome. Clin Obstet Gynecol. 1992 Sep;35(3):587–98.

Источник: https://helloclue.com/pt/artigos/tpm-e-tdpm/6-dicas-para-o-alivio-da-tpm

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: