Síndrome do intestino irritável: o que é, sintomas e tratamento

Contents
  1. Síndrome do intestino irritável
  2. Sintomas na síndrome do intestino irritável
  3. Causas da síndrome do intestino irritável
  4. Diagnóstico da síndrome do intestino irritável
  5. Tratamento da síndrome do intestino irritável
  6. Dieta baixa em FODMAPS
  7. Dieta sem glúten – Intolerância ao glúten
  8. Probióticos
  9. O QUE É SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL?
  10. Causas
  11. Sintomas
  12. Dor abdominal crônica
  13. Diarreia ou constipação
  14. Constipação
  15. Outros sintomas gastrointestinais
  16. Diagnóstico
  17. Tratamento
  18. Dicas em relação à dieta para a síndrome do intestino irritável
  19. Remédios para síndrome do intestino irritável
  20. Referências
  21. Tratamento para síndrome do intestino irritável: dieta, remédios e outras terapias
  22. 1. Alterações na dieta
  23. 2. Remédios
  24. 3. Psicoterapia
  25. Sinais de melhora
  26. Sinais de piora
  27. Causas da síndrome do intestino irritável
  28. Diagnóstico desíndrome do intestino irritável
  29. Sintomas desíndrome do intestino irritável
  30. Tratamento dasíndrome do intestino irritável
  31. Recomendações para lidar com a síndrome do intestino irritável
  32. Perguntas frequentes sobre síndrome do intestino irritável
  33. Síndrome do intestino irritável: Sintomas, Tratamentos e Causas
  34. Causas
  35. Fatores de risco
  36. Sintomas de Síndrome do intestino irritável
  37. Buscando ajuda médica
  38. Na consulta médica
  39. Diagnóstico de Síndrome do intestino irritável
  40. Tratamento de Síndrome do intestino irritável
  41. Medicamentos para Síndrome do intestino irritável
  42. Convivendo/ Prognóstico
  43. Complicações possíveis
  44. Síndrome do intestino irritável tem cura?
  45. Referências

Síndrome do intestino irritável

Síndrome do intestino irritável: o que é, sintomas e tratamento

A síndrome do intestino irritável é um distúrbio funcional e um dos distúrbios gastrointestinais mais comuns, sendo uma das principais causas que levam a procurar a consulta de gastroenterologia.

Esta é caracterizada por manifestações e alterações digestivas crónicas como dor abdominal, gases, diarreia e/ou obstipação e inchaço abdominal, sem que haja uma causa identificada. Normalmente, os sintomas surgem na adolescência ou no inico da idade adulta, com uma maior incidência nas mulheres do que nos homens.

Os pacientes com síndrome do intestino irritável tendem a dar mais faltas ao trabalho ou às aulas e a ter uma diminuição na produtividade, apresentando um impacto significativo ao nível da qualidade de vida do doente.

A síndrome do intestino irritável é considerada um distúrbio funcional uma vez que os exames não demonstram nenhuma causa identificável e o diagnóstico depende dos sintomas.

Sintomas na síndrome do intestino irritável

Normalmente os sintomas mais comumente mencionados são alterações na evacuação (alteração na consistência e/ou aparência das fezes e no número de evacuações), como diarreia ou obstipação, comumente chamada “prisão de ventre”, dor abdominal e inchaço abdominal. Associado a estes sintomas podem também surgir manifestações como a digestão lenta, náusea, flatulência (“gases”), presença de muco nas fezes e até manifestações noutros órgãos, como no trato urinário e genital.

Nas mulheres os sintomas tendem a agravar-se durante o período pré-menstrual.

Estes sintomas manifestam-se durante longos períodos de tempo, acabando por ser debilitantes para o doente e tendo um papel debilitador ao nível da qualidade de vida.

Causas da síndrome do intestino irritável

As causas por detrás da síndrome do intestino irritável ainda não estão totalmente identificadas, mas supõe-se que não exista apenas uma causa, mas sim que seja uma condição multifatorial, ou seja, em que existam vários fatores que contribuem para o seu desenvolvimento e agravamento. Alguns dos possíveis fatores associados são fatores ambientais, herdados e psicossociais, como ao nível do sistema nervoso, hipersensibilidade visceral, alterações na mobilidade anormal do trato gastrointestinal, genética e problemas psicológicos, como ansiedade, stress, depressão.

Nos últimos anos tem-se vindo a considerar mais fatores que possam ter um papel influenciador como a “flora intestinal” alterada, como disbiose, gastroenterite bacteriana e a hipersensibilidade alimentar.

Por norma, a síndrome do intestino irritável tem sido considerada sem alterações patológicas demonstradas, no entanto, tem-se vindo a observar, num subconjunto de doentes com síndrome do intestino irritável, inflamação microscópica após gastroenterite.

Diagnóstico da síndrome do intestino irritável

Atualmente, não existe um teste especifico que permita diagnosticar a síndrome do intestino irritável. Estes sintomas podem ser vagos e transitórios, tornando a síndrome do intestino irritável um diagnóstico de exclusão.

O seu diagnóstico é feito com base história clinica, sintomas apresentados e exame do doente, poderão ser necessários exames adicionais, como forma de exclusão para outras patologias.

Posteriormente, o seu diagnóstico é realizado tendo em conta os critérios de Roma IV.

Critérios de Roma IV para a síndrome do intestino irritável são:

Dor abdominal recorrente, pelo menos 1 vez por semana, associada a 2 ou mais dos seguintes critérios:

  1. Relacionados com a defecação;
  2. Mudança na frequência das fezes;
  3. Alteração na forma (aparência) das fezes.

O início dos sintomas deve ocorrer 6 meses antes do diagnóstico, sendo que os critérios devem ser cumpridos nos últimos 3 meses anteriores ao diagnóstico.

Dependendo da forma e da consistência das fezes, a síndrome do intestino irritável é classificada em 4 subtipos.

  • Síndrome do intestino irritável com obstipação – menos de 3 evacuações por semana, fezes duras ou irregulares e esforço para evacuar;
  • Síndrome do intestino irritável com diarreia – mais de 3 evacuações por dia, sensação de evacuar com urgência e fezes aquosas;
  • Síndrome do intestino irritável misto – períodos intercalados de fezes duras com fezes moles e soltas – pode alternar entre horas ou dias
  • Síndrome do intestino irritável não classificado – o padrão de alteração das fezes e não permite classificar num dos subtipos anteriores.

Esta diferença de sintomas que existe, inclusive dentro dos subtipos, dificulta o desenvolvimento de tratamentos eficazes, promovendo uma abordagem direcionada à melhoria dos sintomas.

Tratamento da síndrome do intestino irritável

O tratamento deve ser personalizado ao doente, tendo em conta os sintomas apresentados e os fatores que promovem o seu aparecimento e/ou agravamento.

A nível farmacológico (medicamentos ou remédios), o tratamento é direcionado aos sintomas associados à motilidade intestinal, hipersensibilidade visceral ou problemas psicológicos.

Também o controlo do stress, quando identificado como fator influenciador, possui um papel essencial na melhoria dos sintomas.

Saiba, aqui, tudo sobre stress.

A nível alimentar, a grande maioria dos doentes reporta um aparecimento e/ou agravamento dos sintomas associado à ingestão de alimentos, tendo sido verificado que a ingestão de alimentos pode levar ao aparecimento de sintomas nestes doentes.

A intervenção nutricional deve garantir que haja uma adequação nutricional da deita, com uma adequada ingestão de nutrientes. É essencial adaptar a dieta ao padrão de sintomas dos doentes e explicar o possível papel dos alimentos nos sintomas experienciados.

Esta intervenção deve ocorrer de forma gradual, com revisão dos sintomas, estado nutricional e alimentos consumidos.

A dieta baixa em FODMAPs tem vindo a ser cada vez mais investigada e tem demonstrado resultados positivos na melhoria dos sintomas e qualidade de vida do doente.

Dieta baixa em FODMAPS

A dieta com um baixo teor de FODMAPs (oligossacarideos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis fermentáveis) tem vindo a ser cada vez mais estudada e tem vindo a demonstrar efeitos positivos na redução dos sintomas associados à síndrome do intestino irritável.

O termo FODMAP foi criado em 2005 por um grupo de investigadores da Monash University em Melbourne, Austrália, que propuseram que os alimentos que contêm estas formas de hidratos de carbono podem desencadear e/ou agravar os sintomas.

Os FODMAP são hidratos de carbono de cadeia curta que são mal absorvidos no intestino delgado e fermentados pelas bactérias no intestino grosso promovendo sintomas como gases, dor abdominal e diarreia.

A dieta FODMAP promove uma eliminação ou diminuição dos alimentos que contêm:

  • Excesso de frutose (1);
  • Lactose (2);
  • Frutanos (3);
  • Galactanos (4);
  • Polióis (5).

Estes hidratos de carbono podem ser encontrados nos seguintes alimentos:

1. Excesso de frutose:

  • Frutas: Maçã, pêra, manga, melancia, cerejas, figos, conservas de frutas, sumos de fruta naturais;
  • Legumes: espargos, alcachofra, ervilha torta;
  • Adoçantes: mel, xarope de milho com alto teor de frutose, frutose, agave

2. Lactose:

  • Leite (vaca, cabra e ovelha), iogurtes, gelado, queijos de pasta mole (por exemplo ricota, queijo cottage, queijo creme, mascarpone), leite condensado, alimentos preparados com leite

3. Frutanos:

  • Legumes: alho, cebola, espargos, alcachofra, brócolos, couve de bruxelas, repolho, alho-francês;
  • Cereais: trigo, centeio, cevada;
  • Frutos oleaginosos: pistacho, caju.

4. Galactanos:

  • Leguminosas: feijão, grão de bico, lentilhas, ervilhas e feijão de soja

5. Polióis:

  • Frutas: maçã, damasco, pera, nectarina, pêssego, ameixa, melancia, amora, abacate, cereja;
  • Legumes: couve-flor, cogumelos, ervilhas;
  • Adoçantes: sorbitol, manitol, xilitol, maltitol, isomalte (frequentemente encontrados em gomas, pastilhas e doces com adoçantes artificiais)

As recomendações atuais promovem uma eliminação / redução do consumo de alimentos ricos em FODMAP durante 6 a 8 semanas. Após este período deve-se fazer um reintrodução gradual dos alimentos, permitindo desta forma identificar aqueles que são toleráveis pelo doente.

O objetivo da dieta baixa em FODMPAS é reduzir ou eliminar os sintomas associados à síndrome do intestino irritável, sendo essencial promover uma alimentação com alimentos com FODMAPs mais toleráveis ou com alternativas aos mesmos.

No seguimento desta alimentação podem surgir carências de alguns nutrientes, como ácido fólico, tiamina (vitamina B1), vitamina B6 e cálcio, pelo que o acompanhamento alimentar por um médico ou nutricionista com experiência nesta dieta é essencial.

Esta abordagem não representa uma cura, mas sim uma forma de controlo e melhoria dos sintomas e da qualidade de vida do doente.

Dieta sem glúten – Intolerância ao glúten

Apesar de os efeitos ainda não serem totalmente claros, a intolerância ao glúten tem vindo a ser associada a esta síndrome.

Alguns estudos têm reportado uma melhoria dos sintomas, como a diarreia, dor e inchaço abdominal, após 6 semanas de uma dieta sem glúten. No entanto, alguns dos cereais que contêm glúten contêm também frutanos (um tipo de FODMAP), pelo que tem vindo a ser sugerido que o glúten pode induzir sintomas apenas quando o alimento apresenta um alto teor de FODMAP.

Por outro lado, alguns estudos verificaram que existe uma melhoria dos sintomas com a adoção de uma dieta sem glúten em doentes com os genes HLA-DQ2 ou HLA-DQ8, associados à intolerância ao glúten.

Como tal, doentes com síndrome do intestino irritável e com os genes HLA-DQ2 ou HLA-DQ8 parecem beneficiar da adoção de uma dieta sem glúten.

O acompanhamento alimentar é essencial para um controlo dos sintomas, identificação dos alimentos intolerantes e equilíbrio nutricional, em doentes com síndrome do intestino irritável.

Probióticos

As alterações na flora intestinal (microbiota intestinal) têm vindo a ser sugeridas como um possível fator envolvido na síndrome do intestino irritável, em especial em doentes que desenvolveram sintomas após uma gastroenterite.

Os probióticos (microorganismos vivos) têm vindo a demonstrar efeito no tratamento e melhoria dos sintomas, auxiliando no alívio da dor, inchaço e gases, em doentes com síndrome do intestino irritável.

Caso suspeite que possa sofrer de síndrome do intestino irritável deste distúrbio procure um gastroenterologista e nutricionista com experiência na área, para que possam decidir qual o melhor tratamento para si.

Источник: https://www.saudebemestar.pt/pt/blog/nutricao/intestino-irritavel/

O QUE É SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL?

Síndrome do intestino irritável: o que é, sintomas e tratamento

A síndrome do intestino irritável (SII) é um distúrbio gastrointestinal caracterizado por dor abdominal e alterações do trânsito intestinal, sem que haja qualquer causa orgânica identificável.

A SII é extremamente comum, sendo responsável cerca de 30% de todos os encaminhamentos para os médicos gastroenterologistas.

Apesar de apresentar sinais e sintomas que podem ser bastante incômodos, a síndrome do intestino irritável não provoca inflamações ou lesões no intestino nem aumenta o risco de câncer intestinal.

Apenas um pequeno número de pessoas com esta doença têm sinais e sintomas graves. A maioria dos indivíduos consegue controlar os seus sintomas através de modificações na dieta, no estilo de vida e no controle do estresse.

Causas

A síndrome do intestino irritável é um distúrbio dos intestinos capaz de provocar quadros dor abdominal, excesso de gases, constipação e/ou diarreia, sem que haja nenhuma anormalidade identificável que justifique a ocorrência de tais sintomas.

A SII é uma doença na qual o intestino não funciona de forma esperada, mas nós ainda não sabemos bem o motivo dessa alteração. Várias pesquisas feitas ao longo do últimos anos têm levantado algumas hipóteses, e o mais provável é que a síndrome do intestino irritável seja provocada por múltiplos fatores.

As paredes dos intestinos são revestidas por camadas de músculos que se contraem e relaxam em ritmo coordenado, de forma a fazer com que os alimentos ingeridos progridam ao longo de todo o trato gastrointestinal. No paciente que tem SII, as contrações podem ser mais intensas e mais prolongadas que o habitual, aumentando a velocidade do trânsito gastrointestinal, o que provoca gases, cólicas e diarreia.

Por outro lado, a SII também pode provocar uma situação inversa, com as contrações intestinais fracas e menos frequentes, o que faz com que o transito intestinal torne-se lento, favorecendo a formação de fezes secas e duras, o que leva à constipação intestinal.

Anormalidades na inervação do trato gastrointestinal também podem desempenhar um papel importante na gênese deste distúrbio, fazendo com que os receptores da dor reajam de forma mais intensa quando o intestino encontra-se cheio de fezes ou gases.

Além disso, o paciente com síndrome do intestino irritável pode queixar-se de uma sensação de aumento dos gases, quando, na verdade, a quantidade de gás produzida pelo seu intestino é semelhante ao de outras pessoas. Na SII, mesmo uma pequena distensão da parede do intestino pode ser um evento bastante incômodo, muito mais do que é para o resto da população.

A síndrome do intestino irritável é um distúrbio crônico, que dura anos, que costuma alternar fases de agravamentos dos sintomas com fases praticamente assintomáticas. A SII costuma surgir antes dos 35 anos de idade e é 2 a 3 vezes mais comum nas mulheres.

Fatores psicológicos desempenham um importante papel tanto na gênese da doença quanto na exacerbação das crises em muitos pacientes.

Há também relatos de casos de desenvolvimento da SII após uma gastroenterite viral ou bacteriana.

O paciente apresenta um quadro de diarreia infecciosa, cura-se, mas passa a ter de forma recorrente quadros de diarreia compatíveis com a síndrome do intestino irritável.

Sintomas

Os pacientes com síndrome do intestino irritável podem apresentar uma grande variedade de sintomas, que incluem não só queixas gastrointestinais, mas também extra-intestinais. Contudo, são as manifestações intestinais que caracterizam a doença, sendo a dor abdominal, a diarreia e a constipação a tríade de sintomas mais típicos.

A localização e a intensidade da dor, os fatores desencadeantes e de alívio, o padrão de evacuação, o tipo de sintomas extra-intestinais, etc., podem ser bem diferentes de um paciente para o outro, o que pode tornar o diagnóstico da SII um desafio para o médico.

Dor abdominal crônica

A dor abdominal da SII é habitualmente descrita como uma dor tipo cólica, com intensidade variável e exacerbações periódicas. Não há uma localização típica para dor. O local mais comum é a parte inferior do abdômen, especificamente no quadrante inferior esquerdo, porém, o paciente com SII pode se queixar de dor em qualquer ponto do abdômen.

Os episódios agudos de dor podem ser desencadeados por refeições ou estresse, mas em muitos pacientes, o simples ato de evacuar é suficiente para amenizar a dor. Esse padrão de dor desencadeada pela alimentação e aliviada pela evacuação é bem comum, mas não está presente em todos os pacientes.

Como a dor da síndrome do intestino irritável não é muito fácil de ser caracterizada, o mais importante é o médico saber reconhecer quando o quadro de dor NÃO parece ser da SII, mas sim de alguma doença orgânica do trato gastrointestinal.

Por exemplo, dor abdominal associada à perda de peso involuntária ou à perda do apetite de forma relevante não costuma estar presente na SII.

Uma dor aguda, que torna-se progressivamente mais intensa e atrapalha o sono do paciente, também não é habitual.

Da mesma forma, uma dor abdominal associada à febre é um sinal de alerta que fala a favor de infecções gastrointestinais ou situações como uma apendicite ou diverticulite.

Diarreia ou constipação

Um sintoma típico da SII é a alteração dos hábitos intestinais, que pode se apresentar como diarreia, constipação intestinal ou um quadro em que há alternância entre episódios de diarreia e constipação.

Os episódios de diarreia da SII geralmente ocorrem durante o dia, na maioria das vezes na parte da manhã ou após as refeições.

As evacuações diarreicas costumam ser precedidas por cólicas abdominais, que aliviam após o fim da defecação.

O paciente pode ter um quadro de diarreia súbita, com urgência para evacuar e incapacidade de segurar as fezes por muito tempo. Em alguns casos, após a dejeção, o paciente pode ter uma incômoda sensação de evacuação incompleta.

Exceto pela presença de muco nas fezes, queixa que cerca de metade dos pacientes tem, a diarreia da síndrome do intestino irritável costuma ser branda, com poucas evacuações diárias e sem outros sinais de alarme.

Se o paciente apresentar diarreia com sangue, com gotas de gorduras, fezes com cor preta, vômitos ou uma diarreia muito intensa, capaz inclusive de atrapalhar o sono durante a noite, outro diagnóstico que não a SII deve ser considerado, como por exemplo, uma diarreia bacteriana ou viral.

Constipação

Os pacientes com SII podem ter quadros de prisão de ventre que duram de dias a meses, com intervalos curtos de diarreia ou função intestinal normal. Passado o evento agudo, o indivíduo pode permanecer semanas sem alterações relevantes do trânsito intestinal, até que uma nova crise seja desencadeada.

Em alguns pacientes, a constipação apresenta-se como uma dificuldade de formar um bolo fecal volumoso, fazendo com que o paciente evacue em pequenas quantidades e com fezes em formato de bolinhas. Uma sensação de evacuação incompleta, mesmo quando o reto já está vazio, também é comum.

Outros sintomas gastrointestinais

Diarreia, constipação intestinal e dor abdominal são os sintomas gastrointestinais mais típicos da SII, mas não os únicos. Inchaço abdominal, excesso de gases, refluxo gastroesofágico, dificuldade para engolir, saciedade precoce, azia e náuseas também podem ocorrer.

Frequentemente, os pacientes com ISS apresentam também sintomas extra-intestinais, incluindo cólica menstrual, dor durante o ato sexual, aumento da frequência urinária e sintomas da fibromialgia.

Diagnóstico

Como a síndrome do intestino irritável não possui uma causa orgânica identificável, os exames laboratoriais ou de imagem costumam ser completamente normais. Na verdade, a existência de alterações nesses exames é um dado que fala contra o diagnóstico da SII.

Portanto, como não há exames complementares específicos para a SII, o seu diagnóstico precisa ser feito através da avaliação cuidadosa dos sinais e sintomas do paciente.

Para facilitar e padronizar o diagnóstico, um grupo internacional de especialistas criou em 1992 um conjunto de critérios para o diagnóstico da síndrome do intestino irritável, chamado critérios de Roma (não confundir com os critérios de Roma para constipação intestinal). Esses critérios têm sido atualizados ao longo dos anos, e a última publicação de 2006, chamada de “critérios de Roma III para a síndrome do intestino irritável”, é atualmente a mais utilizada.

Segundo os critérios de Roma III, o paciente para ter SII precisa nos últimos 3 meses ter apresentado dor ou desconforto abdominal por pelo menos 3 dias em cada mês MAIS 2 dos 3 seguintes achados:

  • Melhoria da dor abdominal após evacuação.
  • A dor abdominal inicia-se junto com alterações na aparência das fezes.
  • A dor abdominal inicia-se junto com alterações nos hábitos intestinais (i.e. diarreia ou constipação).

Após o estabelecimento do diagnóstico, a SII pode ainda ser classificada em 4 subtipos, de acordo com as características dos sintomas, a saber:

  • Síndrome do intestino irritável com constipação intestinal: fezes endurecidas ou em bolinhas em pelo menos 25% das evacuações / fezes moles ou líquidas em menos de 25% das evacuações.
  • Síndrome do intestino irritável com diarreia: fezes moles ou líquidas em pelo menos 25% das evacuações / fezes endurecidas ou em bolinhas em menos de 5% das evacuações.
  • Síndrome do intestino irritável mista: fezes moles ou líquidas em pelo menos 25% das evacuações / fezes endurecidas ou em bolinhas em pelo menos 25% das evacuações
  • Síndrome do intestino irritável inespecífica: Qualquer padrão que não se encaixe nas 3 definições acima.

Tratamento

Porque as causas da síndrome do intestino irritável ainda são desconhecidas, os tratamentos atuais da doença concentram-se no alívio dos sintomas e na melhoria da qualidade de vida.

Na maioria dos pacientes com quadros leves de SII, os sinais e sintomas podem ser facilmente controlados com mudanças no estilo de vida e na dieta. É importante que o paciente aprenda a reconhecer que tipos de alimentos desencadeiam a crise, para que possa evitá-los. A redução do estresse também é um fator vital no tratamento, mas isso nem sempre é muito fácil de ser implementado.

Exercício físico regular e ingestão frequente de água, este último principalmente naqueles com SSI com diarreia, também são importantes.

Dicas em relação à dieta para a síndrome do intestino irritável

Pacientes com SII podem ser mais sensíveis a alguns tipos de carboidratos que são fermentados durante o processo de digestão, já que este processo pode levar ao aumento da produção de gases pelas bactérias intestinais. Alguns pacientes também se beneficiam quando restringem alimentos ricos em glúten.

A lista de alimentos que podem desencadear crises de diarreia, distensão ou dor abdominal na síndrome do intestino irritável é bem grande, e nem sempre o que é ruim para um indivíduo tem o mesmo efeito para outro.

O importante é conhecer a lista e tentar detectar quais são os alimentos que no seu caso em particular são menos tolerados.

São eles: refrigerantes, repolho, brócolis, couve-flor, feijão, derivados de leite, cebola, trigo, cevada, centeio, alho-poró, alho, cebolinha, alcachofras, beterraba, erva-doce, ervilhas, chicória, pistache, castanha de caju, lentilhas, grão de bico, maçã, pera, manga, cereja, melancia, aspargos, mel, xarope de milho, damasco, nectarina, pêssego, ameixa, cogumelos e goma de mascar.

Remédios para síndrome do intestino irritável

Nos pacientes com SII moderada a grave, cujos sintomas interferem na qualidade de vida, o tratamento medicamentoso costuma ser necessário. Neste caso, uma consulta com médico gastroenterologista é essencial.

Pacientes nos quais a diarreia é o sintoma predominante, antidiarreicos, como a loperamida (Imosec) podem ser uteis. Se a cólica for o principal sintoma, antiespasmódicos, como a escopolamina (Buscopan) ajudam (leia: BUSCOPAN – Indicações, Como tomar e Efeitos Colaterais). Nos pacientes com prisão de ventre, laxantes costumam ser necessários para regularizar o trânsito intestinal.

Os antidepressivos podem ser úteis nos pacientes com depressão ou elevados níveis de estresse, o que sabemos ser um fator de agravamento dos sintomas da síndrome do intestino irritável.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/gastroenterologia/sindrome-do-intestino-irritavel/

Tratamento para síndrome do intestino irritável: dieta, remédios e outras terapias

Síndrome do intestino irritável: o que é, sintomas e tratamento

O tratamento para a síndrome do intestino irritável é feito com a combinação de remédios, alterações na alimentação e a diminuição dos níveis de estresse, que são orientados pelo gastroenterologista para aliviar os sintomas da pessoa afetada.

A síndrome do intestino irritável é caracterizada por uma alteração no funcionamento do intestino, que provoca sintomas como dor ou inchaço abdominal, diarreia, prisão de ventre e presença de muco nas fezes. Confira o que é e como saber se tem esta síndrome.

Não existe uma fórmula única para tratar esta síndrome, por isso, a melhor forma de tratamento é orientada pelo médico a depender dos tipos e intensidade dos sintomas existentes em cada pessoa:

1. Alterações na dieta

Normalmente, o tratamento para síndrome do intestino irritável é iniciado de forma natural, isto é, fazendo alterações na alimentação como:

  • Fazer refeições regulares e em horários certos, como de 3 em 3 horas, por exemplo;
  • Evitar bebidas alcoólicas ou bebidas estimulantes, como café e energéticos;
  • Evitar alimentos com muita gordura ou açúcar, como manteiga, queijo, embutidos, bolos ou bolachas;
  • Beber, pelo menos, 2 litros de água por dia;
  • Preferir comer carne branca e vegetais;
  • Dar preferência a alimentos cozidos, grelhados ou refogados;
  • Adotar uma dieta FODMAP, que consiste na retirada de alimentos que são mal absorvidos e sofrem fermentação pela flora intestinal, causando piora dos sintomas de intestino irritável, como cenoura, beterraba, maçã, manga, massas e mel. Saiba como fazer a dieta FODMAP.

Além disso, alguns pacientes, também podem ter de excluir outros alimentos como leite e derivados da sua alimentação, caso haja algum tipo de intolerância e os sintomas piorem ou surjam após a sua ingestão.

Veja um vídeo da nossa nutricionista explicando o que comer e o que deve ser evitado na dieta para síndrome do intestino irritável:

2. Remédios

Os medicamentos para tratar a síndrome do intestino irritável são aconselhados principalmente em períodos de piora dos sintomas, como forma de aliviá-los. Assim, dependendo dos sintomas apresentados o médico pode receitar:

  • Remédios anti-espasmódicos, como a Hioscina ou Escopolamina, para reduzir a dor e o desconforto abdominal, especialmente após comer;
  • Remédios antidiarreicos, como a Loperamida, para evitar ou aliviar o surgimento de diarreia;
  • Laxantes, como Lactulose ou Sulfato de magnésio, em casos de prisão de ventre para estimular o funcionamento do intestino;
  • Antidepressivos ou ansiolíticos,como Duloxetina ou Amitriptilina, podem ser indicados caso os sintomas da síndrome estejam associados a quadro de depressão ou ansiedade

Alguns pacientes podem ainda apresentar sintomas devido ao desenvolvimento excessivo de bactérias no intestino e, por isso, o médico pode experimentar utilizar antibióticos, como a Rifaximina, por exemplo, por pouco tempo para tentar reduzir a quantidade de bactérias no interior do intestino, aliviando os sintomas.

Os probióticos também podem ajudar a regularizar a flora intestinal, e, além disso, diversos outros medicamentos também têm sido testados e desenvolvidos para o alívio dos sintomas e combate deste transtorno. 

3. Psicoterapia

Sintomas psicológicos estão presentes na maioria dos pacientes com síndrome do intestino irritável, por isso, a terapia psicológica é uma importante forma de tratamento.

Ela pode ser feita na forma psicoterapia tradicional ou de terapia cognitivo comportamental, na qual o psicólogo ajuda a identificar as questões psicológicas que influenciam no surgimento do sintomas, e estimula o paciente a adaptar a resposta do organismo. 

Além dos remédios recomendados pelo médico e das alterações na dieta, algumas terapias alternativas podem ajudar a completar o tratamento, principalmente como forma de reduzir o estresse, que é um grande desencadeador dos sintomas da doença.

Dentre eles, são incluídas terapias de meditação, relaxamento, reflexologia e a acupuntura. Além disso, o uso de algumas ervas medicinais, como a hortelã-pimenta, ajudam a reduzir as cólicas abdominais devido ao seu poder antiespasmódico natural. No entanto, o uso destas terapias não deve substituir a orientação do médico.

Veja também algumas sugestões de remédios caseiros para aliviar os sintomas.

Sinais de melhora

Os sinais de melhora da síndrome do intestino irritável são o restabelecimento do trânsito intestinal e a redução do desconforto e dor abdominal após comer, por exemplo.

Sinais de piora

Os sinais de piora da síndrome do intestino irritável são mais frequentes quando o tratamento não é feito de forma adequada, quando há piora dos períodos de estresse ou os alimentos que agravam os sintomas não são evitados, produzindo diarreia, prisão de ventre, cansaço excessivo ou desidratação, por exemplo.

Источник: https://www.tuasaude.com/tratamento-para-sindrome-do-intestino-irritavel/

Causas da síndrome do intestino irritável

  • Motilidade anormal do intestino delgado durante o jejum, contrações exageradas depois da ingestão de alimentos gordurosos ou em resposta ao estresse;
  • Hipersensibilidade dos receptores nervosos da parede intestinal à falta de oxigênio, distensão, conteúdo fecal, infecção e às alterações psicológicas;
  • Níveis elevados de neurotransmissores (como a serotonina, por exemplo) no sangue e no intestino grosso;
  • Infecções e processos inflamatórios;
  • Depressão e ansiedade.

Veja também: Recomendações para evitar a formação de gases

Diagnóstico de síndrome do intestino irritável

O diagnóstico é baseado nos sintomas, na ausência de sinais relevantes verificados no exame físico e na visualização direta do intestino através da colonoscopia. Ele deve ser bastante cuidadoso, porque algumas doenças mais graves podem ser confundidas com a síndrome do cólon irritável.

Sintomas de síndrome do intestino irritável

Os sintomas principais são:

  • Desconforto abdominal;
  • Dor;
  • Cólicas;
  • Alternância entre períodos de diarreia e prisão de ventre;
  • Flatulência exagerada;
  • Sensação de esvaziamento incompleto do intestino.

Os sintomas podem piorar depois da ingestão de certos alimentos, como cafeína, álcool e comidas gordurosas (veja abaixo, nas perguntas frequentes, outros alimentos que devem ser evitados).

Tratamento da síndrome do intestino irritável

Para a dor:

  • O tratamento da síndrome do intestino irritável é feito com antiespasmódicos. Alguns pacientes reagem bem ao uso de antidepressivos tricíclicos; outros, aos anti-inflamatórios e, nos casos mais rebeldes, à morfina e derivados.

Para a diarreia:

  • Medicamentos que aumentam a consistência do bolo alimentar e reduzem a frequência dos movimentos intestinais costumam apresentar bons resultados. Casos mais refratários podem ser tratados com antibióticos por tempo curto.

Para a prisão de ventre:

  • Dieta rica em fibras e laxativos osmóticos, como o leite de magnésia e a lactulose, ajudam a aliviar os sintomas. Além desses, drogas capazes de acelerar o trânsito intestinal e diminuir a consistência das fezes também são úteis.

Recomendações para lidar com a síndrome do intestino irritável

  • Faça uma lista dos alimentos que possam estar associados ao aparecimento das crises e evite-os;
  • Adote dieta com baixo teor de gordura e rica em fibras, mas cuidado com os vegetais que aumentam a produção de gases, como repolho, couve-flor, batata doce, feijão, entre outros;
  • Evite ingerir bebidas alcoólicas e as que contêm cafeína;
  • Procure não mascar chicletes nem chupar balas que contenham sorbitol;
  • Mantenha um programa diário de exercícios físicos;
  • Não fume;
  • Não despreze o benefício que a psicoterapia e outras técnicas terapêuticas (relaxamento, por exemplo) podem trazer aos portadores da síndrome.

Perguntas frequentes sobre síndrome do intestino irritável

A síndrome do intestino irritável pode causar câncer colorretal?

Não. A síndrome do intestino irritável não é maligna, não provoca nenhum tipo de lesão no intestino e não evolui para câncer colorretal ou outras patologias mais graves relacionadas ao intestino.

Que alimentos devem ser evitados?

Pacientes com essa síndrome devem apostar em produtos com pouca gordura e muitas fibras e evitar:

  • Comidas gordurosas;
  • Álcool;
  • Cafeína;
  • Açúcar;
  • Produtos com sorbitol (como balas sem açúcar e chicletes);
  • Vegetais que aumentam a produção de gases (como feijão, repolho e batata doce);
  • Leite e derivados;
  • Alimentos picantes ou com muitos conservantes.

A síndrome do intestino irritável tem cura?

Não. O tratamento da síndrome visa a administrar os sintomas.

Normalmente, pacientes precisam fazer mudanças na alimentação e no estilo de vida, além de fazer uso de medicamentos em fases mais intensas, que provoquem muito desconforto.

O paciente pode passar longos períodos sem manifestações clínicas, mas o problema sempre pode retornar, tanto por distúrbios intestinais quanto por fatores emocionais.

Источник: https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/sindrome-do-intestino-irritavel/

Síndrome do intestino irritável: Sintomas, Tratamentos e Causas

Síndrome do intestino irritável: o que é, sintomas e tratamento

A síndrome do intestino irritável é uma doença funcional comum dotrato digestório, crônica, que afeta os intestinos (grosso e delgado) eque exige acompanhamento médico no longo prazo.

Causas

As paredes dos intestinos são revestidas com músculos que se contraem e relaxam conforme o alimento ingerido vai passando do estômago em direção ao reto.

Na síndrome do intestino irritável, as contrações podem ser mais fortes e podem durar mais tempo do que o normal, fazendo com que surjam alguns sintomas característicos da doença, como dor abdominal, gases, flatulência e diarreia.

Poder ser, ainda, que aconteça justamente o oposto, com contrações intestinais mais fracas que o normal, o que retarda a passagem de alimentos e leva a fezes mais endurecidas.

Síndrome do intestino irritável

Não se sabe exatamente o que leva uma pessoa a desenvolver a síndrome do intestino irritável, mas uma combinação de fatores pode estar envolvida:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ainda não se sabe como alergias ou a intolerância alimentar podem estar relacionadas à síndrome do intestino irritável, mas os sintomas costumam aparecer após uma pessoa comer determinados alimentos, como chocolate, especiarias, gorduras, frutas, feijão, repolho, couve-flor, brócolis, leite, bebidas gaseificadas, álcool, entre outros.

A maioria das pessoas com síndrome do intestino irritável notam que, durante momentos de estresse, os sintomas da doença costumam se agravar. No entanto, os pesquisadores defendem a ideia de que o estresse é um fator agravante, mas não uma possível causa que leva ao desenvolvimento da síndrome em uma pessoa.

As mulheres são duas vezes mais propensas a apresentar síndrome do intestino irritável, por essa razão os pesquisadores acreditam que as mudanças hormonais podem desempenhar um importante papel. Além disso, muitas mulheres acreditam que os sinais e sintomas da doença são piores durante ou em períodos próximos à menstruação.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Às vezes, uma outra doença, como um episódio agudo de diarreia infecciosa (gastroenterite) ou o crescimento excessivo de bactérias normais do intestino podem, por exemplo, desencadear a síndrome do intestino irritável.

Fatores de risco

Muitas pessoas têm sinais e sintomas da síndrome do intestino irritável ocasionalmente, mas algumas são mais propensas a desenvolver a doença. Essas são:

  • Pessoas até 45 anos de idade
  • Pessoas do sexo feminino. A doença atinge a aproximadamente o dobro de mulheres do que homens
  • Ter histórico familiar da doença
  • Ter algum problema de saúde mental, como ansiedade, depressão, transtorno de personalidade e traumas.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas de Síndrome do intestino irritável

Os sinais e sintomas da síndrome do intestino irritável podem variar muito de pessoa para pessoa e são, muitas vezes, semelhantes aos sintomas de outras doenças. Os mais comuns são:

  • Dor abdominal ou cólicas
  • Sensação de inchaço
  • Gases
  • Diarreia ou constipação – às vezes alternando crises entre os dois problemas
  • Muco nas fezes.

A síndrome do intestino irritável é uma doença crônica na maioria dos casos, mas há momentos em que os sintomas manifestados são piores e momentos em que eles são melhores. Podendo, inclusive, ter fases completamente assintomáticas.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Buscando ajuda médica

Os sintomas da síndrome do intestino irritável pode ser facilmente confundidos com os sinais de outras doenças gastrointestinais. No entanto, se você os sentir, mesmo que ocasionalmente, mas ainda com certa periodicidade, procure ajuda médica. Sem tratamento, a síndrome pode causar problemas mais graves à saúde.

Procure atendimento emergencial se você notar:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O médico pode, ainda, ajuda-lo a buscar alternativas para aliviar os sintomas enquanto o diagnóstico não é finalizado e o tratamento, se necessário, não é iniciado. Acompanhamento médico pode ajudar também a evitar futuras complicações.

Na consulta médica

Entre as especialidades que podem diagnosticar a síndrome do intestino irritável estão:

  • Clínica médica
  • Gastroenterologia.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Alimentos que possivelmente precipitam o quadro clínico.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Quando você começou a sentir os sintomas?
  • Os sintomas são ocasionais ou frequentes?
  • Os sintomas melhoram e pioram com certa frequência?
  • Você tem perdido peso involuntariamente?
  • Você teve sangramento retal?
  • Onde você sente as dores?
  • Qual a intensidade de suas dores e dos outros sintomas?
  • Você tomou alguma medida para melhorar e aliviar os sintomas? Qual? E funcionou?

Diagnóstico de Síndrome do intestino irritável

Na maioria dos casos, o médico pode fazer o diagnóstico de síndrome do intestino irritável com base nos sintomas e por meio poucos exames ou, às vezes, até nenhum exame. Seguir uma dieta sem lactose por um período determinado de tempo pode ajudar o médico a avaliar se uma possível intolerância à lactase pode estar causando os sintomas.

Não existe um exame específico para diagnosticar a síndrome, mas é possível fazer testes para descartar outros problemas:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Exames de sangue para ver se você tem uma contagem baixa de glóbulos sanguíneos (anemia)
  • Culturas de fezes para descartar uma infecção.

Alguns pacientes precisarão fazer uma endoscopia, sigmoidoscopia ou colonoscopia. Nesses dois últimos exames, um tubo com uma câmera na ponta é inserido através do ânus.

Você poderá precisar desses exames, principalmente, se os sintomas surgirem após os 50 anos de idade, se apresentar sangue nas fezes, fraqueza importante ou emagrecimento involuntário, ou ainda se os resultados dos exames de sangue estiverem alterados.

Outros exames de imagem também podem ajudar o médico a fazer o diagnóstico, como raio-X do trato gastrointestinal e tomografia computadorizada.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Tratamento de Síndrome do intestino irritável

Como não se sabe exatamente o que leva à síndrome do intestino irritável, o objetivo do tratamento é aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente. Ele pode ser feito pelo uso de medicamentos específicos para a síndrome.

Mudanças no estilo de vida do paciente fazem parte do tratamento. Incorporar suplementos de fibra e de medicamentos anticolinérgicos, antiespasmódicos, antidepressivos (em doses menores) e remédios contra a diarreia devem vir acompanhados de alterações radicais na dieta, com a eliminação de bebidas gaseificadas, alimentos gordurosos e glúten da alimentação diária.

Medicamentos para Síndrome do intestino irritável

Os medicamentos mais usados para o tratamento da síndrome do intestino irritável são:

  • Brometo de Pinavério 100mg
  • Brometo de Pinavério 50mg
  • Ceftriaxona Dissódica
  • Ceftriaxona Sódica
  • Digedrat

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo/ Prognóstico

Mudanças de estilo de vida e na alimentação precisam vir acompanhadas do tratamento médico. Adote algumas medidas e acelere a recuperação. Veja dicas:

  • Pratique exercícios físicos regulares e melhore seus hábitos de sono. Essas medidas ajudam a reduzir a ansiedade e aliviam os sintomas
  • Mudanças na dieta são necessárias. No entanto, não há um cardápio fixo a seguir, pois a doença difere de uma pessoa para outra e, por isso, as alterações na dieta variam de acordo com o paciente. No geral, as recomendações seguem um padrão: evitar bebidas gaseificadas, cafeína, álcool, produtos lácteos, alimentos gordurosos e glúten. Converse com seu médico antes de fazer mudanças em sua alimentação
  • Beba muito líquido. Manter-se hidratado é essencial para a recuperação
  • Alimente-se regularmente, durante todo o dia e em pequenas quantidades. Evite grandes refeições.

Lembre-se: o importante é evitar possíveis gatilhos para os sintomas da síndrome e adotar um estilo de vida saudável, mantendo um bom peso também. Excesso de peso e obesidade podem provocar prejuízos à saúde e também ao tratamento.

Complicações possíveis

A diarreia e prisão de ventre, ambos sintomas da síndrome do intestino irritável, podem levar a um quadro de hemorroidas. Além disso, se você evitar certos alimentos, pode não ter o suficiente dos nutrientes e calorias que você precisa, o que leva à desnutrição. Converse com um médico sobre a possibilidade de tomar suplementos vitamínicos.

O impacto da síndrome do intestino irritável em sua qualidade de vida pode ser a complicação mais significativa de todas. Os sintomas e o longo tratamento, juntamente com todas as restrições médicas, podem levar os pacientes à depressão.

Síndrome do intestino irritável tem cura?

A síndrome do intestino irritável pode ser uma doença que necessita de tratamento por toda a vida. Para algumas pessoas, os sintomas prejudicam diretamente o desempenho no trabalho e nos círculos sociais. No entanto, o tratamento pode contribuir para trazer alívio aos sintomas, que podem, eventualmente, diminuir e às vezes até desaparecer completamente.

A síndrome do intestino irritável não causa danos permanentes ao intestino e não leva a uma doença grave, como o câncer, por exemplo.

Referências

Ministério da Saúde

Federação Brasileira de Gastroenterologia

Elaine Moreira, gastroenterologista da Federação Brasileira de Gastroenterologia (CRM: 109.612)

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/sindrome-do-intestino-irritavel

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: