Síndrome do Túnel do Tarso: principais sintomas, causas e como tratar

Síndrome do Túnel do Tarso

Síndrome do Túnel do Tarso: principais sintomas, causas e como tratar

A Síndrome do Túnel do Tarso é causada por qualquer alteração que produza compressão do Nervo Tibial, tais como:

  • Fatores biomecânicos: uma das causas mais comum da Síndrome do Túnel do Tarso é a desestruturação do pé. Hiperpronação (pés chatos) é a principal dentre elas. Os arcos achatados forçam os nervos e os músculos ao redor do tornozelo a desviarem de sua rota normal, tensionando o Nervo Tibial;
  • Doenças sistêmicas: diabetes, osteoartrose na articulação do tornozelo e artrite reumatóide podem contribuir para o desenvolvimento da Síndrome do Túnel do Tarso. Estas condições podem causar inchaço nas articulações, que podem comprimir o nervo;
  • Trauma: fraturas de tornozelo e outros traumas semelhantes causando um desalinhamento, ou o desenvolvimento de tecido cicatricial podem afetar a forma e as funções do nervo, assim como aumentar a pressão sobre ele;
  • Coalizão óssea do pé: a fusão de dois dos ossos do tarso altera a forma dos pés, mais comumente levando ao pé plano, e produzem barras/proeminências ósseas que por sua vez favorecem o desenvolvimento do quadro;
  • Calçados inadequados podem agravar o problema causado pela estrutura genética inicial;
  • Uma estrutura hipertrofiada ou anormal que ocupa espaço no interior do túnel pode comprimir o nervo. Alguns exemplos incluem uma veia varicosa, tendão inchado, gânglio, lipoma, e esporão ósseo.

Sintomas

Os sintomas normalmente se apresentam da seguinte maneira:

  • Dor, geralmente descrita como ardente, que se irradia para o arco do pé, calcanhar e, por vezes, para os dedos dos pés;
  • Dormência e formigamento, incluindo sensação de agulhadas/pontadas podem ser sentidos na área afetada do pé;
  • A dor normalmente piora com esforço ou após longos períodos em pé e é aliviada pelo repouso.

Diagnóstico da Síndrome do Túnel do Tarso

O diagnóstico é feito através da história de dor ou dormência no território dos nervos na parte inferior do pé. A estrutura e biomecânica de todo o pé do paciente devem ser  examinadas. O diagnóstico é auxiliado pela percussão ou palpação do Nervo Tibial no local de compressão/lesão.

Isso muitas vezes produz o Sinal do Tinel (sensação de choque elétrico e formigamento que ocorre quando o nervo afetado é percutido, ao longo do trajeto do mesmo) que pode ser sentido na planta dos pés, ou mesmo posteriormente ao tornozelo e parte inferior da perna (área vermelha abaixo).

Os exames de imagem podem auxiliar na visualização da causa do aprisionamento do nervo. Raios-X podem ser úteis para determinarem a presença de artrite, cistos, exostose ou uma coalização do tarso (fusão dos ossos do pé). A ressonância magnética pode mostrar varizes dos vasos dentro do túnel do tarso, ou mesmo cistos ou massas compressivas ao redor do Nervo Tibial.

Tratamento Não Cirúrgico

O tratamento da Síndrome do Túnel do Tarso geralmente começa com estratégias que o paciente pode realizar em casa.

  • Imobilizar a área: enrole o tornozelo e o arco do pé com uma bandagem ou cinta elástica do tipo tornozeleira. Estes dispositivos freqüentemente diminuem a pressão no interior desta área. A imobilização do pé e tornozelo com uma bota ou tala gessada pode ser usada em casos mais severos;
  • Calçado adequado: andar sem sapatos pode aumentar a pressão e o estresse em seu tornozelo. O uso de sapatos com bom suporte do arco pode reduzir a pressão e minimizar o grau de hiperpronação durante a pisada;
  • Gelo: sessões de gelo durante 15 minutos, várias vezes por dia, ajudam a reduzir a inflamação. Coloque uma toalha fina entre o gelo e sua pele e não o aplique diretamente sobre a pele;
  • Atividades: reduza a intensidade nas atividades de impacto, até a melhora dos sintomas;
  • Medicamentos: fármacos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs orais);
  • Órteses customizadas: aparelhos ortopédicos personalizados que encaixam em seu sapato podem corrigir o desequilíbrio biomecânico e controlar a pronação excessiva;
  • Infiltração: em alguns casos, as injeções guiadas com ultrassom podem ser usadas ​​para reduzirem a inflamação e aliviar a dor (Proloterapia, Viscossuplementação);
  • Fisioterapia: tratamentos de ultra-som ou exercícios de alongamento podem fornecer algum alívio da dor.

Embora a maioria dos pacientes com Síndrome do Túnel do Tarso respondem ao tratamento não-cirúrgico, uma parcela de pacientes pode necessitar de cirurgia. Alterações anatômicas como sequela de fraturas ou massas dentro do túnel apresentam resultados inferiores com tratamento não operatório. A demora na realização do procedimento cirúrgico pode ocasionar dano irreversível ao nervo.

Tratamento Cirúrgico

A técnica cirúrgica envolve a liberação do ligamento “Retináculo dos Flexores”, que é a cobertura do túnel do tarso, e exploração do túnel com a descompressão do Nervo Tibial (fotos abaixo). Em casos de massas compressivas dentro do canal, estas devem ser removidas e os fatores causais tratados. A seguir, procede-se à liberação do Nervo Tibial (neurólise).

Em casos de alterações estruturais no pé afetado, como pés planos (pisada hiperpronada), deve-se avaliar a possibilidade de correção da deformidade pré-existente, a fim de se evitar recidiva do quadro doloroso.

Nesta condição da Síndrome do Túnel do Tarso, o paciente deve estar ciente de que o tratamento requer um longo período de acompanhamento, independente da conduta realizada. Muitas vezes, o Nervo Tibial já está alterado e, por este motivo, diversas abordagens podem ser necessárias para auxiliarem na regeneração do nervo.

Источник: https://drlucasfonseca.med.br/sindrome-tunel-tarso/

Síndrome do túnel do carpo: o que é, sintomas e tratamentos

Síndrome do Túnel do Tarso: principais sintomas, causas e como tratar

A síndrome do túnel do carpo (CID 10 – G56.0) é uma doença resultante da compressão do nervo mediano localizado no punho, chamado de túnel do carpo. É um problema ortopédico comum, principalmente em mulheres na faixa etária dos 30 aos 60 anos e, em cerca de 60% dos casos, é bilateral (afeta ambos punhos).

Causas

As principais causas da síndrome do túnel do carpo são:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sintomas de Síndrome do túnel do carpo

Os principais sinais e sintomas da síndrome do túnel do carpo incluem:

  • Dormência ou formigamento do polegar e dos dois ou três dedos seguintes, de uma ou de ambas as mãos
  • Dormência ou formigamento da palma da mão
  • Dor que se estende até o cotovelo
  • Dor no punho ou na mão, de um ou dos dois lados
  • Problemas com movimentos finos dos dedos (coordenação) em uma ou ambas as mãos
  • Desgaste do músculo sob o polegar (em casos avançados ou de longa duração)
  • Movimento de pinça débil ou dificuldade para carregar bolsas (uma queixa comum)
  • Fraqueza em uma ou ambas as mãos

A dor normalmente é pior à noite, podendo ser tão intensa a ponto de acordar a pessoa. Não necessariamente a pessoa terá todos os sintomas.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Em alguns casos pode vir associada de irradiação proximal podendo chegar ao braço e ombro. A flexão intensa dos punhos tende a piorar os sintomas de dormência e dor.

Em casos mais avançados, a sensação de fraqueza da musculatura inervada pelo nervo mediano pode ser percebida na dificuldade de segurar um copo, fechar um tampa ou mesmo amarrar sapatos

Fatores de risco

Vários fatores têm sido associados à síndrome do túnel do carpo. Embora por si só não sejam capazes de causar a doença, esses fatores podem aumentar suas chances de desenvolver ou agravar lesão do nervo mediano. São eles:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Fatores anatômicos

A fratura de punho ou deslocamento que altera o espaço dentro do túnel do carpo podem criar uma pressão estranha sobre o nervo mediano.

Pessoas com túneis do carpo menores podem ser mais propensas a ter síndrome do túnel do carpo.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sexo

A síndrome do túnel do carpo é geralmente mais comum em pessoas do sexo feminino. Isso pode ser porque a área do túnel do carpo é relativamente menor do que em homens, e pode haver menos espaço para erro.

As mulheres que têm a síndrome do túnel do carpo também pode ter túneis do carpo menores do que as mulheres que não têm a doença.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Condições prejudiciais ao nervo

Algumas doenças crônicas, como diabetes, aumentam o risco de danos aos nervos, incluindo danos ao mediano.

Inflamação nas articulações

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Doenças que são caracterizadas por inflamação nas articulações, tais como artrite reumatoide, podem afetar os tendões em seu pulso, exercendo pressão sobre o nervo mediano.

Alterações no equilíbrio dos fluidos corporais

A retenção de líquidos, comum durante a gravidez ou a menopausa, pode aumentar a pressão dentro do seu túnel do carpo, irritando o nervo mediano.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A síndrome do túnel do carpo associada à gravidez geralmente desaparece espontaneamente após a gravidez.

Outras condições médicas

Certas condições, como menopausa, obesidade, distúrbios da tireoide e insuficiência renal, podem aumentar as chances de uma pessoa vir a desenvolver síndrome do túnel do carpo.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Local de trabalho

É possível que o trabalho com ferramentas vibratórias ou em uma linha de montagem que exige flexão prolongada ou repetitiva do pulso possa criar uma pressão prejudicial sobre o nervo mediano, ou piorar lesão do nervo existente.

No entanto, as evidências científicas são conflitantes e esses fatores não foram estabelecidos como causas diretas da síndrome do túnel do carpo.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Vários estudos têm avaliado se existe uma associação entre o uso do computador e síndrome do túnel do carpo.

No entanto, ainda não há evidências consistentes de que o uso excessivo do computador possa causar a doença – muito embora possa, sim, causar dores na região das mãos e dos punhos.

Buscando ajuda médica

Se você tem sinais e sintomas sugestivos de síndrome do túnel do carpo persistentes, especialmente se eles interferem em suas atividades normais e nos padrões de sono, consulte um especialista.

Sem o tratamento necessário, a condição pode levar a danos permanentes nos músculos ligados pelo nervo mediano e disfunção dos movimentos nos dedos, principalmente do polegar.

Na consulta médica

Entre as especialidades que podem diagnosticar a síndrome da túnel do carpo estão:

  • Clínica médica
  • Reumatologia
  • Ortopedia

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições e medicamentos ou suplementos que tome com regularidade

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Você sente dores na região do braço e do antebraço?
  • Você sente dormência ou formigamento também nessas regiões?
  • Você sente fraqueza nas mãos?
  • Quando os sintomas surgiram?
  • Você tomou alguma medida para aliviar os sintomas? E funcionou?
  • Qual a intensidade dos sintomas?
  • Eles são ocasionais ou frequentes?
  • Você sente que a intensidade da dor aumenta ao fazer algum movimento específico? Qual?
  • Quais são suas tarefas no trabalho?

Diagnóstico de Síndrome do túnel do carpo

O médico fará uma série de questionamentos sobre seu histórico médico e o histórico médico de sua família. Depois, partirá para o exame físico, no qual ele investigará:

  • Dormência da palma, polegar, dedo indicador, dedo médio e do lado do dedo anular mais próximo do polegar
  • Movimento débil de pinça
  • Percussões leves sobre nervo mediano no punho que podem provocar dor do punho à mão (este é chamado de teste de Tinel)
  • Dobrar o punho totalmente para frente por 60 segundos, o que geralmente causa dormência, formigamento ou fraqueza (e este é chamado de teste de Phalen)

Em seguida, se ainda não for possível determinar o diagnóstico, o médico poderá pedir para que você realize os seguintes exames:

  • Eletromiografia
  • Velocidade de condução do nervo
  • Raio-X do punho, que deve ser feito para descartar outros problemas (como artrite do punho)

Tratamento de Síndrome do túnel do carpo

O tratamento para a síndrome do túnel do carpo leva em conta principalmente a gravidade da doença.

A maioria das vezes o tratamento da síndrome do túnel de carpo é conservador. Isso acontece pois a maioria das causas destes sintomas é postural. Ou seja, quando se tenciona demais os músculos do pescoço, comprimimos os nervos e deixamos eles sensíveis. Se a ocorrência de síndrome do túnel do carpo for leve, indica-se:

  • Colocação de uma órtese (como tipoia) para imobilizar o pulso
  • Uso de anti-inflamatório
  • Fisioterapia
  • Terapia ocupacional

Esgotadas as possibilidades de tratamento clínico, é indicada a cirurgia: a liberação do túnel carpal.

Este é um procedimento cirúrgico que corta o ligamento que está pressionando o nervo. A cirurgia é bem-sucedida na maioria das vezes, mas depende de por quanto tempo o nervo foi comprimido e também da gravidade dessa compressão.

Medicamentos para Síndrome do túnel do carpo

Os medicamentos mais usados para o tratamento de síndrome do túnel do carpo são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique.

Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo/ Prognóstico

Algumas medidas podem ser adotadas para ajudar a aliviar os sintomas, ainda que temporariamente. Veja dicas:

  • Faça pausas rápidas de atividades repetitivas envolvendo o uso de suas mãos.
  • Gire os pulsos e estique as palmas das mãos e dedos, alongando-os.
  • Tome um analgésico para reduzir a dor.
  • Use uma tala de pulso durante a noite. Talas de pulso estão geralmente disponíveis na maioria das farmácias ou farmácias. A tala deve ser confortável e não muito apertada.
  • Evite dormir sobre suas mãos, para ajudar a aliviar a dor ou dormência nas mãos e punhos.
  • Se a dor, dormência ou fraqueza persistir, consulte um médico.

Complicações possíveis

Quando a doença é tratada adequadamente, em geral não há complicações.

Quando não é tratada, o nervo pode ser lesado, provocando fraqueza, hemorragia, infecção, dormência e persistência dos sintomas.

Essa última complicação pode estar relacionada a diferentes fatores, como diagnóstico incorreto, não liberação do ligamento transverso do carpo ou casos de longa duração já cursando no pré-operatório com atrofia muscular e alteração importante da sensibilidade, que podem apresentar recuperação incompleta no pós-operatório.

Síndrome do túnel do carpo tem cura?

Os sintomas frequentemente melhoram com o tratamento, mas mais de 50% dos casos acabam exigindo cirurgia.

Em muitos casos, a cirurgia é bem-sucedida, mas a recuperação pode durar meses, dependendo do caso.

Prevenção

Evite ou reduza o número de movimentos repetitivos do punho sempre que possível. Use ferramentas ou equipamentos que tenham sido projetados corretamente para reduzir o risco de danos ao punho.

Utensílios ergonômicos, como teclados em duas partes, bandejas de teclado, apoios para digitar e férulas para o punho, podem ser usados para melhorar a postura do punho ao digitar. Faça pausas frequentes ao digitar e sempre pare se sentir formigamento ou dor.

Uma avaliação clínica periódica é importante para tratar possíveis doenças da tireoide, diabetes mellitus, obesidade, alterações hormonais ligadas à menopausa que podem estar associadas à síndrome do túnel do carpo.

Referências

Clínica Mayo

Marcel Tomonori Sera, especialista em fisioterapia e acupuntura – CREFITO 121849/SP

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/sindrome-do-tunel-do-carpo

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: