Tomar anticoncepcional para não menstruar

Contents
  1. Saiba as vantagens e desvantagens de interromper a menstruação
  2. Afinal, menstruar pra quê?
  3. E a fertilidade?
  4. Qual método eu posso usar?
  5. Parei de tomar pílula, e agora? Ep. 3
  6. O primeiro mês sem pílula anticoncepcional:
  7. Minha primeira menstruação após parar de tomar a pílula:
  8. Meu ciclo menstrual atualmente:
  9. Faz mal usar o anticoncepcional para não menstruar?
  10. Principais coisas que você deve saber:
  11. É seguro pular a menstruação com a pílula?
  12. Pular a menstruação continuamente causa efeitos colaterais?
  13. Meu corpo não ficará “entupido”?
  14. Como pular minha menstruação com a pílula de forma segura?
  15. Portanto, não tem problema deixar de menstruar usando a pílula?
  16. Anticoncepcional e Menstruação – Perguntas e Respostas
  17. Quando Para de Tomar Anticoncepcional, a Menstruação Atrasa?
  18. Quando Para de Tomar Anticoncepcional, a Menstruação Desregula?
  19. Quando Para de Tomar Anticoncepcional Injetável, a Menstruação Atrasa?
  20. Quando Emenda Cartela de Anticoncepcional, a Menstruação Atrasa?
  21. Como Atrasar a Menstruação para Quem Não Toma Anticoncepcional?
  22. Para Quem Toma Anticoncepcional, a Menstruação Pode Atrasar Quantos Dias?
  23. Como Tomar Anticoncepcional Para Atrasar a Menstruação?
  24. Quando Para de Tomar Anticoncepcional, a Menstruação Desce?
  25. Quando a Menstruação Não Veio no Intervalo do Anticoncepcional?
  26. Quando Vem a Menstruação Depois do Anticoncepcional?
  27. Quantos Dias Dura a Menstruação de Quem Toma Anticoncepcional?
  28. Como é a Menstruação de Quem Toma Anticoncepcional?
  29. Como Regular a Menstruação com Anticoncepcional?
  30. Quando Começa a Tomar Anticoncepcional, a Menstruação Para?
  31. Como Interromper a Menstruação com Anticoncepcional?

Saiba as vantagens e desvantagens de interromper a menstruação

Tomar anticoncepcional para não menstruar
Parar de menstruar pode ser positivo para pacientes que sofrem de cólicas muito intensas
Foto: Getty Images

Hoje, muitas mulheres estão optando por interromper a menstruação.

Segundo um estudo realizado pela Universidade Estadual de Campinas, no interior paulista, 32,5% das mulheres gostariam de nunca mais menstruar e 40% sonham com uma simples trégua, ficando mais de um mês sem sangrar.

“Essa não é uma tendência exatamente nova, mas agora a mulher se sente com mais liberdade de escolha”, diz a psiquiatra Carmita Abdo, que é coordenadora do Instituto ProSex, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

Compare sete tipos de anticoncepcionais

Saiba como usar a pílula do dia seguinte corretamente

O assunto rende debates entre amigas e gera opiniões diferentes entre os próprios médicos. “Há dez anos, eu diria que suprimir a menstruação era ir contra um processo natural. Hoje, porém, os métodos estão bem mais seguros”, afirma o ginecologista César Eduardo Fernandes, presidente da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo.

Afinal, menstruar pra quê?

A gente conhece esta história: todos os meses, o corpo da mulher se prepara para engravidar e, quando isso não acontece, o óvulo amadurecido é liberado junto com parte do endométrio, a parede uterina. Isso é um sinal de que o organismo feminino está saudável e que os hormônios estão cumprindo direito o seu papel. Ponto.

Para interromper o ciclo, os especialistas indicam anticoncepcionais já conhecidos. “A diferença é que a mulher continua utilizando o método sem os intervalos geralmente recomendados”, explica o ginecologista Jarbas Magalhães, secretário da Comissão Nacional de Anticoncepção da Federação Brasileira de Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

A maioria desses contraceptivos age de forma semelhante: trata-se de moléculas artificiais que agem como o estrogênio e o progestagênio, dois hormônios produzidos durante o ciclo menstrual.

Ao simular essas duas substâncias, o remédio encena a fecundação que não ocorre.

“O sangramento que as mulheres têm no intervalo da pílula é fruto apenas da falta do hormônio, e não uma menstruação legítima”, esclarece a ginecologista Lucila Pires Evangelista, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Existem várias alternativas para deixar de menstruar, mas alguns médicos são contra qualquer uma delas em mulheres jovens e saudáveis. “Embora esses hormônios pareçam seguros, ainda não conhecemos os efeitos no corpo a longo prazo”, argumenta o ginecologista Flávio Zucchi, do Hospital Santa Catarina, em São Paulo.

A turma de jaleco só concorda em um ponto: para algumas mulheres, parar de menstruar é essencial. “Indico para pacientes que sofrem com cólicas muito intensas e endometriose, quando o tecido que reveste o útero cresce demais”, completa Zucchi.

Sem o sangramento periódico, a tensão pré-menstrual, a famosa TPM, é outra chateação que dá adeus – pelo menos temporariamente.

“Em alguns casos graves, em que a sensibilidade fica muito exacerbada, a supressão da menstruação pode ser mais uma arma contra a TPM, mas não podemos fazer dela o único recurso possível”, opina o psiquiatra Alexandre Saadeh, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Continua após a publicidade

Antes de tomar qualquer decisão, o mais importante é conversar com seu ginecologista. “É preciso avaliar o seu histórico e realizar uma bateria de exames, como o ultrassom transvaginal”, recomenda o ginecologista Waldemir Rezende, do Hospital Santa Catarina. A supressão é – ou deveria ser – descartada para obesas, hipertensas e diabéticas descompensadas.

Depois de iniciado o tratamento, é importante ficar de olho no comportamento do organismo. “Até mesmo bons médicos se equivocam na escolha do método, e só o acompanhamento vai revelar se a opção foi certeira”, diz César Eduardo Fernandes.

E a fertilidade?

Os efeitos de todos os anticoncepcionais são reversíveis. “Geralmente, indicamos que a paciente deixe de usar esses métodos três meses antes da fase em que deseja engravidar para que o útero, que estava descansando, se prepare para a gestação”, explica Flávio Zucchi.

Esse período de recuperação do sistema reprodutor varia de acordo com o tempo de ação de cada contraceptivo, que pode chegar a até 18 meses, no caso da injeção trimestral. Para Renate Michel, professora de psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em Curitiba, a decisão de menstruar ou não precisa ser algo muito refletido.

“A mulher deve se perguntar o real motivo desse desejo e decidir de maneira consciente”, finaliza Renate.

Qual método eu posso usar?

Saiba mais sobre seis anticoncepcionais utilizados para brecar a menstruação e se eles realmente funcionam.

Adesivo
Não impede a menstruação, exceto quando a mulher não segue o período de uma semana de descanso.

Anel vaginal
É inserido pela própria mulher e dura 21 dias. Até três anéis consecutivos podem ser usados, resultando num período de 60 dias sem menstruar.

Injeção
Dura três meses, e 60% das mulheres que a utilizam não menstruam nesse período. Pode causar retenção de líquidos.

Implante
Trata-se de uma espécie de bastonete recheado de hormônios e que é inserido no braço. Tem validade de três anos, mas pode causar sangramentos indesejados.

Diu hormonal
O dispositivo intrauterino libera uma pequena dose hormonal todos os dias por cinco anos. Não impede a menstruação, mas diminui muito o fluxo.

Pílula
Para não menstruar, deve ser tomada sem o intervalo habitual e com alterações na carga dos hormônios.

Continua após a publicidade

Источник: https://saude.abril.com.br/bem-estar/saiba-as-vantagens-e-desvantagens-de-interromper-a-menstruacao/

Parei de tomar pílula, e agora? Ep. 3

Tomar anticoncepcional para não menstruar

“Parei de tomar pílula, e agora?” é uma nova série do blog Herself na qual eu conto, na forma de relato, sobre o meu processo de parar de tomar anticoncepcional.

Eu já contei no primeiro episódio sobre como comecei a tomar a pílula com 16 anos de idade e sobre os motivos e sintomas que me fizeram ter vontade de parar.

No segundo episódio falei sobre como me preparei para isso e sobre como escolhi outro método contraceptivo.

No episódio de hoje (último da série) vou contar como foi meu primeiro mês pós-pílula e como foi minha primeira menstruação.

É importante dizer, antes de começarmos, que esse relato não tem como objetivo te dizer o que você deve fazer, nem realizar julgamento sobre o que é certo ou errado. Esse relato tem como objetivo compartilhar experiências e informações para que assim possa descobrir o que é melhor para você!

Vamos juntas?

_____________

O primeiro mês sem pílula anticoncepcional:

Nos primeiro dias após parar de tomar a pílula eu não senti nada de diferente, exceto uma sensação de que estava esquecendo de algo, que me vinha algumas vezes ao dia. Aí eu me lembrava “não tomei a pílula ontem” e meu cérebro dizia “mas tá tudo bem, nós que escolhemos isso”.

Levou algumas semanas até eu parar de me lembrar de tomar a pílula diariamente.

Veja: eu a tomei durante 10 anos todos os dias, é natural que continuasse me lembrando de tomá-la, nosso organismo demora um tempo até se acostumar a novas rotinas (mais precisamente 21 dias, sugerem alguns estudos).

Na segunda e terceira semana eu comecei a me sentir um pouco diferente, eu comecei a sentir mais as coisas. Ao passar a mão pelo meu braço, pude sentir a sensação da ponta dos meus dedos tocando minha pele de uma forma que eu não sentia antes. Foi como se eu estivesse sentindo através de um novo nível de percepção.

Emocionalmente também tive essa impressão: eu conseguia sentir uma camada a mais de profundidade, começou de forma leve e foi aumentando com o passar dos dias.

Ainda era eu, mas agora era uma eu mais sensível e intuitiva.

Essa sensibilidade começou a me levar para mais perto da minha intuição: passou a ser mais fácil ouvi-la (aquela voz interior que de vez em quando se manifesta pra nos apontar um caminho, sabe?).

Desde pequena eu tenho consciência da minha sensibilidade (hoje em dia uso ela para expressar meus sentimentos no meu trabalho, através da escrita). Muitas vezes a minha sensibilidade me trouxe confusão e intensidade.

Essa sensibilidade que comecei a sentir quando parei de tomar a pílula anticoncepcional, ao contrário disso, me trouxe mais clareza e conexão comigo mesma.

 Eu comecei a me ouvir melhor.

Quando eu digo “me ouvir melhor”o que eu quero dizer é: passei a ter mais consciência das necessidades do meu corpo (exercício, alimentação, descanso). Agora tinha uma vozinha ali que falava mais alto, me chamando atenção para o meu ciclo, que começava a se manifestar.

No primeiro mês tudo isso foi bastante confuso, pois eu não tinha a menor consciência de como funcionava o meu ciclo menstrual, nem das oscilações que iria sentir de acordo com cada fase dele.

O que me ajudou muito foi usar a Mandala Lunar (uma agenda de autoconhecimento para mulheres com base no ciclo da lua). Nela eu comecei a anotar as minhas sensações, sentimentos e percepções.

Anotava também que dia eu estava do meu ciclo, para com o tempo ir comparando e encontrando padrões de acordo com cada período.

Nesse primeiro mês eu não senti grandes mudanças na minha pele (quando adolescente eu tinha bastante espinhas e tinha bastante medo que elas voltassem ao parar de tomar a pílula). Percebi que a minha pele ficou um pouco mais oleosa, mas a acne não apareceu.

Assim que parei de tomar a pílula eu comecei a tomar óleo de prímula + óleo de linhaça. Nas minhas pesquisas vi que muitas mulheres usavam para ajudar a regularizar o ciclo e também para prevenir acne hormonal. Eu continuei tomando por 6 meses após parar de tomar a pílula. Depois desse tempo, decidi parar porque entendi que meu corpo já estava regulado novamente.

Minha primeira menstruação após parar de tomar a pílula:

Ela não veio no primeiro mês, nem no segundo, nem no terceiro. Minha primeira menstruaçãoveio no quarto mês após a retirada da pílula.

Se eu fiquei nervosa com isso? Bastante, mas li que podia acontecer de não ovular (a menstruação não vem porque não ovulamos) até 1 ano após parar a pílula.

Então eu respirei fundo, usei o método contraceptivo que escolhi direitinho (camisinha) e conversei com meus ovários.

Isso mesmo: troquei altas ideias com eles, dizendo que tudo bem se demorassem um pouco para ovular, que eu iria esperar, que estava tudo bem e que eles podiam ovular quando estivessem prontos. Parece bobagem, né? Mas eu acredito que nosso corpo nos escuta e pra mim é bem importante conversar comigo mesma e respeitar meu tempo interior.

Depois de conversar com meu corpo, acordei um dia de manhã e me lembrei do meu sonho naquela noite: eu tinha sonhado que tinha ovulado. Anotei na minha Mandala Lunar o sonho e segui meu dia.

No final do terceiro mês pós-pílula, eu tive um lapso de raiva. Comecei a esbravejar bastante e passei alguns dias me sentindo irritada e explosiva. Demorei alguns dias até perceber que se tratava do período pré-menstrual.

Com a pílula tudo fica muito constante, e eu não sentia nenhuma oscilação ao longo do meu ciclo, então nem me conhecia com TPM. Conversei com uma amiga e cheguei a conclusão que só podia ser isso.

Conversei também com um amigo, educador físico, e ele me disse que como passei muitos anos com a pílula, meu corpo não estava mais acostumado com a quantidade de testosterona que eu passei a produzir pós-pílula e que era normal eu sentir essa irritação mais intensa, porque precisava me acostumar novamente com as sensações que a testosterona produz.

Junto com a irritação, minha libido e lubrificação também começaram a aumentar. Outro sinal de que meu corpo já estava produzindo mais testosterona novamente.

Eu pensava quase todos os dias “será que é hoje que vou menstruar”? E sabia que quanto mais eu pensasse nisso, mais demoraria para vir. Então me esforçava para me distrair e dar o tempo necessário ao meu corpo para sangrar.

Um dia eu acordei de manhã, fui no banheiro e vi meu sangue: vermelho e lindo. Foi um dia muito feliz, eu saí comemorando pela casa e falando bem alto: EU ESTOU SANGRANDO. Me dei conta do quanto minha relação com meu ciclo menstrual realmente estava mudando.

Eu me vi comemorando algo que antes eu tomava comprimidos para que não acontecesse. Descobri que eu sangro por 3 dias, bem menos do que quando fazia a pausa do anticoncepcional.

E descobri também que meu sangue é um adubo maravilhoso para plantas e que me sinto muito bem quando o devolvo para a terra.

Meu ciclo menstrual atualmente:

Mês que vem vai fazer 1 ano que parei de tomar a pílula anticoncepcional.

Meu ciclo menstrual ainda não é regulado: às vezes tem duração de 45 dias, às vezes de 36 dias. Pelas minhas pesquisas isso é bem comum, pode demorar alguns anos mesmo até nosso corpo se adaptar novamente ao seu ciclo natural.

Conversar com outras mulheres, usar a Mandala Lunar e as calcinhas menstruais foram as coisas que mais me ajudaram a conhecer meu novo ciclo. Comecei a perceber a diferença de cada uma das fases dele: fase pré-ovulatória, fase ovulatória, fase pré-menstrual e fase menstrual. Também descobri que dependendo da fase da lua em que eu menstruo eu me sinto diferente.

Não são todos os dias que são fáceis: algumas TPM’s me derrubam e me fazem questionar todo o processo, aí eu respiro fundo, leio sobre o assunto e converso com minhas amigas.

Descobri que até as irritações da TPM têm um motivo para acontecer: nos mostrar tudo aquilo que aguentamos ao longo do nosso ciclo inteiro e que agora não aguentamos mais.

Essa fase vem para nos ajudar a resolver aquilo que não foi resolvido.

As espinhas também começaram a aparecer na TPM (acho que tiveram seu pico no sexto mês e agora estão diminuindo).

No momento eu estou fazendo acompanhamento dermatológico e usando uma pomada para acne que está ajudando bastante.

Se você está enfrentando problemas com acne é bem importante buscar ajuda de uma dermatologista, para saber qual é o tratamento mais indicado para você.

Eu continuo todos os dias meu processo de autoconhecimento. Descobrindo que mulher sou, quais as minhas necessidades e como funciona meu tempo interior. Continuo anotando minhas sensações na Mandala Lunar a cada novo ciclo, assim entendo melhor minhas oscilações e o que preciso em cada uma das fases em que elas se apresentam.

Pra mim foi um caminho novo de autoconhecimento que se abriu e estou muito feliz por poder trilhá-lo, com minhas oscilações, com meus hormônios e com tudo o mais que me acompanha, porque nesse caminho me sinto mais eu.

_____________

Me conta o que você achou dessa série e compartilha comigo a sua experiência. Vou adorar aprender com o seu relato também

Источник: https://herself.com.br/blog/parei-de-tomar-pilula-e-agora-ep-3/

Faz mal usar o anticoncepcional para não menstruar?

Tomar anticoncepcional para não menstruar

Este artigo está disponível também em: English, español

*Tradução: Mariana Rezende

Principais coisas que você deve saber:

  • Não tem problema usar pílulas anticoncepcionais para pular sua menstruação
  • Se você optar por pular sua menstruação continuamente, os efeitos colaterais podem incluir sangramentos de escape
  • Seu útero não ficará “entupido”
  • Antes de pular sua menstruação, confira o tipo de pílula que você usa: monofásica (dosagens idênticas de progesterona e estrogênio) ou multifásica (combinações de hormônios com dosagens diferentes)

Algumas pessoas que optam por deixar de menstruar experimentam uma diminuição nas cólicas menstruais e sintomas pré-menstruais (3).

Pular a menstruação também pode melhorar outros sintomas associados, incluindo: dores de cabeça, irritação genital, cansaço e inchaço (4).

Além disso, as pessoas que são impactadas negativamente pela perda mensal de sangue, como pessoas com anemia ou que têm distúrbios de tendência ao sangramento, também podem se beneficiar de “menstruar menos” (5).

Caso esteja tomando anticoncepcionais hormonais, como a pílula, o anel ou o adesivo, sua ovulação já está sendo suprimida todos os meses e sua menstruação não é realmente uma menstruação (nem está “atrasada”).

É um sangramento de retirada.

Esse sangramento de retirada é causado pelo declínio dos hormônios reprodutivos em seu corpo durante os dias em que você não está recebendo nenhum hormônio da pílula, adesivo ou anel (1,2).

Há muitos motivos pelos quais as pessoas optam por “deixar de menstruar”, como conveniência (por exemplo, um encontro ou férias de verão), alívio de sintomas ou apenas preferência pessoal.

Baixe o Clue e comece a monitorar hoje seus padrões de sangramento.

4.8

mais de 2M+ avaliações

É seguro pular a menstruação com a pílula?

Pesquisas científicas não relataram efeitos negativos significativos para a saúde quando uma pessoa deixa de menstruar usando a pílula (4).

Dito isso, ainda é importante mencionar que não há estudos de longo prazo examinando a segurança de deixar de menstruar continuamente.

Às vezes, as repercussões médicas demoram mais tempo e/ou precisam de um tamanho de amostra populacional maior para começarem a aparecer.

Se você optar por interromper o anticoncepcional hormonal, seu ciclo menstrual natural e sua fertilidade voltarão ao normal depois de um mês, independentemente de quanto tempo você tenha “deixado de menstruar” (6).

Pular a menstruação continuamente causa efeitos colaterais?

O principal efeito colateral de ter longos períodos sem sangramento é o aumento do sangramento de escape (4). A boa notícia é que a frequência de sangramento de escape diminui com o tempo (3,4,7). Além do aumento dos sangramentos de escape, tomar sua pílula anticoncepcional consecutivamente, em vez de menstruar com a pílula, não altera nenhum efeito colateral (4,8).

Uma preocupação sobre não menstruar regularmente é perder a confirmação mensal de que não há uma gravidez. Embora deixar de menstruar com a pílula forneça a mesma proteção contraceptiva de antes, ela também apresenta os mesmos riscos se você não tomar sua pílula regularmente.

Meu corpo não ficará “entupido”?

Não, você não terá um entupimento. Uma coisa que deve saber é que, quando toma a pílula, na verdade você não tem uma menstruação normal.

Na verdade, a pílula anticoncepcional não permite que seu endométrio (o revestimento de seu útero) cresça com a espessura normal, e é por isso que as menstruações com uso de pílula (sangramento de retirada ou privação) são muito mais leves do que uma menstruação natural (9). Se você pular um ciclo, a exposição contínua de hormônios sintéticos manterá seu endométrio no mesmo nível de supressão (10).

Como pular minha menstruação com a pílula de forma segura?

Existem muitas pílulas anticoncepcionais contendo diferentes tipos e doses de hormônios sintéticos. Algumas pílulas são monofásicas – o que significa que elas têm a mesma dose de hormônios em cada pílula.

Outras pílulas são multifásicas – o que significa que a quantidade de hormônios das pílulas muda durante o ciclo. A cartela do anticoncepcional indicará que tipo de pílula você está tomando.

Você pode optar por pular sua menstruação com qualquer tipo de pílula, mas é melhor consultar um@ profissional de saúde antes de começar.

Se você estiver tomando uma pílula anticoncepcional monofásica:

  • Tome as pílulas hormonais normalmente.
  • Quando chegar nas pílulas de placebo (pílulas sem hormônio no final da cartela – costumam ter indicação diferenciada), basta pulá-las e iniciar a nova cartela no dia seguinte como Dia 1.
  • As pílulas anticoncepcionais de dose monofásica permitem flexibilidade no planejamento, já que você poderia tecnicamente programar sua menstruação para sempre que desejar. Basta parar de tomar a pílula por alguns dias (dependendo da marca, isso pode ser de quatro a sete dias), e você terá um sangramento de retirada (11).

Um estudo descobriu que, caso tenha três dias de sangramento consecutivo, optar por iniciar seu período naquele momento resultaria em menos dias de sangramento durante todo o ano (11).

Se você está tomando uma pílula multifásica:

  • Tome as pílulas hormonais normalmente,
  • Quando chegar às pílulas de placebo, simplesmente pule-as e comece a nova cartela no dia seguinte como Dia 1.
  • Com pílulas multifásicas, é ideal ter sua menstruação no final de uma cartela (em oposição à possibilidade das pílulas monofásicas de menstruar a meio da cartela).
  • Basta terminar a cartela atual e tomar as pílulas de placebo para menstruar.

Pular sua menstruação usando pílulas multifásicas não é tão bem estudado como nas preparações monofásicas, algo que deve ser levado em consideração quando se pensa em pular menstruação.

Em um estudo, embora não houvesse efeitos adversos relacionados ao ato contínuo de deixar de menstruar usando a pílula multifásica, quatro entre dez participantes relataram efeitos colaterais de sensibilidade mamária e sangramento de escape (12).

Também existem pílulas anticoncepcionais contínuas no mercado. Algumas pílulas têm 84 dias de hormônios ativos seguidos por 7 dias de placebo, fazendo com que a menstruação venha somente quatro vezes por ano. Outra marca vai ainda mais longe, proporcionando um ano completo de supressão menstrual (4).

Portanto, não tem problema deixar de menstruar usando a pílula?

No geral, o consenso é sim, não há problema em pular o sangramento de retirada com a pílula. Mas, como existem muitas pílulas anticoncepcionais de dosagens diferentes, é sempre melhor discutir primeiro a opção de pular sua menstruação com um(a) médico(a) para garantir que essa seja uma opção segura e saudável para você.

Existe alguma preocupação de que, ao normalizar a ausência de menstruação, as pessoas verão sua menstruação mensal como desnecessária, um incômodo e até mesmo anormal (13). As menstruações não são nem uma maldição nem uma doença.

Um ciclo menstrual é como um sinal vital, assim como a pressão sanguínea, a temperatura ou a frequência respiratória. Atua como um indicador da saúde geral (13).

Se você está tomando pílulas anticoncepcionais e quer menstruar sempre, às vezes ou nunca, a escolha depende de você e de sua preferência.

Se “eliminar”, “pular”, ou “atrasar” sua menstruação e o sangramento de escape com a pílula é algo importante para você, então talvez as pílulas anticoncepcionais tradicionais não sejam a melhor opção.

Há outras formas de contracepção, como as injeções hormonais, os DIUs, o implante hormonal, ou as pílulas contínuas, que podem fazer sua menstruação diminuir em frequência e quantidade, e até mesmo cessar de vez (A).

Fale com profissionais de saúde sobre qual seria a melhor opção.

Artigo originalmente publicado em 05 de outubro de 2017.

Acompanhe o seu ciclo menstrual todo mês com o Clue app

4.8

mais de 2M+ avaliações

  1. Munro MG. Practical aspects of the two FIGO systems for management of abnormal uterine bleeding in the reproductive years. Best Pract Res Clin Obstet Gynaecol. 2017 Apr 01;40:3-22.
  2. Sulak PJ, Cressman BE, Waldrop E, Holleman S, Kuehl TJ. Extending the duration of active oral contraceptive pills to manage hormone withdrawal symptoms.

    Obstetrics & Gynecology. 1997 Feb 1;89(2):179–83.

  3. Legro RS, Pauli JG, Kunselman AR, Meadows JW, Kesner JS, Zaino RJ, et al. Effects of continuous versus cyclical oral contraception: a randomized controlled trial. J Clin Endocrinol Metab. 2008 Feb;93(2):420-9.
  4. Edelman A, Micks E, Gallo MF, Jensen JT, Grimes DA.Continuous or extended cycle vs.

    cyclic use of combined hormonal contraceptives for contraception. Cochrane Database Syst Rev. 2014 Jul 29;(7):CD004695.

  5. Adams Hillard, PD. Menstrual suppression: current perspectives. Int J Womens Health. 2014 Jun 23;6:631–637.
  6. Davis AR, Kroll R, Soltes B, Zhang N, Grubb GS, Constantine GD.

    Occurrence of menses or pregnancy after cessation of a continuous oral contraceptive. Fertility and Sterility. 2008 May 1;89(5):1059-1063.

  7. Anderson FD, Hait H. A multicenter, randomized study of an extended cycle oral contraceptive. Contraception. 2003 Aug;68(2):89-96.
  8. Nappi RE, Kaunitz AM, Bitzer J.

    Extended regimen combined oral contraception: A review of evolving concepts and acceptance by women and clinicians. Eur J Contracept Reprod Health Care. 2016;21(2):106-115.

  9. The ESHRE Capri Workshop Group. Ovarian and endometrial function during hormonal contraception. Human Reproduction. 2001 Jul 01;16(7):1527–1535.
  10. Anderson FD, Feldman R, Reape, KZ.

    Endometrial effects of a 91-day extended-regimen oral contraceptive with low-dose estrogen in place of placebo. Contraception. 2008 Feb;77(2),91-96.

  11. Jensen JT, Garie SG, Trummer D, Elliesen J. Bleeding profile of a flexible extended regimen of ethinylestradiol/drospirenone in US women: an open-label, three-arm, active-controlled, multicenter study. Contraception.

    2012 Aug;86(2):110-8.

  12. Shulman LP. The use of triphasic oral contraceptives in a continuous use regimen. Contraception. 2005 Aug;72(2), 105-110.
  13. Adams Hillard PJ. Menstruation in adolescents: what do we know? And what do we do with the information?. J Pediatr Adolesc Gynecol. 2014 Dec;27(6):309-19.
  14. A.

    Curtis KM, Jatlaoui TC, Tepper NK, Zapata LB, Horton LG, Jamieson DJ, Whiteman MK. U.S. Selected Practice Recommendations for Contraceptive Use, 2016. MMWR Recomm Rep. 2016 Jul 29;65(4):1-66.

Источник: https://helloclue.com/pt/artigos/ciclo-a-z/faz-mal-usar-o-anticoncepcional-para-nao-menstruar

Anticoncepcional e Menstruação – Perguntas e Respostas

Tomar anticoncepcional para não menstruar

O anticoncepcional hormonal feminino, também conhecido como “pílula”, também pode ser encontrado nas versões “injetável ou implante”, tem o efeito de inibir a ovulação e a menstruação natural da mulher. Por conta disso, surgem dúvidas entre as internautas sobre o anticoncepcional e a menstruação.

Quando Para de Tomar Anticoncepcional, a Menstruação Atrasa?

Muitas mulheres já menstruam no mês seguinte de parar de tomar o anticoncepcional. Porém, é comum a menstruação atrasar, principalmente naquelas em que o ciclo natural já era desregulado. O corpo pode demorar alguns meses para se desintoxicar dos hormônios artificiais e voltar a produzir os hormônios naturais.

Quando Para de Tomar Anticoncepcional, a Menstruação Desregula?

O anticoncepcional não torna a mulher infértil, mas é normal a menstruação ficar um pouco desregulada quando para de tomar. Esse efeito é só temporário, até o corpo se reacostumar com os ciclos menstruais normais. Muitas mulheres, por outro lado, conseguem engravidar no mês seguinte de parar de tomar anticoncepcional.

Quando Para de Tomar Anticoncepcional Injetável, a Menstruação Atrasa?

Assim como com as pílulas, com o anticoncepcional injetável a mulher pode ter sua menstruação atrasada ao parar de tomar, mas também pode não ter. Isso depende muito de cada corpo, se os ciclos menstruais já eram ou não desregulados.

Quando Emenda Cartela de Anticoncepcional, a Menstruação Atrasa?

Ao emendar duas cartelas de anticoncepcional, a menstruação irá descer ao final da segunda cartela, como previsto. Ela não atrasa porque o efeito da queda de hormônios, quando se faz a pausa do anticoncepcional, é sempre igual.

Como Atrasar a Menstruação para Quem Não Toma Anticoncepcional?

Quem não toma anticoncepcional pode ter sua menstruação atrasada por fatores não propositais como estresse, ou proposital tomando uma medicação para este fim. Se for o caso, consulte um especialista que possa te orientar.

Para Quem Toma Anticoncepcional, a Menstruação Pode Atrasar Quantos Dias?

Em quem toma anticoncepcional, a menstruação não é bem uma menstruação, mas um sangramento semelhante. Esse sangramento desce quando se faz a pausa da pílula, normalmente de 7 dias. O sangue pode vir no meio dessa semana de pausa, mas não pode atrasar mais que esses 7 dias.

Como Tomar Anticoncepcional Para Atrasar a Menstruação?

Para quem quer atrasar a próxima menstruação, o anticoncepcional pode ser tomado desde antes de ovular, e deve ser pausado no final da cartela, quando se pretende menstruar. Também podem ser emendadas até no máximo 3 cartelas de pílulas, pois mais que isso pode ser prejudicial ao corpo.

É importante se planejar com antecedência nesses casos, pois se tomar o anticoncepcional já perto de menstruar, ele não deve surtir efeito, além de ser ruim para o organismo tomar hormônios sem orientação.

Quando Para de Tomar Anticoncepcional, a Menstruação Desce?

A menstruação desce quando se faz a pausa ou intervalo da pílula, ou logo que se para de tomar anticoncepcional. A menstruação, nesse caso, ainda não é a menstruação natural, mas um sangramento de privação.

Quando a Menstruação Não Veio no Intervalo do Anticoncepcional?

Quando o sangramento tipo “menstruação” não vem na semana de intervalo do anticoncepcional, a mulher pode estar grávida. É preciso investigar, pois o uso do anticoncepcional deve ser suspenso imediatamente em casos de suspeita de gravidez.

Quando Vem a Menstruação Depois do Anticoncepcional?

Depois do final do anticoncepcional, vem um sangramento de privação semelhante à menstruação, e então o corpo reinicia um ciclo menstrual natural caso não continue o uso da pílula.

Normalmente, o ciclo dura entre 26 e 32 dias, terminando com a menstruação.

Às vezes, a menstruação pode demorar mais tempo porque o ciclo da mulher é desregulado, mas ele pode se regular com o passar dos meses.

Quantos Dias Dura a Menstruação de Quem Toma Anticoncepcional?

A menstruação de quem toma anticoncepcional dura menos tempo que a menstruação verdadeira. Na maioria dos casos, os dias de maior fluxo são entre 3 e 5, mas em alguns, só vem 1 dia de grande fluxo.

Como é a Menstruação de Quem Toma Anticoncepcional?

Quem toma anticoncepcional só tem um sangramento de privação e não uma menstruação verdadeira, isto é, vem o sangramento sem o óvulo não fecundado nem endométrio espesso, esse sangramento é menor e às vezes mais escuro que a menstruação normal.

Como Regular a Menstruação com Anticoncepcional?

Algumas mulheres tomam anticoncepcional justamente para regular a menstruação.

O que acontece, na verdade, é que o anticoncepcional bloqueia os efeitos colaterais dos hormônios desregulados da mulher, como a Síndrome dos Ovários Policísticos, e os substitui pelos hormônios artificiais em doses estáveis todo dia. Assim, ao final do mês sempre desce o sangramento de privação e a mulher não se preocupa mais com a menstruação desregulada.

Quando Começa a Tomar Anticoncepcional, a Menstruação Para?

O hormônio contido nos anticoncepcionais faz o mesmo efeito de uma gravidez no ciclo menstrual: o corpo entende que não deve mais produzir ovulação nem menstruar. Por isso, é comum que quando se começa a tomar anticoncepcional no primeiro dia da menstruação, ela vá diminuindo e o sangramento pare.

Só vai descer novamente quando se fizer um intervalo na tomada das pílulas, e, consequentemente, terá uma queda de hormônios no corpo, como acontece com a menstruação.

Como Interromper a Menstruação com Anticoncepcional?

Algumas pessoas usam o anticoncepcional no meio da menstruação porque com esses hormônios ela acaba mais rápido. Porém, não é recomendável tomar hormônios por conta própria e iniciar e parar a qualquer momento. A pílula, quando iniciada, deve ser tomada até o final da cartela, para não desregular o ciclo.

Veja Também: Menstruar Duas Vezes ou Mais no Mês – Tem Algo de Errado Comigo?

Foto: Ceridwen

Источник: https://www.famivita.pt/anticoncepcional-e-menstruacao/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: