Transtorno de Personalidade Paranoide: o que é, sintomas e tratamento

Contents
  1. O que é o Transtorno de Personalidade Paranoide?
  2. Causas da personalidade paranoide
  3. Sintomas da personalidade paranoide
  4. Como lidar com o transtorno
  5. Quem leu esse texto também se interessou por:
  6. FORMAÇÃO
  7. Tratamentos para Transtorno de Personalidade
  8. Transtorno de Personalidade Esquizoide
  9. Transtorno de Personalidade Paranoica
  10. Transtorno de Personalidade Esquizotípica
  11. Transtorno de Personalidade Antissocial
  12. Transtorno de Personalidade Borderline
  13. Transtorno de personalidade narcisista
  14. Transtorno de personalidade evitativa
  15. Transtorno de personalidade dependente
  16. Transtorno de personalidade compulsiva
  17. Sintomas do Transtorno de Personalidade
  18. Desconfiança generalizada
  19. Falta de interesse em relacionamentos
  20. Carência excessiva
  21. Excesso de ego
  22. Perfeccionismo ao extremo
  23. Diagnóstico de Transtorno de Personalidade
  24. Tratamento de Transtorno de Personalidade
  25. Terapia Cognitiva Comportamental
  26. Psicoeducação
  27. Terapia Familiar
  28. Terapia de Grupo
  29. Ansiolíticos
  30. Antipsicóticos
  31. Internação para quem tem Transtorno de Personalidade
  32. Internação voluntária – com consentimento paciente
  33. Internação compulsória – contra a vontade do paciente
  34. Sobre o Hospital Santa Mônica
  35. Transtorno de Personalidade Paranoide: Causas, sintomas, tratamentos
  36. O que é Transtorno de Personalidade Paranoide
  37. Quais são os sintomas de Transtorno da Personalidade Paranóide?
  38. O que causa o Transtorno da Personalidade Paranoide?
  39. Como o Transtorno da Personalidade Paranoide é diagnosticado?
  40. Como o Transtorno da Personalidade Paranoide é tratado
  41. Que complicações estão associadas com transtorno de personalidade paranoide?
  42. Quais são as perspectivas para as pessoas com transtorno de personalidade paranoide?
  43. Transtorno da Personalidade Paranoide pode ser evitado?
  44. Você sabe quais são os Transtornos de Personalidade? Descubra!
  45. O que são os transtornos de personalidade?
  46. As possíveis causas
  47. Sinais e Sintomas
  48. Os tipos de Transtornos de Personalidade
  49. GRUPO A – Transtornos estranhos ou excêntricos, inclui:
  50. GRUPO B – Transtornos dramáticos ou erráticos, inclui:
  51. GRUPO C – Transtornos ansiosos e/ou apreensivos, inclui:
  52. Como diagnosticar
  53. Tratando um Transtorno de Personalidade

O que é o Transtorno de Personalidade Paranoide?

Transtorno de Personalidade Paranoide: o que é, sintomas e tratamento

Categoria dos serviços dos psicólogos: terapia cognitivo comportamental

A personalidade paranoide é classificada pela psicologia como um transtorno. Em geral, se caracteriza por tipos de paranoias e por determinados padrões de desconfiança excessiva que se torna generalizadas com o tempo.

O indivíduo que sofre tal transtorno costuma a distorcer a realidade, principalmente em relação aos outros.

>>> Veja também: O que é a ansiedade? e Pânico, medo e fobia

Que tal conhecer um pouco mais sobre o transtorno de personalidade paranoide? Leia o artigo!

Causas da personalidade paranoide

A causa mais exata sobre a origem do transtorno de personalidade paranoide ainda não é bem conhecida. É mais provável que seja a combinação entre fatores biológicos  (genética e outros problemas) e ambientais (traumas familiares etc.). 

Esse transtorno paranoide pode se associar também aos quadros de depressão, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), agorafobia, ideias de suicídio, narcisismo, síndrome de “Borderline”, entre outros.

Sintomas da personalidade paranoide

Os principais sintomas da personalidade paranoide são as desconfianças excessivas em relação a outras pessoas sendo que muitas vezes são problemas que não existem. As pessoas que apresentam os sinais de personalidade paranoide tendem a imaginar, por exemplo, que outras pessoas as vigiam, comentam pelas costas, as oprimem, machucam, mentem ou dissimulam.

Assim, a pessoa com personalidade paranoide vê como ameaças à sua pessoa e integridade, qualquer indivíduo, familiar ou desconhecido, não permitindo se confiar em mais ninguém.  A paranoia e desconfiança é permanente em quem sofre desse transtorno. Por esta razão, esses indivíduos costumam ter atitudes defensivas e até mesmo agressivas perante aos demais.

Com o tempo, a pessoa que possui tal transtorno passará a não perdoar mais ofensas, devolvendo ou mesmo antecipando-se aos insultos. A prática frequente deste comportamento no meio social tende a isolá-la cada vez mais.

Quando assim se manifesta, a personalidade paranoide cria uma resistência às demais pessoas, bloqueando-a dos meios externos e criando uma barreira interna emocional e psíquica. Todo o espaço lá fora é hostil e malévolo, portanto deve ser evitado ou combatido. A sua proteção é a defesa contra estes possíveis danos.

Nos relacionamentos, as pessoas com este tipo de transtorno não confiam mais em seus parceiros e nem compartilham mais assuntos em comum. 

Como lidar com o transtorno

Não é possível prevenir o transtorno de personalidade paranoide, infelizmente. Na maioria das vezes, as pessoas que possuem transtorno de personalidade chegam a não perceber em si mesmas o problema, inclusive não tendo nenhum tipo de desconforto.

 Desta forma, a família e as pessoas mais próximas poderão buscar ajuda de um psicólogo até perceberem o problema e o prejuízo que isso causa na vida do indivíduo e de quem o rodeia.

E, neste caso, o tratamento adequado poderá satisfazer a pessoa a fim de evitar uma aceleração do transtorno.

Uma das terapias possíveis é a cognitivo-comportamental, que pode ajudar a tratar especificamente o transtorno de personalidade paranoide, bem como as demais disfunções.

Uma das primeiras partes do processo é o estabelecimento de um elo de ligação que possa ser construído com confiança e familiaridade, proporcionando assim, o fortalecimento de laços, relações, emoções bloqueadas e tendo uma mente cada vez mais assertiva.

A Terapia Cognitivo-Comportamental já é amplamente estudada com mais profundidade e possui diversas comprovações de sua eficácia por meio de estudos empíricos. Os psicólogos, por sua vez, a recomendam principalmente para tratar problemas específicos e atuais do paciente. Hoje, amplamente popularizada e aplicada, a Terapia Cognitivo-Comportamental é reconhecida, além de comprovada.

Para saber mais sobre a Terapia Cognitivo-Comportamental, consulte um profissional especializado. Leia também nossos textos sobre ansiedade, depressão, Terapia Cognitivo-Comportamental e muitos outros!

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Mais assertividade significa buscar novas formas de convívio e qualidade de vida, consultório da psicóloga em São Paulo no Chárara Santo Antonio
  • A grande maioria das pessoas infelizmente não vivem para desfrutar da felicidade. Conheça essas dicas da psicóloga para deixar a vida mais fácil
  • Muitas pessoas sofrem com o Transtorno de Personalidade Borderline sem saber que a tem, consultório do psicólogo localizado em São Paulo, próximo ao Morumbi

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

FORMAÇÃO

Graduação em Psicologia pela PUC-PR em 2008. Pós-graduação em Terapia Comportamental pela USP. E pós-graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental pelo ITC.

Источник: https://www.psicologo.com.br/tcc-terapia-cognitivo-comportamental/o-que-e-o-transtorno-de-personalidade-paranoide/

Tratamentos para Transtorno de Personalidade

Transtorno de Personalidade Paranoide: o que é, sintomas e tratamento

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 700 milhões de pessoas no mundo sofrem com algum tipo de distúrbio mental, e o transtorno de personalidade está entre os mais observados. Trata-se de um padrão de comportamento permanente, que se evidencia no fim adolescência e início da vida adulta.

Assim, determinadas características — como a presença de sentimentos, pensamentos e ações que não se adaptam às diversas situações — tornam-se destaque nas pessoas com esse problema. Além disso, grandes consequências são geradas na vida do indivíduo e em suas relações interpessoais.

Por isso, é fundamental ter conhecimento sobre os sintomas desse transtorno para que se possa buscar auxílio profissional.

Transtorno de Personalidade Esquizoide

Classificado pela falta de interesse em relações sociais, o transtorno de personalidade esquizoide pode ser percebido em pessoas introvertidas, solitárias, emocionalmente frias e distantes. São indivíduos por vezes absorvidos em seus próprios pensamentos e sentimentos, temendo a proximidade e intimidade com outros.

Para indivíduos com a personalidade esquizoide, relacionamentos são uma interferência à liberdade e tendem a causar problemas. Pessoas com esse distúrbio têm pouca vontade de ter relações sexuais com outra pessoa, bem como pouco prazer na realização de atividades em grupo. São caracterizados ainda pela falta de amigos ou confidentes que não sejam parentes de 1º grau.

Transtorno de Personalidade Paranoica

Tem por característica principal a interpretação de ações de terceiros como sendo deliberadamente ameaçadoras ou degradantes. As pessoas com transtorno de personalidade paranoica (ou paranoide) são desconfiadas ​​e propensas a explosões de fúria ou agressividade.

Indivíduos paranoides podem ser ciumentos, secretos e intrigantes, com o comportamento emocional “frio” ou excessivamente sério. Segundo o Guia Americano de Doenças Mentais (DSM), pessoas com transtorno de personalidade paranoica podem apresentar dúvidas quanto à lealdade de amigos ou colegas, com suspeitas infundadas de estarem sendo explorados, maltratados ou enganados por terceiros.

Além disso, têm relutância em perdoar insultos e aceitar elogios. Podem ser caracterizados ainda por terem suspeitas recorrentes quanto à fidelidade do cônjuge ou parceiro sexual.

Transtorno de Personalidade Esquizotípica

Pessoas diagnosticadas com esse transtorno podem ter maneiras incomuns de falar ou se vestir. São indivíduos que têm dificuldade em manter relacionamentos saudáveis, com crenças e comportamentos que não são compartilhados em seu contexto social.

Indivíduos com personalidade esquizotípica também têm pensamentos inusitados ou paranoicos, com dificuldade em formar relacionamentos e extrema ansiedade diante de situações sociais. São pessoas que tendem a declarar ter “habilidades extrassensoriais”, como ver o futuro ou ler a mente de outras pessoas.

Transtorno de Personalidade Antissocial

Pessoas com esse transtorno ignoram as regras normais de comportamento social. São impulsivos, irresponsáveis e insensíveis. São marcadas por um histórico de dificuldades legais, com comportamento irresponsável, relações agressivas e até mesmo violentas. Costumam apresentar um alto risco de abuso de substâncias, em especial o alcoolismo.

O transtorno de personalidade antissocial é comum entre indivíduos no início da vida adulta (a partir dos 18 anos). Segundo o DSM, pessoas com transtorno de personalidade antissocial têm dificuldade em conformar-se às normas éticas e legais, com a execução repetida de atos reprovados socialmente ou criminosos.

São indivíduos que podem apresentar comportamento impulsivo e incapacidade em seguir planos traçados para o futuro. Têm histórico constante de hostilidades, com episódios de lutas corporais ou agressões verbais violentas. A ausência de remorso e comportamento manipulativo também são característicos desse distúrbio.

Transtorno de Personalidade Borderline

Indivíduos diagnosticados com o distúrbio borderline são instáveis em diversas áreas, entre elas as relações interpessoais, comportamento, humor e autoimagem. São caracterizados por alterações extremas de humor, com uma autoimagem flutuante e relações interpessoais tempestuosas.

Além disso, são imprevisíveis e autodestrutivos, que geralmente têm grande dificuldade em manter um senso de identidade própria.

Medo de abandono, dependência excessiva e automutilação são alguns dos comportamentos percebidos em borderlines, bem como sentimento de vazio crônico e rompantes de raiva sem fundamento e muitos borders recorrem ao uso de álcool e drogas como forma de lidar com a sensação comum de vazio interior.

Transtorno de personalidade narcisista

Pessoas com o transtorno de personalidade narcisista buscam atenção constante e apresentam uma sensação exagerada de autoimportância. Por isso, a personalidade narcisista é hipersensível ao fracasso, com mudanças de humor extremas entre a autoadmiração e a insegurança.

Segundo o Guia Americano de Doenças Mentais, narcisistas são tomados por um sentimento de grandiosidade, com exagero de realizações e talentos.

São caracterizados ainda pela exploração de relacionamentos interpessoais, tirando vantagem de outros para atingir seus próprios objetivos.

Exigem admiração excessiva, com inveja frequente de outras pessoas, comportamentos e atitudes arrogantes e insolentes.

Transtorno de personalidade evitativa

O transtorno de personalidade evitativa ou de esquiva atinge pessoas hipersensíveis à rejeição. Indivíduos diagnosticados com esse distúrbio não estão dispostos a se envolver com outras pessoas, a menos que estejam certos de uma recepção favorável.

É caracterizado por desconforto social excessivo, timidez, medo de crítica, esquiva de atividades sociais ou de contato interpessoal. Indivíduos com personalidade evitativa podem não ter relações íntimas fora do círculo familiar, ocasionando em frustração pela incapacidade de se relacionar bem com outros.

Transtorno de personalidade dependente

Esse distúrbio é característico de pessoas que apresentam comportamento dependente e submisso. São indivíduos que tendem a confiar que outros tomem decisões por eles. Personalidades dependentes exigem reafirmação excessiva e conselhos, sendo facilmente prejudicados por críticas ou desaprovação.

Pessoas com esse transtorno se sentem devastadas com o término de relacionamentos, por isso têm um medo extremo de rejeição. É um distúrbio diagnosticado com mais frequência em mulheres, com seus primeiros sinais aparecendo na idade adulta precoce.

Transtorno de personalidade compulsiva

Compulsivos tendem a assumir cada vez mais responsabilidades em suas vidas, sendo tomados por um sentimento grande de insatisfação quanto às realizações. São confiáveis, ordenados e metódicos. Apresentam ainda um perfeccionismo exacerbado, sendo inflexíveis a eventuais alterações de circunstâncias.

Indivíduos diagnosticados com o transtorno de personalidade compulsiva são altamente cautelosos, o que dificulta a tomada de decisões e realização de tarefas. Pessoas com personalidades compulsivas se sentem desamparadas diante de eventos imprevisíveis ou que dependam da participação e confiança de terceiros.

Sintomas do Transtorno de Personalidade

Existem diversos tipos de transtorno de personalidade, e cada um apresenta sintomas específicos. Abaixo, listaremos alguns desses sinais!

Desconfiança generalizada

Constantemente, há suspeita de que as pessoas ao redor não são confiáveis e têm intenção de causar prejuízos, porém, essas conclusões são tiradas a partir de ideias infundadas. A sensação de perseguição e exploração dificulta a relação com outros indivíduos, uma vez que acontecimentos sem relevância podem ser vistos como ameaçadores e humilhantes.

Por mais que exista afinidade com alguém, isso não é permanente. Dessa forma, o cotidiano acaba cada vez mais limitado pelo medo e desconfiança.

Falta de interesse em relacionamentos

Sintoma caracterizado pela ausência de atração por relações mais íntimas ou com familiares e amigos. A pessoa tem dificuldade de expor suas emoções e, além de preferir realizar atividades sozinha, é resistente a elogios e críticas, uma vez que costuma ser fria e pouco afetiva.

Carência excessiva

Embora o desinteresse por relacionamentos possa indicar o transtorno de personalidade, precisar de muito afeto também pode ser um sinal. Essa característica é tão evidente quando causada pelo distúrbio, que quem a tem se torna submisso a amigos e parceiros por necessitar de aprovação e apoio em todos os aspectos de sua vida.

Excesso de ego

Nesse caso, não se trata de uma elevada autoestima, e sim de um comportamento narcisista, caracterizado pela busca incansável de sempre ser o centro das atenções. O indivíduo sente necessidade de ser adorado e reconhecido e acredita em sua singularidade enquanto ser humano.

Perfeccionismo ao extremo

Sinal caracterizado pela preocupação frequente com organização. Por esse motivo, há dedicação extrema às tarefas domésticas, do trabalho e até atividades mais simples. O perfeccionismo se transforma em um empecilho na rotina.

Diagnóstico de Transtorno de Personalidade

Atenção: requer um diagnóstico de médico psiquiatra

De acordo com o doutor Cláudio Duarte, psiquiatra do Hospital Santa Mônica é comum que sejam realizadas muitas consultas e avaliações até que se chegue a um diagnóstico preciso, podendo ser necessária a aplicação de testes e instrumentos psicométricos.

“É importante ainda ouvir também familiares e indivíduos próximos ao paciente. Além disso, é necessário afastar elementos que possam confundir o profissional, como uso de álcool e drogas, quadros depressivos e neurológicos etc.”, afirma.

O médico ressalta que, muitas vezes, algumas das características que definem um transtorno da personalidade podem não ser consideradas problemas pelo sujeito que tem o transtorno — são os chamados traços egossintônicos.

Antecedentes culturais, étnicos e sociais do indivíduo também têm ser levados em conta. “Deve-se diferenciar transtorno da expressão de hábitos, costumes ou preceitos religiosos e políticos que podem ser normais e comuns na cultura de origem da pessoa, mas destoar quando ela vive e os expressa em outro local para onde migra ou está temporariamente”, explica o especialista.

Tratamento de Transtorno de Personalidade

Atenção: requer um diagnóstico de médico psiquiatra

Um fórum para terapia e troca de experiências entre pessoas com uma condição ou objetivo similar, como ansiedade ou esquizofrenia.

Terapia Cognitiva Comportamental

Analisa interpretações distorcidas da realidade que levam a falsas crenças, pensamentos distorcidos que levam-no paciente ao sofrimento psíquico

Psicoeducação

Aprendizado sobre saúde mental que também serve para apoiar, valorizar e dar autonomia aos pacientes, de forma que possam conviver com a depressão.

Terapia Familiar

Aconselhamento psicológico que permite que as famílias resolvam, juntas, seus problemas e aprendam a lidar com a situação difícil pela qual o paciente depressivo passa.

Terapia de Grupo

Tipo de psicoterapia na qual o terapeuta trabalha com clientes em grupo, em vez de sessões individuais. Pode ser uma boa alternativa para desabar sobre as dores de quem lida diariamente com a depressão.

Reduzem ou melhoram quaisquer sintomas ligados à tristeza profunda.

Ansiolíticos

Reduzem os efeitos da ansiedade e ajudam o paciente a lidar com preocupações excessivas devido ao diagnóstico depressivo.

Antipsicóticos

Ajudam a controlar tremores e a evitar psicoses.

Internação para quem tem Transtorno de Personalidade

Identificar o momento correto de se fazer uma internação é o principal desafio enfrentado por pessoas que convivem com distúrbios de personalidade.

Afinal, em que ponto internar? O médico explica: “O primeiro desafio é se perguntar: o paciente está percebendo seu comportamento, sofrimento ou prejuízos? Ele percebe que precisa de ajuda, e que há necessidade de uma mudança? Se sim, a evolução é mais favorável”.

Internação voluntária – com consentimento paciente

Se o paciente está ciente de sua situação e dos problemas com os quais convive, além de sofrer pelos sintomas da depressão, capazes de impactar vida, autoestima, trabalho e, principalmente, relacionamentos, a internação voluntária a ajuda a estar em contato com uma equipe multidisciplinar apta a zelar por seu tratamento e a reabilitá-lo de modo que possa voltar a conviver bem com si mesmo e com aqueles que ama.

Internação compulsória – contra a vontade do paciente

§ Internação involuntária: de acordo com a lei (10.216/01), o familiar pode solicitar a internação involuntária, desde que o pedido seja feito por escrito e aceito pelo médico psiquiatra.

A lei determina que, nesses casos, os responsáveis técnicos do estabelecimento de saúde têm prazo de 72 horas para informar ao Ministério Público da comarca sobre a internação e seus motivos.

O objetivo é evitar a possibilidade de esse tipo de internação ser utilizado para a prática de cárcere privado.

§ Internação compulsória: neste caso não é necessária a autorização familiar. O artigo 9º da lei 10.216/01 estabelece a possibilidade da internação compulsória, sendo esta sempre determinada pelo juiz competente, depois de pedido formal, feito por um médico, atestando que a pessoa não tem domínio sobre a sua condição psicológica e física.

Sobre o Hospital Santa Mônica

O Hospital Santa Mônica zela pela saúde mental de crianças (a partir dos 8 anos), jovens e adultos, além de tratar dependência química.

Em 2019, completa 50 anos que atua como referência de hospital psiquiátrico, auxiliando também pacientes com depressão, em todos os seus estágios.

Possui dúvidas sobre esse conteúdo? Para saber mais, entre em contato conosco preenchendo nosso formulário de atendimento.

Источник: https://hospitalsantamonica.com.br/saude-mental/transtorno-de-personalidade/

Transtorno de Personalidade Paranoide: Causas, sintomas, tratamentos

Transtorno de Personalidade Paranoide: o que é, sintomas e tratamento

Neste artigo:

  • Sintomas de Transtorno da Personalidade Paranoide.
  • Causas do Transtorno da Personalidade Paranoide.
  • Diagnóstico
  • Tratamento para Transtorno da Personalidade Paranoide.
  • Que complicações estão associadas com transtorno de personalidade paranoide?
  • Quais são as perspectivas para as pessoas com o transtorno?
  • Ele pode ser evitado?

O que é Transtorno de Personalidade Paranoide

Transtorno de personalidade paranoide (TPP) faz parte de um grupo de transtornos de personalidade que envolvem jeitos estranhos ou excêntricos de pensar. Pessoas com TPP também sofrem de paranoia, uma desconfiança implacável dos outros, mesmo quando não há nenhuma razão para suspeitar.

Esta doença geralmente começa da idade adulta e parece ser mais comum em homens do que em mulheres.

Quais são os sintomas de Transtorno da Personalidade Paranóide?

Pessoas com Transtorno de personalidade paranoide estão sempre em guarda, acreditando que os outros estão constantemente tentando rebaixar, prejudicar ou ameaçá-las. Estas crenças geralmente infundadas, bem como seus hábitos de culpa e desconfiança, podem interferir com a sua capacidade de formar relacionamentos estreitos. As pessoas com este transtorno:

  • Duvidam do compromisso, lealdade ou a confiabilidade de outros, acreditando que os outros estão usando ou enganando-os
  • São relutantes em confiar nos outros ou revelar informações pessoais devido a um receio de que as informações serão usadas contra eles
  • São implacáveis e guardam rancores
  • São hipersensíveis e recebem críticas mal
  • Veem significados ocultos nas observações inocentes ou visuais casuais dos outros
  • Percebem os ataques a seu caráter que não são aparentes para os outros; geralmente reagem com raiva e são rápidos para retaliar
  • Tem suspeitas recorrentes, sem razão, que os seus cônjuges ou amantes estão sendo infiéis
  • São geralmente frias e distantes em suas relações com os outros, e podem se tornar controladoras e ciumentas
  • Podem não ver o seu papel em problemas ou conflitos e acreditar que têm sempre razão
  • Tem dificuldade em relaxar
  • São hostis, teimosas, e argumentativas

O que causa o Transtorno da Personalidade Paranoide?

A causa exata do Transtorno de personalidade paranoide não é conhecida, mas é provavelmente envolve uma combinação de fatores biológicos e psicológicos.

O fato de que o TPP é mais comum em pessoas que têm parentes próximos com esquizofrenia sugere uma ligação genética entre as duas doenças.

Experiências na primeira infância, incluindo trauma físico ou emocional, também são suspeitas de desempenhar um papel no desenvolvimento de Transtorno de personalidade paranoide.

Como o Transtorno da Personalidade Paranoide é diagnosticado?

Se os sintomas físicos estão presentes, o médico começará uma avaliação através da história clínica e psiquiátrica completa e, se indicado, um exame físico. Embora não existam exames laboratoriais para diagnosticar especificamente transtornos de personalidade, o médico pode usar vários testes de diagnóstico para descartar doenças físicas como a causa dos sintomas.

Se o médico não encontra nenhuma razão física para os sintomas, ele ou ela pode se indicar a pessoa a um psiquiatra ou psicólogo, profissionais de cuidados de saúde que são especialmente treinados para diagnosticar e tratar doenças mentais. Psiquiatras e psicólogos usam entrevista e avaliação para verificar se uma pessoa passa por um transtorno de personalidade.

Como o Transtorno da Personalidade Paranoide é tratado

Pessoas com Transtorno de personalidade paranoide muitas vezes não procuram tratamento por conta própria, porque não se vêem como tendo um problema.

Quando o tratamento é procurado, a psicoterapia é o principal tratamento para Transtorno de personalidade paranoide.

O tratamento provavelmente vai se concentrar em aumentar as habilidades de enfrentamento gerais, bem como na melhoria da interação social, comunicação e autoestima.

Sendo a confiança um fator importante da psicoterapia, o tratamento é desafiador já que as pessoas com Transtorno de personalidade paranoide têm desconfiança generalizada. Como resultado, muitas pessoas com TTP não seguem o seu plano de tratamento.

Medicação geralmente não é um grande foco de tratamento para Transtorno de personalidade paranoide. No entanto, medicamentos, tais como ansiolíticos, antidepressivos ou drogas antipsicóticas, podem ser prescritos se os sintomas da pessoa são extremos, ou se ele ou ela também sofre de um problema psicológico associado, tal como ansiedade ou depressão .

Que complicações estão associadas com transtorno de personalidade paranoide?

O pensamento e os comportamentos associados com Transtorno de personalidade paranoide podem interferir com a capacidade de uma pessoa para manter relações, bem como a sua capacidade de vida social e em situações de trabalho. Em muitos casos, as pessoas com TTP se envolvem em batalhas legais, processando pessoas ou empresas que eles acreditam que querem “pegá-las.”

Quais são as perspectivas para as pessoas com transtorno de personalidade paranoide?

As perspectivas para as pessoas com TPP variam. É uma doença crônica, o que significa que tende a durar por toda a vida de uma pessoa.

Embora algumas pessoas podem viver razoavelmente bem com TPP e são capazes de se casar e manter empregos, outras são completamente desativadas pela doença.

Já que as pessoas com Transtorno de personalidade paranoide tendem a resistir ao tratamento, o resultado muitas vezes é pobre.

Transtorno da Personalidade Paranoide pode ser evitado?

Embora a prevenção de Transtorno de personalidade paranoide possa não ser possível, o tratamento pode, por vezes, permitir que uma pessoa que está propensa a essa condição aprenda maneiras mais produtivas de lidar com as situações.

Fontes:

Источник: https://psicoativo.com/2016/07/transtorno-de-personalidade-paranoide-causas-sintomas-tratamentos.html

Você sabe quais são os Transtornos de Personalidade? Descubra!

Transtorno de Personalidade Paranoide: o que é, sintomas e tratamento

Você provavelmente conhece ou conheceu alguém que possui uma forma diferente – ao seu ver – de enxergar e reagir ao mundo. Ou mesmo se questionou sobre as próprias variações de humor, ou sobre as próprias dificuldades de se desapegar de certos comportamentos. 

Isso caracteriza um transtorno de personalidade? Seria esse comportamento passível de tratamento? Entenda aqui o que é esse transtorno, como identificá-lo e quando se torna necessário buscar ajuda.

O que são os transtornos de personalidade?

O transtorno de personalidade se refere, na verdade, a um conjunto de transtornos.

Apesar de se manifestar de forma variada, em todos os transtornos as pessoas apresentam padrões de comportamento e formas de reagir e se relacionar persistentes, e que causam sofrimento significativo ou até mesmo comprometimento da sua funcionalidade. Costumam ser problemas de longa duração e afetam principalmente os relacionamentos pessoais.

As possíveis causas

Apesar de não estar muito bem estabelecido ainda, acredita-se que os transtornos de personalidade são causados por uma combinação e interação entre fatores ambientais e predisposição genética.

Muitos transtornos diminuem a sua gravidade com o avançar da idade, porém certos traços podem persistir, mesmo após a resolução dos sintomas agudos que levaram ao diagnóstico num primeiro momento.

 

Sinais e Sintomas

Os sinais e sintomas dos transtornos costumam surgir na adolescência e/ou no início da vida adulta. Geralmente, se manifestam através da autoimagem (na construção da própria identidade) e através dos relacionamentos.

  • Auto Identidade – Quem sofre de transtorno de personalidade não tem uma imagem clara e estável de si mesma, podendo mudá-la conforme a situação em que se encontram. Da mesma forma, a autoestima oscila entre alta e baixa.
  • Relacionamentos Interpessoais – Estabelecer relações íntimas e duradouras costuma ser muito difícil para quem sofre de qualquer transtorno de personalidade. Costumam ser pessoas tidas como confusas, que podem tender a se isolar socialmente ou até mesmo sofrer de medo de abandono e necessitar de muita atenção.

Sendo assim, os sinais e sintomas vão variar conforme o tipo de transtorno que a pessoa apresenta. No entanto, os mais comuns são:

  • Isolamento social e/ou Introspecção;
  • Impulsividade;
  • Medo de abandono e/ou necessidade de atenção;
  • Intolerância;
  • Arrogância e/ou intolerância;
  • Perfeccionismo excessivo;
  • Insegurança excessiva;
  • Ansiedade;
  • Agressividade.

Os tipos de Transtornos de Personalidade

Os transtornos de personalidade são classificados em três subgrupos, conforme o último Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), unindo aqueles que apresentam características e padrões em comum. Ao todo, são dez transtornos diferentes.

GRUPO A – Transtornos estranhos ou excêntricos, inclui:

  • Transtorno de Personalidade Paranóide: pessoas com alto grau de desconfiança e suspeita sobre os outros. Podem apresentar medo de perseguição e/ou de serem enganadas.

  • Transtorno de Personalidade Esquizoide: costumam apresentar alto grau de desinteresse em outras pessoas e embotamento social.

  • Transtorno de Personalidade Esquizotípico: pessoas com comportamentos e pensamentos excêntricos ou bizarros. Geralmente têm dificuldade em adquirir relacionamentos íntimos.

GRUPO B – Transtornos dramáticos ou erráticos, inclui:

  • Transtorno de Personalidade Antissocial: costumam manipular os outros para ganho pessoal, podem ser falsos e irresponsáveis social e afetivamente.

  • Transtorno de Personalidade Borderline: alta instabilidade emocional, com intolerância de ficar sozinho e mudanças de atitude súbitas e de forma impulsiva (leia a nossa matéria sobre aqui).
  • Transtorno de Personalidade Histriônico: pessoas que possuem necessidade excessiva de chamar a atenção.

  • Transtorno de Personalidade Narcisista: costumam apresentar autoestima frágil e desregulada, apesar de aparentarem grandiosidade sobre a própria imagem.

GRUPO C – Transtornos ansiosos e/ou apreensivos, inclui:

  • Transtorno de Personalidade Esquivo: medo de rejeição tão alto que costumam evitar o contato interpessoal de qualquer tipo.

  • Transtorno de Personalidade Dependente: costumam apresentar necessidade excessiva de ser cuidado e alto grau de submissão.

  • Transtorno de Personalidade Obsessivo-Compulsivo (TOC): costumam ser pessoas rígidas, perfeccionistas e obstinadas, que apresentam pensamentos ou comportamentos repetitivos que causam prejuízo às suas atividades diárias (leia a nossa matéria sobre isso, aqui).

ATENÇÃO: Apesar de sempre haver alguma característica de cada transtorno que podemos reconhecer em nós mesmos, quem possui de fato o transtorno deve apresentar a maior parte das características de um transtorno específico.

Como diagnosticar

A divisão dos transtornos em grupo não têm aplicabilidade na prática, pois o diagnóstico é clínico e exige uma boa avaliação do psiquiatra. Não costuma ser um diagnóstico fácil de se firmar, geralmente exigindo mais de um encontro com o médico especialista.

Tratando um Transtorno de Personalidade

Com o devido apoio de seus familiares e amigos, associado à terapia comportamental e farmacológica, as pessoas que sofrem de transtornos de personalidade podem melhorar muito a sua qualidade de vida.

Algumas medidas tomadas pelo próprio paciente podem fazer a diferença, como:

  • Informar-se sobre o distúrbio que possui;
  • Praticar atividades físicas regularmente para gerenciar e reduzir alguns sintomas;
  • Evitar o uso de substâncias estimulantes, como bebidas alcoólicas e outras drogas;
  • Escrever um diário para exteriorizar e expressar as emoções;
  • Buscar técnicas de relaxamento e autoconhecimento como yoga e meditação.

Se você se identifica com algum desses transtornos ou convive com alguém que apresente algumas dessas características e está sob estresse ou sofrimento emocional, não hesite em pedir ajuda. Busque a avaliação de um profissional especialista e descubra como tratar esses sintomas o quanto antes. 

Entre em contato com a nossa equipe de especialistas e marque uma avaliação aqui.

Источник: https://psiquiatriapaulista.com.br/quais-sao-os-transtornos-de-personalidade/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: