Ver televisão de perto faz mal aos olhos?

Nove mitos sobre a visão

Ver televisão de perto faz mal aos olhos?

No que se refere à visão, há muitas orientações erradas que, na prática, acabam comprometendo a saúde ocular. Veja abaixo alguns mitos sobre a visão.

No imaginário popular, um boato contado várias vezes torna-se verdade. Quando falamos sobre saúde e doenças não é diferente. Desde a infância somos ensinados a não fazer muitas coisas para o bem da nossa saúde, mas na maioria das situações sequer conhecemos o real motivo das recomendações.

No que se refere à visão, você com certeza já ouviu muitos conselhos como: nunca leia com pouca luz; tire as lentes de contato ao viajar de avião; evite ficar perto do computador ou da TV para não prejudicar a vista; entre outros. Esses são alguns dos mitos mais comuns reproduzidos no dia a dia, embora haja razões médicas que controvertem tais informações.

O oftalmologista dr. Luiz Antônio Viera, do Hospital CEMA, em São Paulo, explica os principais mitos falados no cotidiano e publicados em páginas da internet:

Mito 1: Usar muito computador e tablet compromete a visão.

Hoje em dia, dificilmente ficamos longe dos dispositivos tecnológicos. A boa notícia é que podemos trabalhar e estudar diante das telas dos aparelhos por horas sem grandes receios. Quem não tem problemas de visão, não irá prejudicá-la se ficar em frente à tela.

“Pessoas que têm alguma ametropia (miopia, hipermetropia e astigmatismo) não corrigida, podem apresentar sintomas como embaçamento e dor ocular aos esforços visuais.

São essas queixas que ajudam a construir o mito de que ficar muito tempo diante das telas faz mal à visão”, explica o dr. Vieira.

No entanto, se você passar bastante tempo em frente à tela, principalmente no notebook, tablet e celular, fique atento à distância do monitor. Se possível, mantenha uma distância de 35 a 40 cm, pois a proximidade exagerada leva a um maior esforço acomodativo que podem gerar desconforto.

Mito 2: Sentar muito perto da TV prejudica a visão.

Evitar se sentar muito perto da TV é uma das principais orientações que recebemos dos nossos pais e responsáveis quando ainda somos crianças, mas que não afeta a visão. “Realmente, assistir à televisão muito próximo da tela não induz nenhuma doença ocular, apenas sintomas acomodativos.”

Os olhos claros têm menos pigmentação em uma camada da íris do que os escuros, podendo ser um pouco mais sensíveis a uma maior intensidade de luz, mas isso não é doença.

Por essa razão, quando for assistir à TV é recomendável que a pessoa se posicione no mínimo entre 3 a 5 metros do aparelho usando a correção óptica adequada (óculos ou lentes), se necessário.

Mito 3: Excesso de leitura causa visão cansada.

Leia à vontade. O máximo que pode ocorrer é um incômodo nos olhos devido às circunstâncias de leituras desfavoráveis, como ler sem óculos adequados e com luminosidade baixa. Além disso, não associe essa condição à presbiopia (vista cansada), cujo aparecimento ocorre naturalmente em pessoas acima dos 40 anos e a maior parte delas precisa de óculos para leitura.

“Se houver vício de leitura, tais como ler em ambiente com iluminação inadequada, deitado de forma desconfortável e sem correção óptica adequada (óculos ou lentes), pode haver sintomas. Por outro lado, a visão cansada induzida por excesso de leitura em quem goza de boa saúde ocular é um mito”, avalia o médico.

Mito 4: Ler no escuro prejudica a visão

Reiterando o mito anterior, a leitura em ambientes com pouca luz não prejudica a visão, porém pode causar algum desconforto. “Dizer que ler em ambiente pouco iluminado prejudica a visão é mito.

No entanto, quem tem ametropias não corrigidas ou doenças que realmente causam comprometimento da visão noturna pode ter sintomas gerados pela necessidade de maior esforço para ler em ambientes com pouca luminosidade”.

Sempre procure ler em ambiente com iluminação adequada para amenizar o contraste entre o claro e o escuro.

Veja também: Entrevista completa sobre oftalmologia infantil

Mito 5: Olhos claros podem ter mais problemas do que os escuros.

Pessoas com olhos claros e escuros devem ter basicamente os mesmos cuidados.  “Os olhos claros têm menos pigmentação em uma camada da íris do que os escuros, podendo ser um pouco mais sensíveis a uma maior intensidade de luz, mas isso não é doença. No entanto, é recomendável que pessoas com olhos claros usem lentes protetoras com filtros ultravioleta.”

Em dias ensolarados, independentemente da cor dos olhos, todos estamos expostos ao alto índice de raios ultravioleta (UV). Então se lembre de utilizar óculos escuros para se proteger dos raios UVA e UVB, que podem causar vários problemas oculares como catarata e lesão na córnea e na retina.

Mito 6: Quem tem astigmatismo não pode usar lentes de contato.

Há diferentes tipos de lentes de contato para quem tem astigmatismo. Um médico irá indicar a melhor opção de uso para cada indivíduo. “O astigmatismo é formado pela alteração da curvatura da córnea em um só eixo, se admitirmos a córnea com um formato de uma bola de futebol americano.

As lentes mais adaptadas neste caso são as rígidas, porém elas são mais desconfortáveis. Existem lentes gelatinosas específicas para esta correção, as tóricas, com bom resultado e excelente conforto.

Uma lente gelatinosa só para correção de miopia, quando usada em astigmatismo, amolda-se à córnea, preservando a sua irregularidade”, compara o oftalmologista.

Mito 7: Lentes de contato não devem ser utilizadas em viagens de avião.

Não há contraindicações para o uso de lentes de contato durante uma viagem de avião. As condições internas das aeronaves, no entanto, provocam leves sintomas ao usuário de lente.

“A lente de contato normalmente compromete um pouco a qualidade da lágrima, mesmo quando bem adaptada.

Dentro do avião, existe alteração da umidade do ar, prejudicando ainda mais a qualidade da lágrima e exacerbando os sintomas de olho seco.”

Os colírios devem ser usados sob orientação e prescrição médica. Muitos colírios que causam complicações oculares sérias ainda são vendidos sem receitas, tais como os com corticoides.

Caso for usar lente, ela precisa ser indicada por um médico que deve adaptá-la ao olho do paciente. Mantenha a higiene necessária das lentes para evitar infecções graves nos olhos.


Mito 8: Óculos de grau são melhores que lentes de contato para corrigir a visão.

Ambos são eficientes na correção óptica. Mas em determinados casos a lente de contato oferece certa vantagem. “A lente de contato leva a uma melhor visão do que os óculos para corrigir grau, pois é colocada sobre a córnea, diminuindo, desse modo, as aberrações ópticas (imagens com deformações)”, justifica o oftalmologista.

Mito 9: Colírios podem ser usados sem receita médica.

Assim como os demais medicamentos, nunca use colírios sem a indicação do oftalmologista. Isso pode trazer graves consequências aos olhos.

“Os colírios devem ser usados sob orientação e prescrição médica. Muitos colírios que causam complicações oculares sérias ainda são vendidos sem receitas, tais como os com corticoides.

Alguns colírios lubrificantes sem conservantes poderiam ser usados sem receitas.”

Источник: https://drauziovarella.uol.com.br/oftalmologia/nove-mitos-sobre-a-visao/

Assistir Tv de perto faz mal à visão? Mito ou verdade?

Ver televisão de perto faz mal aos olhos?

Uma mentira repetida viárias vezes pode se tornar uma verdade. E quando ninguém tem certeza de onde saiu isso, o que nasce são os mitos. E na minha série Mitos e Verdades é a vez de uma das lendas mais faladas por ai: assistir TV de pertinho faz mal aos olhos?

E, enquanto você deve estar pensando, “é óbvio que sim”, se engana redondamente. Exatamente isso mesmo: ver TV de muito de perto não prejudica sua visão. Isso não quer dizer que ali não esteja acontecendo um problema, mas mesmo assim não é aquilo que você pensa.

Portanto, fique ligado!

Assistir Tv muito perto não faz mal, mas é reflexo de um problema

Eu sempre digo que pode parecer verdade e muita gente acredita nisso porque essa prática, na maioria das vezes, está relacionada a um problema de verdade.

Costumo dizer que a relação de assistir televisão de perto e fazer mal para a visão é como se fosse a história do ovo e da galinha. Quem veio primeiro? Você está assistindo de perto porque sua visão está ruim, ou sua visão ficou ruim porque você assiste de perto?

E a minha teoria sobre isso é que, na maioria das vezes, você está assistindo televisão de pertinho porque sua visão já está ruim. Ela está sem foco, já está difícil de enxergar a legenda ou as letras e você se aproxima para facilitar o trabalho de seus olhos.

Não é a televisão perto que vai piorar sua visão. Na maioria das vezes, ela já está ruim e você nem percebeu isso, já que está usando paliativos para driblar o problema, como assistir a TV bem de pertinho.

Mas criança assistir Tv bem pertinho faz mal, né?

E quando você tem um filho ou um neto é normal ficar preocupado com isso. Você vê a criança assistir a Tv de perto e acha que pode, à longo prazo, prejudicar a visão. É normal ter essa preocupação.

O problema da televisão é outro. O problema é você não dar pausas! E isso precisa ser feito a pelo menos cada 50 ou 60 minutos.

Você precisa descansar os seus olhos. Você vai piorar a visão se não fizer isso, principalmente, porque seus olhos precisam de relaxamento.

Por sorte, existem exercícios de relaxamento. É só você colocar essas práticas em seu dia a dia que os resultados serão automáticos. Principalmente quando a ideia é relaxar sua visão do bombardeio dos dias atuais.

Então, tenha em mente: não é assistir de perto que vai prejudicar sua visão. Longe ou perto não faz diferença. O problema não é esse. O problema é não dar pausas. A falta de interrupção que é prejudicial.

E se estiver vendo alguém assistir muito de pertinho, pergunte para ela como está sua visão, se ela está precisando enxergar melhor. De repente, ainda dá tempo de salvar mais uma visão. Então, não deixe essa preocupação de lado, apenas se preocupe com o que deve ser levado em conta!

Quer Receber sem Custo 1 Hora em vídeo de Exercícios para os Olhos?

Cadastre-se em minha Lista Vip, é totalmente gratuita, e por ela eu envio e-mails com Vídeo Aulas, Dicas e Exercícios Visuais para você praticar.É por e-mail também que eu aviso quando os Programas Onlines estão com as inscrições abertas.

Neles você têm acesso ao meu acompanhamento e também aos programas específicos de exercícios para cada problema visual.

Dois sábados por mês, das 9:00 ás 10:00, no Parque Villa Lobos – São Paulo, bem em frente ao anfiteatro (entrada principal), fazemos exercícios visuais ao ar livre, É totalmente gratuito e sem compromisso!!!

Basta chegar e participar !!!  Convide seus amigos e familiares, e venha sem lentes de contato!

Para saber as datas envie um e-mail para [email protected]

MAIS INFORMAÇÕES E um Canal para tirar suas DÚVIDAS, envie um e-mail para:

[email protected]

IMPORTANTE

Os exercícios visuais NÃO substituem o tratamento médico oftalmológico convencional. Consulte regularmente o seu oftalmologista, pois o método de exercícios naturais para os olhos é complementar à sua saúde visual. Não desautoriza nem desestimula, de forma alguma, a continuidade do tratamento médico oftalmológico.Em caso de dúvida ou desconforto em seus olhos, procure o médico oftalmologista. Só ele é autorizado a fazer diagnósticos e a receitar ou suspender qualquer tipo de medicação.Não se automedique nem suspenda qualquer tipo de medicamento ou de tratamento sem a autorização do seu médico oftalmologista.

Источник: https://tatianagebrael.com/assistir-tv-de-perto-faz-mal-a-visao-mito-ou-verdade/

10 Sinais de Problema de Visão na Criança

Ver televisão de perto faz mal aos olhos?

A visão é o nosso principal sentido e é responsável por mais de 80% das informações que as crianças adquirem durante a infância, principalmente na escola.

A criança com alguma deficiência visual não diagnosticada pode ter importante prejuízo no seu aprendizado e desenvolvimento. Frequentemente, o mau desempenho escolar ocorre exclusivamente por algum tipo de problema visual que nem a família nem a criança estão cientes.

Estrabismo, miopia, astigmatismo, ambliopia, catarata, glaucoma e síndrome do olho seco são alguns dos problemas oftalmológicos que podem surgir na infância.

Na imensa maioria das vezes, a criança não tem capacidade de reconhecer o próprio problema. Por isso, um exame oftalmológico de rastreio é importante.

A Academia Americana de Pediatria e a Academia Americana de Oftalmologia recomendam exame oftalmológico de rastreio a partir dos 3 anos de idade. Muitas escolas fazem esse exame ou exigem que os pais o façam entre os 4 e 6 anos de idade.

O que vamos explicar a seguir são os principais sinais de alteração na visão que a criança pode apresentar. É importante que os pais e os professores fiquem alerta para poderem identificar precocemente uma criança com comprometimento visual.

Video

Antes de seguirmos em frente com as explicações, assista ao vídeo com o resumo das informações tratadas neste artigo.

Mau desempenho escolar

Toda criança com mau desempenho escolar, mas que se mostre bem desenvolvida e perfeitamente à vontade em todas as outras áreas, deve se submeter a uma avaliação oftalmológica.

Se a criança tiver dificuldade para ler de perto ou de longe, ela terá maior dificuldade de aprender o conteúdo dado em sala de aula.

Se os pais ou os professores não estiverem atentos, a criança pode passar meses ou anos com mau desempenho acadêmico simplesmente por ter algum problema na visão, como miopia, estrabismo ou astigmatismo, por exemplo.

Sentar muito próximo da TV

Ver TV de perto é sinal de problema na visão

Se o seu filho só gosta de ver televisão estando muito próximo ao aparelho, isso pode ser um sinal de que a visão dele para longe não está adequada. Astigmatismo ou miopia são problemas possíveis nesses casos.

É importante salientar que sentar muito próximo da TV é um sinal de problema de visão e não a causa dele.

Todo mundo já ouviu dos pais que ver televisão muito de perto faz mal pra vista, mas isso é uma orientação que atualmente não possui nenhuma evidência científica.

Esse mito surgiu porque até o fim da década de 1960, os televisores vendidos realmente emitiam uma quantidade de radiação acima do permitido atualmente pelos órgãos de controle. Nessa época, ver TV muito próximo realmente fazia mal.

Os televisores modernos, porém, não emitem essa radiação e não há evidências de que eles possam provocar danos à visão.

Ler com o livro muito próximo dos olhos

Se a criança sentir necessidade de aproximar o livro dos olhos para conseguir ler adequadamente, isso também pode ser um sinal de miopia ou outro problema de visão.

Tenha atenção que as crianças têm uma capacidade de acomodar os olhos maior que os adultos e por isso conseguem enxergar de perto bem melhor que nós. Porém, se a criança só consegue ler as palavras com o livro próximo ao rosto, uma consulta com o oftalmologista faz-se necessária.

Coçar muito os olhos

Toda criança pequena coça os olhos quando está com sono. Isso é perfeitamente normal. Todavia, se o seu filho, coça muito os olhos quando está brincando ou quando está tentando enxergar ou ler alguma coisa, isso pode ser um sinal de dificuldade visual.

A coceira ocular frequente também pode ser um sinal de conjuntivite alérgica.

Comichão frequente nos olhos

Além de ser um sinal de um possível problema oftalmológico, o ato de coçar os olhos a toda hora pode desencadear ceratocone, uma doença ocular que surge quando a córnea fica deformada, assumindo um formato de cone.

Pular a linha quando está lendo um texto

Se a criança frequentemente pula ou repete as palavras ou as linhas quando está lendo ou escrevendo, ou se anos depois de ter sido alfabetizada ela ainda precisa usar o dedo para acompanhar as palavras que lê, isso pode ser um sinal de miopia ou insuficiência de convergência.

A insuficiência de convergência é uma condição na qual a musculatura dos olhos têm dificuldade em trabalhar de forma coordenada, principalmente nas atividades que requerem visão próxima, como durante a leitura ou escrita.

Além da dificuldade para ler de forma sequencial, a criança também pode apresentar fadiga ocular, visão turva, visão dupla (diplopia) ou dor de cabeça associada à leitura ou escrita.

Toda criança com má performance na leitura ou escrita deve ser avaliada para problemas de visão.

Fotofobia

Fotofobia é uma sensibilidade exagerada à luz.

Crianças que se mostram muito sensíveis à luminosidade, principalmente em situações nas quais as outras crianças não parecem estar incomodadas, podem ter algum problema oftalmológico.

As causas de fotofobia são várias, nem todas elas são de origem oftalmológica, como é o caso da enxaqueca.

Blefarite, lesão da córnea, uveíte, conjuntivite e irite são apenas algumas das causas oculares de sensibilidade à luz.

Em alguns pacientes, principalmente nas pessoas de olhos claros, a fotofobia pode não ter uma causa aparente, sendo apenas uma sensibilidade aumentada à luz (geralmente mais intensa nos comprimentos de onda azul e verde) sem nenhuma doença associada.

Lacrimejamento persistente

Lacrimejamento excessivo ou persistente em um ou ambos os olhos também é um sinal de problema. São várias as possíveis causas, incluindo:

  • Síndrome dos olhos secos.
  • Uveíte.
  • Glaucoma.
  • Conjuntivite.
  • Trauma.
  • Alterações nos cílios.

Nas crianças com menos de 1 ano de idade, a principal causa de lacrimejamento contante é a obstrução do ducto nasolacrimal.

Fechar um dos olhos para ler de longe ou ver TV

Fechar um dos olhos para ver de longe

Se a criança tiver um problema de visão em apenas um dos olhos, ela pode ter dificuldade com a visão binocular (com os dois olhos abertos).

Por exemplo, se um dos olhos tiver miopia ou astigmatismo e outro não, a criança pode começar a utilizar mais o olho bom que o ruim. Isso pode causar um quadro de ambliopia, que é o desenvolvimento inadequado da visão em um dos olhos.

Estrabismo é outra causa comum de ambliopia.

O tratamento pode ser feito com óculos, mas nos casos mais severos pode ser necessária a utilização de um tapa olho sobre o olho bom, para forçar o desenvolvimento do olho menos desenvolvido.

Inclinação da cabeça para o lado para ler ou ver TV

Esse sinal é semelhante ao anterior e geralmente ocorre quando a criança enxerga melhor de um olho do que de outro ou tem algum tipo de estrabismo.

Essa condição é mais facilmente percebida pelos professores na sala de aula, pois esses costumam estar de frente para a criança enquanto ela tenta ler o quadro negro.

Dor de cabeça ou dor nos olhos

Muitas vezes, a criança com algum problema visual passa o dia forçando a musculatura do olho para tentar ajustar o foco e conseguir ler e ver detalhes à distância.

Esse esforço pode provocar sintomas, como dor de cabeça, dor nos olhos ou sensação de olhos cansados.

Se o seu filho refere qualquer um desses sintomas ou se claramente evita atividades que requerem uma boa visão, como ler, usar o computador ou jogar videogame, isso pode ser um sinal de problema nos olhos.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/oftalmologia/problema-de-visao-na-crianca/

Sobre a Medicina
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: